acompanhe o blog
nas redes sociais

25.8.16

Como Ela Sabe o Que Eu Penso? [J.C Virgínio]

Ed. Novo Século, 2016 - 176 páginas:
      O que você faria se descobrisse que a pessoa que você ama – e com a qual pretende se casar – pode ouvir seus pensamentos toda vez que segura sua mão, mas nunca disse uma palavra sobre isso? Anne é uma jovem arquiteta, bonita e bem-sucedida, que tem o que muitas mulheres gostariam de ter: a capacidade de ouvir os pensamentos de seu amor. Apaixonou-se à primeira vista por Eduardo, sabendo de antemão tudo o que se passava em sua cabeça. Eduardo não acredita que alguém tão especial possa se apaixonar por um homem comum sem ser ciumenta e possessiva. Anne não revela ao parceiro sua curiosa habilidade, mas não consegue se controlar ao ouvir os pensamentos estereotipados dele. Acompanhe esta história e ria, emocione-se e divirta-se! 

Onde comprar:


Que atire a primeira pedra quem nunca quis escutar o pensamento de alguém, principalmente de alguém que estamos afim.

“Nossa mente é o mais alto nível de privacidade que existe”

Disso não há dúvida. Imagine se fosse ao contrário e se alguém pudesse escutar sua mente? Okey, isso com certeza não seria legal, porem foi isso que aconteceu com Eduardo, com um simples toque de mão, Anne conseguia ouvir todos os seus pensamentos, e eu quero dizer realmente "todos".

Anne e Eduardo já tinham se esbarrado uma vez ou outra por aí, o interesse de Anne foi logo instantâneo, mas como nem tudo são flores, cada um acabou seguindo seu rumo. Depois de um tempo, os dois acabaram se encontrando novamente, e começaram a sair. Não demorou muito para os dois estarem complemente apaixonado um pelo outro. Anne toda vez que tocava a mão de Edu, além de dar um choquinho, ainda escutava seus pensamentos.

Estava tudo lindo e maravilhoso, porem Anna era virgem e pretendia manter essa situação até depois do casamento, agora imagina só, ela ficar escutando os pensamentos de Edu? Pode imaginar que não foi nem um pouco fácil né. Lidar com um relacionamento já não é fácil, imagina agora escutar o que o parceiro pensa? Mas o que é pior, saber que tem esse dom ou não usar? (Eu com certeza não ia resistir, sem falar que ia dar muitos furos haha)

Não preciso nem dizer que é uma história cheia de Humor, não é? Porém é uma história meio clichê, e não é detalhada. Uma leitura bem rápida e fácil, a escrita é bem informal e gostosa de seguir. Achei que poderia ter sido um pouco mais rico em detalhes, pois não chegou a realmente me envolver. Por ser um romance água com açúcar, não indico a leitura para qualquer um, sabe quando você lê um livro muito bom e depois fica procurando o sentido da vida? Recomendo ler essa história depois disso, já pelo seu formato leve e com grandes pitadas de humor. Um ponto positivo que gostaria de destacar é a estética do livro que deu um show.

 Cortesia da Editora Novo Século
Gabriele Machado
15 anos, paranaense, leitora compulsiva, apaixonada por cachorros, viciada em musica e seriados, junta todos esses adjetivos, PUM! Aqui estou eu, Gaby Machado. Uma sonhadora irreversível, desastrada, pavio curto, falo sem pensar, eclética para tudo! Apaixonada por uma boa dose de cafeína e minha princesa favorita é a Mulan, por quê? Mesmo sendo uma princesa não preciso do príncipe para se salvar.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

24.8.16

A Mediadora: Vol. 7 – Lembrança [Meg Cabot]

Meg Cabot
Ed. Galera Record, 2016 - 400 páginas:
      Meg Cabot retorna com uma divertida e sexy continuação da saga de Suzannah Simon, a menina que via fantasmas... e os ajudava a passar para a luz. Agora, mais velha e experiente, tudo que Suze quer é causar uma boa impressão no primeiro emprego desde sua formatura — e desde o noivado com o Dr. Jesse de Silva, ex-espírito e sua alma gêmea. Como não bastasse, um fantasma de seu passado resolve aparecer. E esse não é um espectro que ela possa mediar. Afinal, Paul Slater está bem vivo, milionário e, ainda por cima, é o novo proprietário da antiga casa de Suzannah. Aquela na qual conheceu Jesse. Isso não seria um problema se ela não tivesse acabado de descobrir que uma antiga maldição poderá transformar seu amado num demônio, caso seu antigo local de descanso seja demolido, como Paul pretende. Agora ela precisa dar um jeito em Paul, que a está chantageando sexualmente — isso mesmo... ou ela dorme com ele, ou perde Jesse —, enquanto tenta ajudar uma caloura assombrada por uma menininha muito poderosa...

Onde comprar:

Acho que este é o livro mais esperado da década pelos fãs da série A Mediadora. Particularmente tem um carinho especial por ela, pois como comecei a me interessar por leituras muito tarde, essa foi a minha primeira série (#AmorEternoÀSuzzeEJesse)

Vou tentar não falar muito da serie original para não estragar a surpresa de quem ainda não conhece a história.

Em Resumo: Suzannah é uma mediadora e ela tem o dom de falar com fantasmas e ajudá-los a fazer a travessia para o outro lado, porém ela é uma mediadora um pouco diferente, pois não costuma ter muita paciência com os fantasmas e isso SEMPRE causa diversos problemas, principalmente pelo fato dela poder tocar e sentir esses fantasmas.

Quando ela se muda para a casa do novo marido de sua mãe na Califórnia, ela tem duas detestáveis descobertas: 1º- Ela descobre que terá que conviver com os 3 filhos do seu padrasto, portanto ela terá três meios irmãos adolescentes e 2º - Tem um fantasma morando dentro do seu quarto.

Esse fantasma é o Jesse, que foi assassinado naquela casa a 150 anos atrás. Os dois batem de frente muitas vezes, mas com o tempo acabam aprendendo a lidar com suas diferenças e consequentemente se apaixonando.

Agora você me pergunta como ela vai se casar com esse cara se ele é um fantasma? Bom, recomendo que você leia e descubra como tudo aconteceu.

Enfim...
Antes de ler este livro recomendo que leia o conto O Pedido que está disponível gratuitamente no Amazon. Pois considero esta uma parte fofa e essencial na história deste lindo casal.

Seis anos se passaram e agora Jesse é um residente em medicina pediátrica e Suzannah ( acredite se quiser) para concluir o seu curso de psicologia e orientadora/aconselhadora infantil, é estagiária em sua antiga escola graças ao seu fiel amigo Padre Dominique, é claro.

Suzze recebe uma mensagem de Paul (criatura detestável que ela não vê desde a formatura do ensino médio). Ele diz que comprou a sua velha casa e que vai demoli-lá para construir um prédio comercial, já que agora ele é um milionário, pois herdou a herança do seu avô.

E assim, com toda delicadeza que Deus lhe permite, Suzanah liga para Paul e solta os cachorros em cima dele. Mas ela fica tensa com a conversa, pois ele também conta que seu noivo está sobre uma terrível maldição, e que no momento em que Paul demolir a casa, Jesse se transformará em um demônio, matando as pessoas que ele ama.

No auge da discussão, Paul diz que pode não destruir a casa se ela concordar em passar uma noite com ele, já que ele não se conforma de te-la perdido para o morto vivo do Jesse.

Como se não bastasse isso, Suzannah tem que mediar o fantasma de uma criança que está assombrando uma das alunas da escola. E ela descobre da pior maneira possível que a pequena fantasminha é mais poderosa e perigosa do que ela poderia imaginar.

Fiquei completamente encantada com a história. Meg Cabot superou e muito as minhas expectativas. Matei a saudade dos personagens que adoro, dei muitas gargalhadas com as confusões de Suzze, suas sobrinhas e até mesmo de Paul. Me surpreendi com as temáticas abordadas e me emocionei muito com os acontecimentos.

Gente, sei que ele é um cafajeste e que o tempo não ajudou em nada para melhorar o seu caráter, mas adoro o Paul. Acho-o um personagem incrivelmente sarcástico, ele e Suzze tem uma química ácida que combinam muito bem. Dificilmente não caio na risada quando os dois estão discutindo (e isso eles fazem muito, como sempre). Agora, romanticamente falando, Suzannah e Jesse são perfeitos.

"Jesse sempre falou que meu apelido, Suze, é muito feio e diminuto para uma menina tão forte e bonita quanto eu. Com ele, sempre foi Suzannah, ou — mais tarde, quando nos conhecemos melhor — mi amada, que quer dizer meu amor ou minha querida. Ainda me arrepio quando ele fala isso, do mesmo jeito que me arrepio quando ele diz meu nome."

A história foi finalizada. Porém ficaram alguns pontos soltos que dariam tranquilamente para autora fazer uma nova história.

Este livro é mais adulto, com temas mais pesados e casos mais complicados. Temos um Jesse muito mais sério. Uma Suzannah desbocada e com a mesma personalidade de sua adolescência, porém como as responsabilidades de uma adulta e também temos um Paul mais mal caráter e psicopata do que nunca.

Foi uma nostalgia maravilhosa. Um momento perfeito para rever os personagens antigos e também conhecer os novos. Recomendadíssimo!

 Cortesia do Grupo Editorial Record
Adriana Macedo
Sou Adriana do blog Meu Passatempo blá blá blá moro em Vila Velha - ES. Troco qualquer balada pela tranquilidade do meu lar. Adoro ler, musica alta, series e filmes. Exatamente nessa ordem. Simples assim.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

23.8.16

Outlander: Os Tambores do Outono, Vol. 04 – Parte II [Diana Gabaldon]

Diana Gabaldon
Ed. Arqueiro, 2016 - 496 páginas:
      Duzentos anos à frente, a filha dos dois, Brianna, encontra um recorte de jornal antigo e descobre que Claire e Jamie morrerão em um incêndio. Isso, somado à sua curiosidade em relação ao pai biológico e à saudade que sente da mãe, faz com que deixe o namorado para trás e se lance através do círculo de pedras em uma aterrorizante jornada rumo ao desconhecido. Para salvar a vida daqueles que ama, ela tentará mudar o passado, mesmo que isso signifique colocar em risco o próprio futuro. Assim que fica sabendo o que a namorada fez, Roger Wakefield abandona seu emprego de professor e decide segui-la. Mais uma vez, a força do amor ultrapassa obstáculos, vencendo tempo e espaço, e dá início a uma nova e fantástica fase nesta saga antológica. 

Onde comprar:


Em Os Tambores do Outono - Parte II, Diana Gabaldon fechou um ciclo para a emocionante história de uma mulher que foi tragada pela magia do círculo de pedras de Craigh na Dun, viajando no tempo até a Escócia do século XVIII, retrocedendo duzentos anos, sendo cativada por um amor atemporal, abandonando então todo o conforto proporcionado pela era moderna, para viver as incertezas de um novo mundo, ao lado do seu amado.

Devido ao tamanho considerável de cada volume original, a editora optou em publicar alguns deles divididos em duas partes, sendo assim, este pode ser considerado o sexto livro da série, onde Diana conseguiu o feito de se superar, colocando todos os seus maravilhosos personagens em ação, criou uma aventura magnetizante e extremamente eletrizante, de modo que meu coração quase saiu pela boca.

Jamie e Claire, bem como Fergus e Ian, estão se estabelecendo na Carolina do Norte, desbravando a América, construindo finalmente um lar para os Frasers se assentarem, enquanto que a filha do casal, Brianna, está vivendo no século XX, sozinha, cujo único ponto de apoio é seu namorado, o historiador Roger Wakefield, conhecedor dos seus segredos.

Brianna é uma jovem inteligente e muito bonita, que não herdou somente a aparência do pai, mas também seu gênio teimoso e determinado. Quando ela encontra um recorte de jornal antigo e descobre que Claire e Jamie morrerão em um incêndio, decide também viajar no tempo, encontra-los e salva-los deste aterrorizante futuro. Sabendo que Roger não a encorajará, Brianna vai sozinha, e quando ele acidentalmente descobre o que sua namorada fez, também parte rumo ao passado.

Na segunda parte de Os tambores do outono, Diana Gabaldon, mas uma vez nos impressiona com uma construção impecável de personagens e suas respectivas características, criando um romance intimista e avassalador, na busca de uma jovem pela sua família, a fim conhecer seu pai biológico e reencontrar sua mãe, além de descobrir a si mesmo.

"Os traços dele estavam muito nítidos; os dela, um eco mais delicado dos ossos bem delineados dele. Os dois eram teimosos, os dois eram fortes. Os dois, graças a Deus, eram meus."

Só quem lê e acompanha a série entende o que estou falando... Outlander possui um enredo rico, interessante e muito inteligente, costurando com perfeição passado e futuro, com um aprofundamento cultural invejável, descrevendo os costumes do século XVIII tão vivamente que transporta, não só os personagens, mas também o leitor no tempo.

Viaje com Claire e Jamie nesta magnífica história de fantasia e romance.


A coleção Outlander agora é publicada pela Editora Arqueiro:

Livro 01 (2014) - A Viajante do Tempo
Livro 02 (2014) - A Libélula no Âmbar
Livro 03 (2015) - O Resgate no Mar (Parte I)
Livro 03 (2015) - O Resgate no Mar (Parte II)
Livro 04 (2016) - Os Tambores do Outono (Parte I)
Livro 04 (2016) - Os Tambores do Outono (Parte II)

 Cortesia da Editora Arqueiro
Gisela Menicucci Bortoloso
Capixaba, leonina, analista de sistemas e mãe. Apaixonada por livros, sou uma leitora compulsiva e como o tempo é curto, leio em todo o lugar: esperando o elevador, dentro do ônibus, no salão de beleza... Ler é meu prazer e minha paixão!
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

22.8.16

A Vida Invisível de Eurídice Gusmão [Martha Batalha]

Martha Batalha
Ed. Companhia das Letras, 2016 - 176 páginas:
      Guida Gusmão desaparece da casa dos pais sem deixar notícias, enquanto sua irmã Eurídice se torna uma dona de casa exemplar. Mas nenhuma das duas parece muito feliz nas suas escolhas. A realidade das Gusmão é parecida com a de inúmeras mulheres nascidas no Rio de Janeiro nos anos 1920 e criadas para serem boas esposas. São as nossas mães, avós, bisavós; invisíveis em maior ou menor grau, que não puderam protagonizar as próprias vidas, mas que agora são as personagens principais do primeiro romance de Martha Batalha. Uma promessa da ficção brasileira que chega afiadíssima para contar uma infinidade de histórias bem costuradas e impossíveis de largar. 

Onde comprar:


A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, o que me atraiu logo de cara para esse livro foi com certeza o seu nome, mas depois que vi a sinopse, pronto! Era esse mesmo que eu queria.

Antes de começar a resenha, responda a seguinte pergunta, “Ainda há pessoas nos dias de hoje que são invisíveis? ” Se sua resposta for sim, então por favor vem comigo que você não vai se arrepender.

A história se passa no Rio de Janeiro, porém o Rio do século XX, onde o magismo, a marginalização, violência, estavam em peso, mas pincipalmente retrata a sociedade carcereira da época. Esse livro não poderia ter vindo em melhor momento. Mostra o contraste de duas épocas, que infelizmente não tem realidades tão diferentes assim.

Não ache que esse livro é algo que gira entorno do feminismo ou qualquer outro tipo de rótulo, pois não é. É algo maior que isso, é algo que gira entorno simplesmente da IGUALDADE. Sim, desde aquela época adquirimos mais liberdade, porém não podemos negar que ainda há muita discriminação de gêneros.

A história começa com Eurídice Gusmão, mas passa por outros personagens, relatando suas realidades, com isso o livro ganha uma grande profundidade. São mulheres que poderiam ter sido, poderiam tem vivido, poderiam ter sentido. Mas no final não passaram do poderia.

Agora eu te pergunto: quantas mulheres você conheceu que era incrivelmente maravilhosa, mas se anularam? Talvez pelos filhos, ou pelo marido, não importa, simplesmente deixaram seus sonhos de lado, para viver a vida pelo quais os outros acham certo. Quem foi que disse que lugar de mulher é na cozinha estava completamente errado, lugar de quem está com fome é na cozinha. E o lugar de mulher é onde ela quiser, assim como o do homem.

Esse livro não foi feito para agradar a sociedade, mas sim para jogar algumas verdades na cara, e com certeza essa é a melhor mensagem que a autora poderia passar. Não importa o gênero, simplesmente saia do marasmo, não ligue para o que ou quem vai pensar.

Tiro o chapéu para Martha Batalha, um livro polemico, mas principalmente motivador e muito bem escrito. Ela conseguiu tirar a máscara de cada um de seus personagens com uma elegância que me deixou de queixo caído. E se você está procurando um livro cheio de “mimi” não é com esse que vai encontrar.

Se me perguntarem para quem eu indico esse livro, não irei pensar duas vezem em dizer “para a sociedade toda”.

 Cortesia da Editora Companhia das Letras
Gabriele Machado
15 anos, paranaense, leitora compulsiva, apaixonada por cachorros, viciada em musica e seriados, junta todos esses adjetivos, PUM! Aqui estou eu, Gaby Machado. Uma sonhadora irreversível, desastrada, pavio curto, falo sem pensar, eclética para tudo! Apaixonada por uma boa dose de cafeína e minha princesa favorita é a Mulan, por quê? Mesmo sendo uma princesa não preciso do príncipe para se salvar.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

19.8.16

O Despertar do Lírio, Vol. 02 - Série Flores da Temporada [Babi A. Sette]

Série Flores da Temporada - Babi A. Sette
Ed. Novo Século, 2016 - 382 páginas:
      Lilian Radcliffe é uma jovem viúva e está feliz com sua vida isenta de emoções. Culpa do luto que não larga? Lilian jurou fidelidade ao marido no leito de sua morte. Paralelo a isso, conhecemos Simon Thorn, homem frio e libertino, dono do maior antro de casa de jogos de Londres. Ele está a um passo de realizar seu plano de vingança contra o culpado pelo título de assassino que recebera anos atrás. O problema é que o canalha está morto e ele terá de usar a sua viúva recatada a fim de atingir seus objetivos. De um lado, ela precisa manter sua honra intacta; de outro, ele quer seduzi-la e desmoralizá-la. No entanto, Lilian nunca se sentiu tão vulnerável e atraída por um homem. E Simon, por sua vez, demonstra sentimentos dos quais nunca imaginara sentir por uma mulher. 

Onde comprar:

Somente com três livros publicados, “Entre o amor e o silêncio”, "A Promessa da Rosa" e o agora seu mais recente lançamento, "O Despertar do Lírio", Babi. A. Sette já entrou na lista das minhas autoras prediletas. Se você ainda não leu nada da autora, não perca tempo e corra para ler.

Entre o amor e o silêncio é uma história contemporânea, já A Promessa da Rosa e O Despertar do Lírio são romances de época, que transcorrem na Inglaterra do século XIX e fazem parte de uma série intitulada Flores da Temporada, que retratam a vida de duas irmãs, Kathelyn e Lilian Stanwell, filhas de um conde, que mesmo nascidas em berço de ouro, passaram por muitas adversidades até encontrarem seu final feliz. Depois do turbilhão de emoções que a impetuosa Kathelyn nos proporcionou, agora é a vez de sua irmã mais nova, Lilian, nos emocionar.

Lilian é exatamente o oposto de Kathelyn, uma dama perfeita, com uma reputação impecável, exemplo de comportamento e moral. Casou-se aos dezesseis anos com seu primo, Rafael Radcliffe, e aos vinte e dois, já tinha se tornado viúva, mãe de um adorável menino chamado Paul. Sua honra era seu único tesouro e seu orgulho.

Lilian levava uma vidinha simples e calma, e acreditava que nunca viveria um amor latente e passional, e pensava que a paixão não era algo que precisava para ser feliz, pelo contrário, tudo o que desejava para si mesmo era o simples e o ordinário. E essa jovem tinha um grande coração, pois mesmo com motivos de sobra para culpar sua irmã de todas as desgraças que acometeram sua família, nunca o fez, amava Kathelyn e desejava a ela toda a felicidade deste mundo.

E para ajudar uma amiga em apuros, Lilian acabou saindo de sua casa/refúgio em Londres, indo passar uns dias no campo, a fim de afasta-la de um pretendente indesejável.

Simon Edward Thorn, quinto barão de Orwen, é também conhecido como "O barão assassino", pois há seis anos, foi acusado de matar sua esposa, e, mesmo sendo inocentado por falta de provas, toda a sociedade Londrina o condena. Ele é dono do mais famoso antro de jogos de Londres e amante da odiosa lady Anne Stone.


Quando Simon soube que Lilian Radcliffe estaria na casa de campo de sua tia, mesmo detestando estes tipos de eventos aristocráticos, acreditou que esta seria a sua grande oportunidade de se vingar de Rafael Radcliffe, já falecido, através de sua viúva.

"- Garanto, minha querida, que, depois que eu terminar, lady Lilian Radcliffe terá perdido aquilo que mais se orgulha. - Simon mexeu o pescoço, se sentindo desconfortável."

Mesmo com todo o clichê existente em romances de época, Babi A. Sette se diferencia primeiramente pelo seu trabalho de ambientalização na Inglaterra Vitoriana, que transporta o leitor para o dentro do século XIX, com seus austeros costumes aristocráticos, onde qualquer pequeno deslize poderia desonrar uma jovem, além de conseguir transformar situações com uma premissa um tanto quanto simples em verdadeiros momentos de prazer.

Os amantes de romances de época não podem deixar de ler a série Flores da Temporada. Divirta-se, encante-se e apaixone-se por mais uma arrebatadora obra de Babi A. Sette.

Clique sobre a capa para saber mais sobre o primeiro volume da série Flores da Temporada:


Cortesia da Editora Novo Século
Gisela Menicucci Bortoloso
Capixaba, leonina, analista de sistemas e mãe. Apaixonada por livros, sou uma leitora compulsiva e como o tempo é curto, leio em todo o lugar: esperando o elevador, dentro do ônibus, no salão de beleza... Ler é meu prazer e minha paixão!
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

18.8.16

Má Feminista - Ensaios Provocativos de Uma Ativista Desastrosa [Roxane Gay]

Roxane Gay
Ed. Novo Século, 2016 - 312 páginas:
      Nesta seleção de ensaios engraçados e perspicazes, Roxane Gay nos leva a uma viagem sobre sua própria evolução como mulher negra, ao mesmo tempo em que nos transporta a um passeio pela cultura nos últimos anos. O retrato que emerge não é apenas o de uma mulher incrivelmente sagaz em contínuo crescimento para compreender a si mesma e à nossa sociedade, mas também o espelho de nós mesmos. Gay fomenta um debate ácido e cômico sobre o feminismo atual – e suas contradições –, política, racismo, violência, transitando entre a cultura pop e a análise crítica. “Má feminista” é um olhar afiado, e nos alerta, acima de tudo, para a maneira pela qual a cultura que nos envolve torna-nos quem somos.

Onde comprar:


Os ensaios de Roxane, contam sua vida de forma diferente, e transitam entre sua vida pessoal, as críticas sobre os mais diversos temas (dentre livros, series de TV), a cultura norte americana em geral (no seu ponto de vista) e mostra a imagem que se passa das mulheres e como o feminismo age nessa sociedade tão diversa.

Roxane é uma mulher negra, que batalhou por todos os seus objetivos e encontra em seu caminho um mundo de desigualdade e um aprendizado que ela passa para seus alunos negros quando trabalha na pós-graduação como conselheira da associação, e vive cada realidade, cada vitória e sofrimento. Mesmo que os alunos não retribuam todos os seus esforços como ela deseja, Roxane começa a enxergar uma realidade que antes ela não vira.

“Adoto abertamente o rótulo de má feminista. E faço isso porque sou imperfeita e humana.”

A Má Feminista mostra a visão que os filmes e series passam das mulheres e as discrepâncias que os gêneros sofrem, muito pior para mulheres, negras e acima do peso e, como sem perceber, aceitamos uma imagem que foge a realidade da massa, mas sem nos atermos a dar devida importância a detalhes que ela mostra sucintamente.

“Prefiro ser uma má feminista a não ser feminista de modo algum”

Um livro cheio de informações sobre a cultura pop americana, que irá agradar os apaixonados por cinema e literatura em um nível mais profundo. E que mostra um feminismo que não se prende a erros humanos de pessoas que dizem ser e fazer, o que não são, na verdade, princípios feministas.

A Má Feminista mostra de forma provocativa uma visão diferente dessa corrente. É uma forma de viajar pela cultura norte americana que abrirá seus olhos para fatos que você não sabia.

 Cortesia da Editora Novo Século
Tainá Rodrigues Cunha
Guarapariense, gastrônoma e apaixonada por todos os tipo de arte. Ler é uma forma de escape prazeroso da nossa realidade. Assim como as comidas que cozinho me alimentam o corpo, os livros alimentam minha alma.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

17.8.16

Respire, Vol. 01 - Trilogia Ten Tiny Breaths [K. A. Tucker]

Série Ten Tiny Breaths - K. A. Tucker
Ed. Fábrica 231, 2016 - 320 páginas:
      Kacey Cleary não chora, não suporta o toque das pessoas e canaliza sua energia para treinos intensos de kickboxing. Tudo isso depois de um ano de reabilitação física e de mergulhar num mundo de drogas e álcool para tentar lidar com a perda dos pais, da melhor amiga e do namorado, num acidente de carro do qual ela foi a única sobrevivente. Protagonista de “Respire”, primeiro livro da série Ten Tiny Breaths, sucesso de K.A. Tucker que chega ao Brasil pelo selo Fábrica 231, Kacey chegou ao fundo do poço, mas resolve lutar para sair de lá por Livie, a irmã caçula. Depois de irem morar com uma tia religiosa fanática e seu marido alcoólatra, as duas fogem para Miami para tentar recomeçar, e Kacey terá que enfrentar seus fantasmas para derrubar o muro que ergueu ao seu redor. Às vezes, respirar torna-se uma missão quase impossível, mas K.A. Tucker mostra que é preciso neste romance sobre perdas, amizade, amor e superação. 

Onde comprar:

Sabe aquelas leituras que você vai sem grandes expectativas, mas, quando se dar conta, já foi fisgado pela trama/escrita do autor?!?! Foi justamente isso que aconteceu com esse livro. Quando percebi, já estava lendo como se não houvesse o amanhã.

"Respire" é o primeiro volume de uma trilogia. Mas não se preocupe tanto, a trama desse não deixou nenhuma ponta solta. Foi um final satisfatório. Nos outros dois volumes, temos outros protagonistas que já nos foram apresentados aqui. Mas aviso que será difícil ler e não se envolver com essas personagens incríveis criadas pela K. A. Tucker, e querer continuar acompanhando a série.

Como todos os livros do gênero jovem adulto, temos dramas, emoções, perdas, achados, relacionamentos, brigas, reconciliações, enfim, um leque enorme de coisas magistralmente conduzidas pela autora. A carga emocional é pesada. Temos dois protagonistas que carregam traumas profundos, mas diferem nas formas de lidar com eles. Enquanto um vai em busca de superá-lo, o outro tenta guardá-lo no lugar mais profundo de sua alma.

Kacey e Trent são os protagonistas aqui. Achei o casal com uma química incrível. Aliás, todas as personagens tem química entre si. São complexas e compõem bem toda a trama. Cada um tem um lugar especial e foram bem inseridos na história.

O que me agradou bastante, foi que a autora fugiu do lugar comum, fazendo com que a protagonista não seja uma chata mimizenta. Pelo contrário, a garota é forte e decidida. Daquele tipo que não leva desaforo pra casa. Já o mocinho também não é aquele típico do gênero, que está perdido e precisa que uma garota venha e transforme sua vida. Nesse quesito, ponto positivo para a autora. Outro ponto positivo é a narrativa da Tucker. É fluída, leve e descritiva na medida certa.

Em relação a diagramação do livro, a editora está de parabéns. A capa é muito bonita e a diagramação interna é simples. Encontrei apenas três errinhos de digitação, mas que não comprometeram em nada no andamento da história.

A única coisa que não gostei foi que descobri o desfecho um pouco antes da metade do livro. Então o quesito surpresa, não houve. O que me fez continuar animado foram as personagens cativantes e a narrativa da autora.

Finalizo a resenha indicando a leitura para os amantes de um bom drama, mas com um final que nos deixa com um sorriso bobo na cara. Não é uma leitura fácil, afinal, os dramas são, até certo ponto, pesados, mas que vai agradar pela narrativa incrível e as personagens cativantes.

Link no Skoob: https://www.skoob.com.br/respire-588639ed589470.html

Se você comentar nesta resenha, pode participar do sorteio do livro e ainda de muitos marcadores. Basta fazer sua inscrição no formulário e boa sorte!

a Rafflecopter giveaway
 Cortesia da Editora Rocco
Nardonio Almeida
Pernambucano, formado em Artes Cênicas e apaixonado por teatro e livros. Descobriu-se leitor depois de um empurrãozinho de uma amiga. Virginiano, pé no chão e que adora a calmaria. Leitor de quase todos os gêneros literários. Afinal, quando a trama é boa, o gênero é o que menos importa.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

16.8.16

Diário de Uma Cúmplice [Mila Wander]

Mila Wander
Ed. Essência, 2016 - 336 páginas:
      Meu nome é Christine, ou pelo menos costumava ser. Professora numa escola infantil, eu levava uma vida bem normalzinha, meio sem graça, até que numa noite eu o vi. Começou com uma paquera descompromissada, daquelas que acontece quando você vê um cara gato do outro lado da rua. Ele me olhou, eu olhei pra ele e sorri. Esse joguinho de sedução poderia ter terminado num café, ou quem sabe em um namoro, se ele não tivesse se aproximado de mim e me apontado uma arma. Não sei o que me deu para salvá-lo da polícia e abrigá-lo na minha casa. Burrice? Solidão? Não tinha a menor intenção de me tornar cúmplice de um criminoso. Mas seu olhar quente, sua fala mansa e sedutora me enlaçaram de tal forma que, de repente, eu me vi no meio de um turbilhão de acontecimentos. Agora, refém da paixão por aquele homem, só me restava relatar em um diário como fui me envolver mais de corpo do que de alma com a maior quadrilha do país.

Onde comprar:

Acho difícil fazer uma resenha de um livro que gosto, pois qualquer empolgação da minha parte, posso soltar um spoiler e estragar a leitura de alguém. Mas acho ainda mais complicado fazer a resenha de um livro que não gostei, pois o que é maravilhoso para mim pose ser péssimo para você e vice e versa. E acho injusto atrapalhar a leitura de alguém baseado nas minhas suposições.

Então, como este livro se encaixa na segunda ocasião, vou fazer a resenha colocando o mínimo de opinião pessoal possível ok. (Vou detalhar apenas os acontecimentos dos três primeiros capítulos.)

A historia é toda narrada por Christine, uma professora do jardim de infância. E em forma de diário, onde ela conta sua aventura como uma fora da lei. Certo dia quando Chris volta pra casa, se depara com um homem lindo, alto, loiro, olhos azuis etc.., e ela começa a imaginar que esse é o tipo de cara que ela gostaria que a convidasse para sair. Até o cara aborda-la com uma arma e usa-la como escudo humano em um tiroteio contra a policia.

O desconhecido acaba baleado, e como ela acha que ele é lindo demais para morrer assim, Chris o leva para seu apartamento. E mesmo com as grosserias do desconhecido, que desmaiou pela perda de sangue, ela cuida dele a noite toda. Na manhã seguinte ao ligar a TV, ela descobre que o seu desconhecido é um assaltante de banco, que fugiu com uma moça que parecia ser uma refém, mas que na verdade era uma cúmplice. "NO CASO, ELA".

"Só sei que corri o mais rápido que pude, até chegar ao ponto de não ter certeza se eu era refém ou cúmplice daquilo tudo."

O cara se identifica como Miguel e diz que a ajudará a sair dessa confusão se ela o levar de carro ao seu esconderijo, para o restante da gangue. Ao chegar na gigantesca e bem equipada residência, Miguel explica a historia que ela deve conta a policia e que pode voltar para casa, pois ele só queria usa-la para dirigir, já que estava impedido por seu ferimento.

Ai ela pensa, "eu não tenho marido, nem filhos, meus pais estão mortos há muito tempo, minha vida é muito monótona e o que eu tenho a perder se decidir ficar e fazer parte da gangue né?."

Então Miguel, mais uma vez, explica que eles são altamente perigosos, que fazem todo o tipo de trabalho sujo, (assalto, sequestro, crime de mando e etc...), e que acha que ela não se encaixaria no grupo. Mas como ela não muda de opinião, ele lhe faz a proposta de que, pode fazer a experiência de uma semana, se ela se adaptar, fica, se não, ela será morta pois já saberá demais.

E ELA ACEITA NUMA BOA!!!. Porque na cabaça dela, acha que irá conquistar o gostosão bandidão. Quer dizer, isso até o restante do grupo chegar. Três homens e uma mulher, que é a namorada psicopata do Miguel.

A partir deste ponto da historia, se desenrolam varias situações, umas mais absurdas que as outras. Achei muita falta de coerência na trama. Como que uma professora de jardim de infância que nunca sofreu trauma nenhum, que nem se quer viu uma arma na vida, decide entrar numa vida dessa. E na primeira vez que se vê numa situação de emergência, atira na cabeça de alguém sem nenhuma dificuldade.

Sem contar que ela chora e se faz de vitima o tempo todo. Enfim, o casal não me convenceu, esse amor instantâneo para mim não colou. Achei Miguel um personagem insosso, sem personalidade e que não faz ideia do que fazer com as duas mulheres.

E ainda tem a historia dos Chrises, pois são: Christiane, Christian e Cristal. É Chris demais pra um livro só. E isso confunde o leitor.

Deixando claro que assim como não gostei de várias coisas na trama, tem gente que amou a historia. É tudo uma questão de gosto e de opinião. Infelizmente não me agradou tanto. O que é uma pena, já que adoro os livros da Mila Wander.


 Cortesia da Planeta Livros Brasil
Adriana Macedo
Sou Adriana do blog Meu Passatempo blá blá blá moro em Vila Velha - ES. Troco qualquer balada pela tranquilidade do meu lar. Adoro ler, musica alta, series e filmes. Exatamente nessa ordem. Simples assim.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!
 
Ler para Divertir © 2015 - Blog no ar desde 31.10.2010
topo giovana joris • design e código gabi melo