acompanhe o blog
nas redes sociais

24.5.16

Promoção #190: Dia dos Namorados - Trilogia Função CEO

Trilogia Função CEO

A Promoção Dia dos Namorados do blog Ler para Divertir está sorteando a Trilogia FUNÇÃO CEO. Romance, Amor, Erotismo, tudo isso juntinho para você nesses três livros da Tatiana Amaral.

“Ele deu um sorriso torto que imediatamente enviou ondas de calor pelo meu corpo inteiro. Então me dei conta de que estava praticamente babando.”

Regras

1. A Promoção é válida até 24 de junho de 2016.
2. O sorteio será pelo Raffecopter, a partir de 25 de abril de 2016.
3. O(a) ganhador(a) deve residir em território nacional.
4. É obrigatório deixar um comentário nessa postagem indicando sua participação.
5. Depois de comunicado, o ganhador têm o prazo de 7 dias para enviar os seus dados completos de endereço para o e-mail: lerparadivertir@gmail.com. Após o envio dos seus dados, o blog terá o prazo de até 30 dias para o envio dos livros.

Prêmios


1 Livro A Descoberta do PRAZER
1 Livro A Descoberta do AMOR
1 Livro A Descoberta da VERDADE

Inscrições


23.5.16

Lançamentos Editora Harlequin - Maio 2016


Maio é o mês das Noivas na Harlequin!! Aproveite para curtir estes deliciosos romances.

  • Históricos Medieval: A Inocente e o Canalha
  • Jéssica Especial: 3 histórias em um só livro
  • E muito mais...

Gostou?? Tem muuuuuito mais no HR News! Veja abaixo! 











Confira e apaixone-se por TODOS os lançamentos no HR News de Maio: https://goo.gl/ZIq5Dz

20.5.16

Contos Fabulosos, Coleção Sandman Apresenta [Bill Willingham]

Bill Willingham
Ed. Panini, 2012 - 128 páginas:
      Bill Willingham recebeu a missão de mostrar aos reles mortais os bastidores do Sonhar, o mundo criado por Morfeus na série Sandman. E fez isso magistralmente em três aventuras. Em Merv Cabeça de Abóbora, Agente do S.O.N.H.A.R., o faxineiro trapalhão recebe a missão de capturar um sonho foragido… mas nem sempre as coisas saem como ele planeja. Em As Novas Aventuras de Danny Nod, O Heroico Bibliotecário-assistente, Bill nos apresenta a um novo personagem do Sonhar. E, finalmente, em Tudo que Você Sempre Quis Saber Sobre Sonhos… Mas Tinha Medo de Perguntar, são respondidas diversas dúvidas (algumas pertinentes, outras nem tanto…) sobre o fabuloso Sonhar. Seus sonhos jamais serão os mesmos após ler essas histórias… 

Onde comprar:



Tudo o que queria saber sobre os sonhos e não tinha coragem de perguntar 

Antes de mais nada é preciso explicar o que é SANDMAN. Neil Gaiman é o criador e roteirista de SANDMAN, esse personagem muito interessante. Ele faz parte dos PERPÉTUOS, entidades que nasceram junto com os homens e são imortais. Algumas nasceram antes do próprio homem e outras surgiram com a evolução da própria humanidade. Eles são MORTE, SONHO, DESTINO, DESTRUIÇÃO, DESEJO, DESESPERO E DELIRIUM. Cada um deles tem seu próprio reino de atuação e o que tem o maior reino é o Senhor do Sonhar, SANDMAN. Todas as histórias de Neil Gaiman são sobre este Senhor das Areias e suas aventuras. Mas não pense que se trata de histórias infantis. Algumas histórias ganham um roteiro muito adulto e maduro, com altas doses de fantasia e onirismo.

Quando a série terminou, (foram publicadas 76 edições de 80 páginas e que são vendidas hoje pela PANINI em um formato chamado SANDMAN DEFINITIVO, com 4 volumes com mais de 400 páginas cada), abriu-se espaço para muitos roteiristas experimentarem os personagens e criarem mais sobre todos os outros personagens que fazem parte do sonhar, já que a série não se aprofunda muito nos personagens. Nesta edição de SANDMAN APRESENTA, somos apresentados ao Sr. Cabeça de Abóbora, que é um agente do sonhar, que tem como missão capturar sonhos rebeldes. Conhecemos um pouco mais sobre os funcionários da biblioteca do sonhar, que estão sobre a supervisão de Lucian, o bibliotecário mestre.

São vários contos em quadrinhos, desenhado por vários grandes artistas, com o roteiro de Bill Willinghan, considerado um dos expoentes máximos dos roteiros de fantasia onírica em quadrinhos, autor da série FÁBULAS, uma das melhores séries mais interessantes da atualidade que serviu de inspiração para o seriado "ONCE UPON A TIME".

Detalhes a parte, quando se trata do universo de SANDMAN tudo é sensacional. Para aqueles que nunca leram nada de Sandman, as histórias são muito interessante, mas um pouco sem sentido. Para os fãs do trabalho de Neil Gaiman, é um reencontro com os personagens, para matar a saudade. Gostaria de ressaltar principalmente a segunda história desta edição chamada, "As Novas Aventuras de Danny Nod, O Heroico Bibliotecário-assistente". Esse conto totalmente despretensioso apresenta Danny Nod, cumprindo a missão de recolher os livros do sonhar que estão espalhados pelo mundo dos contos de fábulas. Enquanto caminha por todos as fábulas do sonhar, recolhendo os livros, ele aproveita para interagir com os sonhos e nos explicar da importância dos livros nos lugares certos. O interessante é que essa missão ele faz ao lado de Goldie, um dragãozinho muito simpático e que Danny nomeia constantemente com nome dos maiores ajudantes dos personagens de várias histórias, como Sancho Pança, Kato, João Pequeno, entre muitos outros. O interessante é ler o nome desse ajudante e lembrar-se de cada história, conto, seriado que fazem parte. Eu sorri muito, relembrando isso.

Para quem gosta muito de ler, essa brincadeira é uma viagem a cada uma dessas histórias, algo absolutamente divertido. Recomendo absolutamente a leitura e só não ganhou nota máxima, pois como disse a maioria das pessoas mal conhece o universo de SANDMAN, e a meu ver, faltou essa explicação inicial, para que o leitor sinta vontade de vasculhar mais e mais fundo nesse universo.

Marcos Graminha
Marcos Graminha é leitor viciado em terror e vampiros. Conta com um acervo de mais de 1500 livros sobre esses assunto. Proprietário de um sebo na cidade de Vila Velha, dedica sua vida a desvendar os mistérios desses "filhos da noite". contato: marcos.graminha@gmail.com
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

19.5.16

Essa Terra Selvagem [Isabel Moustakas]

Isabel Moustakas
Ed. Companhia Das Letras, 2016 - 120 páginas:
      Depois de presenciar a morte da testemunha ocular de um crime tenebroso, a vida do repórter João nunca mais foi a mesma. A jovem que assistiu à tortura e ao assassinato brutal dos pais, para depois ser abusada de todas as maneiras, deu fim à própria vida diante dele após relatar cada detalhe perturbador do que vivera. A partir deste terrível episódio, o jornalista irá seguir todas as pistas que possam levá-lo a um possível grupo racista que vem cometendo as piores atrocidades contra imigrantes, negros, judeus, nordestinos, gays e quaisquer pessoas que eles considerem impuras. Mas a única pista que ele tem são os cadarços verde e amarelo que eles usam nos coturnos. 

Onde comprar:


Complexidade, em cada página que lia, ficava cada vez mais de boca aberta com a complexidade que a escrita de Isabel Moustakas pode passar. Cada cena descrita, cada morte, cadê sensação. Da para sentir a angustia pulando da história. Uma trama arrebatadora, deixa o coração de qualquer um a mil por hora.

De cara, analisando só a capa já temos algo impactante, um sentimento quase palpável do quer o livro que passar. Pessoalmente tinha um certo preconceito com livros desse estilo, que fossem escritos por brasileiros, mas como podem ver, estou completamente arrependida. Isabel Moustakas me provou da maneira mais deliciosa possível o quão eu estava ERRADA!

Na trama temos João, um reporte policial, como uma vida bem monótona, até que assumiu um crime horroroso que foi cometido contra Marta e sua família descendentes de bolivianos. Quando Marta, a única sobrevivente, decide contar o que aconteceu em detalhes somente para João, é como se nós, leitores, vivêssemos cada minuto de angustia da vítima, podemos até sentir um gosto amargo na boca.

Quando Marta toma uma atitude para acabar com a sua dor, na frente de João, ele decide que precisa ir atrás de respostas. Não pode deixar mais crimes assim acontecer.

Preconceito puro, podemos sentir o ódio daqueles que cometem esses crimes, é repulsivo. Mas te prende do começo ao fim. Você não pode e nem quer largara mais o livro depois que começa.

Acredito que esse livro pode claramente fazer uma crítica aos dias de hoje, como os indivíduos não respeita mais uns aos outros, e como isso afeta nosso dia a dia. Será que não existe mais preconceito ou apenas não damos o devido foco para isso? Porque não dizer que tampamos o sol com a peneira?

Outro ponto que merece ser destacado, são as cenas mais impactante, descritas em trechos curtos em cada página, isso com certeza deu um Q a mais. Com uma linguagem do dia a dia, contado na perspectiva de João, foi outro ponto de me colocou inteiramente dentro da história. Era quase como um filme, aonde podíamos ver mesmo algumas cenas. Falando em filme, está aí uma ótima dica, esse com certeza seria uma adaptação de livro que irá render bilheterias.

Então fica a dica para quem curte livros desse gênero, é uma ótima leitura e indico completamente.
 Cortesia da Editora Companhia das Letras
Gabriele Machado
15 anos, paranaense, leitora compulsiva, apaixonada por cachorros, viciada em musica e seriados, junta todos esses adjetivos, PUM! Aqui estou eu, Gaby Machado. Uma sonhadora irreversível, desastrada, pavio curto, falo sem pensar, eclética para tudo! Apaixonada por uma boa dose de cafeína e minha princesa favorita é a Mulan, por quê? Mesmo sendo uma princesa não preciso do príncipe para se salvar.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

18.5.16

Belo Sacrifício, Vol. 03 - Irmãos Maddox [Jamie McGuire]

Jamie McGuire
Ed. Verus, 2016 - 293 páginas:
      Falyn Fairchild abandonou seu carro, seus estudos e até seus pais. Filha do próximo governador do Colorado, ela está de volta à sua cidade natal, falida e trabalhando como garçonete em um café. Ao fim de cada turno, ela guarda o que recebeu, esperando um dia ter o suficiente para comprar uma passagem para o único lugar onde pode encontrar redenção: Eakins, Illinois. No instante em que Taylor Maddox entra no café, Falyn sabe que ele trará problemas. Taylor é charmoso, não cumpre promessas e é lindo mesmo coberto de fuligem, fazendo dele tudo o que Falyn acredita que um bombeiro de sucesso deve ser. Mas ela não está interessada em se tornar mais uma em sua lista — e, para um dos Maddox, uma garota desinteressada é o desafio mais atraente de todos. Belo Sacrifício é o terceiro volume da série sobre os irmãos mais barulhentos e irresistíveis da literatura new adult.

Onde comprar:

Este é um spin-off da serie Belo Desastre, que contam a historias dos irmãos Maddox. E aqui temos o romance de Taylor, um dos gêmeos da família e Falyn. O mais legal dessas series e que se passam principalmente entre os livros Desastre Eminente e Belo Casamento, assim, além de revivermos momentos marcantes da historia, ainda podemos ver tudo de um angulo diferente.

Falyn é uma jovem que largou tudo para ser dona de sua própria vida. Incompreendida pelos pais, ela tomou a decisão de largar a casa da família, faculdade, carro e a comodidade que a fortuna lhe garantia em troca de liberdade.

Seu pai é um candidato e sua mãe uma médica renomada que não aceitam suas decisões, mas isso é o que menos importa no momento, ela tem coisas maiores com que se preocupar. Falyn guarda um grande segredo e esse é o motivo pelo qual ela precisa ir para Eakins, Ilinois e Taylor pode ser a sua passagem para essa viagem.

Taylor é um bombeiro florestal que esta de passagem pela cidade à trabalho. Num certo dia sai para almoçar com sua equipe e conhece a bela garçonete Falyn. Logo de inicio ela deixa claro que não está pronta para compromissos, principalmente os passageiros, mas devido a tanta insistência e o que um Maddox mais sabe fazer, é ser insistente kkk, ela acaba cedendo e fazendo amizade com ele. Essa parte é bem dejavu, pois é parecida com a amizade de Abby e Travis no começo.

"Nenhuma menina que se preze seria pega saindo com um daqueles homens bravos, fascinantes, jovens e bronzeados por duas razões. Eles eram sazonais, e eles iriam deixá-la para trás, grávida ou com o coração partido"

A atração entre os dois é inevitável, e quando ele conta que voltará em breve para sua cidade, ela lhe pede um lugar pra ficar. Apesar de desconfiar que ela possa estar envolvida na investigação do incêndio da faculdade de Travis, ele aceita.

Depois da amizade mais consistente, ele também lhe convida para o Caribe, para a renovação dos votos de casamento de seu irmão, e ela aceita. Porém, durante esse intervalo, algumas coisas acontecem. Falyn acaba revelando seu segredo, que para Taylor parece inacreditável.

E quem leu o livro anterior sabe que Taylor foi visitar o irmão Thomas, e essa visita trás grandes consequências.

 Cortesia do Grupo Editorial Record
Adriana Macedo
Sou Adriana do blog Meu Passatempo blá blá blá moro em Vila Velha - ES. Troco qualquer balada pela tranquilidade do meu lar. Adoro ler, musica alta, series e filmes. Exatamente nessa ordem. Simples assim.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

17.5.16

Mentira Perfeita [Carina Rissi]

Carina Rissi
Ed. Verus, 2016 - 462 páginas:
      Júlia não tem tempo para distrações. Ela é brilhante e sempre se esforça para ser a melhor naquilo que faz; por essa razão, sua vida pessoal acabou ficando de lado. Algo que sempre preocupou sua tia Berenice. Gravemente doente, a mulher teme que Júlia acabe completamente sozinha quando ela se for. Júlia faria qualquer coisa por tia Berê e, em seu desespero para agradar a única mãe que já conheceu, inventa um noivo enquanto torce por um milagre... E então o milagre acontece: Berenice se recupera e, gasta todas as suas economias com o casamento dos sonhos para a sobrinha. Como Júlia pode contar a ela que mentiu, com a saúde da tia ainda tão frágil? É quando Júlia conhece Marcus Cassani. Ele é irritantemente cínico, mulherengo e lindo de um jeito que a deixa desconfortável. Marcus também está enfrentando problemas, e um acordo entre eles parece ser a solução. Tudo o que Júlia sabe é que deveria se afastar de Marcus. Mas seu coração tem uma ideia muito diferente...

Onde comprar:

Antes de tudo vamos deixar claro que, sendo um Spin-off, Mentira Perfeita tem altos spoilers de Procura-se Um Marido, então ao ler o livro, faça por sua conta e risco, mas prometo que a resenha é livre de spoiler de qualquer um dos títulos, ok!

Júlia e Marcus se juntam no plano mais absurdo de todos: ele finge ser o noivo dela pra poupar tia Berê do desgosto, e ela finge ser a cuidadora dele pra que ele conquiste a tão sonhada independência depois do acidente que o tornou paraplégico.

A Carina Rissi conseguiu me encantar mais uma vez com os personagens e a história que escreve! Júlia e Marcus são um casal bem inusitado, e uma das coisas que eu mais gostei foi o clima de implicância entre o dois, que torna o envolvimento deles muito fofo!

Júlia é uma menina forte, muito decidida e batalhadora. Ao mesmo tempo ela é tímida e tem algumas questões a resolver consigo mesma, no entanto a Carina soube dosar cada característica dela de forma a não cair no caricato ou no tão conhecido clichê de protagonistas femininas.

Marcus por sua vez é um galanteador nato, muito engraçado e irônico, adora provocar as pessoas, principalmente a Júlia, e os diálogos entre os dois são os pontos altos da narrativa pra mim.

“[..] Levei o sanduíche à boca e.. Minha Nossa Senhora! Uma explosão de sabores me fez fechar os olhos e gemer contente. - Ah, meu Deus, Marcus!
Ouvi-o grunhir baixinho. Abri os olhos e encontrei os seus fixos em meu rosto, o maxilar trincado.
- Que foi? Tá sujo? [..]
- Júlia, vamos estabelecer algumas regras. Você não pode ficar gemendo desse jeito e esperar que eu pense em hambúrguer.”

Durante a história os dois se metem em várias situações bem complicadas que nada mais são do que consequências dos furos da grande mentira que os dois armaram. O relacionamento dos dois evolui de uma forma meiga, nos fazendo torcer pra que tudo dê certo a cada página. A narrativa alterna capítulos narrados pela Júlia e pelo Marcus, o que nos faz ver o quão confuso é pra ambos estar interessado em alguém que está com você por um relacionamento de fachada.

A história também tem a figura de um vilão, um personagem que tenta sabotar a Júlia, sem nenhum motivo aparente, e pra mim esse foi o único arco fraco do livro. Senti que poderia ser melhor desenvolvido pra que pudéssemos sentir aquele alívio quando fosse solucionado o “mistério” da sabotagem.

Como um todo o livro me encantou! Consegui dar ótimas risadas e torcer muito (muito mesmo!) pelo casal. Simpatizei muito com a Júlia apesar de não concordar com algumas decisões dela e me apaixonei pelo Marcus a cada capítulo!

Recomendo fortemente que você leia também!
 Cortesia do Grupo Editorial Record
Laiara Dias
Baiana, criada no Mato Grosso, casada com um mineiro e cai de paraquedas nas terras capixabas. Viciada em Youtube e Netflix, chocólatra assumida, devoradora de chick-lits. Amo um bom romance açucarado e não resisto a um toque de pimenta na literatura, nem a uma colher de farinha no prato. Choro a toa, rio alto, e não consigo decidir entre ser ogra ou princesa! Muito prazer, essa sou eu!
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

16.5.16

Espada de Vidro, Vol. 02 - Série A Rainha Vermelha [Victoria Aveyard]

Série A Rainha Vermelha - Victoria Aveyard
Ed. Seguinte, 2016 - 496 páginas:
      O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar. Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.

Onde comprar:


Quando solicitei Espada de Vidro para resenhar ainda não tinha tido o prazer de ler A Rainha Vermelha, o primeiro volume da série. E me apaixonei pelo livro (mini resenha aqui). Minha expectativa para Espada de Vidro estava altíssima e foi totalmente atingida, já me sinto conquistada pela série.

Victoria Aveyard surpreende por evidenciar os aspectos sociais e políticos de sua trama, ao invés de se focar basicamente no romance. Ela criou um mundo dividido pela cor do sangue, prateado e vermelho. Os pateados possuem poderes sobrenaturais que os tornam quase deuses, por isso são mais fortes, mas inteligentes e melhores que os vermelhos. Os vermelhos são plebeus, pobres e subjugados que servem a elite prateada e não foram agraciados com nenhum poder, a não ser sobreviver em meio a grande pobreza ao qual foram relegados.

Mare, uma garota de dezessete anos, vermelha, que vive numa comunidade muito pobre com sua família, desde cedo aprendeu a fazer pequenos furtos para ajuda-los na sua sobrevivência diária. E não é só a fome que os vermelhos temem, muitos jovens quando atingem a idade de dezoito anos são recrutados para uma guerra milenar com o reino vizinho, de onde a maioria nunca mais volta. Tentando fugir desde destino, Mare descobre que é diferente, também possui um poder sobrenatural, ela consegue controlar a eletricidade, o que a torna tão poderosa quanto a elite prateada. Mare se torna uma arma perigosa aliando-se a rebeldes que lutam pela liberdade dos vermelhos.

Mare então descobre que não é a única vermelha a possuir poderes, existem outros como ela, chamados de sanguenovos. Alimentada pelo ódio que sente pelos prateados, Mare parte em busca de recrutar estes sanguenovos, pois eles se tornam a sua grande esperança de destruir a nobreza prateada opressora.

Mare não está sozinha em sua busca, algumas outras pessoas estão com ela, um irmão, uma capitã dos rebeldes, um grande amigo de infância e também um prateado. Mas mesmo cercada por outras pessoas, Mare se sente sozinha e com medo, medo de não conseguir ser e fazer o que esperam dela, medo de tornar-se um mostro como os que ela está combatendo.

"Mas sou uma só, uma menininha que já não pode mais sorrir. Escondo-a dos outros, atrás da minha máscara de eletricidade. Mas ela continua aqui, irrequieta, atônita, medrosa. Eu a afasto o tempo todo, mas ela ainda me assombra. Nunca vai embora."

E antes ela acreditava que o sangue era tudo no mundo, uma divisão irrevogável e intransponível, que tornavam os prateados poderosos, frios, brutais e desumanos. Mas alguns prateados com quem conviveu no período em que esteve no palácio real lhe mostraram que ela estava errada, ela aprendeu que eles são tão humanos quanto os vermelhos, cheios dos mesmos medos e esperanças. Todos estão sujeitos a acertos e erros, a lealdades e traições, sejam eles vermelhos ou prateados. Não é a cor do sangue ou sua classe social que defini o que um homem é, são suas ações que o fazem ser quem são.

"O sangue dela sobe com raiva, corando as bochechas com um vermelho escuro. - sanguenovos, vermelhos, prateados... Tudo se repete - ela continua. - Uns são especiais, uns são melhores que os outros, e outros vão continuar sem nada."

O livro é narrado em primeira pessoa, o que me pareceu bem conveniente, pois assim conseguimos entender perfeitamente os temores e medos da protagonista e compreender seus sentimentos. O problema é que assim não podemos conhecer os pensamentos dos outros personagens, temos que confiar neles ou não, aprendendo o que Mare aprendeu a duras penas: todo mundo pode trair todo mundo.

Tentei fazer uma resenha sem spoiler, por isso não citei nome de nenhum personagem além de Mare, a protagonista narradora. Mas saibam que o livro possui muitos outros personagens interessantes (vermelhos e prateados) dignos de nota e também "um quase quadrado" amoroso, envolvendo Mare (sim três jovens parecem bem interessados nela), mas o pensamento da jovem não tem espaços para este tipo de "distração".

E que posso dizer sem medo de errar é que o livro vale a leitura, sem dúvidas.


 Cortesia da Editora Companhia das Letras
Gisela Menicucci Bortoloso
Capixaba, leonina, analista de sistemas e mãe. Apaixonada por livros, sou uma leitora compulsiva e como o tempo é curto, leio em todo o lugar: esperando o elevador, dentro do ônibus, no salão de beleza... Ler é meu prazer e minha paixão!
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

13.5.16

Alma Gêmea [Ana Ferrarezzi]

Ana Ferrarezzi
Ed. Autografia, 2016 - 296 páginas:
      Lá, no meio da Floresta Amazônica, há uma tribo legendária – A Tribo Curupira. Joaquim acaba se deparando com um membro dessa tribo, em uma de suas expedições. Após muito esforço, convence o pajé a lhe dar uma amostra dessa planta. O pajé o alerta sobre o risco. Joaquim, aceita a responsabilidade. Com o tempo, Joaquim descobre o verdadeiro sentido das palavras desse sábio Pajé. Letícia encontra uma erva com cheiro de canela no seu Consultório de Psicologia. Decide tomá-la. Cai no sono. Então acorda em um corpo diferente em 1906. Ela não sabe como veio parar nesse corpo, nem tampouco entende como veio parar na França, testemunhando o vôo de consagração de Santos Dumont. Mas as circunstâncias a leva até Joaquim; o homem de seus sonhos. É uma bela história sobre o poder do encontro entre duas almas gêmeas, que vivem em épocas diferentes, que rompem a barreira do improvável para perceber que o sentimento que os une jamais pode ser quebrado.

Onde comprar:

"Autora une folclore brasileiro e fatos históricos para criar história inovadora."

Letícia é carioca, tem 23 anos e é recém-formada em psicologia, casou-se com Glauber após ficar gravida “acidentalmente”. Glauber é um cardiologista renomado, e o mesmo, após ver Letícia sofrer um aborto espontâneo durante sua lua de mel, tentou ajuda-la sozinho, o que custou caro para Letícia, que agora não pode ter mais filhos. Após todos os acontecimentos e com o passar do tempo, ela viu que nunca amou seu marido e resolve pedir o divórcio, mais antes resolve pedir a opinião da “amiga” Gisele.

Ela sai de casa certo dia para arejar a cabeça e pensar sobre o divórcio e, distraída, esbarra num rapaz enquanto fala ao telefone com Gisele, aceita o pedido de tomar café do mesmo, acabando no divã do escritório dela, com uma seção de prazer e sexo. O que Letícia não esperava era ver sua vida totalmente fora dos eixos pouco tempo depois...

Sabe quando você sonha e acha que foi real? Pois bem, Letícia começou a vivenciar uma coisa estranha nos sonhos, ela sempre voltava à mesma época, em um país diferente, e num corpo totalmente diferente. Conheceu Joaquim nesse sonho e se apaixonou por ele. Só que não dá para viver no passado pra sempre né... ops falei demais...

Então Letícia, Anabelle (Suposta irmã de Clarice, ou melhor, Françoise, ou melhor, Letícia), Joaquim (filho de nobres Portugueses nascido em 1876) e Fernando (primo de Joaquim) vão viver umas tremendas loucuras nesse livro.

O livro é muito envolvente e animado, alternando presente e passado. É um livro fácil e leve de ser lido e como fiquei presa a leitura, fluiu muito rápido. Algumas passagens são bem viajantes, a Ana teve muita imaginação ao escrever esse romance, nunca imaginei que na tribo Curupira tivesse coisas tão loucas.

Gostei do livro, achei bem legal a autora abordar nossa cultura, que foi descrita de forma bem divertida, bem como talvez seria se os curupiras existissem.

SOBRE A AUTORA

Escrever histórias é um hobby para Ana Ferrarezzi, que deseja que seus leitores se divirtam tanto quanto ela lendo seus livros. A autora se inspira principalmente em lendas urbanas e no folclore brasileiro para criar seus enredos e, com isso, quer fazer com que o povo brasileiro se interesse mais por sua rica cultura. Além de escritora, Ana Ferrarezzi é psicóloga e artista plástica. Para mais informações sobre a autora, visite o site www.anaferrarezzi.com.br.

 Cortesia da Editora Autografia
Luana Miranda Rodrigues
Analista de Sistemas, "Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história". Bill Gates tem toda razão.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

12.5.16

Um Passado Sombrio [Peter Straub]

Peter Straub
Ed. Bertrand Brasil, 2016 - 392 páginas:
      Em 1966, um carismático e astuto guru, de passagem por um campus universitário do Meio-Oeste norte-americano, reúne um restrito grupo de discípulos, entre estudantes de colegial e universitário de fraternidade, num ritual secreto que resulta em um corpo horrivelmente dilacerado, um garoto desaparecido e as almas abaladas de todos os envolvidos. Quarenta anos depois, um escritor de relativo sucesso e amigo de infância da maioria dos garotos que participaram do ritual – além de marido de uma das garotas envolvidas –, sai em busca de informações sobre essa noite aterrorizante, com um projeto de livro em mente. Porém, para consegui-las, precisará não apenas reencontrar antigos colegas com quem perdeu o contato há décadas, mas também incitá-los a reexaminarem os eventos inomináveis que os têm assombrado desde então. 

Onde comprar:

A arte de se invocar as sombras de maneira equivocada

Tenho acompanhado a carreira de Peter Straub há algum tempo. Na realidade desde quando me deparei com um de meus livros prediletos – “O talismã”, que ele escreve a quatro mãos com Stephen King.

Então, quando tomei conhecimento de Um passado sombrio (Bertrand Brasil, 392 páginas) , foi natural a vontade de lê-lo, ainda mais ao saber que o mesmo recebera o prêmio Bram Stoker Award de 2010. Definitivamente o autor que encontrei não é o mesmo de “O talismã”, muito menos o da saga da Rosa Azul (quem acompanha o autor irá conhecer). Parece, de certo modo, aproximar-se daquele que escreveu o clássico “Os mortos vivos”, por isso me identifiquei.

De cara ele abre o livro com um parágrafo que me enche os olhos, poucos autores têm este poder de encantamento tão refinado:

“As grandes revelações da minha vida adulta começaram com os gritos de uma alma perdida na lanchonete perto de casa.”

Vamos ao livro... Spencer Mallon, guru carismático e adorado, reúne um seleto grupo de seguidores com o objetivo de realizar um ritual secreto. Porém, algo sai do controle e o resultado é o pior possível – uma morte e vidas definitivamente marcadas:

“Um garoto tinha sido não somente morto, mas horrivelmente mutilado, reduzido a frangalhos... parecia ter sido estraçalhado por dentes enormes...”

Cabe a Lee Harwell, amigo da maioria dos participantes do ritual e marido de Lee Truax, uma das envolvidas, retornar a esta história, 40 anos depois, para tentar desvendar este mistério, tendo em mente um novo livro. Em poucas páginas eu já estava totalmente comprometido com a leitura e curioso para saber o porquê de tanto medo e segredo.

Num primeiro momento o guru Mallon centraliza a trama. Ele não é diferente de falsos profetas e pastores mal intencionados que pululam em igrejas e seitas sem pé nem cabeça, aproveitando-se da ingenuidade, carência, desespero, ignorância e outras tantas fraquezas do ser humano. Mas seria ele realmente falso?

“...guru itinerante... estivera no Tibete e vira alguém cortar a mão de uma outra pessoa num bar, que falava sobre o Livro Tibetano dos mortos e sobre um filósofo chamado Norman O.Brown, que estava ligado à magia antiga, tudo isso me dava um certo medo.”

Garotos de famílias em estado de vulnerabilidade acabam encontrando neste personagem alguém a quem venerar. Seguem fielmente suas ordens. Isso já aconteceu tantas vezes. Quem nunca ouviu falar de Jim Jones, Charles Manson, Reverendo Moon? São tantos exemplos que nos perdemos em meio a barbárie.

Straub não costuma ser lógico, nem linear, seu tempo é o tempo dos sentimentos, das sensações (algumas pavorosas), e este não se altera com o passar das horas do relógio. Muitas vezes me parece que escreve sobre seus próprios sonhos ou pesadelos. Vocês já tentaram passar para o papel o que sonharam? Enquanto a gente está dentro do sonho tudo faz sentido, mesmo que seja absurdo. Ao escrevermos fica sem sentido, perde a substância, como quando a gente está fugindo e o monstro corre mais rápido e a gente não consegue sair do lugar, fica correndo em câmera lenta, parecendo correr em cima de uma gelatina. Straub faz isso e algumas passagens se tornam de difícil compreensão, é preciso estar bem ligado.

Há passagens totalmente Lovecraftianas que faz a alegria dos fãs:

“Todas essas pessoas... estavam agora marcadas... estavam de olho nelas, não para mantê-las seguras, porque não se importavam com os seres humanos... mas para garantir que nenhuma delas saísse tanto da linha novamente... tinha visto as coisas-cachorros avançarem para o reino eterno e caótico e sabia como era a sua aparência real, mas ela não poderia, jamais, descrevê-las. Não era possível. Nossas palavras não chegam tão longe, lamento.”

No sonho, como na escrita do autor, não há ordem estabelecida, nem concatenação, apenas cenas esparsas que se ligam e que reunidas fazem um mosaico colorido. A trama é contada pelo ponto de vista de cada uma das personagens, culminando na visão de Lee Traux, que após a experiência foi perdendo a visão até ficar cega.

É possível que o ritual tenha sido apenas alucinação coletiva ou teria realmente despertado algo inimaginável?

Cabe ao escritor Lee Harwell ligar estes pontos obscuros, a partir do testemunho de cada um dos garotos, agora adultos maculados pelas sombras.

Ao chegar ao final, o livro vai perdendo o ritmo. Não, ele não perde o ritmo, parece perder o foco, como se dentro de um carro olhássemos a frente da estrada e de repente nos distraíssemos com a visão lateral, a paisagem. Claro que logo depois retornamos para a visão frontal, o foco inicial.

Há referências legais, tais como Henrique Cornélio Agrippa e Aleister Crowley (já é o segundo livro seguido que leio em que o esotérico é citado, deve ser um sinal, preciso ler a obra deste cara). E a cereja do bolo são as descrições das personagens. Independente de ser ficcional, Straub é, definitivamente, um observador arguto do comportamento humano. Gosto dos autores que descrevem personagens pelos diálogos, sem necessidade de mastigá-los, a gente vai montando uma imagem mental deles. Mas Straub é de outra cepa, suas descrições são necessárias, é preciso ter talento pra não ficar cansativo para o leitor, e talento Straub tem de sobra, reparem só:

Sobre Hootie:

“Era de se esperar de pessoas como Hootie Bly que tivessem vidas sem grandes eventos, sem questionamentos de sua essência, mas profundamente apreciadas e verdadeiramente vividas. Se o mundo não desse certo para eles, o restante de nós não teria a menor chance.”

Sobre Dilly (é o que penso sobre a beleza ser uma dádiva ou maldição):

“Se Dilly Olson tivesse usado a beleza para ganhar dinheiro, se tivesse demonstrado consciência do efeito dela e prazer nesta consciência, se deixasse escapar qualquer traço de egoísmo, ele teria se destruído...”

Sobre Meredith:

“Abandono e controle, calor e distância provocadora, humor profundo e profunda seriedade eram denotados por aquele rosto, juntamente com uma centena de outras promessas e possibilidades... Também não parecia ter nenhuma idade específica, além do fato de possuir uma inegável e atraente maturidade que fazia a juventude parecer uma simples crisálida. Sua aparência estonteante, sua óbvia inteligência, seu calor, sua sexualidade, seu humor, essas coisas me desconcertavam e me tiravam do prumo... eu queria, sem nenhuma ordem em especial, leva-la para casa comigo, passar horas na cama transando e me casar com ela.”

Inúmeras são as discussões, uma tão complexa que me lembrou Cesare Lombroso, das aulas de Direito – o indivíduo nasce mal ou é fruto do meio?

“Talvez haja um gene para o que chamamos de mal... Alguma mutação no padrão normal que surge bem menos frequentemente que o marcador para fibrose cística... ou a doença de Tay-Sachs e a maioria das outras doenças. Hitler pode ter nascido com ele, e Stalin e Pol Pot e todos os outros ditadores que começaram a prender e matar seus próprios subordinados, mas também muitos cidadãos comuns. Toda cidade grande teria uns três caras desses, toda cidade pequena talvez um.. pessoas que acham que os outros são seres inferiores e que gostam de matar, machucar, ferir e, no mínimo, dominar e humilhar. Uma série de outras pessoas podem ter sido desvirtuadas e se tornado assim devido a uma infância de desgraças e abusos, mas estamos falando de pessoas que nascem assim. Elas trazem esse gene e, infelizmente para todos à sua volta, ele é ativado.”

Enfim, o que um demônio poderia nos ensinar?

“— Seres humanos estúpidos, a coisa toda está bem na sua frente, mas vocês continuam debatendo se o mal é interno ou externo, inerente a todo mundo ou criado pelas circunstâncias. Natureza ou criação, não dá para acreditar que vocês ainda estão debatendo essa oposição imbecil. O mundo não é dividido em dois. Vocês têm o mal dentro de vocês, vocês contêm o mal, essa é a ideia básica. Quando você abre a porta, o que encontra, a dama ou o tigre? Ops, sinto muito, você encontra os dois, porque a dama é o tigre.”

Gosto de trechos filosóficos como este, me põe a pensar por um longo tempo. É por este e tantos outros (mas já me alonguei demais) que este livro vale à pena ser lido. Leiam e vamos dialogar a respeito. Será um prazer tanto a leitura, quanto a discussão!

 Cortesia do Grupo Editorial Record
Rodolfo Luiz Euflauzino
Ciumento por natureza, descobri-me por amor aos livros, então os tenho em alta conta. Revelam aquilo que está soterrado em meu subconsciente e por isso o escorpiano em mim vive em constante penitência, sem jamais se dar por vencido. Culpa dos livros!
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!
 
Ler para Divertir © 2015 - Blog no ar desde 31.10.2010
topo giovana joris • design e código gabi melo