acompanhe o blog
nas redes sociais

11.12.11

Hex Hall, Vol. 1 [Rachel Hawkins & Camila Mello]

Ed. Galera, 2011 
–  304 páginas:
Hex Hall inaugural mais uma nova série de fantasia, misturando bruxas, fadas, metamorfos (para quem não sabe, são pessoas que podem se transformar em bichos) demônios, vampiros, etc...
A personagem principal é uma adolescente de 16 anos, criada só pela mãe, que acaba indo para num internato onde estes seres diferentes de nós estudam.
Como já dá para perceber, é uma série bem voltada ao público adolescente, de leitura fácil e sem grandes surpresas (junta um pouquinho de tudo que já conhecemos deste tipo de série).
Por estes motivos, para mim, é somente mais uma série.

(Gostaria de saber por que atualmente os livros voltados para o público juvenil não trazem um pouco de cultura, de forma a enriquecer a leitura. Será que acham que os adolescentes de hoje não tem capacidade de ler algo mais culto?).

Sinopse:

Sophie é uma bruxa e está matriculada em Hex Hall, uma escola de crianças tão diferentes quanto ela, e intituladas Prodígios. Entre inimigos e paixões, acontecem ataques de um misterioso agressor aos alunos da escola e parece que o principal suspeito é o único amigo que Sophie tem. Ligando os fatos, ela descobre que uma antiga sociedade secreta pretende exterminar os Prodígios - e ela é a primeira da lista.


comentários pelo facebook:

9 comentários em "Hex Hall, Vol. 1 [Rachel Hawkins & Camila Mello]"

  1. Querida Gi, recentemente li um livro classificado pelo próprio autor como sendo infanto-juvenil. Fiquei tentando imaginar o que ele queria dizer com isso. O livro é "Marina" e o escritor Carlos Ruiz Zafón, isso mesmo, o próprio, autor de "A sombra do vento". Acho que nem preciso dizer mais nada... o cara é fundamental na nova narrativa espanhola.
    Então pensei: se um livro como o do mestre Zafón pode ser escrito para jovens, então nada está perdido. Respondendo sua pergunta: existem livros belíssimos sim, voltados para um público mais jovem. O problema está em saber se compensa financeiramente para as editoras investir em livros assim. Os novos leitores estão sendo formados pela rede virtual, palavras escritas pela metade, leitura rápida, direta e sem reflexões. Então o mercado pede livros da mesma natureza.
    Fico um pouco triste, já que vim de outra escola, daquelas em que uma frase era pra ser remoída, repensada, até que a mesma se revelava em toda sua plenitude e você ganhava o dia.
    Vamos ficar na torcida, quem sabe uma nova geração perceba a importância da palavra "bem dita".

    ResponderExcluir
  2. De certa forma, leituras juvenis por mais que não tenha "cultura" ajuda muito no desenvolvimento, pelo menos cria o hábito de ler, depois o adolescente vai procurar leituras mais adultas quando enjoar de infanto-juvenis. No aspecto literario de "Hez Hall" acredito que seja uma perca de tempo ler este livro.

    ResponderExcluir
  3. Acabei descarregando em Hex Hall uma frustração que tenho na literatura juvenil de hoje, mas a muito queria comentar isso. Adorei o comentário de vocês, afinal estamos aqui para discutir sobre livros.
    Rodolfo, minha filha acabou de ler "Capitães da Areia" de Jorge Amado, mas este não vale pois é antigo. Vou apostar em "Marina". Obrigado pela dica.

    ResponderExcluir
  4. E por ser somente uma série, eu não estou muito afim de ler, tenho curiosidade e a capa é bem bonita, mais por enquanto estou cheia de séries pra ler. hahaha.

    obs: quando você ler Um Dia, não esquece de me avisar o que achou ta? Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Eu ainda não li, mas sempre tive vontade de ler desde que foi lançado em inglês. Acho a capa original mto linda.

    Sei q não devo ter tantas expectativas, mas quero mto ler essa série. Acho q apesar dos pesares deve ser divertidinho.

    BjoO
    Pri
    Entre Fatos e Livros

    ResponderExcluir
  6. Olá Gi, meio atrasado mas enfim rs
    A capa é bonita, mas pelo jeito parece que é somente isso rsrs
    A história envolvendo tantos seres fantástico daria pra ser bem elaborada, não é mesmo.

    Sobre esse lance dos livros infanto-juvenil concordo com o que o Rodolfo e Arthur comentaram ali.
    Só que apesar dos apesares, eu gosto de livros assim só para passar o tempo de vez enquanto, não digo exatamente sobre Hex Hall, mas sim de vários outros que são juvenil e trazem alguns momentos legais para te agradar, mas já outros só desespero de ver o quanto você vai ler tudo e não vai valer nada de nada '-'
    É complicado...

    ResponderExcluir
  7. Olá.
    Geralmente fico louca para ler algum livro só por ver a capa, o que não é este o caso, já que ao meu ver, esta capa é um tanto quanto... Sei lá. Feia?
    E o que citou no post fez-me ficar ainda mais com o pé atrás para lê-lo, que como o Ander disse, poderia ser uma história promissora mas não é muito bem elaborada.
    E concordo com os comentários acima quando dizem que ainda há infanto-juvenis muito bons e que estes livros mais "bobos" leva a criação do hábito de ler e confesso que depois de um bom tempo longe dos livros, Crepúsculo (sim, Crepúsculo) que me trouxe de volta.
    Hoje, não largo algumas séries infanto-juvenis que são ideias para passar o tempo e para poder respirar depois de ler um livro "pesado".

    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Teve uma época que eu estava bem curiosa para ler esse livro. Depois o tempo foi passando, outros livros vieram e acabei não lendo até agora. Mas eu gosto do enredo, apesar de ser "mais do mesmo" e quem sabe eu ainda tenha oportunidade de conhecer a história?

    ResponderExcluir
  9. Adoro livros de Fantasia, especialmente se forem juvenis. Embora o tema esteja meio batido não canso de ler sobre eles.

    Thais Vianna
    @dathais

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir