acompanhe o blog
nas redes sociais

5.8.13

Meu bem, meu amor, meu querido [Deb Caletti]

Meu amor, meu bem, meu querido
Ed. Novo Conceito, 2013 - 234 páginas:
       Ruby McQueen nunca tivera problemas sendo boazinha, e sempre fez questão de ter um bom relacionamento com sua família, ir bem na escola e tomar boas decisões. Esse é o motivo do porquê ninguém fica mais surpreso do que ela mesma quando o mau caráter Travis Becker a suga para seu mundo de privilégios e ilegalidades, e ela o segue voluntariamente. No entanto, quando Ruby faz o impensável, começa uma louca aventura de várias gerações, conforme seus entes mais íntimos fazem de tudo para salvá-la dela mesma. Será que um verão pode mudar o que Ruby sabe sobre o verdadeiro amor, a família, o destino e seu próprio coração?

Apesar do romântico titulo estampado em uma linda capa de fundo claro com tons de verde, engana-se quem espera encontrar uma historia em que os leitores torcem para que o casal principal fique junto no final.

Romance? Sim, tem uma pitada de romance na história, mais a sacada do livro não é em si o romance, mas como se livrar de um romance doentio e como mãe e filha podem juntas superar suas fragilidades emocionais com ajuda de “velhos” amigos.

Ruby Mcqueen é a mocinha da história, com 16 anos, ela não é a adolescente patricinha super popular do colégio, era a “calada” em termos mais claros era a nerd que passava despercebido por todos. A não ser quando a mesma sabotava sua própria sorte (que já não era muita) colocando absorventes em baixo dos braços para absorver o suor e assinar seu atestado de óbito social quando esses resolveram cair no chão no meio da sala. Sim, ela era estranha, contudo era uma boa menina, com a personalidade em construção.

Travis Becker era o sonho de qualquer garota, rico, loiro; a descrição do príncipe encantado. Exceto por um detalhe, o príncipe de Ruby era apenas um idiota embrulhado em papel alumínio, um idiota muito mau caráter, diga-se de passagem.

Ruby tem um pai ausente, e a mãe uma bibliotecária sonhadora que não se cansa de esperar por ele. Ruby e seu irmãozinho Chip Jr tentam trazer a mãe de volta a cada visita de seu pai que saiu de casa a mais de 10 anos para seguir o sonho de ser musico. Talvez essa seja uma das razões principais do envolvimento de Ruby com Trevis, o mau exemplo da mãe de como lidar com seus sentimentos. Sem contar o desejo adolescente de viver uma grande aventura.

Travis Becker, praticamente vizinho de Ruby, filho de uma família bem rica e que sempre mantém os portões fechados - mas não naquele dia,

“A moto. A superfície de cromo brilhando, estacionada de modo tão torto e errado no jardim.”

Desse momento em diante perguntas como ela está mesmo fazendo isso? Onde ela está com a cabeça? Será que ela não está vendo que está indo para o fundo do poço? São perguntas caladas quando ela mesma declara:

"Às vezes a gente está tão convencido de que alguém está nos jogando um colete salva-vidas que não percebe que o que essa pessoa está fazendo é nos afogando."

A mãe de Ruby por ser a bibliotecária da cidade organiza um clube de leitura formado por idosos chamado de as Rainhas Caçarolas. E quando percebe Ruby precisa de ajuda para se salvar de si mesma, começa a levá-la para os encontros.

A grande reviravolta do livro e quando as Rainhas Caçarolas começam a ler Charles Whitney e percebem que a historia do livro é a história de amor de uma das participantes do grupo. As rainhas da caçarola e Harold (o único homem do grupo) embarcam numa viagem para Califórnia, e nessa viagem a troca de experiências é bem rica, e Ruby e sua mãe acabam por amadurecerem juntas e encontram a coragem necessária para seguir em frente.

Elas aprendem com Miz June uma das rainhas caçarolas que: "O amor pode chegar quando você já é você mesma, quando está plena de si. Não acontece quando você procura em alguém uma forma de preencher as suas lacunas.”

E em uma madura conversa entre mãe e filha depois de lagrimas é possível notar que a lição foi aprendida:

“- Mãe?
- Sim – ela sussurrou de volta.
- Acho que a Miz June tem razão quando diz que eu me apaixonei pela moto de Trevis Becker.
- Não tem problema, Ruby. Eu também me apaixonei pelo violão de seu pai."


Meu bem, meu amor, meu querido, e um livro leve que proporciona boas risadas e bons conselhos, há alguns momentos entediantes na narrativa e que a autora se perde um pouco, mais e possível captar a ideia principal. Então, será que um verão pode mudar o que sabemos sobre o amor, a família, o destino e o próprio coração? Leia meu bem, meu amor, meu querido e tire suas próprias conclusões.

Resenhado por:
Dandára Bicalho , Universitária, Autêntica, Adora ler para divertir e escrever para refletir. Se esforça para ser cada dia melhor pois acredita que bondade também se aprende.

comentários pelo facebook:

27 comentários em "Meu bem, meu amor, meu querido [Deb Caletti]"

  1. Curti muito a resenha, Dandára! Tenho este livro e pretendo ler em breve. A princípio achei que fosse um romance, mas não é bem assim, né? Gosto da premissa do livro, discutir sobre coisas mais profundas e tal, mas pelo que tenho lido, a narrativa é realmente fraca e por vezes entediante.
    Quando ler Meu amor, meu bem, meu querido, vou com pouquíssima expectativa, talvez assim tenha uma boa experiência.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu simplesmente não consegui terminar a leitura desse livro. Foi uma decepção total. A autora simplesmente parece que não soube definir a personalidade da garota. O livro é bem fino e eu pensei que fosse uma leitura rápida e prazerosa, porque foi essa a impressão que a capa me trouxe. Mas simplesmente não deu para continuar. Eu não consegui captar a história que Deb quis contar.

    ResponderExcluir
  3. Apesar de achar a temática interessante eu li tantas resenhas negativas desse livro que simplesmente desisti dele. E sua resenha não conseguiu me fazer mudar de ideia.

    ResponderExcluir
  4. Achei a premissa clichê ao extremo, se me permite dizer e as resenhas não tem ajudado muito na divulgação do livro, rsrsrs. Não tenho vontade NENHUMA de ler, nenhuma mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Gostei mais da trama dos velhinhos que da garota. A dela foi muito...sei lá, um segundo plano que caiu como primeiro e não tem graça alguma? Porque não falaram mais daqueles velhinhos fofos? Toda hora que chegava neles eu queria mais xD

    ResponderExcluir
  6. Este livro esta a caminho de minha casa, espero gostar igual você gostou!
    http://leituramagnifica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oie :)

    Eu ainda quero ler esse livro um dia mas apenas para dar aquela relaxada básica sabe ? nada sério, beijos !!
    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  8. Outro livro com a história completamente diferente do que eu imaginava!! Pensei que era só mais um romance, mas agora percebi que ele tem uma história bem real!
    Não é tipo crepúsculo onde o cara mais perfeito se apaixona perdidamente por uma garota introvertida e sem graça, nesse livro a garota esquisita(e bota esquisita nisso, quem coloca absorvente nas axilas?!) se apaixona pelo rapaz mais bonito e popular(ou pela sua moto) e quebra a cara depois.
    Deve ser um livro muito bom pra refletir. Se tiver uma oportunidade, vou lê-lo com certeza.

    ResponderExcluir
  9. Eu tenho quase certeza de que não iria gostar da garota principal, mas se eu tiver a oportunidade com certeza vou le-lo!

    ResponderExcluir
  10. Nossa, não gostei, pelo visto parece ser um livro chato :c

    ResponderExcluir
  11. Ei ! Sinceramente também nao gostei do livro, achei muito clichê e sei lá nao deu pra terminar. posso tentar a leitura novamente mais pra frente mas por enquanto... nao cola

    ResponderExcluir
  12. Olá Dandára =)
    Eu tinha muita vontade de ler esse livro, mas depois de ler tantas resenhas negativas sobre ele, desanimei um pouco =/
    Ri muito na parte de que ela usa absorvente nos braços.. que isso? hehe
    Enfim, não sei se leria o livro... pode ser que sim =) rs

    Beeijos,
    iSteh

    ResponderExcluir
  13. Não tenho muita vontade de ler esse livro. A sinopse até me chamou a atenção, mas depois fui lendo algumas resenhas e várias tiveram a mesma opinião que você, de algumas partes entediantes. Acabei desanimando e confesso que provavelmente eu não vou ler, não.

    ResponderExcluir
  14. Confesso que quando vi a capa do livro e o seu título pensei que se tratava de um romance, mas através dessa crítica percebi que o ponto principal do livro é mãe e filha aprenderem juntas a lhe dar com os caminhos do coração. Apesar de achar o tema bonito, preferiria que o livro fosse sobre a história de amor do Travis e da Ruby, e como a mesma poderia levar o seu parceiro para o bom caminho e não ele leva-la para o mal caminho.
    Obrigada pela dica, bjos.

    ResponderExcluir
  15. Gostei da resenha.
    Foi direto aos pontos que eu considero principais para saber antes de me interessar em ler algum livro ;)

    Não fiquei com vontade de ler, admito.
    Mas, não descarto a leitura do livro, no futuro.
    É que a impressão que eu tive é de ser bem "mais ou menos" :/

    ResponderExcluir
  16. Tenho o livro e li resenhas nada animadoras sobre ele...
    Ainda bem que vc conseguiu extrair a essência da história. Realmente não li nada que me dissesse que o tema é a libertação de uma relação que faz mal. Isso é interessante, pq muitas mulheres permanecem acomodadas em relacionamentos que só consomem energia e nada oferecem de produtivo.
    Mãe e filha em parceria e se ajudando é sempre bom de ler. Acho que darei uma oportunidade a ele.

    ResponderExcluir
  17. Gostei da resenha, mas achei a história um pouco clichê, o que não aguçou mt a minha curiosidade! Gostei do fato dela se juntar a mãe, pois é uma coisa linda de se ver. Leria numa boa, mas não me agradou taaaaaanto.

    Mas é uma boa resenha :D

    ResponderExcluir
  18. A resenha está bem legal e acho que mostrou os pontos positivos do livro, mas mesmo assim não me chamou muito a atenção. Não gostei muito da história. Acho que é de tanto ler esse tipo.

    ResponderExcluir
  19. Muito legal a resenha, mas a história não me atraiu. Provavelmente, não vou ler esse livro.

    ResponderExcluir
  20. Esse foi um livro que me enganou, pensei que era um romance adolescente, ai lendo a resenha percebi que passa longe. Apesar disso achei que foi legal a autora explorar esse lado do relacionamento mae e filha, mas fugiu do meu interesse.
    bj

    ResponderExcluir
  21. Preciso de uma enquete pra esse livro UAHSUA
    Me pareceu clichê, a história. Clichê não é ruim, mas esse pareceu mexicano.

    ResponderExcluir
  22. Não sei se leria, mas adorei o dialogo entre a mãe a filha haha mas de novo, digo, não gosto desse genero de livro. Tenho que começar a dar uma chance a eles, vou acabar perdendo muitos livros bons assim

    ResponderExcluir
  23. Gostei bastante da resenha.
    Cada vez que vejo alguma deste livro me dá mais vontade de lê-lo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Achei legal "Rainhas Caçarolas" e tenho interesse em lê-lo para conhecê-las, haha.

    ResponderExcluir
  25. Tenho esse livro aqui em casa, mas ainda não o li. Já li algumas resenhas sobre ele, e uma boa parte não foi tão animadora assim. Me parece que tramas e personagens são uma sucessão de clichês, mas como não tenho problemas com eles, lerei em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  26. Eu ainda quero ler este livro mas agora sei que não devo esperar muito. Pelo menos não vou ter uma decepção como alguns outros que li.

    Érica Martins
    Espiral dos Sonhos

    ResponderExcluir
  27. Oi, Dandára. Acabei de ler sua resenha. Não li o livro, ainda. Você escreve bem, sim. Gostei do seu texto.
    Bjs,
    Francisca

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir