acompanhe o blog
nas redes sociais

3.2.14

Dois Rios [T. Greenwood]

Dois Rios [T. Greenwood]
Ed. Novo Conceito, 2013 - 448 páginas:
        Harper Montgomery vive ofuscado pela tristeza. Desde a morte de sua mulher, há 12 anos, ele aprisionou-se em uma pequena cidade, Dois Rios, onde todo mundo se conhece, porque ali - justifica-se - poderia criar melhor sua única filha. Mas a verdade é que a morte de sua mulher é somente um dos motivos de sua dor. Além de sofrer por sua perda, ele se sente culpado por um ato abominável: quando mais jovem foi cúmplice de um crime brutal e sem sentido. Há muito sentimento em jogo quando se trata de sua vida cheia de remorsos... Então, um acidente de trem oferece a Harper a chance de redenção: uma das sobreviventes, uma menina de 15 anos, grávida, precisa de um lugar para ficar, e ele se oferece para levá-la para casa.


Uma pequena cidade, um homem atormentado pelas dores do passado, uma filha para criar e uma visita inesperada... Para quem gosta de um bom drama romântico, a habilidosa escritora T. Greenwood convida o leitor para conhecer uma linda história de amor, recheada de surpresas (um tanto dolorosas) e reviravoltas empolgantes!

Harper é um homem marcado pela dor da perda de sua esposa, a quem amou e se dedicou desde a adolescência. A morte repentina de Betsy e a chegada da filha recém-nascida transformam os sonhos do apaixonado casal num luto prolongado, que já dura doze anos. Harper vive melancólico, desiludido e tem pouca habilidade para lidar com a filha adolescente. Trabalha na estação ferroviária da pequena Dois Rios, uma cidade pacata e que guarda em cada esquina as lembranças do amor (e das aventuras) que viveu ao lado de Betsy.

Depois de contar com a ajuda de parentes da esposa para criar a pequena Shelly, agora pai e filha estão finalmente instalados num pequeno apartamento, sozinhos e tentando tocar a vida da melhor forma. Mas um trágico acidente de trem na cidade muda a vida de ambos: Maggie, uma misteriosa adolescente negra e grávida, escapa ilesa do acidente e implora abrigo ao inseguro Harper, que acaba acolhendo a moça. Numa cidade de brancos, a jovem negra agora é motivo de desconfiança e especulações. Harper tenta ajudá-la para que prossiga a viagem que foi interrompida pelo acidente, mas ela está decidida a ficar. Aos poucos, Harper vai descobrindo as mentiras de Maggie... e a presença dela reacende um pesadelo que ele viveu em 1968.

Maggie é uma personagem enigmática. Altera a vidinha sem graça de Harper e Shelly tornando-se amiga e confidente da menina, cuidando da casa e dos dois solitários, atenta às necessidades de ambos. Mas Maggie não está ali por acaso... o motivo de sua chegada, até que seja revelado, é um longo caminho que o leitor vai percorrer ao lado do protagonista. Nessa busca, a autora conduz a deliciosa narrativa contando a história de vida de Harper e Betsy, de suas famílias, a adolescência e o nascimento da paixão entre os dois, os planos que fizeram até que a tragédia chegasse e mudasse todos os sonhos que acalentavam.

As mais de quatrocentas páginas alternam capítulos do tempo presente (1980) e passado, narrados em primeira pessoa pelo Harper menino e o Harper homem. E foi exatamente nesse passado (década de 60) que encontrei as melhores partes do livro. As doces lembranças de Harper são apaixonantes! A vida em família, com o pai inventor trabalhando em mais uma ideia no porão da casa, a mãe revolucionária e insatisfeita com o papel de dona de casa (adorei esta mulher!) e um Harper doce e inseguro, sensível, um bom menino descobrindo os segredos da paixão pela melhor amiga. Betsy, uma personagem encantadora, destemida e ousada, vive um drama familiar tão intenso quanto doloroso... Mas é ela a condutora de Harper pela vida. Betsy, para mim, é a personagem que engrandece a narrativa, ao lado da mãe de Harper, que viverá momentos intensamente decisivos até que tudo seja revelado pela autora.

“Ela tinha uma maneira de conversar comigo ao telefone que nunca utilizava pessoalmente. Em muitos aspectos, nossas conversas eram muito mais íntimas do que quando ficávamos cara a cara, como se, desprovidos um das mãos do outro, fôssemos forçados a nos tocar com palavras.” (p. 247)­

Intercalando os tempos da trama, o leitor encontra alguns relatos – em terceira pessoa – de um fato trágico e muito importante, que afeta Harper desde então. A noite descrita envolve nosso protagonista e dois amigos, importantes personagens secundários. Aos poucos as revelações são feitas e o quebra-cabeça é montado, faltando apenas uma peça para que seja concluído. Posso dizer: o melhor está por vir, o leitor nem desconfia do quanto ficará sobressaltado com o que está para ser desvendado...

O preconceito racial é bem apresentado no livro. Tanto Maggie, por ser negra numa comunidade de brancos, quanto a mãe de Harper, que milita em favor das minorias negras, são personagens importantes para discutir a violência da discriminação. A princípio parecendo apenas justificar uma causa pela qual a mãe de Harper decidiu brigar, o fato vai crescer e surpreender o leitor. Fiquei boquiaberta, maravilhada e vibrei com a surpresa que a autora guardou como um dos pontos altos da história.

Confesso que não esperava tanto desse livro. Achei mesmo que seria uma história boa, porém morna, com algumas emoções, mas fui surpreendida por um romance intenso, com personagens encantadores e revelações arrebatadoras! Com algumas doses de lirismo presentes na obra - o que me encantou ainda mais -, naveguei por Dois Rios com a paixão dos protagonistas, os mistérios aos poucos descobertos, a minha eterna indignação diante do preconceito. E uma paixão descarada por alguns dos personagens. Recomendo!

Cortesia da Editora Novo Conceito

Resenhado por:
Manu Hitz, cearense, fisioterapeuta e mãe. “Eu não tenho o hábito da leitura. Eu tenho a paixão da leitura. O livro sempre foi para mim uma fonte de encantamento. Eu leio com prazer. Leio com alegria.” Ariano Suassuna

comentários pelo facebook:

36 comentários em "Dois Rios [T. Greenwood]"

  1. Nossa, Manu, você escreve muito bem!! Parabéns pela resenha, ficou ótima!
    Estou super ansiosa para começar a leitura desse livro. Acho que ele tem muitos elementos para dar certo: romance intenso, mistério, mistura de presente e passado, e também personagens que convencem muito bem.
    Espero gostar tanto quanto você!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. A resenha ta muitoooo bem escrita, mas eu realmente não consigo ler nenhum tipo de drama, mexe muito com meu emocional e eu prefiro ficar com os chick-list divertidos!
    Mas pela resenha o livro é ótimo pelo gênero, pena que não gosto!

    ResponderExcluir
  3. A Manu escreve muito bem! A resenha ficou ótima. Mas após ler Um mundo brilhante, não gostei da escrita da autora. :/ Poderia ser que esse livro fizesse minha opinião mudar, mas não fiquei tão interessada em ler outros livros da autora.

    ResponderExcluir
  4. Você estava inspirada ao escrever essa resenha. A estória tem tudo pra ser maravilhosa e sempre adorei um drama. Principalmente aqueles que tem algo a nos dizer. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Como já havia lido um livro da autora e não tinha gostado, nem fiz questão de solicitar este. Mas depois de sua resenha, confesso que fiquei curiosa e com vontade de ler. Parece mesmo ser uma boa história.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Primeiro gostei muito da sua resenha , é a minha primeira desse livro . Vi esse livro ao passado nos lançamentos da NC , achei a capa bem bonita , e quando vi a sinopse pensei como vc . Mas talvez eu devo ler ele mesmo rs

    ResponderExcluir
  7. Resenha muito bem escrita. Nos faz ter vontade de parar tudo agora e comprar o livro para saber todos os detalhes desse romance! Amei.

    ResponderExcluir
  8. Acredita que ainda não consegui ler? Me empolguei agora.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  9. Eu estava apaixonada pela capa, mas não imaginei de maneira alguma que o desenrolar da trama fosse assim. Tão surpreendente, gostoso, amei a época que o livro se passa. E o lance sobre preconceito também. Eu tinha uma vontade de ler esse livro, mas agora ela triplicou. Gente, preciso, preciso! haha

    ResponderExcluir
  10. Oi amiga, em breve lerei essa trama.
    Parabéns pela resenha, bj!

    ResponderExcluir
  11. Oi Manu!
    Eu já tinha lido umas duas resenhas desse livro e não me interessei. Com a sua resenha agora eu fiquei desesperada pelo livro!! Eu amo dramas românticos assim e parece que esse tem tudo pra me encantar. Só me preocupo com a quantidade de páginas. Ultimamente tenho me estressado com livros muito longos. :/

    ResponderExcluir
  12. ADOREI.
    Como eu não conhecia esse livro?
    Adoro esse tipo de história.
    Manu sua resenha é maravilhosa. Perfeita. Me deixou louca pra ler o livro.
    Bjão.

    ResponderExcluir
  13. a capa realmente não me chamaria a atenção, muito menos o título. mas como viciados leitores que somos, cara manu, sabemos que debaixo de livros assim se escondem pérolas. o que mais me chamou a atenção não foi a personagem enigmática, nem a difícil relação entre pai e filha, mas a perda, a "dor" da perda e mais ainda, a forma que se deu a perda. me fez lembrar de algumas brincadeiras que fazemos quando jovens e que poderiam dar errado. explico: quando recém casado, resolvemos, eu e minha mulher, nadar em um rio. ela nadava mal e eu um pouco melhor que ela. pois resolvi trazê-la de brincadeira para um lugar mais fundo e faltou pé, fiquei desesperado água e percebi que ela também estava entrando no buraco. consegui empurrá-la pra fora, mesmo tendo bebido muita água. uma brincadeira besta que poderia terminar em tragédia. por isso me liguei neste livro, por me lembrar de minha façanha. sem contar no trecho que você colocou de se tocar "com palavras", isso é maravilhoso. quero lê-lo também!

    ResponderExcluir
  14. Eu fiquei interessada neste livro desde que li a sinopse quando ele foi lançado.
    Gosto de livros com temática forte, então este me chamou a atenção imediatamente.
    Mas depois de ouvir algumas críticas meio que desisti.

    ResponderExcluir
  15. Fiquei feliz com os comentários de vocês. É bom ter um retorno da nossa opinião, independente de ser favorável ou não, especialmente quando gostamos muito de uma leitura.
    O livro é um drama, que fique bem claro. Tem uma dose de mistério e uma ótima história de amor pra fazer valer mais a pena - e ficar mais dramático também, rsrs...

    ResponderExcluir
  16. Gosto muito desse tipo livro, mas ultimamente tenho lido outros gênero e não penso em larga tão cedo. Porém esse foi um livro que me deixou interessada e penso que ele será um bom retorno a esse gênero. Vou ler com certeza.

    ResponderExcluir
  17. Não tenho certeza, mas acho que gosto desse livro. A temática é bem interessante, em questão do preconceito racial e da luta contra ao mesmo... esse livro é bem válido.

    ResponderExcluir
  18. Ainda não li nenhum livro da T. Greenwood , e no começo não gostei da sinopse desse livro , mas a sua resenha me fez querer lê-lo *-*
    E-mail: juliamariamoraes2013@gmail.com
    Nome de seguidor: Julia Moraes

    ResponderExcluir
  19. Ainda não conhecia o livro,mas sua resenha mim chamou atenção e despertou meu interesse!

    ResponderExcluir
  20. Gostei da resenha. Não conhecia este livro. Agora fiquei curiosa. Entrou para minha lista.

    ResponderExcluir
  21. Não conhecia o livro e pela capa não teria vontade de lê-lo, mas depois dessa resenha ótima fiquei morrendo de vontade de te-lo aqui e ler *--*

    Meu Mundo, Meu Estilo
    Participe do TOP Comentarista de Fevereiro

    ResponderExcluir
  22. É a primeira resenha que leio de 'Dois Rios', e já no seu lançamento, me interessei por ele só de ler a sinopse. E, é claro, minha opinião prevalece. O melhor de tudo é que além de um romance dramático, o livro aponta o fato de como as pessoas agiram de forma racista com a chegada de Maggie por ela ser negra. Aliás, achei ela muito misteriosa, e uma vontade ainda maior de ler o livro se acendeu em mim para descobrir os segredos de Maggie :)

    ResponderExcluir
  23. Não conhecia o livro, mas pela resenha, me pareceu muito bom. Adoro um romance envolvido com suspense.
    Este vai entrar prá minha meta de leitura, com certeza! ;)

    ResponderExcluir
  24. Oi Manu! Que resenha apaixonada, me deu vontade de pegar o livro e começar a ler agora, confio na sua opinião e com certeza vou apreciar a trama. Li há poucos dias um drama, mesclado com romance e mistério, mas acredito que Dois Rios é mais intenso. Parabéns pela resenha e que seja a primeira de muitas. Bjos!!

    ResponderExcluir
  25. Que linda estória Manu. Adorei a resenha.
    Fiquei interessada pelo livro... não li nada igual.
    Um homem cheio de dor e remorso, remorso este que não o ajuda a superar o luto.
    Adorei o envolvimento dele e da filha com a Maggie. A questão do preconceito tb é muito interessante.
    Parabéns pela resenha...
    Quero este livro ♥
    Bjs

    ResponderExcluir
  26. Nossa agora fiquei curiosa para ler esse livro, confesso que sou daquelas que olha a sinopse e capa pra decidir se leio ou não um livro. Mas ao ler essa resenha eu fiquei bastante curiosa pra saber qual é esse mistério todo, qual é a importância dessa Maggie na vida dos dois. Com certeza esse livro vai para minhas lista de preciso ler urgentemente.

    ResponderExcluir
  27. Seilá... eu gosto de coisas bobas e meio infantis, nada muito maduro, deve ser por que ainda não tenho a idade para poder me identificar com os livros e as situações por isso não me chama atenção.

    ResponderExcluir
  28. Sinceramente não tenho interesse em ler esse livro pois não gosto de dramas mas a sua resenha Manu, ficou bem instigante e fiquei curiosa para saber o que levou Maggie a ir para nessa cidade, e quando encontrar algum conhecido que já tenha lido Dois Rios irei pedir spoilers, rs.

    ResponderExcluir
  29. Gostei muito da resenha. Eu já venho a muito tempo querendo ler esse livro, sempre leio resenhas sobre ele e realmente, a sua foi a melhor. Amei!

    ResponderExcluir
  30. esse livro ja tinha me interessado qndo foi lançado ( achei a capa tao simples e fofinha, alem de que a sinopse prendeu minha atençao ) e agora adorei sua sinopse!! é incrivel como o preconceito permanece em qlqr lugar q estamos... e nos livros nao e diferente :/ acho muito interessante esse assunto tratado dessa forma! adorei saber que fica narrando epoca em q o personagem era jovem ( adoro livros assim :3 ) e vou ler com certeza!

    ResponderExcluir
  31. Uma resenha muito bem escrita pela Manu, que nos dá uma visão geral do enredo do livro. Atualmente não é um gênero que está em primeiro lugar nas minhas preferências, mas parece ter uma história muito bonita e que deixa belas lições.

    ResponderExcluir
  32. Esto curiosa para ler esse livro, a trama dele é o que mais me chamou atenção. Deve ser emocionante, espero poder ler logo.

    ResponderExcluir
  33. Confesso que sou um daqueles que imaginava que esse livro era um daqueles romances mornos, ou até um drama daqueles bem parados, mas fiquei feliz em saber que ele é muito mais do que isso. Gosto dessas surpresas e reviravoltas que os autores nos jogam, nos deixando boquiabertos. A partir de agora, irei ver esse livro com outros olhos.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  34. ainda não comsegui ler esse livro estou bem curiosooooooooooo

    ResponderExcluir
  35. Adorei a resenha! Pretendo ler este livro em breve.

    ResponderExcluir
  36. Olá, Manuh.
    Adorei seu texto. Ele diz basicamente o que senti a ler o livro.
    As surpresas e reviravoltas são incríveis.
    Como você disse, eu também não esperava muito do livro, mas me conquistou.
    *-*

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir