acompanhe o blog
nas redes sociais

20.9.18

A Casa Das Orquídeas [Lucinda Riley]

Lucinda Riley
Ed. Arqueiro, 2018 - 551 páginas
- "Quando criança, Julia viveu na grandiosa propriedade de ­Wharton Park, na Inglaterra, ao lado de seus avós. Lá, a tímida menina cresceu entre os perfumes das orquídeas e a paixão pelo piano. Décadas mais tarde, agora uma pianista famosa, Julia é obrigada a retornar ao local de infância na pacata Norfolk após uma tragédia familiar. Abalada e frágil, ela terá que reconstruir sua vida. Nesse caminho de recuperação, ela conhece Kit Crawford, herdeiro de Wharton Park, que também carrega marcas do passado. Ele lhe entrega um velho diário que trará à tona um grande mistério, antes guardado a sete chaves pela avó dela. Ao mergulhar em suas páginas, Julia descobre a história de amor que provocou a ruína da propriedade: separados pela Segunda Guerra Mundial, Olivia e Harry Crawford acabaram influenciando o destino e a felicidade das gerações futuras."

Onde comprar:

"Não quero melhorar. Quero me acabar de sofrer como eles sofreram. Onde quer que estejam, pelo menos estão juntos, enquanto eu estou sozinha aqui.”

Júlia Forrester é uma famosa pianista, e durante um de seus belíssimos concertos, ela recebe uma ligação que mudou o rumo de sua vida: Seu marido, Xavier, e seu filho Gabriel, pereceram em um trágico acidente de carro. Meses se passam e uma dor insaciável consome seu peito, ao mesmo tempo em que fica notável sua perda de peso. A pequena garotinha que adorava passar o tempo na estufa de Wharton Park, com seu avô Bill, já parece não mais ter existido.

Depois de dias e mais dias angustiada, Júlia passa a viver num pequeno chalé aos arredores de Wharton Park, onde Kit foi o único herdeiro direto da propriedade. As dívidas acumuladas da residência dos Crawford chegaram a um ponto que não dava mais para deixar de lado, e num beco sem saídas, o herdeiro da casa, passa a leiloar tudo considerado de valor para arrecadar uma quantia satisfatória e assim poder pagar pelo menos uma parte dos gastos altíssimos.

"O mundo está tão incerto agora, Olívia - ela suspirou - Aproveite a felicidade enquanto pode, combinado?"

Com a ajuda de sua irmã, Alicia, Júlia se ver de volta a casa que tanto amava como se fosse dela, para poderem comprar um presente pro seu pai no leilão de Kit. Ao chegarem acabam levando consigas um livro da infância do antigo dono, Harry Crawford, e pinturas de orquídeas, provavelmente pintadas por sua mãe, Jasmine. Alguns dias depois, Kit aparece em sua porta e trocam o livro infantil por um diário que ele mesmo encontrou dentro do perímetro de Wharton Park, e que talvez possa pertencer ao seu avô Bill, que era o jardineiro da propriedade antigamente.

Simultaneamente somos conduzidos à história do diário ocorrida durante a Segunda Guerra Mundial, que relata o romance de Harry Crawford e Olívia: como se conheceram, acabaram se casando e vivendo uma triste história. Após a guerra, Harry ficou se recuperando em Bangkok, Tailândia, e depois de quatro longos e insuportáveis anos de mortes, luta e poder, Harry volta à Wharton Park com um crucial segredo que jamais ele ousaria revelar pra ninguém, exceto ao seu amigo e confiável Bill Stanford. Mas isso não é tudo, naquele pequeno diário está a verdadeira história de tudo, e a verdadeira história revelada, pode abalar até mesmo as mais resistentes estruturas de uma casa.

A Casa Das Orquídeas

Vou começar dizendo que A Casa das Orquídeas me surpreendeu. Geralmente quando ponho inúmeras expectativas por um livro acabo me decepcionando, mas com este aconteceu tudo aquilo que eu não esperava. A casa das orquídeas é maravilhoso.

Alguns podem se assustar com o tamanho do livro, mas suas 528 páginas não pesam de forma alguma sobre suas costas. A leitura é rápida, a narrativa é incrível, e os personagens são mais que bem construídos.

Eu adoro livros que em certo ponto se esbarram é um ato histórico da história do mundo, pois acabamos conhecendo a opinião, os sentimentos e o amor daquela época, apesar de ser contado em uma história fictícia. E Lucinda discorre sobre isso com maestria a cada livro.

“Os três entraram na sala e Júlia se sentou em frente ao instrumento. Kit viu os olhos de Lídia se encherem de lágrimas quando as notas de abertura dos “Études”, de Chopin, escorreram sem esforço dos dedos talentosos da neta. Ele percebeu que o ciclo se fechara; cada um deles com seu próprio lugar na história que se estendera por gerações, reunidos em Wharton Park, a casa que tivera um papel importante na trama do destino que eles e outros estavam tecendo. Tudo o que restava naquele momento, Kit pensou, era um novo início para o ciclo. Ele olhou para Júlia e soube que, juntos, eles construiriam um.”

Lucinda sempre se consagra a cada livro, sua delicadeza em conduzir seus enredos é de encantar a qualquer um. Ela sabe o quer, sabe por onde deve ir e onde quer chegar, o que torna seu livro maravilhoso. Espero que vocês gostem tanto quanto eu!


Douglas Brandão
Geminiano, formado em Magistério e futuro professor de História. Mora na Bahia e louco por livros. Um pouco ciumento e orgulho. Fanático por Harry Potter e chegou a receber o apelido de "Vírgula" por sempre dar uma opinião ou comentário, porque sempre usa "Entretanto", "Contudo" e "Todavia" por ser sempre "Do Contra". Sincero ao extremo e venho para compartilhar meu gosto de leitura com vocês.
Cortesia da Editora Arqueiro
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

17 comentários em "A Casa Das Orquídeas [Lucinda Riley]"

  1. Oi, Douglas,

    Tenho certeza de que é um livro que eu iria gostar, pois apresenta uma carga intensa de sentimentos. O período histórico só contribue para uma boa formação - aparente - da história.

    ResponderExcluir
  2. Lucinda é fabulosa e meu primeiro contato com sua genialidade, foi com este livro!
    No começo me assustei não somente com o tamanho do livro,mas também com a forma da autora conduzir seus enredos. A mistura de passado e presente.
    Admito, sou lesa demais e morri de medo de ficar perdida, mas isso não acontece em nenhum momento.
    Por isso, acabei lendo outros tantos dela e tenho um na estante ainda para concluir( A Garota do Penhasco)
    Leitura mais do que recomendada!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Faz tempo que quero ler esse livro. Acho que ele traz bastante intensidade, acho que essa mistura de histórias foi bem explorada pela autora e faz o leitor ficar ainda mais curioso pra saber o desenrolar de tudo. Sem falar na personagem, que mesmo com todo sofrimento conseguiu se reerguer. Com certeza vou ler esse livro.

    ResponderExcluir
  4. Oi Douglas,
    Acho que lembro desse livro com outra capa.
    Ah, leitor que é leitor tem que encarar 500 páginas! rs, mas assusta num primeiro momento, que bom que é uma leitura rápida e bem construída. A história parece tocar fundo nos sentimentos.

    ResponderExcluir
  5. Olá! A história parece ser linda, imagino como deve ser difícil para Julia superar as perdas que ela sofreu, também fiquei curiosa para acompanhar as histórias e segredos que o diário guardam.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Douglas!
    Confesso que fiquei meio confusa com essa mistura de passado e presente, mas talvez lendo A casa das orquídeas eu entenda melhor...
    Puxa, coitada da Júlia, perder o marido e o filho num acidente de carro, estou curiosa para saber como a Luncinda Riley conduzirar isso.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Douglas!
    Tive oportunidade de ler esse livro há alguns anos atrás e foi quando me encantei totalmente pela forma como a autora escreve. Acabamos lendo duas histórias em um mesmo livro e no final, elas se unem, acho isso fantástico.
    Semaninha de luz e paz!
    “O maior problema e o único que nos deve preocupar é vivermos felizes.” (Voltaire)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA SETEMBRO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  8. Oi Douglas,
    Mesmo quando recebo milhares de indicações bem positivas de um livro, tento não criar grandes expectativas para não me decepcionar com a história. A Casa das Orquídeas é um livro que já vi boas recomendações assim como da autora, mas ainda não tive a oportunidade de conferir nenhuma de suas histórias. A trama já no início me parece bem emocionante, pois trás uma protagonista vivenciando um luto bem difícil. A autora fez dessa tragédia o começo de uma história bem maior que envolve antepassados e segredos familiares, uma combinação que promete envolver o leitor na trama. Nem sempre gosto de história que ficam intercalando entre passado e presente, mas para este livro parece funcionar muito bem. Espero ter a oportunidade de conhecer o trabalho de Lucinda, se não por essa obra por alguma outra sua que já tenha me sido recomendada.

    ResponderExcluir
  9. Oi Douglas, é maravilhoso quando vamos cheios de expectativas e elas são correspondidas, leituras assim me deixam bem animada. Mas sobre a autora eu devo ser uma das poucas, ou única rsrs, que não curte tanto as histórias dela. Tive uma experiência e não sei... não funcionou comigo, mas vou tentar de novo em algum momento. A resenha tá ótima ;)

    ResponderExcluir
  10. Olá, Douglas!
    Não faz muito que vi esse título, mas não procurei nada sobre. Não quero criar expectativas, mas estou encantada. Não é problema para mim que hajam tantas páginas. O conteúdo parece tão delicado. Gosto dessa pitada histórica e saber que é uma obra bem construída me deixa empolgada. Espero conseguir a oportunidade de ler a autora.

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Eu já vi livros da autora e pretendo muito ler, tem uma ótima premissa esse livro com uma historia de aceitar e como aceitar a dor de uma perda..Gostei muito e pretendo ler!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  12. Tenho vontade de conhecer a escrita da Lucinda Riley não é de hoje. A Casa das Orquídeas e A Garota do Penhasco são dois que chamam a minha atenção tem anos. Apesar disso ainda não realizei a leitura de nenhum deles. Sei bem como é isso, colocar uma expectativa muito grande e acabar se decepcionando, que bom que não aconteceu isso com essa história. O livro parece ser comovente. Além de mostrar personagens no passado e no presente, gerações diferentes. A Segunda Guerra Mundial sempre acaba sendo um assunto emocionante por si só e tendo uma protagonista que está de luto acaba intensificando tudo.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Douglas!
    Parece ser um livro bem interessante e já tem muito tempo que não leio nada da autora. Gosto bastante de livros que retratem um pouco da história principalmente que falam sobre A Segunda Guerra Mundial.
    Bjos

    ResponderExcluir
  14. Oi Douglas!
    Qro mto conhecer a escrita da autora...
    Eu ganhei O segredo de Helena, ainda não li, mas estou ansiosa pra conhecer, assim como este livro tbm.
    Parece ser uma história linda!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Achei o enredo bastante interessante. Por mais que esse início é bastante chocante e imaginamos que o restante do enredo seja simplesmente pesado, todo o mistério do passado que vai surgindo com esse diário e mostrando outras histórias parece ser fascinante. Fiquei muito curioso. Não conhecia o livro.

    Evandro

    ResponderExcluir
  16. Oi, Douglas
    Ainda não li nada da autora.
    Gosto muito de livros que misturam passado e presente, e ainda mais com romance.
    Espero ter oportunidade de ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Devo confessar que estou um pouco saturada de romances e histórias que ocorreram na segunda guerra mundial,pra mim funcionou por um tempo,agora parece que todas as editoras estão seguindo por esse caminho,exemplo: Darkside com a Ada do livro a a guerra que me ensinou a viver, a Rocco com os Hospedes e assim vai,estou aguardando o próximo lançamento com o mesmo tema...

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir