acompanhe o blog
nas redes sociais

11.12.18

Tudo Que Você Quiser Que Eu Seja [Mindy Mejia]

Mindy Mejia
Ed. Rocco, 2018 - 352 páginas
- "Hattie Hoffman passou os 17 anos de sua vida representando papéis – de boa filha, ótima aluna, namorada ideal. Mas Hattie espera mais do que isso da vida, e o que ela deseja acaba se tornando muito, muito perigoso. Quando a jovem é encontrada brutalmente assassinada, todos da cidadezinha onde vivia ficam estarrecidos com o crime. Logo vem à tona que Hattie estava envolvida num relacionamento com potencial explosivo. A questão é: alguém mais sabia disso? Será que o namorado de Hattie seria capaz de cometer um crime, se soubesse da traição? Ou será que o comportamento impulsivo da jovem a colocou no lugar errado, na hora errada? Com uma trama repleta de reviravoltas, Tudo que você quiser que eu seja desafia o leitor a reconhecer o tênue limite entre inocência e culpa, identidade e decepção. E fica a questão: o amor leva ao autoconhecimento ou à destruição?"

Onde comprar:

Livros que abordam mistérios, suspenses e investigações estão entre meus queridinhos. Então, ao ver a possibilidade de ler esse, não pensei duas vezes. Aceitei na hora. E que bom que minhas expectativas foram atingidas.

"Tudo o que Você Quiser que eu Seja" é um daqueles livros que tem uma premissa, até certo ponto, clichê (relacionamento amoroso entre aluna x professor/assassinato misterioso com alguns suspeitos/descoberta de atitudes não tão inocentes de personagens tidas como tranquilas), mas que prende pela narrativa simples, fluida e agradável. A autora soube conduzir bem sua história, sem ter que partir para floreios que poderiam estragar tudo. Esse foi um belo expemplo do "o menos é mais".

A trama é narrada através de três personagens e os capítulos não seguem uma ordem cronológica. O leitor vai viajando entre presente e passado e todo o quebra-cabeça vai sendo construído a cada página virada. A autora vai (des)construindo as personagens aos poucos, e vamos entendendo as atitudes tomadas por cada uma delas. O caderninho do ranço vai sendo atualizado a cada momento. Seja para acrescentar algum nome, seja para retirar (risos), e isso é ótimo, pois mostra que as personagens são pessoas reais, cheias de qualidades e defeitos, como cada um de nós.

"...Geralmente isso funcionava muito bem com meus pais. Ao admitir uma coisa ligeiramente negativa, eu conseguia deixá-los cegos para qualquer outra possibilidade de mau comportamento. E, mesmo que eles tivessem alguma outra desconfiança, era provável que ela se encaixasse na mesma relação de coisas que eu poderia fazer agora que tinha completado dezoito anos - fazer uma tatuagem ou comprar cigarros. Dormir com meu professor de inglês, casado, era algo tão fora do radar que chegava a ser ridículo." Página 192

Chega um momento da leitura em que você começa a ter vários questionamentos: Até que ponto você deve ser aquilo que os outros querem que você seja? Realmente vale a pena você ter "múltiplas personalidades" para agradar os outros? E essas perguntas foram tomando uma proporção bem interessante ao ponto de começar a perceber que nem sempre uma pessoa se molda para agradar os outros. Ela também pode fazer isso em benefício próprio. Mas lembrando que essa foi apenas uma visão minha.

Mindy Mejia

"...Você diz que é só teatro, mas está se fragmentando em milhares de pedaços; e, cada vez que vejo mais um pedaço, você some de novo. Você se transforma em outra pessoa, numa multidão de outras pessoas, e isso me leva a perguntar se existe alguém que possa se chamar Hattie Hoffman. Todo esse caso poderia ter sido uma alucinação minha." Página 235

Alguns trechos me incomodaram bastante devido ao excesso de descrição de cenas. Eu, como uma pessoa um pouco dispersa, tive que recomeçar alguns trechos, pois acabava perdendo o fio da meada (risos). Achei também que alguns capítulos poderiam ser um pouco menores.

Outra coisa que não me agradou foi a resolução da investigação. Achei que ela foi entregue de mão beijada. Fico imaginando que tipo de criminoso guarda/esconde as provas de um crime que ele cometeu? Não seria mais fácil destruí-las?

Em relação a parte gráfica, a Rocco mandou bem como sempre. A capa é interessante e a parte interna também está agradável aos olhos. Não encontrei erros.

Finalizo a resenha indicando aos amantes de um suspense psicológico bem desenvolvido, mas que perde um pouco de sua força devido aos excessos de descrições e a fácil resolução da investigação.

Link do livro no Skoob: https://www.skoob.com.br/livro/803360ED808050


Nardonio Almeida
Pernambucano, formado em Artes Cênicas e apaixonado por teatro e livros. Descobriu-se leitor depois de um empurrãozinho de uma amiga. Virginiano, pé no chão e que adora a calmaria. Leitor de quase todos os gêneros literários. Afinal, quando a trama é boa, o gênero é o que menos importa.
Cortesia da Editora Rocco
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

17 comentários em "Tudo Que Você Quiser Que Eu Seja [Mindy Mejia]"

  1. Oi, Nardonio,

    Essa intercalação de pontos de vistas facilita - para o leitor - o desenrolar e entendimento de todo o mistério. Impulsiona o leitor a querer mais e mais.

    Toda a história parece não ter pontas soltas. Já era um livro que eu queria ler, agora, mais ainda.

    ResponderExcluir
  2. Olá, também gosto bastante de obras do gênero, e como o meso é bastante saturado é raro encontrar uma premissa realmente original. Nesse livro, contudo, a boa escrita minimiza esse fato e torna o cliché extremamente agradável de acompanhar. Essa sacada de não seguir uma passagem de tempo linear também contribui para que o leitor fique mais entusiasmado para continuar a história em busca de respostas. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Eu já penso que iria adorar um livro assim!rs
    Adoro detalhes e mesmo que também seja dispersa,adoro essa viagem da imaginação nas cenas e personagens.
    Amo o gênero e se isso trouxer também uma pontinha de verdade, melhor ainda!
    Um bom suspense psicológico escrito de tal forma que prenda o leitor, é fascinante e a Rocco sempre arrasa em suas edições.
    Lista de desejados com certeza.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Nardonio,

    Eu já tinha visto esse livro, mas não sabia muito sobre ele. Agora fiquei com muita vontade de ler, isso de suspense, de investigação, e descobrir quem matou, me deixou bem empolgada.

    ResponderExcluir
  5. Livros que abordam mistérios, suspenses e investigações não estão entre os meus queridinhos. Haha...
    Confesso que essa capa não me agrada, acho que poderia ter sido mais trabalhada.
    As personagens parece que foram bem construídas, até faz com que o leitor fique em dúvida, mas acho que a narrativa deixou a desejar.
    A mensagem é muito boa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Nardonio!
    Caderninho do ranço? Adorei hahaha.
    Eu super amo esse estilo de livro mas gosto mesmo é do desafio de descobrir quem é o assassino. O fato disso ser entregue de mão beijada tirou todo o encanto da obra. Realmente guardar as provas do crime é burrice demais! Mesmo assim eu ainda encararia a história devido às mensagens relacionas à mudança de comportamento para agradar (ou não) os outros. Acho que isso é o ponto forte de Tudo que você quiser que eu seja.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Nardonio,
    Também curto mistérios, suspenses e investigações, sempre acabo buscando algum livro do gênero.
    A fácil resolução não é um ponto forte, mas por ser suspense psicológico continua chamando minha atenção, a parte não linear na construção dos personagens é interessante.

    ResponderExcluir
  8. Olá! O enredo é muito interessante, a maneira como todo o livro é conduzido parece ser incrível, acompanhar personagens com características tão humanas vai tornar a leitura ainda mais especial, uma pena que a conclusão do suspense não tenha sido tão satisfatório assim.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Naedonio
    Amo livros de suspense, investigações, mistérios, enfim um prato cheio pra mim.
    Já tinha visto a capa desse livro, mas não sabia do que se tratava. Sua resenha é a primeira que leio, claro que amei a trama.
    Bom um assassino que guarda as provas do crime gosta mesmo de um suvenir da vítima, devia ser obcecado por ela.
    Espero ter chance de ler o livro, obrigada pela dica mais um para lista.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. A sinopse logo de cara já me deixou bem instigada a ler este livro. Achei interessante o fato da narrativa ter três pontos de vistas diferentes, porém confesso que fico com um pé atrás sobre isto, pois não costumo ler livros com mais de um personagem narrando. Talvez eu fique um tanto frustrada pela resolução fácil do crime, gosto de casos um tanto mais complexos e surpreendentes. Entretanto, acho que ainda vale a pena embarcar nesta leitura.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Amo livros de suspense a resenha me lembrou do livro Quem era ela...não gosto de livros narrados por vários pontos de vistas isso me incomoda muito,gosto de algo mais objetivo,gosto da profundidade do relato do personagem,quando são vários personagens narrando o ponto de vista é como se a história do personagem principal fosse roubada,não sei se você me entende...

    ResponderExcluir
  12. Esse tipo de livro, com suspense e investigação, também é o meu queridinho. Mesmo com o excesso de descrições para mim não seria um problema. É uma pena que a resolução do caso tenha sido entregue de mão beijada. Mas mesmo isso não me tira a vontade de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Nardonio!!
    Também curto muito livros com a premissa da história que contem muito mistério, suspense e investigação de quem matou e por quê. E é uma pena que o autor entregou de "mão beijada" a resolução da investigação e ainda colocou excesso de descrição na história.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  14. Oi, Nardonio!
    Também gosto de livros que abordam mistérios, suspenses e investigações, mas o último que li deixou bastante a desejar... Contudo, fico feliz em saber que Tudo que você quiser que eu seja alcançou suas expectativas.
    Prefiro mil vezes "o menos é mais", ele com certeza tem mais possibilidades de nos contentar, não é mesmo?!
    Confesso que não gosto de excessos de descrição de cenas, narrativas descritivas me cansam, e por coincidência no último livro que citei acima o criminoso também guardava as provas do crime que ele cometeu rsrs.
    Enfim, Tudo que você quiser que eu seja não um livro que me chamou tanto a atenção, mas se surgir a oportunidade de ler arriscarei a leitura sim, quem sabe eu acabe me surpreendendo positivamente?!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  15. Oi Nardonio,
    Depois que descobri os thrillers, fico ansiando por recomendações de gênero. A premissa do livro é mesmo clichê, mas, ainda assim, consigo ver alguns pontos de destaque. Os questionamentos que o livro aborda são a realidade de muitas pessoas, pois muitos vivem assim, mudando suas personalidades para agradar ao próximo. A única questão disso é que você corre um sério risco de perder sua identidade verdadeira e a troco de quê? A forma de narrativa me lembrou dos livros da Liane Moriarty e acho que para esse tipo de trama funciona muito bem. O desfecho me parece que faltou ser melhor desenvolvido, mas isso não me deixou menos curiosa pela obra.

    ResponderExcluir
  16. Eu tinha uma mente Tenho ficado meio saturada de romances policiais basicamente porque eles tem me Decepcionado muito em questão de serem muito previsíveis então mesmo que esse livro aparência interessante o fato de você ter mencionado que ele não foi também desenvolvido de algo para que me faça querer evitar essa leitura

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir