acompanhe o blog
nas redes sociais

9.3.20

A Sala das Borboletas [Lucinda Riley]

Lucinda Riley
Cortesia da Editora Arqueiro

Sei que vocês já estão cansados de tantos elogios que dou a Lucinda Riley por aqui. Acontece que realmente ela é isso tudo que falo. Principalmente se você curte livros mais densos e dramáticos que envolvem laços familiares, verá que livros da Lucinda são um prato cheio.

A Sala das Borboletas
Título: A Sala das Borboletas
Autor: Lucinda Riley
Tradutor: Alves Calado
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance
Páginas: 496
Edição:
Ano: 2019
Favorito
Onde comprar: Amazon

Em A Sala das Borboletas iremos mergulhar nos dramas de Posy Montangue e toda sua família. No tempo presente, Posy vive o dilema de vender Admiral House, casa cheia de recordações de sua infância e de seu amado pai. Fora isso, Posy ainda tem que lidar com seus dois filhos que estão retornando para sua vida na mansão.

“Eram totalmente opostos, claro: Sam, muito confiante e Nick, introspectivo. Como um fio de seda tecido ao longo das décadas desde a infância, a vida dos dois estavam conectadas, embora os tivesse levado em direções contrárias.”

Sam sempre fora o mais distante para Posy. Sempre decidido a querer começar seu próprio negócio, mas tudo que tentava fracassava, e agora retorna provavelmente para querer mais dinheiro da mãe. Nick, o mais chegado a mãe, retorna após uma desilusão amorosa. Como dizer aos filhos que decidiu vender Admiral House? A verdade é que há muito a casa estava precisando de reformas, porém os gastos para mantê-la estavam ficando maiores e Posy não tinha mais dinheiro.

“-É. É o amor que faz a magia acontecer na vida, Posy. Mesmo no dia mais sem graça, nas profundezas do inverno, amor pode fazer o mundo se iluminar e parecer lindo como agora.”

Em paralelo acompanhamos os caminhos que a vida de Posy seguiu no passado para se tornar a pessoa de hoje. Sua infância havia sido fantástica ao lado do pai. Os dois tinham o interesse de procurar espécies de borboletas para cuidar. Isso deixava Posy encantada. Até que o pai foi chamado novamente para guerra em 1943. Se despede na esperança de voltar, mas fica evidente que não mais voltaria. Fora criada então por sua avó na zona rural, pois sua mãe não dera importância para ela, até se formar e se casar.

“O ar estava parado e não havia brisa entrando pela minha janela aberta. Ouvi o ribombar de um trovão a distância e esperei que Daisy tivesse se enganado e que Deus não estivesse com raiva da gente. Eu nunca consegui definir se Ele era o Deus raivoso de Daisy ou o Deus gentil do vigário. Talvez Ele fosse como um pai ou uma mãe, e pudesse ser as duas coisas ao mesmo tempo.”

Aos 70 anos, seu mundo vira de ponta cabeça quando Freddie, seu primeiro amor, retorna com um segredo e tentando explicar porque a abandonara a muitos anos.

“Apoiou-se no parapeito, olhando as ondas suaves quebrarem na areia, e se lembrou da agonia pura que sentira na última vez que estivera ali. Sim, ele a amara. Talvez nunca mais amasse assim, e em retrospecto rezava para que não. Tinha percebido que aquele tipo de amor não era uma força do bem: era avassalador, destrutivo, abarcava tudo.”

É impressionante como Lucinda se torna fenomenal a cada livro. Sempre voraz e com temas tão pertinentes e únicos. Sua impressão no mundo literário será sempre marcada pela construção de personagem tão maduros e reais.

Assim como os outros livros, os capítulos são alternados entre passado e presente, com diferencial que acompanhamos Posy em diversas fases até chegar na terceira idade. Passamos de sua infância, onde a vemos como uma garotinha apaixonada pela e vida e seu pai, passando para uma adolescente cheia de sonhos e amores, até uma fase adulta com decisões, arrependimentos e escolhas. O que nos faz ter uma perspectiva sempre ampla, não apenas da protagonista, como nos faz olhar para o nosso interior e nos avaliar com indagações sobre nossos erros e acertos. É de arrepiar!

Posy é a protagonista principal, porém a autora ainda dá destaque sobre a vida de Sam e Nick, sobre seus relacionamentos e desenvolvimentos pessoais. Sempre é bom ter uma visão panorâmica sobre tudo o que ocorre e como nossas atitudes influenciam sobre a vida de outras pessoas. Gostei como isso foi colocado e como tudo se encaixou de forma leve e madura.

A narrativa sempre forte de Lucinda nos deixam boquiabertos com tanto talento. É incrível como ela consegue dar voz a um enredo tão bem construído que se comunica entre si.

Sempre faço questão de citar os dois livros que mais me marcaram da autora, que são A Casa das Orquídeas e A Luz Através da Janela, e digo que A Sala das Borboletas se superou em relação aos dois. Mas vou deixar os três no mesmo patamar.

Espero que algumas das minhas resenhas tenham incentivado vocês a lerem pelo menos um livro desta autora incrível, pois vocês não vão se arrepender. São livros excelentes, leiam! Boa leitura!

comentários pelo facebook:

16 comentários em "A Sala das Borboletas [Lucinda Riley]"

  1. Li com um carinho imenso essa resenha e estou aqui, olhando para o meu livro ali na estante. Sou fã assumida das letras da Lucinda e este livro será uma de minhas próximas leituras.
    E agora mais que nunca, tenho a certeza absoluta que amarei viajar entre o passado e o presente de Posy!
    Esse jeito da autora nos jogar dentro do enredo é maravilhoso.
    Já fiquei feliz!
    Lerei!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. A cada resenha sobre a Lucinda me dá mais e mais vontade de conhecer os livros dela.
    Adoro quando passado e presente estão interligados e juntos contam uma bela história.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Pelo contrário, essas resenhas aumentam, ainda mais, minha curiosidade em conferir as histórias da autora, ainda mais esse, que nos presenteia com a jornada de vida de uma personagem bem experiente, que pelo visto tem muito a nos contar.

    ResponderExcluir
  4. Olá Douglas!
    Meu primeiro contato com a escrita da autora foi com A Carta Secreta, e confesso que não me agradou muito. Porém nunca li nada tão profundo como esses títulos que você citou, e muitas pessoas gostam muito das histórias da Lucinda. É incrível essa viagem no tempo por todas as fases de vida da personagem, fiquei muito curiosa com o retorno desse amor do passado. Sem falar que a relação de Posy com o pai e as borboletas encantam por si só. Vou colocar A sala das borboletas na lista de leituras.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Douglas
    Suas resenhas dos livros de Lucinda só faz aumentar minha vontade de ler algo da autora.
    Por sua resenha percebo que a autora tem um dom de escrever relações familiares e amorosas incríveis que prende o leitor.
    Vai para a lista de desejos, beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá Douglas!
    A escrita da Lucinda Riley é única! A autora possui um talento singular para construir tramas que cativam o leitor, e essa estratégia de trabalhar o personagem ao longo do seu amadurecimento faz com que o leitor se aproxime e presencie com vivacidade os acontecimentos.
    Posy e os demais personagens entregam a mensagem de que tudo possui consequências, e às vezes algo que aconteceu há muito tempo atrás retorna para mudar completamente nossas vidas.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Douglas!
    A Lucinda é uma das autoras contemporâneas que mais gosto, todos os livros dela que li me transportaram para outra época, ao mesmo tempo, me fazem vivenciar os dramas familiares elaborados em seus livros.
    Já quero poder acompanhar a saga de Posy e sua família.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Ah, não me canso de ler elogios a essa autora maravilhosa!
    Amei sua resenha, me deixou com mais vontade de ler esse livro. Parece muito, muito bom.
    Gosto muito dela intercalar entre passado e presente.
    Ansiosa para ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Douglas,
    Apesar de muito já ter ouvido falar sobre as obras de Lucinda Riley, ainda não tive a chance de conhecer sua escrita. A Sala das Borboletas tem aquele tipo de trama que me instiga e me encanta, onde se pode acompanhar a vida inteira de um personagem durante diversas passadas de tempo. Posy trás muita realidade a trama, uma mulher que já vivenciou muitas coisas e que, mesmo aos 70 anos, ainda terá mais surpresas para encarar. Mesmo sendo uma história com elementos simples, consigo ver como cada um foi bem desenvolvido. Uma história de vida bem escrita e construída para encantar e envolver o leitor. Algo assim só é possível se o autor souber como desenvolver e trabalhar cada elemento proposto, uma característica que, ao que parece, Lucinda tem de sobra. Este é mais um livro da autora que me chamou atenção e espero poder realizar esta leitura o mais breve possível.

    ResponderExcluir
  10. Oi Douglas,
    Senti uma dor ao ler essa resenha, uma garotinha que perde o pai, que é criada pelos avós na zona rural e que em algum momento da vida tem que vender seu lar, puxa, isso realmente é doloroso. Parabéns, conseguiu despertar o interesse pela história, não nesse momento que procuro leituras mais leves e fluidas, mas certamente irei me solidarizar pela Pusy, vou anotar essa dica para um leitura para me auto avaliar.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Eu adorei A Casa das Orquídeas e A Luz através da Janela, e ja estou louca de vontade de ler A sala das borboletas. A a escrita da Lucinda sempre me surpreende. Gosto de toda essa trama familiar que envolve a base desse livro. E a capa desse livro está maravilhosa. Depois dessa resenha o livro ja esta na minha lista de futuras leituras, haha.

    ResponderExcluir
  12. Amo conflitos familiares,nunca li nada da Lucinda,no momento estou tentando não comprar mais livros,mas você não facilita,amei a resenha.

    ResponderExcluir
  13. A história do livro parece ser maravilhosa, cheia de dramas, mas que poderia muito bem ser contada por uma conhecida, o fato de termos como personagem principal uma mulher já tão vivida também parece ser ótimo.

    ResponderExcluir
  14. ola ainda não li nenhum livro dessa autora mas já tenho tres livros dela
    o ultimo que comprei foi a casa das orquideas porque só vi comentarios super positivos sobre ela
    esse autora só recebe elogios e quero ler muito ler os livros dela
    o proximo livro dela que for comprar sera esse que voce resenhou tão bem




    ResponderExcluir
  15. Oi Douglas,
    Ah sim, sempre que vejo algo da Lucinda Riley, os elogios acompanham.
    Ver a história de Posy em diferentes fases da vida, entrelaçando passado e presente, já dá pra sentir o tom emocionante.
    E a Sala das Borboletas se superou em relação aos outros? Hum, vou guardar essa dica.

    ResponderExcluir
  16. Não tiro a razão em elogiar a autora, realmente seus livros são fantásticos. A Casa das Orquídeas foi demais, e por isso quero ler todos os livros que ela escreve. A sala das borboletas parece ser muito interessante, mais um livro para eu ler.

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir