acompanhe o blog
nas redes sociais

3.3.12

Cem Anos de Solidão [Gabriel García Márquez]

Ed. Record, 1967 – 448 páginas:

        Lançado em 1967, Cem Anos de Solidão é tido, por consenso, como uma das obras-primas da literatura latino-americana moderna. O livro logo tornou o colombiano Gabriel García Márquez (1928) uma celebridade mundial; quinze anos depois, em 1982, ele receberia o Prêmio Nobel de Literatura.

Cem Anos de Solidão é uma leitura obrigatória, por ser tão famoso, comentado e considerado um dos melhores livros de literatura latina já escritos.
Eu particularmente o li duas vezes, não porque gostei muito, mas sim porque na primeira vez não entendi nada. Não tenho vergonha de dizer isso. Alguns livros não são simples e precisamos de mais de uma leitura para absorver um pouco da obra. Era bem nova quando o li pela primeira vez e na segunda acho que a maturidade me ajudou um pouco a entendê-lo.
É até difícil comentar sobre esta obra, composta de personagens tão surreais (que chegam até a sétima geração e tem os mesmos nomes), com uma linguagem repleta de metáforas, misturando o real e o fantástico.
Então como mera leitora que sou diante de uma obra tão estudada, só posso dar minha singela opinião: Leiam, pois a história apesar de maluca é muito interessante, te prende e por trás de cada linha escrita existe um significado histórico. E caso precisem, na internet tem muito material de estudo sobre o livro, que podem ajudá-lo a entendê-lo.
Boa Sorte.

Obs: Quase que coloquei este livro na minha lista de TOP 10.

Sinopse:

O autor narra a incrível história da família Buendía, uma estirpe de solitários que habitam a mítica aldeia de Macondo. A narrativa desenvolve-se em torno de todos os membros dessa família, com a particularidade de que todas as gerações foram acompanhadas por Úrsula, uma personagem centenária e uma matriarca das mais conhecidas da história da literatura latino-americana.


comentários pelo facebook:

16 comentários em "Cem Anos de Solidão [Gabriel García Márquez]"

  1. Este é simplesmente o MELHOR livro que já li em minha vida! Sou fã incondicional de García Márquez, ele é O cara! hehehe
    Ah, nunca tinha visto esta capa, gostei! Eu tenho uma edição antiga também, mas há uns 2 anos comprei a edição especial de aniversário com uma nova tradução e vem com a árvore genealógica (não sei se em alguma edição passada já estava incluída, achei realmente útil).

    Bj
    escrevendoloucamente.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nunca tentei ler esse livro, lógico que já ouvi falar sobre ele, mas nunca me interessei um pouquinho a mais para ler, agora vou ver se consigo adquiri-lo e acrescenta-lo a minha lista de leituras *--*
    Beijos,K.
    Girl Spoiled

    ResponderExcluir
  3. Quando comecei a me interessar por livros mais "adultos", mas ainda era mais jovem eu justamente não li "Cem anos de solidão" por achar que seria um livro complicado e tal. O tempo foi passando e acabou caindo no esquecimento. Tanto que ainda não o li. Achei sua opinião bem sincera e concordo com você: alguns livros precisam de maturidade para que possam ser apreciados e isso não necessariamente tem a ver com idade cronológica. Enfim, obrigada por me lembrar desse clássico. Com certeza vai para minha lista de leituras obrigatórias.

    ResponderExcluir
  4. Considero este livro um dos melhores que li até hoje. Estou em crer que o livro é tão rico que mesmo após 10 leitoras descobria-mos sempre novos pormenores.
    Deixo aqui o sugestão que fiz do livro:
    http://sugestaodeleitura.blogspot.com/search/label/Cem%20Anos%20de%20Solid%C3%A3o

    ResponderExcluir
  5. Pessoal, não sei se me expressei bem, mas também adorei o livro (mas só na segunda leitura) e acredito que uma terceira ainda se faz necessário, pois como o Tiago disse, é um livro que a cada leitura vamos descobrir novos detalhes. Como ele não entrou na minha lista de TOP10, acho que fica no TOP11 (Fazer esta lista de 10 melhores é mesmo muito difícil.)

    ResponderExcluir
  6. Em alguns momentos eu sinto que preciso ler esse livro o quanto antes hahah
    Muita gente fala do Gabriel García Márquez e como eu só conheço de nome, me sinto "perdida" :s
    Vou ler assim que possível e espero entender alguma coisa hahah :))

    ResponderExcluir
  7. Querida Gi, realmente é necessária uma certa bagagem cultural e mais ainda de vivência para entender o realismo fantástico de Márquez. O livro a uma primeira leitura parece mais algo contado por alguém com um sério distúrbio de personalidade ou sob o efeito de um entorpecente qualquer. Várias gerações com o mesmo nome faz a gente retornar ao ponto de partida a cada personagem homônimo.
    O livro é tão complexo que me fez embarcar em termos filosóficos hé muito esquecidos, tal como "A lei do eterno retorno" de Nietzsche. Mas antes de ler este clássico o que mais me chamava a atenção era a inimizade entre dois ícones da literatura latina - Márquez e Vargas Llosa, motivada por questões políticas e, talvez, questões pessoais (o amor a uma mesma mulher). Bem isso tudo já era um prato cheio pra que eu procurasse este livro. Fora o fato de ele já ter ganho o prêmio Nobel.
    Pois bem, li uma vez, li duas vezes e provavelmente lerei outras inúmeras vezes. Não há como explicar o deleite, sendo junto a "Memorial do convento" de Saramago (pelo realismo fantástico) e "A cidade ausente" de Ricardo Piglia (pela profundidade e questionamento político) o livro que mais me fez estudar sobre regimes políticos, psicologia, filosofia e tudo o que nos abarca como cidadãos e seres pensantes.
    Tiro o chapéu para esta leitura. Não é nada fácil, mas nos faz questionar sobre o real valor de nossa mísera existência.

    ResponderExcluir
  8. Falando agora com minha mãe sobre este livro, e la disse que já tinha o lido na infância/adolescência e a mesma tinha mudado o jeito dela ver o mundo. E com esta resenha sua e a exemplificação do Rodolfo, agora é que eu vou ler mesmo.

    ResponderExcluir
  9. Oi Gi, ai eu sou doida pra ler este livro, que é um clássico né?
    Mas eu sempre acabo colocando alguma outra leitura antes dele e aí vai indo e eu acabo não lendo nunca ;~

    Ahhh flor, deixa eu comentar sobre o layout novo, tá LINDAO hein?! Adooorei!

    Beeeijocas!
    Rapha ~Doce Encanto

    ResponderExcluir
  10. Também tive que quer Cem Anos de Solidão duas vezes. Na primeira vez me senti muito perdida, eu tinha 15 anos e a professora de literatura achou que seria uma boa ideia a turma fazer um trabalho sobre Gabriel Garcia Marques... bem, minha primeira impressão não foi das melhores. Como você disse, acho que não tinha maturidade pra entender... Depois de muitos anos ganhei o livro de um amigo e resolvi ler de novo. O livro me tocou de uma forma completamente diferente... O tempo muda muita coisa na gente.

    ResponderExcluir
  11. Tentei ler uma vez, e realmente não consegui, achei muito arrastado, mas ainda vou tentar mais uma vez! =]
    É um livro muito considerado por todos, e não posso morrer sem lê-lo heheh ;D
    Gi como você consegue fazer um top10 :O
    Eu nunca vou conseguir hehe.

    ResponderExcluir
  12. olha, também tenho esse livro na minha estante (só resenha de livro que eu já tenho heim) heaehuheauheu
    ele veio de uma maneira, humm... não muito licita. Minha mãe tem uma ong, e nela tem uma biblioteca que recebemos doações, eu vi esse livro lá... uma edição antigaaaa, lembrei (se não me engano) que ele está no 1001 livros, e peguei ele ahhahaha ( commmm a mente criminosa de troca-lo no skoob) *você está presa em nome da lei* ;o
    ai o livro tadinho, tava todo abacadinho, fiz uma restauração nele...e não consegui troca-lo...mas acabei criando uma afeição por ele, e desde então ele esta ali na minha estante, esperando o momento de ser lido.
    Essa nova edição está com uma capa lindaaaaaa de morrrer heim!! Mas então, os autores latinos tem essa coisa do misterio, do surreal, que as vezes remete a quase uma auto ajuda, com mensagens e tal e na maioria das vezes, bem complexo de se ler. (vide carlos castaneda)....eu to escrevendo demais? haeuhaeuhuhehea

    ResponderExcluir
  13. Ah, lindooooooooooooo! Bom, seeu tenho essa opinião aos 16, espro ler novamente na maturidade e conseguir agregar mais adjetivos... kkkkkkkkkkk Na verdade, eu o só peguei para ler por causa de uma dinâmica escolar referentes a autores q ganharam o nobel, mas acabei me apaixonando! Pode parecer uma comparação sem pé nem cabeça mas, nas entrelinhas, eu senti a mesma coisa de quando li "o pequeno principe", com alguns trechos querendo dzer muito muito mais...
    Adorei sua resenha... não conhecia esta capa!!

    ResponderExcluir
  14. Ah, lindo! Bom,adorei o livro e sua resenha quero ter!!!!!!!

    ResponderExcluir
  15. Ah, lindo! Bom,adorei o livro e sua resenha.

    ResponderExcluir
  16. Histórias malucas, linguagem complicada e personagens surreais. Isto teria tudo para dar muito errado. Mas com a competência do autor, a coisa muda de figura.
    Ainda não li CEM ANOS DE SOLIDÃO, mas não me falta vontade.
    bjs

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir