acompanhe o blog
nas redes sociais

19.8.14

Arma de Vingança [Danilo Barbosa]

Ed. Literata, 2013 - 206 páginas:
      Como uma deusa cruel e vingativa, destruirei todos que estiverem em meu caminho... O que você seria capaz de fazer por vingança? Suportaria uma vida cercada de mentiras, traições, dores, crime e morte? Ana sobreviveu. Pagou o seu preço com marcas que o tempo nunca será capaz de apagar. Deixou para trás toda a inocência de criança para dar lugar a uma mulher fria e calculista, disposta a ser a perfeita arma de execução contra aqueles que tentaram destruí-la. Para conseguir os seus objetivos, não terá limites: irá mentir, enganar, seduzir e trair... Sem remorsos ou pena daquele que um dia julgou amar. Prepare-se para ouvir a história de Ana. Caminhe na tênue linha entre a paixão e a obsessão e veja como até os príncipes encantados tem o seu lado sombrio. Afinal, esta não é uma história de amor. 

Onde comprar:

Só a morte pode punir

Uma das leis mais antigas existentes é a lei de talião ou pena de talião, presente no Código de Hamurabi, 1780 a.C., que consiste na rigorosa reciprocidade entre a pena e o crime, é o princípio do “olho por olho, dente por dente”. É a vingança do Estado, uma justiça equilibrada, mas nem sempre justa.

O saudoso Don Vito Corleone em “O chefão” de Mario Puzzo, já aconselhava seu filho Michael — “a vingança é um prato que se come frio”. Sim, é a vingança preparada com calma, frieza, esperando-se o momento ideal, sem que o inimigo possa reagir. É a forma mais eficiente.

Em Arma da vingança (Literata, 205 páginas), o autor nos envolve lentamente, detalhando cada personagem, tecendo a teia que irá culminar num bizarro triângulo amoroso. A jovem e batalhadora Ana, sempre rodeada de amigos; o ex-namorado Rambo, violento e marginal; e por fim Ricardo, belo, charmoso e desequilibrado. Todos são, cada um à sua maneira, a personificação da morte e vocês entenderão o porquê.

De cara o capricho editorial nos chama a atenção e mais que isso a frase confessional nos coloca em estado de alerta:

“Já vou lhe avisando: esta não é uma história de amor...”

Pronto, fomos capturados, enredados. Ana observa seu anjo da guarda, Rafael, deitado na cama e começa a rememorar seus dias mais sombrios:

“Mergulho em um denso lago, rubro e revolto como sangue. Tento não afundar, mas é em vão. O ar me falta e a consciência vai sumindo, lentamente. Sei que não tenho mais chances de sair dali.”

Ana está retomando sua vida, após a separação traumática de seu ex-namorado Rambo. Ele não irá deixar barato, mas ela vai superando com a ajuda de inúmeros amigos. E o destino resolve ser pai novamente e lança em sua vida alguém que irá forjá-la a ferro e fogo — Ricardo:

“O beijo veio esfomeado, longo e acelerado, como estava programado para acontecer. Bocas em combustão e meu coração explodindo com o contato do corpo dele junto ao meu.”

O mesmo destino que um dia fora pai, pode se tornar padrasto e aí uma história de amor, pode se tornar de terror. Ricardo esconde segredos:

“Se alguém me perguntasse por que sou assim, iria responder: ‘Você já perguntou a um escorpião por que ele fere? Por que o verdadeiro predador brinca com seu alimento e o tortura antes de abatê-lo?’
Essa é a minha natureza. Ter o poder de possuir vidas em minhas mãos é o que me dá o verdadeiro prazer. Não conheço amor, ódio, indiferença. Não sinto essas coisas. O que eu sinto e reconheço é força, poder e obediência. E não hesito em destruir quem atravessa o meu caminho.”

Como bom escorpiano que sou cresci com isso em mente — a vingança reside no DNA de todo escorpiano, é de sua natureza. É claro que não devemos misturar as coisas, mas essa analogia nos serve para poder observar de um ângulo inusitado a mente de alguém que não conhece ou não se importa com a diferença entre o bem e o mal.

“Psicopatas são predadores sociais charmosos, manipuladores, que brutalmente abrem seu caminho através da vida, deixando atrás de si uma extensa trilha de corações partidos, esperanças destruídas e carteiras vazias”. Por Robert D.Hare, um dos maiores especialistas em psicopatia, citado por Ilana Casoy. Não coloquei essa citação à toa, é apenas para vocês perceberem aonde irão se meter na leitura deste livro.

A partir de sua metade o livro torna-se vertiginoso, uma montanha russa toda queda-livre, como se isso fosse possível, um Niágara literário de tirar o fôlego:

“Não podia me render tão fácil. Esperei seus lábios roçarem os meus e bati o martelo com força na sua têmpora. Ele levou a mão aos olhos, meio tonto, e caiu no chão.”

A triste realidade de um animal ferido fundo. Será que alguém conseguirá demovê-la de seu intento de vingança? Encontrará paz de outra forma?

“Já estava na hora de parar de me comportar como uma criança e ser uma mulher. O amor nos enfraquece, os relacionamentos nos aprisionam.”

Frases como essa nos coloca em cheque, fazendo-nos repensar a vida, os amores, o relacionamento. Como um Sheldon tupiniquim, Danilo Barbosa, quem sabe em um “dia de fúria”, destila todo veneno, todo rancor à sua personagem principal. O autor gosta de nos subjugar e o faz através de Ana. Somos obrigados a questionar seus métodos, suas ações — os fins justificam os meios?

“Eu estava disposta a ver o sangue rolar. Sabia que iria enganar a todos, mentir, trair e magoar. Acabaram-se naquele dia os meus limites e pudores. A vingança estava à solta...”

Quando Danilo Barbosa me disse que iria se afastar do blog “Literatura de Cabeça”, que aglutina grande parte de minhas resenhas, para dedicar-se a sua grande paixão — escrever livros, parir mundos — eu gelei! Há dentro de tudo o que escrevo minhas ideias e inquietações, então me vi meio sem chão, como se elas fossem de alguma forma desaparecer.

Hoje, digo de coração — por que demorou tanto, meu amigo? Quero mais livros seus, quero beber de seu talento até me afogar. Não quero paz, quero a ansiedade, um mergulho insano por suas personagens, nunca nos prive disso!

“Ouvir aquela voz me deu a certeza de que agora não havia mais como voltar atrás. Sorrindo, respondi com a voz mais sexy possível ao chamado da morte.”

Em seu livro de estreia, Danilo Barbosa nos traz uma história avassaladora, um livro saboroso de se ler, como a própria vingança. Viciei nessa adrenalina, quero mais reviravoltas, quero montanha russa no estômago, quero desconforto na espinha, quero sangue!




Ciumento por natureza, descobri-me por amor aos livros, então os tenho em alta conta. Revelam aquilo que está soterrado em meu subconsciente e por isso o escorpiano em mim vive em constante penitência, sem jamais se dar por vencido. Culpa dos livros!

*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

20 comentários em "Arma de Vingança [Danilo Barbosa]"

  1. Comecei a ler a sua resenha sem muitas expectativas e confesso que terminei em um estado bem diferente. Quero muito ler esse livro!
    A trama parte de uma premissa muito envolvente, mas o ponto alto, ao meu ver, é a narrativa. O autor parece ter sido capaz de capturar o leitor com seus jogos de palavras e com uma construção exímia dos personagens.
    A vingança e o clima meio "sombrio" dão um toque especial à trama e também um diferencial positivo.
    Expectativas altíssimas agora. E aquela "quase-certeza" de que não vou me desapontar!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Fiquei encantada com o livro, Rodolfo. Estudei sobre o Código de Hamurábi na faculdade, além de outros Códigos também. Lembro que tinha uma parte que o rei falava que cobria seu trono com a pele que ele esfolava de quem cometia algo delito.
    A história é bem atraente e, ainda mais, por não se tratar de um romance. Gostei dos quotes escolhidos, em especial a que retrata sobre o escorpião.
    Quero ler o livro, sem dúvida.

    ResponderExcluir
  3. Apesar de não gostar da temática, livros assim me despertam medo, fiquei encantada com sua resenha e com o enredo! Talvez, se nao houvesse tanto temor de minha parte, adoraria ler esse livro, ja que histórias assim nos prende e nos fascinam. Quem sabe mudo de idéia e me aventuro nessa história!

    ResponderExcluir
  4. Que resenha maravilhosa! Eu só precisava dela para me interessar pelo livro, mas além disso existe a temática, a capa muito bem feita, a história envolvente. Com certeza entrou para a minha lista de desejados, já estou doida para descobrir todos os mistérios do livro. Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  5. Depois dessa resenha tem como não querer esse livro? Não. Eu fiquei deslumbrada com o tanto de elogios, montanha russa toda em queda livre e um Niágara literário, além de tudo isso, fica claro que não é uma história de amor, eu simplesmente fiquei encantada.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito da sua resenha, ela me deixou até com vontade de ler o livro, mas não consigo ler histórias com esse tipo de violência, por isso não vou nem tentar lê-lo.

    ResponderExcluir
  7. Rodolfo!
    Senti um choque também quando o Danilo falou que o blog seria extinto porque ele iria se dedicar ao que mais gosta: escrever, entretanto, passado o momento inicial, sabia que ele estava fazendo o certo.
    Já tive oportunidade de ler a obra do Danilo e como em grande estilo, traz um enredo tenso, intenso e pesado, porém totalmente prazeroso ao final.
    Sucesso Danilo!
    E que linda resenha, palavras verdadeiras, ótimo Rodolfo.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Não sou escorpiano, mas também me amarro em uma vingancinha de vez em quando. kkkkkkk
    Acho um máximo essas personagens em que não esperam que o universo se vingue por elas. Muito pelo contrário, elas vão lá e fazem. Enfim, fiquei muito curioso pra ler esse livro. E sabendo que é de um autor nacional, a vontade aumenta.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  9. Caramba, que enredo é esse? me deixou bastante curiosa. Acho que não li nada que falasse de psicopatas ou tivessem personagens assim e isso foi um dos pontos que mais me deixaram curiosa. Se eu tiver oportunidade lerei com certeza. Parece valer muito a pena!
    E sucesso para o autor :))

    ResponderExcluir
  10. Rodolfo e Danilo,
    Antes de comentar sobre o livro, devo confessar a vocês que uma resenha bem escrita, que ressalta os pontos altos da história faz toda a diferença.
    Li uma resenha superficial desse livro há poucos dias e por ela, eu não leria esse livro nunca! Já aqui, me deleitei com os quotes, com a expectativa do Rodolfo e com seu prazer pela leitura!
    Estou encantada, curiosa e desesperada para conhecer esse conjunto de palavras tão bem elaborado!
    Danilo me desculpe pela resistência! Fico grata deste livro ser da Literata e com certeza irei adquirí-lo em breve!
    Beijos
    Chrys Audi
    Blog Todas as coisas do meu mundo

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Uau! Será o Danilo um escorpiano sem medo de sua própria peçonha? Rodolfo já mostrou que não esconde a natureza apaixonada, passional e forte do signo.
    Vingança é um tema rico, delicioso, que nos atrai por todas as possibilidades que carrega, pelo lado sombrio. Anda de mãos dadas coma traição. Sentimentos ambíguos me invadem...Porque se a vingança se degusta fria - e há um longo processo de preparação e espera paciente para o momento certo -, prato frio não satisfaz. Depois do banquete que a preparação engenhosa da vingança proporciona ao leitor sem pudor, quero mesmo é ver como ela não compensa, hahaha.
    Moralismo à parte, vou aproveitando os momentos que antecedem a queda da presa na rede grudenta do perseguidor. E parece que Danilo tem um talento 'aracnídeo' perfeito nessa construção sinistra, atraindo leitores, presas fáceis de um bom texto, da mesma forma como imagino amarrar personagens uns aos outros.
    Parabéns, Danilo, sucesso com o livro!
    Valeu, Rodolfo, pelo convite a esta leitura que, certamente, vai mexer comigo.

    ResponderExcluir
  13. Rodolfo, vou confessar que às vezes fico receosa de que o livro não seja tão bom quanto sua resenha porque você coloca as coisas de um jeito que não há como não ficar empolgada. Mas "rasgações de seda" à parte, tive a impressão de uma semelhança com os livros de Sidney Sheldon (que já li tantos que até perdi a conta), como você bem colocou, onde a vingança é um tema recorrente.
    Para mim, aí está a graça nesse tipo de história, já que não tenho o gosto pela vingança na minha vida real e é interessante ler sobre esse sentimento que às vezes leva as pessoas até as últimas consequências.
    Adorei essa indicação e que bom saber que temos um autor nacional escrevendo uma história desse nível.

    ResponderExcluir
  14. Nossa! Gente, assumo que fiquei emocionado com todas as demonstrações de carinhos de vocês. Obrigado! Rodolfo, sua resenha é magnífica, como sempre. Já disse que você é um dos melhores resenhistas que conheço, não é?
    Rudynalva, obrigado pelo carinho e apoio sempre. Durante a minha trajetória no Literatura de Cabeça conheci pessoas maravilhosas, e você é uma delas. Chrystie, fique tranquila. As resenhas podem ter os mais diversos efeitos sobre a gente - basta encontrar a certa. Manu, preciso te contar uma coisa: sou ariano torto. Vivo de amores e ódios intensos, rs. Vanilda, minha querida, assumo que tem grande influência "Sheldoniana" na obra. Se houver amanhã é um dos meus livros prediletos. Obrigado à todos! Ana espera um dia contar a história dela para vocês!

    ResponderExcluir
  15. Não sou escorpiana mas a vingança eta dentro de mim na maior parte das veze. Me interessei muito pelo livro e sua resenha Rodolfo, meu Deus, o que foi essa resenha?! Me prendeu do inicio ao fim, você falou com muita emoção, me deixou boba. beijos

    ResponderExcluir
  16. Sua resenha é no mínimo bem forte. Esse tema de vingança é bem complexo. A gente sempre se paga torcendo para que a pessoa "boa", se assim posso dizer, consigo sua revanche contra a pessoa "má". O difícil é diferenciar quem é realmente bom e quem é realmente mal. Mas voltando para a resenha, achei bem interessante e o enredo me deixou curiosa e com um pouco de medo...rs Esse não é bem meu tipo de leitura. A pesar disso, daria uma chance e leria o livro.

    ResponderExcluir
  17. Oie...
    Gostei bastante do livro! Sou um pouco vingativa (infelizmente) e adorei o livro ter esse tema!!!
    Gostei muito da resenha e ela fez com que eu me interessasse bastante pelo livro!! Sem contar a capa e o título que são bem instigantes!!!

    ResponderExcluir
  18. Rodolfo

    Depois de ler sua resenha corri para comprar o livro na bienal. E ainda fui atrás do Danilo para autografá-lo. Consegui meu autógrafo e tive o prazer de conhecer o Danilo, que é muito simpático. Foi super gratificante. Aliás, a infraestrutura da bienal está muito ruim, mas a simpatia dos autores para com seus fãs foi a uma grata surpresa. Valeu demais a dica. Depois de ler o livro volto aqui para registrar minha opinião.

    Um grande abraço

    Gisela – Ler para Divertir

    ResponderExcluir
  19. Eu fiquei lendo e esperando saber o que aconteceu aos personagens para que eles se personificação da morte e não obtive resposta e agora SEREI OBRIGADA A LER O LIVRO! hehehehe...
    Eu achei esta resenha quase uma poesia de tão bem escrita. Parabéns!
    Adorei os quotes e gostei mais ainda porque ao invés de saber mais da estória fiquei mais curiosa porque esta resenha só instiga, mas não conta muita coisa.
    Ameeeeei!

    ResponderExcluir
  20. "Riqueza compra. conserta, corrompe. Cria e destrói tudo o que você deseja."

    Várias passagens me chamaram a atenção no livro, não só a que citei acima. Além da trama, que te prende ao livro do início ao fim, o autor te leva a pensar: E se fosse comigo, o que faria no lugar da Ana? Acabei sem saber a resposta, pois acredito que só quem passa por tudo que ela sofreu pode tem uma mínima noção do seu sofrimento e rancor.

    “Para controlar um homem, impeça que ele raciocine”

    Parabéns, Danilo! Aguardo novos lançamentos seus.

    Gisela - Ler para Divertir

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir