acompanhe o blog
nas redes sociais

5.9.14

Uma Prova de Amor [Emily Giffin]

Ed. Novo Conceito, 2013 - 432 páginas:
      Primeiro vem o amor, depois vem o casamento e depois... os filhos. Não é assim? Não para Claudia Parr. A bem-sucedida editora de Nova York não pretende ser mãe, e até desistiu de encontrar alguém que aceite esta sua escolha, mas, então, ela conhece Ben. O amor dos dois parece ideal. Ben é o marido perfeito: amoroso, companheiro e — assim como Claudia — também não quer crianças. No entanto, o inesperado acontece: um dos dois muda de ideia a respeito dos filhos. E, agora, o que será do casamento dos sonhos? Uma Prova de Vmor é um livro divertido e honesto sobre o que acontece ao casal perfeito quando, de repente, os compromissos assumidos já não servem mais. Contudo, é também uma história sobre como as coisas mudam, sobre o que é mais importante, sobre decisões e, especialmente, sobre até onde se pode ir por amor. 

Onde comprar:


O livro “uma prova de amor”, da Emily Giffin, conta a historia da Claudia que é casada com Ben há três anos. Eles têm um casamento ótimo: são companheiros, melhores amigos, possuem uma boa vida sexual e ambos não desejam filhos. Suportam juntos com muito bom humor as perguntas e criticas dos amigos e a pressão da família até – como sempre há um até/mas/entretanto – o casal melhor amigo deles que também não queriam filhos, engravida e o Ben começa a se questionar se foi a melhor decisão.

Sendo sincera, eu não esperava gostar do livro. Nunca havia lido nada da Emily, eles nunca foram atrativos aos meus gostos. Identifiquei-me, porém, com a Claudia logo na primeira pagina quando ela diz: “não quero ter filhos!”.

Muitas pessoas acham que mulheres que não querem ter filhos são incessíveis, “mal amadas”, “mal comida” feia, que nunca vão se casar porque não conseguem segurar um homem blábláblá. Quando a verdade é outra e a Emily nos apresenta a Claudia: bonita, educada, inteligente, com bom emprego e bem casada. Uma mulher firme na sua decisão de não engravidar ou adotar criança alguma. A respeito muito por isso, principalmente no que diz respeito a forma como a Claudia se relaciona com as irmã e lida com a mãe.

O livro nos faz pensar: pra sermos felizes temos que abrir mão dos nossos desejos e convicções ou nos manter firmes até o fim? Emily mostra que às vezes, pra sermos felizes, temos que saber dar uma segunda chance, esquecer e saber perdoar.


Cortesia da Editora Novo Conceito

Nascida na Bahia, veio para Vitória estudar Arquitetura. Ler é sua segunda paixão. “O universo é feito de historias, não de átomos”. Muriel Rukeyser.

*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

24 comentários em "Uma Prova de Amor [Emily Giffin]"

  1. Ao contrário de você, gosto muito do estilo dos livros da autora. As histórias são, geralmente, voltadas a questões cotidianas e relacionais e nos levam a pensar um pouquinho sobre a vida. Por isso tenho a impressão de que vou gostar de "Uma prova de amor"!
    Gostei dos seus argumentos e concordo que as mulheres não precisam ter os mesmos sonhos e desejos (aliás, isso seria impossível). Cada uma sabe o que é bom para si, e esteriótipos ou acusações descabidas não ajudam em nada.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Já gostei de cara quando li a frase "A bem-sucedida editora de Nova York não pretende ser mãe". Por que eu acho que a mulher deve sempre fazer jus a suas escolhas, ser independente, enfim. Confesso que tenho um pé atrás com livros muito românticos, mas pelo visto, esse promete! E eu comprarei assim que puder. Obrigada pelo compartilhamento, beijos!

    ResponderExcluir
  3. Heey!

    Eu nunca li nada da Emily. Sei lá, também não via nada de mais nas premissas dos livros dela, e já vi muitos comentando sobre como ela sempre aborda a parte de adultério, então ficava com um pé atrás achando que seria tudo "mais do mesmo", tudo clichê. Acho nada a ver isso de ter preconceito com quem não quer ter filhos. Eu quero, porque sou louca por crianças, mas entendo perfeitamente o lado de quem prefere não ter. Enfim... Parece até um bom livro, mas ainda faltou aquele quê a mais pra me fisgar e fazer com que eu queira conferir por mim mesma. Ótima resenha!

    Beijinhos
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Já li um livro da Emily Giffin e assim que vi Uma Prova de Amor fiquei com vontade de lê-lo, ainda mais pelo livro se tratar de algo que me identifico bastante, além de ver muito preconceito a respeito do assunto e pré-julgamentos que nada tem a ver com a decisão de não ter filhos.

    ResponderExcluir
  6. Eu ainda não li nada da autora, e tenho certa vontade de ler. Adorei essa capa, tinha que começar falando isso! haha O enredo parece interessante também, apesar de não me identificar em nada com os personagens e talvez isso faça a leitura não fluir pra mim. Mas só lendo pra saber né? rs
    Se eu tiver oportunidade de ler, eu leria.

    ResponderExcluir
  7. Da autora eu li apenas Questões do Coração e amei demais. Quero muito comprar e ler os outros livros dela, esse parece ser maravilhoso!
    Ótima resenha ;)
    Beijos
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Ainda não li nada da Emily também, e confesso que tenho certa preguicinha de ler, porque não gosto do gênero, mas as capas realmente são lindas, apesar de as sinopses me parecerem um pouco previsíveis demais!

    ResponderExcluir
  9. Esse foi o segundo livro que li da Emily, o primeiro foi "Questões do Coração".
    Esperava mais desta trama, a personagem Cláudia é muito chata, apesar das qualidades que vc citou, e por vezes a achei muito infantil ao lidar com a mudança de planos do marido.

    ResponderExcluir
  10. Eu tenho alguns livros da Emily Giffin, inclusive Uma Prova de Amor, mas ainda não li nada dela. Pelo que senti de sua resenha resenha, acho que é uma história de uma mulher forte e segura de suas convicções. Acho que ainda não estou em momento para ler algo assim, mas gostei da sua resenha.

    ResponderExcluir
  11. Eu não leio muitos romances, mais esse parece ser muito legal :)
    Parabéns pela resenha bjuss ^^

    http://magisbook.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Confesso que, apesar de amar romances, esse livro não me atrai muito, acho que prefiro mesmo os romances de época! De qualquer forma sempre vejo muitas resenhas controversas dos livros da autora, muitas pessoas amam e outras nem tanto, o que é maravilhoso já que o mundo da leitura é todo assim né! XD

    ResponderExcluir
  13. Eu adoro a autora, tenho todos seus lviros publicados até o momento, e estou louca por este.
    Concordo com tudo e assino em baixo, uma mulher NÃO é obrigada a ter filhos, nos casamos e ja somos bombardeadas "quando vem o bebe.." é um saco. Eu tenho dois meninos e TODOS enchem meu saco pois tenho que tentar uma menina...nunca esta bom.
    Mas voltando ao livro rsrs, acho o assunto abordado muito legal, pois em geral tanto na vida quanto em livro, as mulheres meio que são obrigadas a 'procriarem' e um que trate do assunto assim..é muito bom ;D
    beijos.

    ResponderExcluir
  14. Oi Stephania!
    Nunca li nada da Griffin mas tenho uma colega que ama ela e fala super bem então tava pensando em dar uma chance. Antes eu pensava que nem a personagem, não queria ter filhos, hoje já mudei de ideia e quero um casal até. Interessante como nosso pensamento muda de uma hora pra outra.

    ResponderExcluir
  15. Como você nunca li nada Emily e eles nunca foram atrativos aos meus gostos, tenho os livros, mas não sinto empolgação pra lê-los... Mesmo que algumas amigas me indiquem e apesar das resenhas boas e ruins que leio a respeito deles... Pelo que li da resenha o livro cumpre seu papel e nos fazer refletir sobre a decisão de ter ou não filho e por esse âmbito é muito legal. Mas ele ainda vai ficar parado na minha estante :P
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Ola, eu também não sou fã da Emily, mas eu não li nenhuma obra sua, acho que eu não dei a oportunidade.
    Essa foi a primeira resenha que eu vi falando sobre esse livro e eu gostei bastante... Vou aposta na leitura.

    Abçs :)

    ResponderExcluir
  17. Apesar de ler muitas resenhas positivas em relação aos livros da autora, ainda não tive oportunidade de ler nenhum de seus livros. Acho que essa reflexão que a autora deixou é bem interessante. Particularmente, segundas chances devem ser dadas, e ser intransigente não nos faz bem.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  18. Bacana o tema do livro. Eu nunca li nada da autora e fiquei com vontade de ler esse para saber se afinal o casal termina com a mesma opinião ou os questionamentos de Ben não atrapalham.
    Espero que a tal prova não seja exatamente Ben pedindo um filho a Claudia.

    ResponderExcluir
  19. Eu só li "Ame o que é seu" da autora e gostei. Tenho vontade de ler outros livros dela. Pelas resenhas, eles seguem bem a linha de retratar o cotidiano e os problemas comuns que todo mundo tem, sendo uns mais complicados que outros. É uma boa opção quando nos cansamos um pouco das fantasias e queremos mergulhar na realidade, em coisas que podem acontecer ou que acontecem em nossas vidas. Assim, como ela retrata nesse livro. O casal não queria filhos, e agora vai ou não mudar de ideia? E se fizer isso é porque reconsiderou a situação inicial ou acabou sendo forçado a isso depois de tanta cobrança?

    ResponderExcluir
  20. Já ouvi falar muito dos livros da autora e sempre tive muita vontade de ler, mas ainda não tive essa oportunidade... Gostei da proposta do livro, é algo diferente, pois nunca li nada sobre um casal que não quisesse ter filhos e que quem mudasse de ideia fosse o homem... Parece ser muito bom, e me interessei mais ainda pra poder ler... Provavelmente lerei assim que o tempo me permitir...
    Kisses =*

    ResponderExcluir
  21. Estou com um livro da autora aqui para ler e sempre vou adiando com medo de não gostar.... ate fiquei curioso em saber como a Claudia va lidar agora que o Ben mudou os planos...

    ResponderExcluir
  22. Hoje em dia, não querer ter filhos é absolutamente normal, não apenas pelo fato de colocar uma criança nesse cenário de dementes, como diria um autor muito famoso. Mas porque não quer se envolver e se comprometer ao criar uma criança, super normal. Eu leria a obra, me chamou a atenção.

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir