acompanhe o blog
nas redes sociais

7.12.15

Graffiti Moon [Cath Crowley]

Ed. Valentina, 2014 - 240 páginas:
      O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar - esta noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar da escuridão, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar - se apaixonar de verdade. A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho da sua vida. Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois, de repente, se juntam numa busca frenética aos lugares onde a arte do grafiteiro, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade.

Onde comprar:

Em Graffiti Moon conhecemos Lucy, uma aspirante a artesão de vidro e amante de arte, e também Ed, um grafiteiro conhecido como Sombra que abandonou a escola e acaba de perder o trabalho. Ela é uma fã do grafiteiro, sem saber que este é Ed, o rapaz em quem deu um soco em um encontro mal sucedido, e imagina que o Sombra seja um rapaz elegante, profundo, amante da arte e a pessoa certa para que ela tenha um relacionamento. Mesmo quando ele não assina suas pinturas ela consegue reconhecer que foi ele quem fez.

Já Ed vê em si uma pessoa sem futuro, e sem ambições. Ele acaba de perder o patrão e amigo, a pessoa que era o seu “peixe” – ou âncora, se você decidiu não ler o livro – e se encontra em uma situação complicada onde o principal problema é dinheiro, o que o faz cogitar assaltar o departamento de arte da escola junto com Leo, seu parceiro em grafitar, conhecido como Poeta (mais especificamente o escritor de poesia) e Dylan, um amigo que sabe quem eles são.

É a noite de comemoração da formatura. Lucy planejou comemorar procurando pelo grafiteiro Sombra, quem acredita ser como sua alma gêmea, mas acaba se encontrando com Ed e seus amigos. Os meninos acabam por soltar que conhecem o Sombra e o Poeta e os grupos se unem. Enquanto Jazz, amiga de Lucy paquera Leo, Daisy, outra amiga e também namorada de Dylan, quer arranjar outro namorado, Ed e Lucy saem a procura do Sombra indo a cada local onde ele já passou e deixou sua arte, sem saber que a pessoa em questão está bem diante de seus olhos.

Uma coisa que achei muito legal foi à alternância de narração por capítulo entre Ed e Lucy nos proporcionando uma visão sobre os dois lados, tanto de uma mesma situação e dos pensamentos que passa por cada um. Eu particularmente achei os capítulos de Ed muito mais gostosos de ler, principalmente por ele estar às claras de toda situação. Lucy não está ciente que ele é o Sombra o que acaba sendo um pouco maçante, às vezes, por como ela fantasia um cara que não conhece.

O livro ainda nos trás vários poemas do Poeta, mas teria sido ainda melhor se tivesse algumas das pinturas do Sombra ilustradas no livro, apesar de serem bem fáceis de imaginar pela descrição que a autora proporciona.

A relação entre Lucy e Ed é bem divertida e gostosa de imaginar. É quase como dois melhores amigos se apaixonando, você sente como se quisesse fazer parte daquilo, e mesmo sem estar apaixonado, em alguns momentos o sentimento simplesmente está em você. É possível perceber como os sentimentos do Ed vão se ligando a Lucy conforme eles passam o tempo juntos.

Graffiti Moon segue sua própria linha de florescer de um amor entre adolescentes, sem a melosidade conhecida e ainda trás diálogos divertidíssimos. O livro é perfeito para quem gosta do ar de romance adolescente.

Há um trecho em que Lucy descreve a paixão, a atração, como eletricidade. Que ela estava prestes a ser eletrocutada. Li Graffiti Moon sem estar apaixonada, mas senti a eletricidade. Senti-me sendo eletrocutada pela atmosfera que a autora, Cath Crowley, criou e eu espero que você também seja.

 Cortesia da Editora Valentina
Izabela Garcia de Almeida
Comecei a ler realmente aos 9 anos e depois não parei mais, pegando livro em qualquer lugar que eu pudesse. Meus livros favoritos são O Circo da Noite e Hoje Eu Sou Alice. Autores favoritos: Markus Zusak, Cecília Meireles e Shakespeare. Viciada em livros, doces, animes e música.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

14 comentários em "Graffiti Moon [Cath Crowley]"

  1. Grafitti Moon é um livro do qual já havia ouvido falar e até me interessei por ele, mas tenho tantos livros na lista que acabo sempre esquecendo de algum que quis ler em determinado momento.
    Uma das coisas que mais gostei na proposta do livro é o fato de a arte estar presente de diversas formas, mesmo que não tenha um grande foco, é sem dúvida um elemento muito legal.
    Romances juvenis nem sempre me conquistam, isso é um fato, pois diversas vezes os personagens me irritam (ainda mais de existir um triangulo amoroso), mas alguns sempre roubam a minha atenção.
    Os diálogos divertidos e o romance que se desenvolve sem apelar para coisas melosas, são duas coisas que me agradam muito e após sua resenha, volto a querer conhecer Ed e Lucy.
    Tentarei ler no próximo ano, já que como estamos na reta final de 2015, não espero conseguir ler nada com toda a agitação de fim de ano.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá Izabela!
    Esse livro me interessou bastante. Um pouco talvez por eu também estar concluindo o ensino médio, hehe. Quando vi me senti dentro do livro. Outro motivo foi a presença do gravite. Apesar de ser bem diferente de pichação e ser uma forma bem bonita de arte, ainda há muito preconceito em relação a ele. É triste de ver. Quanto à alternância de ponto de vista, acho isso bem interessante. Faz a leitura ficar mais fluida e dinâmica. Gosto muito. Ótima resenha e abraço.

    ResponderExcluir
  3. Oi Izabela, tudo bem?
    Eu já conhecia o livro, mas te confesso que nunca me interessei nem mesmo em ler a sinopse dele. Após ler sua resenha, fiquei com outra impressão do livro e resolvi colocá-lo na minha lista de desejados.
    Acho muito legal este recurso de podermos ler o ponto de vista dos dois personagens. Ótima resenha. Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia esse livro, mas lendo a sua resenha fiquei interessada pela história que é diferente do estilo de histórias que já li, mas é interessante, fiquei curiosa e pretendo ler esse livro.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Izabela. Graffiti Moon é totalmente novo para mim, tanto em obra quanto em autor. Gostei muito do que a história trata, a principio imaginei uma história clichê entre um homem e uma mulher que se encontrarão e irão se apaixonar, mas vai muito além disso, o envolvimento com a arte e com descobertas torna o livro uma verdadeira obra. Gostei.
    Blog: Consumidor de Sonhos | consumidordesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Lendo a sinopse pensei que não leria, mas a resenha mudou minha opinião. Gostei da proposta de misturar arte com romance e pretendo dar uma chance em breve.

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o livro,há poemas na narrativa,que lindo!
    O plano de fundo envolvendo arte me agrada,toda a idealização da Lucy sobre o Sombra e a abordagem de como ele é,é interessante.Uma boa dica para quem procura romance adolescente.

    ResponderExcluir
  8. Sinceramente, o livro não me interessou muito :/ Não faz muito meu estilo.

    ResponderExcluir
  9. Bem Izabela!
    Confesso que ando um tanto cansada dos romances adolescentes, sei lá... acho que é uma fase.
    Tudo muito igual.
    Ando em busca de leituras que palpitem mais meu coração.
    “Sentir é criar. Sentir é pensar sem ideias, e por isso sentir é compreender, visto que o Universo não tem ideias.” (Fernando Pessoa)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  10. Interessante juntar essa coisa do grafite, da arte em si na história; com certeza da uma profundidade maior ao romance. No mais, o livro não me atrai muito acho que por ser um romance adolescente, confesso que ja estou um pouco enjoada disso e por você falar que chega a ser maçante essa idealização de Lucy pelo amado, me desanimo mais ainda rs

    beijos
    http://pobreleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Fiquei curiosa e lembrei de um pichador em especial: Toniolo. Muito diferente do Sombra que é um grafiteiro, mas não deu para evitar de lembrar desta criatura que simplesmente pixa a cidade de Porto Alegre com seu "nome"... hehehe.
    Eu to um pouco cansada de romances adolescentes, mas esse me pareceu legal, gostei de os personagens partirem em busca do Sombra. Uma aventura romântica, haha
    Gostei da capa, passa bem a trama...
    Fiquei interessada pelo livro!
    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  12. Graffiti Moon é totalmente uma obra de arte com personagens artistas também, os artesãos e os grafiteiros se encontram de forma genuína. Cath Crowley consegue unir as duas personalidades de Lucy e Ed de uma forma inusitada, mas muito envolvente durante a narrativa. Não conhecia o livro, mas já amo.

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Não pensei que fosse gostar tanto de Grafitti Moon mas o livro me conquistou, adorei como temos duas pessoas tão diferentes mas juntas pela arte, na resenha fiquei muito curiosa sobre os grafites do Sombra e já imaginando quando a Lucy descobre que o Ed é ele !!

    ResponderExcluir
  14. Hum, a história é um pouco diferente do que imaginei.Um romance adolescente leve. Se tiver oportunidade quero ler. Eu entendi a ideia da capa, mas sinceramente não gostei do desenho.

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir