acompanhe o blog
nas redes sociais

25.1.16

Doce Perdão [Lori Nelson Spielman]

Lori Nelson Spielman
Ed. Verus, 2015 - 322 páginas:
      Hannah Farr é uma personalidade de New Orleans. Apresentadora de TV, seu programa diário é adorado por milhares de fãs, e há dois anos ela namora o prefeito da cidade, Michael Payne. Mas sua vida, que parece tão certa, está prestes a ser abalada por duas pequenas pedras... As Pedras do Perdão viraram mania no país inteiros. O conceito é simples: envie duas pedras para alguém que você ofendeu ou maltratou. Se a pessoa lhe devolver uma delas, significa que você foi perdoado. Inofensivas no início, as Pedras do Perdão vão forçar Hannah a mrgulhar de volta ao passado – o mesmo que ela cuidadosamente enterrou -, e todas as certezas de sua vida virão abaixo. Agora ela vai precisar ser forte para consertar os erros que cometeu, ou arriscar perder qualquer vislumbre de uma vida autêntica para sempre. 

Veja o preço:

Após ler esse livro resolvi que ele merece mais que uma resenha, merece expor a verdadeira essência que nele existe. Por isso vai ser um pouquinho diferente hoje.

Ao lermos a sinopse já temos uma bela base do que o livro se trata, mas o que realmente vale mostrar mesmo é o quanto esse livro é rico, magico e transformador. Todos nós temos os nossos fantasmas do passado, aqueles que sempre nos acompanham, nosso lado feio, cada um lida como pode, uns ignoram o fato, outros maquiam para ninguém perceber, e a minoria enfrenta, mexer com cicatrizes dói, machuca, e expõem o feio.

Peguei-me em vários momentos do livro emocionada, porque não importa quem somos ou como somos. Um dia já fomos magoados, e o pior, magoamos! Muitas vezes ficamos tão focados naquele ato que nos machucou, que esquecemos que também somos humanos e machucamos.

Quantas pessoas você já feriu? Intencional ou não? Quem não gostaria de viver sendo a vítima? Mas esse livro, mostrar uma coisa que poucos mostram, ele escancara o que nosso ego não deixa admitir, mostras que podemos ser vilões também.

Perdão com certeza é uma palavra doce, perdoar não é simplesmente passar a borracha, esquecer, é muito mais, é conseguir viver com o fato e mesmo assim não guardar magoa.

A ideia central da autora, sua escrita, suas lições de moral, e até mesmo os comentários, tudo me ganhou e me fez apaixonada pelo seu trabalho, sem contar que a capa é linda, as combinações de cores suaves elas nos transportam.

Eu indico esse livro, a você, seus filhos, amigos, parentes distantes, enfim a todos. Sabe porquê? Porque além da história que te faz emocionar e simplesmente não largar o livro, te faz também a aceitar os seus erros, e deixar o orgulho de lado e seguir em frente.

Mas é você? Não precisa perdoar e ser perdoado, porque não começar com esse livro ?? Espero que tenham gostado dessa resenha diferente, porque eu amei essa leitura deliciosa e suas reviravoltas.

 Cortesia da Editora Record
Gabriele Machado
15 anos, paranaense, leitora compulsiva, apaixonada por cachorros, viciada em musica e seriados, junta todos esses adjetivos, PUM! Aqui estou eu, Gaby Machado. Uma sonhadora irreversível, desastrada, pavio curto, falo sem pensar, eclética para tudo! Apaixonada por uma boa dose de cafeína e minha princesa favorita é a Mulan, por quê? Mesmo sendo uma princesa não preciso do príncipe para se salvar.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

20 comentários em "Doce Perdão [Lori Nelson Spielman]"

  1. Doce Perdão anda conquistando resenhas muito positivas, mas até agora a sua é a que parece carregar mais sentimento. Pela sinopse jamais esperaria tanto desse livro, e talvez por isso ele acabe me surpreendo se eu lhe der uma chance.
    Perdão é algo mais complicado que parece, certas coisas para mim não tem perdão, sou rancorosa e sei disso melhor que ninguém, não posso mascarar esse defeito, então não faço ideia de como seria ler esse livro. Ele parece carregar diversas lições e reflexões, agora não sei se elas me atingiriam.
    Enfim, a resenha está ótima e talvez no futuro eu reserve um pouco do meu tempo para Doce Perdão.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Amei essa resenha diferente, muito emocionante assim como tenho certeza que a história de Doce perdão seja; confesso que preciso ler um livro assim, sou uma pessoa que acha difícil perdoar, perdoou mas não esqueço... e isso realmente não perdoar, né?!...
    Concordo com você, a capa é mesmo muito linda.
    Obrigada pela dica! Nome do livro anotado!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Gostei da capa do livro,porém a história dele não me agradou muito, apesar do assunto ser reconciliação que acho um tema legal de ser abordado e o livro ser uma drama com uma pitada de humor (algo que li em outra resenha), acredito que esse não é o tipo de livro que me motive a lê-lo, infelizmente :(

    ResponderExcluir
  4. Oi Gabriele!
    De cara já amei a capa, mt linda!!
    E a história que cativou, qro sim lê-lo!

    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Já li esse livro e ameeii, a história é incrível, e a capa nem se fala né :D Pretendo relê-lo em breve!

    ResponderExcluir
  6. eu to doida por esse livro! a trama parece ser daquelas que fazem rir e chorar, emocionam e cativam!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. A história e a ideia do livro são tão lindas, que eu estou louco para lê-lo há muito tempo! Adoro histórias que passam lições importantes, em conjunto com uma boa escrita, um bom desenvolvimento e uma leitura super agradável. A resenha me deu ainda mais vontade de ler =D
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. O verdadeiro perdão é muito complicado e difícil. Achei a premissa do livro muito boa, ainda mais pelos questionamentos levantados. A capa também está muito bonita.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  9. Doce Perdão passaria batido por mim,mas a resenha está tão cheia de emoção,que me fez olhar com mais carinho para a história.
    Sim,a resenha está diferente,e isso é bom,conseguiu passar bem mais das sensações da leitura do que uma simples descrição dos fatos.

    ResponderExcluir
  10. Oi Gabriele! Realmente essa temática foge bastante ao que estamos acostumados. Imagine aplicar essa ideia das "pedras do perdão" no nosso dia a dia? Em certo sentido, iria provocar até certa inimizade entre as pessoas. Excelente resenha e fiquei muito interessado! Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Gostei de Doce Perdão pela capa e agora percebo que a mesma unida ao título tem muito a ver com a história. Hannah é uma personagem interessante, com uma carreira artística, o que me interessou, ela parece super estrelas - as intocáveis -, mas ao decorrer da trama percebo que ela não passa de uma mulher indecisa e traumatizado com seu passado. Essa jornada promete!

    ResponderExcluir
  12. Gostei da temática do livro, mas ele não faz muito meu perfil de leitura. Porém estou disposta a dar uma chance. Espero gostar.

    ResponderExcluir
  13. Caracaaaa esse livro já tinha em conquistado pela capa... Realmente sua resenha fez com q eu me encantasse ainda mais pelo livro! Tô louca pra ler Doce Perdão! Bjs

    ResponderExcluir
  14. Já vi algumas pessoas comentando desse livro, e fiquei com vontade de ler. Acho que esse ano ainda, dou uma chance.

    ResponderExcluir
  15. Já vi algumas pessoas comentando desse livro, e fiquei com vontade de ler. Acho que esse ano ainda, dou uma chance.

    ResponderExcluir
  16. Gabriele, sua resenha foi totalmente cativante. Eu não imaginava a profundidade e drama pessoal dos personagens que este livro poderia passar, mas me surpreendeu com toda a certeza. Sempre deixamos o nosso lado "ruim" passar despercebido e o livro traz a tona essa reflexão, muito bom.

    ResponderExcluir
  17. Um livro com uma generosa pretensão.
    O mais bacana é mostrar uma protagonista bem humana.
    Alguém pede perdão e isso a provoca, a deixa com dúvidas de como agir.
    Pedir perdão é uma atitude que requer muita humildade.
    Parabéns pela resenha.
    Como é bom quando o livro provoca este tipo de reação.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Eu não li A lista de Brett, da mesma autora, mas continuo interessado em ambos os livros. Esta autora me passa uma segurança em sua escrita com os dramas que ela trata em cada personagem, neste caso Hannah me interessou bastante por estar no meio da fama, o que é sempre bem-vindo para mim na literatura devido a variedade de opções que pode acontecer futuramente. Bom, a autora trata as dificuldades de Hannah de uma forma incrível e reflexiva. A arte de pedir e aceitar o perdão é bem retratada.

    ResponderExcluir
  19. Nossa, que linda sua resenha. Ainda não li o livro, na verdade, nunca tinha ouvido falar nele, mas essa sua resenha me tocou bastante, principalmente, porque tenho consciência de que ao longo da minha vida eu já magoei muita gente, mas também tenho certeza de que já perdoei bastante, mesmo assim, o perdão ainda continua sendo uma coisa muito complicada. Já coloquei ele na minha lista de leituras e já estou super curiosa para lê-lo.

    ResponderExcluir
  20. Oi!
    Adorei a resenha, esse livro ele me conquistou desde que vi a sinopse pois adorei esse tema achei bem legal um livro que fala sobre Perdão e não sabia sobre essa pedras nas achei a ideia bem legal e o mais importante ajuda a perdoar e se perdoado pois ela acaba nos fazendo pensar sobre que magoamos e quem nos magoou e acho que o livro também faz isso e se tiver oportunidade quero muito ler !!

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir