acompanhe o blog
nas redes sociais

16.10.17

Ninguém Nasce Herói [Eric Novello]

Ninguém Nasce Herói
Ed. Seguinte, 2017 - 384 páginas
- "Num futuro em que o Brasil é liderado por um fundamentalista religioso, o Escolhido, o simples ato de distribuir livros na rua é visto como rebeldia. Esse foi o jeito que Chuvisco encontrou para resistir e tentar mudar a sua realidade, um pouquinho que seja: ele e os amigos entregam exemplares proibidos pelo governo a quem passa pela praça Roosevelt, no centro de São Paulo, sempre atentos para o caso de algum policial aparecer. Outro perigo que precisam enfrentar enquanto tentam viver sua juventude são as milícias urbanas, como a Guarda Branca: seus integrantes perseguem diversas minorias, incentivados pelo governo. É esse grupo que Chuvisco encontra espancando um garoto nos arredores da rua Augusta. A situação obriga o jovem a agir como um verdadeiro super-herói para tentar ajudá-lo — e esse é só o começo. Aos poucos, Chuvisco percebe que terá de fazer mais do que apenas distribuir livros se quiser mudar seu futuro e o do país."

Onde comprar:
Cultura, Amazon

Vez ou outra sempre surge aquele livro que nos deixa boquiabertos, completamente atônitos, tornando-nos incapazes de produzir uma opinião satisfatória ou simplesmente perto daquilo tudo que sentimos. Ninguém Nasce Herói (Editora Seguinte 380 páginas.) escrito pelo brilhante Eric Novello, nos trás uma história completamente única e original, causando estupor a quem ler seu livro.

O Brasil como o conhecemos mudou. Completamente. Depois de um golpe de estado, um governante tradicionalista acabou ganhando o poder da presidência, instaurando no país uma politica fundamentalista com leis extremamente rígidas e tolerância zero. O preconceito que antes já existia entre nosso dia a dia, disfarçado de diversas formas, hoje é completamente usado na sua forma mais crua possível. A diferença é que antes lutávamos para combatê-lo, mas hoje ele existe para encontrar grupos e tortura-los.

“O Brasil começou a se tornar um país fundamentalista muito antes do Escolhido se candidatar a presidente. Quando ele era apenas um deputado bagunçando a Comissão de Direitos Humanos: ‘Uma hora esse cara desaparece’. Quando ele assumiu a presidência da Câmara dos Deputados, todo mundo falou: ‘Exposto dessa maneira, logo ele é investigado e desaparece’”.

É nesse cenário tenso que conhecemos Chuvisco e seu grupo, que em meio a tanta repressão, militares nas ruas e o governo impondo à sociedade a ideologia d’O Escolhido, que é como o governante se intitulou, distribuindo livros nas ruas, um ato considerado uma afronta ao governo. É em um desses eventos em que distribui livros que Chuvisco vê um garoto chamado Júnior ser espancado pela Guarda Branca, e ele acaba defendendo-o. É quando Chuvisco também irá entrar em contato com a Santa Muerta, um grupo radical que usa da mídia para revelar os segredos do Escolhido.

“Numa época em que preconceitos antes velados são gritados com orgulho, não me espanta que tenha sido ele o eleito.”

Mesmo com o Pacto de Convivência recém assinado pelo Escolhido, onde no pacto era prometido que a perseguição às minorias religiosas, negros, homossexuais e trans seria acabada, Chuvisco desconfia que é apenas um método utilizado para ganhar confiança da parte dos demais e conseguir pegá-los com mais facilidade. É neste cenário desolador que acompanharemos uma história sensacional, com um misto de critica a nossa situação politica atual. Quem de fato é Júnior? Quem é esse Escolhido? Para onde estamos caminhando?

Que livro f@d#! Desculpem o palavrão, mas é isso mesmo. Chuvisco é um personagem rico em características e personalidade, o que ele tem de coragem o faz querer lutar por dias melhores custe o que custar. Ele sofre de algo chamado Cartasse Criativa, onde Chuvisco se vê num mundo imaginário que acaba confundindo com a realidade. Essas passagens deixaram a leitura com tom poético, equilibrando o enredo em suas partes mais densas.

A construção do enredo é algo incrível. O grupo do protagonista é completamente diverso. Tem negro, gordo, homossexual, trans, uma verdadeira diversidade em um único livro, com diversos assuntos a serem explorados. Eric Novello tece sua trama com muita maestria e propriedade. A Questão religiosa apresentada chega a nos fazer refletir, a revermos conceitos e colocarmos os que já temos à prova. É incrível a forma como o autor nos faz pensar.

Os personagens secundários também ganham bastante destaque. Vemos uma representatividade tão grande que seria impossível isso passar despercebido. Vemos os medos de cada um, até onde eles vão para lutar pelos seus direitos e o quanto estão dispostos para isso.

"A verdade é que ninguém nasce herói. Mas isso não nos impede de salvar o mundo de vez em quando."

A narrativa em primeira pessoa deixou a história mais palpável, eu diria. Vemos tudo pela cabeça do Chuvisco o que torna mais real, seus anseios, medos, raiva. O final deixou um pouco a desejar, contudo a obra em si é fantástica e vale muito a pena. Indico fortemente!


Douglas Brandão
Geminiano, formado em Magistério e futuro professor de História. Mora na Bahia e louco por livros. Um pouco ciumento e orgulho. Fanático por Harry Potter e chegou a receber o apelido de "Vírgula" por sempre dar uma opinião ou comentário, porque sempre usa "Entretanto", "Contudo" e "Todavia" por ser sempre "Do Contra". Sincero ao extremo e venho para compartilhar meu gosto de leitura com vocês.
Cortesia do Grupo Companhia das Letras
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

14 comentários em "Ninguém Nasce Herói [Eric Novello]"

  1. Hey Douglas!
    Acabei de ler uma resenha desse livro...Opiniões bem diferentes, mas msm assim não e convenci [a ler, não curto mto livros que trazem políticas ...
    Mas pra quem curte é uma livro bacana.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Oi Douglas,
    Distopias sempre nos trazem um cenário possível, mas uma que se passa no Brasil faz com que essa possibilidade seja mais real e impactante. Ninguém nasce herói se difere e destaca por sua grande representatividade das minorias, algo ainda difícil de ver em livros, principalmente em uma história tão importante como esta. Chuvisco é a representação de muitas pessoas que através de pequenos gestos fazem a diferença e agem por instinto quando alguma injustiça acontece. Eu já havia ficado interessada neste livro quando foi lançado, mas sua resenha me deixou ansiosa para saber o rumo desta história.

    ResponderExcluir
  3. Oi Douglas.
    Você realmente ficou animado com o livro hem, rsrs.
    Eu adorei essa premissa e fiquei feliz em ver que o livro te surpreendeu e que realmente foi uma leitura que valeu a pena para você, o fato de que o Chuvisco mescla esse mundo imaginário onde vive com a realidade vivida por eles, enfim fiquei curiosa e quero ler com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Gostei bastante da sinopse, achei bem diferente a trama
    Ainda não li, porém achei que muitos aspectos do livro parecem ser realidade mesmo.
    Já estou querendo ler já que vi sua animação em relação a ele ksksks

    ResponderExcluir
  5. Douglas!
    Muito bom ver que o autor criou uma nova realidade para nosso país, que diga-se de passagem, não gostei nadinha, e a analogia com as crises que vivemos, torna o livro até crível, embora seja uma fantasia bem alucinatória, não é não?
    Sempre bom conhecer um novo escritor nacional e que escreve com qualidade.
    Semaninha alegre e feliz!
    “No fundo, morrer não seria nada. O que não suporto é não poder saber como terminará.” (A. Amurri)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  6. Oi Douglas, essa parece ser uma distopia que nos deixa com medo do futuro do nosso país e que serve de chacoalhar o leitor e fazê-lo se interessar mais pelos acontecimentos políticos de hoje rsrs. Curti e muito a resenha, o livro parece ser movimentado, ter excelentes personagens e ser muito bom, já anotei a dica e saber que o escritor é nacional é maravilhoso, que ele tenha muito sucesso ;)

    ResponderExcluir
  7. Adorei, até hoje acredito que o conhecimento ainda é nossa maior arma,amo as ações de distribuição gratuita de livros!

    ResponderExcluir
  8. É um livro muito interessante, com um personagem que é um grande exemplo de coragem e determinação, é uma leitura enriquecedora. Mas também sofrida o preconceito é muito cruel, embora muitos desses assuntos abordados existam na realidade, nos deixam questionando se algum dia poderia chegar ao extremo, assim como no livro.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Douglas!
    Como não curto distopia não fiquei interessada na trama de Ninguém Nasce Herói e nem curiosa para conhecer a história de Chuvisco, por isso esse é um livro que eu não leria...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Oi Douglas
    Infelizmente o que vemos no livro é um futuro que não desejo, mas se tudo continuar como está, não será mto diferente do que o autor mostrou. Interessante o problema do Chuvisco, espero que esse mundo imaginário que ele enxergue seja melhor do que ele vive ... Sobre a questão religiosa, é um fato, vivemos em um mundo que na teoria não tem preconceito, mas na pratica sabemos como é!
    Bj

    ResponderExcluir
  11. Olá! Ainda não conhecia e fiquei bem empolgada com a sua resenha, muito bom quando lemos um livro e adoramos a história, achei bem bacana que o autor é nacional e trás um enredo que aborda tantos temas e personagens diferentes, com certeza vou querer ler este livro.

    ResponderExcluir
  12. Já havia visto algo sobre o livro e o autor, e gostei muito de ser nacional.
    Tem uma sinopse bem interessante, com assuntos bem atuais até e parece ser realmente um livro para se refletir.
    Gostei do fato do personagem ter catarses criativas, creio que dá um toque à mais na trama.

    ResponderExcluir
  13. Eric Novello, não li nada desse autor ainda,mas já ouvi falar.
    Pena que o final deixou um pouco a desejar, mas é interessante a diversidade entre os protagonistas e a reflexão do quanto cada um está disposto a lutar pelos seus direitos

    ResponderExcluir
  14. Oi, Douglas!!
    Já gostei e muito da premissa do livro!! Acho bem legal distopias e quando é um livro nacional que ambientado aqui no Brasil é melhor ainda!! Adorei a resenha e sem dúvida esse livro já me conquistou.
    Bjoss

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir