acompanhe o blog
nas redes sociais

4.9.18

A Mãe de Todas As Perguntas [Rebecca Solnit]

Rebecca Solnit
Ed. Companhia Das Letras, 2017 - 164 páginas
- "Rebecca Solnit é hoje uma das principais pensadoras do feminismo contemporâneo. Autora do famoso ensaio que deu origem ao termo mansplaining, que veio revolucionar o vocabulário das discussões sobre gênero, sua obra é leitura obrigatória tanto para as pessoas mais experimentadas no tema quanto para aqueles que desejam se iniciar em um dos principais debates da sociedade atual. Em A mãe de todas as perguntas, Solnit parte das ideias centrais de maternidade e silenciamento feminino para tecer comentários indispensáveis sobre diferentes temas do feminismo: misoginia, violência contra a mulher, fragilidade masculina, o histórico recente de piadas sobre estupro e outros mais. Cristalinos e contundentes, seus ensaios devolvem ao tema toda a gravidade ele merece, sem abrir mão da poesia e do humor característicos de sua escrita."

Onde comprar:

“A história do silêncio é central na história das mulheres”

A MÃE DE TODAS AS PERGUNTAS é um livro para todos, interessados ou não no feminismo (como alguém pode estar desapegado dessa questão?)), mas inevitavelmente inseridos numa sociedade que precisa discutir e compreender os caminhos que nos trouxeram até aqui. É urgente a necessidade de falarmos sobre a opressão vivida pelas mulheres, as dificuldades que encontramos para que nossa voz seja ouvida, acolhida e validada. É um livro difícil de digerir, pelas reflexões que traz, pelas notícias que aborda, pelos casos denunciados e, pior, pelos casos que ficam sem solução – infelizmente em maior número. Porém, é uma leitura maravilhosa, que traz inquietações e uma vontade enorme de entender o movimento feminista e as linguagens de suas novas nuances.

Rebecca Solnit é uma escritora estadunidense, famosa pelo termo “mansplaining”, que aborda vários temas em seus livros (cultura, política, ambiente), mas é como ativista do feminismo que hoje é referência e mais conhecida. Seu livro mais famoso aqui no Brasil é OS HOMENS EXPLICAM TUDO PARA MIM (onde ela explica o termo supracitado), publicação de ensaios, textos que ela escreve para revistas e jornais, assim como o livro que hoje trago para vocês.

Você está preparada (o) para ouvir histórias de abuso, estupro, casos que ficam sob o tapete, entre quatro paredes, nos campus universitários, e onde mais tentem esconder a situação da violência contra as mulheres?

"Muitos casos de estupros levam as vítimas a um tribunal ou a sindicâncias universitárias, em que aqueles que julgam perpetuam o descrédito e a desvalorização da vítima com perguntas que a tratam como culpada, pintam-na como pessoa intrinsecamente suspeita, atacam-na com perguntas invasivas, impertinentes e lascivas sobre o seu histórico sexual. As autoridades judiciais universitárias às vezes se preocupam mais com o futuro dos estupradores do campus do que com o futuro das vítimas, e frequentemente tendem a acreditar mais neles do que nelas."

Está interessada (o) em ler sobre a pressão que a mulher sofre por não poder gerar ou decidir não ter filhos?

"Uma das razões pelas quais as pessoas se prendem à maternidade como elemento essencial da identidade feminina é a crença de que são os filhos que permitem consumar a capacidade de amar. Mas há tantas coisas a amar além da própria prole, tantas coisas que precisam de amor, tantas outras tarefas no mundo que cabem ao amor..."

Anda ouvindo sobre a tal “cultura do estupro”, mas não sabe o que exatamente quer dizer?

"Um marido bate na mulher para silenciá-la; um namorado ou um conhecido estuprador impede que o "não" da sua vítima signifique o que deveria significar, isto é, que a jurisdição sobre o seu corpo pertence apenas a ela; a cultura do estupro afirma que o depoimento das mulheres não tem valor, não merece confiança (...).”

Tem curiosidade em saber sobre os bastidores dos famosos que escaparam ilesos, mesmo com histórico de abusos sexuais e estupros?

"Uma faxineira de hotel marcou o começo do fim da carreira do diretor do Fundo Monetário Internacional, o agressor em série Dominique Strauss-Kahn. Mulheres puseram fim à carreira de nomes notáveis em muitas áreas - ou, melhor, esses nomes notáveis destruíram a si mesmos com ações que cometeram contando com a impunidade que acompanha a falta de poder de suas vítimas. Muitos viveram na impunidade por longos anos, alguns durante toda a vida; muitos agora descobriram que não a têm mais."

Já pensou qual o papel do homem nessa discussão toda sobre o feminismo?

Através dos textos de Solnit somos convidados a refletir sobre a condição da mulher em algumas culturas, apesar da autora focar mais na sociedade norte-americana. Sobre como as ideias do poder masculino foram disseminadas e se tornaram armas que ameaçam silenciar o debate feminista, como minimizam e até ridicularizam os casos de agressão e ameaça às mulheres.

Para os amantes dos livros há uma indagação de Rebecca sobre uma matéria publicada na revista Esquire, que lista 80 livros importantes que os homens deveriam ler, levando a autora a imaginar uma lista dos livros que uma mulher não deveria ler – sim, a escritora é irônica também e isso deixa o livro ainda mais saboroso. O artigo publicado levou a revista a reconhecer o erro e convidar escritoras para a elaboração de uma nova lista.

É um livro cheio de dados, questionador, revelador, denunciador. É forte. Seria muito bom que você lesse o livro, senão alguns desses textos, escolhendo a gosto, ainda que só por curiosidade (vai querer mais, garanto). É impactante entender por que vias funciona um sistema que é voltado para favorecer os homens. Como o poder negligencia tanta violência e cala as vítimas. E o silêncio acaba legitimando a opressão.

Uma leitura feminista contemporânea das melhores! Se você faz parte de um clube de leitura, indique o livro, abra a discussão, todas e todos só temos a ganhar.

"O fato de muitos homens acreditarem que têm o direito e a necessidade de controlar as mulheres, pela violência ou por qualquer outro meio, revela muito sobre os sistemas de crença que adotam e sobre a cultura em que vivemos."

Link do livro no Skoob:
https://www.skoob.com.br/a-mae-de-todas-as-perguntas-693763ed696838.html


Manu Hitz
Cearense, fisioterapeuta e mãe. “Eu não tenho o hábito da leitura. Eu tenho a paixão da leitura. O livro sempre foi para mim uma fonte de encantamento. Eu leio com prazer. Leio com alegria.” Ariano Suassuna.

Cortesia do Grupo Companhia das Letras
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

18 comentários em "A Mãe de Todas As Perguntas [Rebecca Solnit]"

  1. A questão do feminismo ainda é vista como tabu ou assunto desnecessário na maioria das vezes. Conversando com minha mãe estes dias, ela me disse que não sabia da existência do termo. Viveu num lar, apanhando do pai(meu avô já falecido) e vendo suas vontades e desejos serem esquecidos e abandonados.
    Devagar hoje em dia, ela tenta a todo custo se adequar sim aos seus sonhos e me alegra ver que ela está conseguindo se livrar de tudo que viveu.
    Meu pai não colabora..rs mas ela é forte!!!
    Por isso, adorei a premissa deste trabalho de Rebecca e claro que quero muito poder conferir mais este ensinamento!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa... Fico feliz por despertar o interesse, quanto mais informação e discussão mais se fortalece a certeza de que precisamos falar sobre feminismo, sobre mulheres, sobre o que nao queremos e não admitiremos mais. Obrigada por sua valiosa contribuição! 😘

      Excluir
  2. Oi Manu, como não falar de feminismo em meio a tantos casos e opressão e violência que assistimos de longe ou até mesmo presenciamos né?! Gostei sim da dica do livro e da resenha. Imagino que os casos sejam fortes e chocantes e que apesar de difícil, devemos ler e refletir sobre a sociedade atual.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Lili, como não falar? Em tempos de denúncias e manifestações, silencio sendo quebrado, continuemos a luta!

      Excluir
  3. Oi, Manu,

    Esse livro com essa demanda crua de questões importantes, chamam atenção, ao levantar questões tão atuais, porém relevantes, e que ainda se propagam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Sim, Daiane, atuais e inadiaveis. Obrigada por contribuir! 😘

      Excluir
  4. Com certeza uma leitura indispensável, infelizmente muitas mulheres não sabem muito sobre o assunto e precisamos urgentemente mudar isso e leituras como essa ajudam demais. Já ta na minha lista e vou indicar para as amigas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso os projetos Leia Mulheres, Leituras Feministas, dentre outros, Luana. Nao da mais para ficar indiferente a tanta violência e omissão. 😘

      Excluir
  5. Olá, Manu
    Ainda não conhecia o livro, mas quero muito ler.
    É um assunto de suma importância que muitos ignoram, mas muito atual.
    Minha tia foi casada por mais de 20 anos com o primeiro marido que batia nela todos os dias, depois separou dele e arrumou outro marido que batia nela também. Não era certo isso tetamos ajudar ela a separar e tal, ela recusou a ajuda e não separou dele.
    E muitas mulheres que tem namorados, maridos são humilhadas verbalmente e estupradas também. Temos de um tum pouco e muitas ainda não se libertam desses relacionamentos por medo, falta de informação ou a criação que tiveram.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, luana... É uma situação dolorosa. Muitas ficam em relações doentias por uma série de motivos, de treinamento eles a dependência financeiro, mas tb pelos filhos, para manter a família, enfim, e uma conscientizacao lenta e necessária. Obrigada pelo depoimento! Bj 😘

      Excluir
  6. Oi Manu!
    Tenho um interesse imenso nesse assunto, venho acompanhando mto sobre, até pra aprender mais sobre.
    Gostaria de ler esse livro e estar á par de novas informações tbm.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline eu TB sou como vc, tenho interesse e fico de olho nas ideias. Tem um clube de leitura feminista aqui na minha cidade, de vez em quando compareço. Sempre bom trocar idéias. 😘

      Excluir
  7. Oi Manu!
    Gostei bastante da indicação do livro acho importante nos informamos mais sobre esses assuntos e realmente um livro para quem quer saber mais sobre violência contra mulher que infelizmente é um dos temas mais recorrentes na nossa sociedade.
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, Marta, infelizmente sabemos todos os dias de um e outro caso pela midia. Isso é alarmante. Por isso nosso interesse no tema. 😘

      Excluir
  8. Oi Manu,
    Ninguém nunca está preparado para lidar com casos tão pesados como abuso, por exemplo, mas tem coisas na vida que são necessárias serem abordadas e discutidas. O feminismo ainda não conseguiu atingir a massa da população necessária para que mais mudanças ocorram, por isso livros como A MÃE DE TODAS AS PERGUNTAS são essenciais para esta luta. Em um mundo onde os homens são sempre favorecidos tudo para nós, mulheres, vira uma batalha e por mais que seja cansativo temos que ter em mente o quanto cada pequena conquista conta.

    ResponderExcluir
  9. Oi Manu,
    Que interessante esse livro que aborda sobre o feminismo.
    Claro que não é fácil ler sobre alguns temas, esses casos notórios que os abusadores saíram ilesos, como não se revoltar?!
    Por isso mesmo é importante ficar ciente, desenvolver a sororidade.

    ResponderExcluir
  10. Olá! O livro aborda um tema muito importante nos dias de hoje, acredito que por ele nos apresentar fatos e dados reais, nos permite refletir como a sociedade lida com essas questões, e quais as mudanças necessárias para que não repitamos essas atitudes, e possamos, também, conscientizar as novas gerações.

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir