acompanhe o blog
nas redes sociais

4.12.18

A Essência do Mal [Luca D'Andrea]

Ed. Intrínseca, 2018 - 368 páginas
- "Um lugar amaldiçoado. Um caso abandonado. Um assassino que não deixa rastros. Jeremiah Salinger ganha a vida fazendo documentários, até que se muda com a família para uma região remota da Itália. Lá, após um acidente com o helicóptero em que está fazendo uma filmagem, passa a ser atormentado pela ideia de que existe nas montanhas ao redor uma força que não consegue entender e a que chama de A Besta. Anos depois, em um passeio com a filha no Bletterbach — um desfiladeiro com toneladas de fósseis —, Jeremiah escuta uma conversa que lhe dá um novo foco na vida. Em 1985, três jovens foram mortos ali, e seus corpos, desmembrados por um assassino que nunca foi descoberto. Para solucionar o mistério, que marcou uma cidade inteira por décadas, Jeremiah mergulha em um quebra-cabeça macabro e fascinante."

Onde comprar:

As várias faces do mal

O início do livro é tão impactante que irei repeti-lo aqui. É com parágrafos assim que se ganha o leitor.

É sempre assim. No gelo, primeiro se ouve a voz da Besta, depois se morre. Blocos de gelo e abismos idênticos àquele em que eu me encontrava estavam cheios de alpinistas e escaladores que tinham perdido as forças, a razão e por fim a vida por culpa daquela voz.

Socorro das Dolomitas retratado no livro
Fácil se apegar a um livro que rasga logo de cara nossa sensibilidade, deixando-nos suscetíveis ao que vem pela frente. Acidentes com alpinistas acontecem em todo momento e por inúmeros motivos: falta de conhecimento das técnicas, falta de conhecimento sobre o caminho, falta de preparo físico, pouca visibilidade, pouca oxigenação, excesso de confiança, estupidez. Cabe aos socorristas enfrentar este universo amedrontador em busca daqueles que iniciaram a jornada, mas não retornaram.

O terror no olhar do rapaz paralisado por um ataque de pânico. A dor do pastor com a perna esmagada por um desmoronamento de pedras. O turista semicongelado. O casal perdido na neblina. Uma infinidade de ossos quebrados, bacias deslocadas, articulações destruídas, sangue, suor. Muitas lágrimas, poucos agradecimentos.

O livro A essência do mal (Intrínseca, 368 páginas) do italiano Luca D’Andrea trata justamente deste enfrentamento, seja por alguém treinado (socorrista), seja por um inexperiente (visitante), que se depara com forças que vão além da compreensão. Que energia possui lugares inóspitos da natureza que podem influenciar negativamente às pessoas?

Jeremiah Salinger e seu amigo Mike McMellan ganham a vida criando documentários, são astros em ascensão. Salinger escreve roteiros e Mike grava as imagens. Porém, Mike adoece e Salinger resolve ir em seu lugar gravar algumas cenas das montanhas de Siebenhoch. O helicóptero em que estão sofre um acidente e apenas Salinger sobrevive para carregar a culpa, um tormento e uma ideia fixa de que ao redor das montanhas existe algo desconhecido, uma força, um mal a que ele chama de Besta.

Região aprazível de Trentino-Alto Ádige, Itália
(com as montanhas imponentes e misteriosas a espreitarem seus moradores)
Jeremiah vai para Siebenhoch porque é lá que foi criada sua esposa. Este local fica ao norte da Itália fronteira com a Áustria, porém lá é uma colônia de alemães e austríacos. Jeremiah é americano e nunca se sentiu tão estrangeiro quanto em Siebenhoch, aliás todos que não nasceram lá são tratados como estrangeiros. Pequenos lugarejos têm seus segredos.

Revire um pouco abaixo da superfície de um vilarejo de setecentas almas e você vai encontrar um ninho de cobras.

Depois do acidente do helicóptero ele é responsabilizado e hostilizado pelos moradores, aumentando sua sensação opressora de solidão e desconforto.

Excursionando com a filha pelo desfiladeiro ele ouve acidentalmente sobre a morte de três jovens há quase 30 anos. Os jovens foram brutalmente atacados e tiveram os membros arrancados, sendo que o assassino ou assassinos nunca foram encontrados.

— Na guerra se mata. Caçando se mata. Matar é humano, mesmo que não se admita, e é justo que se busque impedir isso o máximo possível. Mas o que foi feito com aqueles três pobres garotos no Bletterbach em 1985 não era matar. Foi um massacre que de humano tinha bem pouco.
— Deus estava olhando para outro lado, naquele 28 de abril.

Desvendar este mistério torna-se a obsessão de Jeremiah. No Bletterbach há pegadas de fósseis pré-históricos. Haveria ali naquele local uma força oculta, um animal pré-histórico que conseguiu sobreviver vivendo nas cavernas?

Era uma ideia louca, eu tinha consciência disso. Mas longe de fugir dessa loucura, eu me joguei de cabeça nela. Melhor a loucura do que o pesadelo em que eu me encontrava. Então, tive fé na loucura. Se eu descobrisse o assassino do Bletterbach, derrotaria a Besta...

E o enredo se desenvolve na busca pelos responsáveis ou responsável pelo massacre dos jovens. E quanto mais perto Jeremiah chega da verdade, mais se afasta dos entes que mais ama. Jeremiah, em algum momento, terá que enfrentar a Besta, enfrentar a si mesmo e se possível se redimir.

Em 1º de março, decidi que tinha chegado a hora. Alguns dizem que a gente se torna homem quando enterra os próprios pais, outros, quando você se torna pai. Eu não estava de acordo com nenhuma das duas filosofias. Nós nos tornamos adultos quando aprendemos a pedir desculpas.

Vista aérea do Bletterbach, local do massacre
Quero deixar claro que não busquei este livro por causa da propaganda massiva, nem da comparação ao mestre Stephen King. Eu já conhecia D’Andrea e esperava um lançamento qualquer dele. Meu primeiro contato foi com seu livro “Wunderkind: uma reluzente moeda de prata”, o volume 1 de uma trilogia que a Bertrand Brasil não se preocupou em terminar. Fiquei órfão já que havia ficado maravilhado com o universo criado pelo autor.

Então quando surgiu este livro não tive dúvidas, adquiri e me lancei na leitura que logo me fez relembrar daquele autor que havia me conquistado. O livro foi tomando fôlego cada vez mais até chegar ao seu final. Aí me desentendi com ele. Pensei em um final diferente, fantástico, irreal, mas plausível. O final de D’Andrea foi duro, cruel, mas sem encantamento.

Além do mais achei inverossímil. Posso estar sendo incompassível, mas achei tudo feito às pressas, como se ele não soubesse como terminar o livro. Muitos irão discordar de minhas palavras e não será novidade já que muitas vezes me acho um parvo, mas é que para a solução dada não encontrei pistas anteriores, foi como num passe de mágica.

Como esperava muito deste autor acabei me frustrando. Mas vá lá, é um livro, sem dúvida, gostoso de ler e poderá agradar em cheio a muitos leitores. Aguardo ansiosamente outras opiniões.


Rodolfo Luiz Euflauzino
Ciumento por natureza, descobri-me por amor aos livros, então os tenho em alta conta. Revelam aquilo que está soterrado em meu subconsciente e por isso o escorpiano em mim vive em constante penitência, sem jamais se dar por vencido. Culpa dos livros!
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

27 comentários em "A Essência do Mal [Luca D'Andrea]"

  1. Oi, Rodolfo,

    Não o li ainda, mas somente em ler essa resenha, sinto que esse mistério inserido no livro tem um diferencial. Mexe com o imaginário do leitor em relação a resolução final e o mal que permeia toda a trama.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Daiane, gosto da forma como D'Andrea escreve, é bem peculiar, coisa de italiano, rs. não é o melhor que li do autor, mas tem lá seus encantos.

      Excluir
  2. Oi Rodolfo,
    Acho muito interessante tudo isso de mistério, mas esse livro não conseguiu me pegar :/ Sei lá, não me parece muito interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Theresa, isso algumas vezes acontece mesmo. nem todo livro nos chama a atenção. é bem verdade que tendo gostado de outro livro deste autor acabei me jogando de cabeça neste livro. de qualquer forma não há problema algum em não querer lê-lo, porém é sempre bom deixar nossa zona de conforto para ler algo que não nos atrai, acabamos por conhecer outros pontos de vista.

      Excluir
  3. Eu costumo gostar de cara de livros de mistérios, gosto de todo o drama que envolve esses livros, e a forma como nos instiga a querer saber o que realmente esta acontecendo.
    Mas esse parece ser aquele livro que se arrasta, arrasta, enrola, enrola... Sabe? rsrs
    Posso estar julgando mal, é por isso que é importante lermos para tirarmos nossas próprias conclusões. As vezes um não gosta, e outra ama.

    Adorei a resenha, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Andressa, não sei se "enrolar" seja o diagnóstico correto. e é bem provável que muita gente vá dizer que estou sendo severo demais. mas leia também, talvez você me faça enxergar tudo por um outro ângulo. obrigado pelas palavras carinhosas. bjos

      Excluir
  4. Olá Rodolfo!
    A história é mesmo de arrepiar, não? O livro não faz muito o meu estilo mas gostei de saber que temos outros autores se lançando nesse gênero. A trama me chamou a atenção pois se passa na Itália, deixando um pouco de lado aquele culto a cultura americana que tem em excesso por aí. Fiquei intrigada com essa besta, acho que poderia ser o Pé Grande já que o local é rodeado de neve hahaha.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Aline, é uma história que começa de forma vertiginosa e depois vai perdendo um pouco o ritmo. mas é bem legal sim. e tem um autor diferente né, italiano, então bora conferir. gostei da ideia do pé grande, quem sabe não seja mesmo ele? bjos

      Excluir
  5. Não é o meu tipo de leitura.
    Pelo título eu imaginava algo mais horripilante.
    É interessante abordar a vida dos alpinistas, os acidentes... algo pouco falado.
    O início do livro é realmente impactante, pena que não tenha sido um livro completo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Ludyanne, não é que eu também imaginava, rs. acho que o autor pecou no final, mas não quer dizer que o livro não seja bom, é sim, e muita gente vai dizer que estou louco (adoro pontos de vista conflitantes). espero que você leia também e volta pra gente prosear. bjos

      Excluir
  6. Oi, Rodolfo
    Namoro esse livro desde o seu lançamento, e não conheço a escrita do autor.
    Li algumas resenhas e cada vez fico mais instigada a querer ler.
    É complicado quando vamos com muitas expectativas e nos decepcionamos. Mas tenho certeza que é um leitura que vale muito, que prende o leitor, cheias de reviravoltas.
    Espero ter oportunidade de fazer essa leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Luana, fico feliz em saber de seu interesse pelo autor. aconselho a leitura de "wunderkind: uma reluzente moeda de prata" do mesmo autor, é um livro maravilhoso. pena terem lançado apenas o primeiro livro da série aqui na terrinha. oportunize-se, leia também e volte pra deixar suas considerações aqui. bjos

      Excluir
  7. Este é com certeza um dos meus gêneros favoritos, mas ainda não tive a oportunidade de conferir este livro. E olha que já foi lançado tem um tempinho. Ele está na lista de desejados!
    O ruim de se conhecer o trabalho de um autor ou autora e gostar muito, é que se cria mesmo que sem querer, esta expectativa e oh, todos falham..rs Nem sempre conseguem manter o mesmo nível e eu não acredito que isto seja ruim não. Só ver por outros ângulos!
    Mesmo com estes pontos negativos da história, com certeza, quero muito ler, até pelo título!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Flor, se este é seu gênero então bora ler também. fico feliz que este esteja entre seus desejados e sugiro "wunderkind: uma reluzente moeda de prata" do mesmo autor, que acredito ter qualidade superior. bjos

      Excluir
  8. Não conhecia o autor ou a fama desse livro, mas ele me atraiu pela capa faz pouco tempo. Esse pontapé inicial realmente ganha o leitor. Uma pena que traga a decepção no fim. Não sei se leria agora, mas fiquei bastante curiosa com "Wunderkind: Uma reluzente moeda de prata" que citou rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Alice, a capa já é um bom começo e confesso que já comprei inúmeros livros pela capa. alguns foram surpresa, outros decepção, esta é a vida de leitor viciado, rs. mesmo quando vejo uma resenha pouco favorável há um bichinho que me pica e me deixa sempre com vontade de ler, então leia, pode ser que lhe agrade. quanto a wunderkind, nem te conto, é belíssimo!

      Excluir
  9. Rodolfo querido!
    Como nada li do autor, nem posso dizer muito.
    Quanto a este livro, a princípio, achei o enrede sem muito interesse, porém, lendo sua resenha, parece um thriller que prende o leitor, mesmo com sua ressalva de um final inverosímel.
    Acreditoq ue a leitura e o entendimento vem de cada leitor, por isso, talvez, muitos tenham opinião divergente da sua, mas o que iporta, foi o seu sentimento de frustração...
    “A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DEZEMBRO - 7 GANHADORES – BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Rudynha, não ligue para a minha ressalva, provavelmente eu não estava em um bom momento, rs. é um livro de leitura saborosa, bom pra se conhecer um pouco mais sobre este escritor italiano bastante famoso em seu país. leia também. brigaduuuu

      Excluir
  10. Olá Rodolfo,
    Bonita a capa, a sinopse despertou meu interesse e o cenário é um encanto a parte.
    Pena que o final não deu certo, é frustrante quando o resultado fica inverossímil ao que foi apresentado ao longo das páginas.
    Esse autor ainda não conheço,mas lembrei de outro italiano muito bom, recomendo o Donato Carrisi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Helen, a capa é realmente lindona. qdo digo q o final me frustrou não quer dizer que não vá funcionar com outro leitor. de qualquer maneira é um livro caprichado. sua dica já está anotada. brigaduuuu

      Excluir
  11. Rodolfo,

    Eu fiquei sem fôlego só de ler a sua resenha. Esse é o tipo de livro que me prende. Essas buscas para desvendar alguma mistério, o suspense, tudo isso me prende muito. Eu não tinha lido nada sobre esse livro, também nunca li nada do autor. Achava que seria um simples livro com algo sobrenatural mas não é o que parece.
    Na verdade, acho que sempre queremos um final diferente do que nos foi dado. Frustração constante de todo leitor. kkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Nil, que legal... engole o fôlego aí e bora ler este livro. com certeza é mais que o sobrenatural que está presente. há muito de relações humanas e segredos de uma cidade. confesso que nunca havia pensado na frustração constante de nós leitores rsrsrsr. ficarei de olho nisso rsrsrs. bjo

      Excluir
  12. Olá! Nunca li nada do autor, confesso que a sinopse não chama muito minha atenção, e é uma pena que o livro não tenha atingido suas expectativas, é realmente frustrante quando isso acontece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Elizete, pena pra nós dois então, já que também chamou sua atenção. confesso que gostei bastante do livro até seu final, não me arrependo da leitura, mas poderia ter sido melhor.

      Excluir
  13. Olá, a sinopse é um prato cheio para os amantes de um bom suspense, sem contar que a capa, sombria do jeito que é, também chama bastante atenção. Vejo que o autor sabe conduzir as partes frenéticas da trama muito bem, porém, como foi mencionado, as explicações não foram entregues ao leitor, para que este fosse capaz de unir as peças do quebra-cabeça, o que acaba sendo um pouco frustrante. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alison, eu diria que o final não me convenceu, mas me considero um tanto quanto obtuso, pode ser que sua leitura seja mais perspicaz que a minha. bjo

      Excluir
  14. Não é o tipo de leitura que eu estou acostumada, mas eu gostei bastante da premissa e disso de alpinistas. Parece um livro que tem tudo para nser ótimo, mas é uma pena que tenha se perdido no final.
    Mas mesmo assim gostaria de ler para poder tirar minhas próprias conclusões.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir