acompanhe o blog
nas redes sociais

12.4.19

Menina Boa Menina Má [Ali Land]

Cortesia do Grupo Editorial Record

Annie é uma adolescente que denunciou a sua mãe para a polícia, pois ela é uma assassina em série de crianças. A partir desse momento, ela vai morar em um lar adotivo temporário e começa a ser chamar Milly. Agora, ela tem uma chance de recomeçar ao mesmo tempo que precisa se preparar para depor no julgamento da mãe. Junto com todas essas questões, ela principalmente vai ter que lidar com a sua mente, e com o medo de ser tão má quanto mãe, mesmo quando se esforça para ser diferente.

“Li num livro uma vez que gente violenta tem a cabeça quente, enquanto psicopatas são frios de coração. Quente e frio. Cabeça e coração. Mas e se a gente sai de uma pessoa que é as duas coisas? O que acontece? (pág. 43)”

Sou apaixonada por thrillers psicológicos e por isso fiquei doida para ler esse livro desde o lançamento. Milly é uma personagem confusa e acompanhar a história pelo seu ponto de vista é perturbador. Ao longo da narrativa vamos começar a desconfiar de que algumas coisas possam não ser verdade, e isso deixa a trama ainda mais interessante.

Título: Menina Boa Menina Má
Autor: Ali Land
Tradutor: Margarida Filipe
Editora: Record
Gênero: Policial, Suspense e Mistério
Páginas: 378
Edição:
Ano: 2018
Onde comprar: AmazonSubmarino, Travessa

Logo no início, tudo o que sentimos é pena. Milly teve uma infância traumática e chega a ser muito difícil de entender tudo o que ela passou. Ela sabe que tudo o que a mãe fez é errado, tenta acreditar que não é a sua culpa, mas ainda assim, as raízes que a mãe deixou foram tão profundas que apesar de tudo ela ainda sente falta dela.

A família adotiva que Milly vai também é um desafio a parte. Mike, Saskia e Phoebe são pessoas que precisam aprender a viver em harmonia, cheio de rancores e que deixa a casa até mesmo carregada. Odiei Phoebe desde o início e senti pena de Mike, que a todo o momento fazia de tudo para manter a paz e o lugar tranquilo para todos. Saskia não tem tanto destaque e é irrelevante pra mim.

Apesar de eu ter gostado bastante da leitura, tive muitas dificuldades em finalizá-la. É uma leitura bem densa e por conta disso acabou sendo um gatilho para minha ansiedade. A partir do momento que as coisas se encaminhavam para uma direção que eu achava que ia dar ruim, ou com a chegada do julgamento, eu simplesmente me sentia tão mal que precisava parar a leitura. Claro que isso foi um caso pessoal e que não tira o brilho da obra, mas achei interessante citar.

A autora tem uma escrita fluida e envolvente e desde o início ficamos presos para saber mais sobre o passado da protagonista com a sua mãe, ver se ela vai conseguir se adaptar à essa nova vida e tentar compreender suas atitudes e ações. É um livro instigante e que eu recomendo todo mundo a ler. Não vão se arrepender.

Beijos e até a próxima.

comentários pelo facebook:

18 comentários em "Menina Boa Menina Má [Ali Land]"

  1. Fiquei bem curiosa para ler esse livro, sua resenha ficou ótima e atrativa, assim que eu ler venho contar o que achei ;)

    https://www.submersaempalavras.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabriela,
    Você contando que ficou agoniada, por causa da ansiedade já me deixou com um pé atrás, já que também sou bem ansiosa. Achei bem interessante esse livro, mas não sei se fiquei muito empolgada para ler ele

    ResponderExcluir
  3. Estava lendo a resenha e olhando pro meu exemplar ali na estante. Minha próxima leitura, assim que finalizar o que estou lendo.
    E se já havia pensando que seria uma leitura que iria amar, agora tenho mais certeza ainda. Até pelo lance da ansiedade. Sei lá, eu gosto muito disso tudo..rs
    O amor pode ferir a fundo, ainda mais quando o único amor que se conhece, é o que fere.
    Lerei!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Olá! O livro parece ser bem intenso, essas dúvidas que o enredo coloca em nossa mente são sempre bem angustiantes, eu fico naquela aflição de acabar logo a leitura para descobrir o que é de fato verdade.

    ResponderExcluir
  5. Esse livro parece forte; essa brutalidade com crianças mexe muito comigo.
    Gostei da resenha e de saber um pouco mais sobre.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Annie/Milly é uma personagem bem complexa não é? Percebi pela resenha que ela tem um comportamento um tanto quanto dúbio. Seria ela tão diferente da mãe? Será que um dia a maldade que existe nele eclodirá e terá o mesmo destino da mãe?
    Só lendo pra descobrir...
    Amei o efeito da capa do livro.

    ResponderExcluir
  7. Eu já tinha visto algo sobre este livro em algum lugar, mas não me recordo onde, porém desde então estou instigada a lê-lo. A Milly deve ser uma personagem bem complicada, pois o fato dela ter possivelmente presenciado as atrocidades da mãe deve ter mexido muito com a mente dela. Foi bom saber que a escrita é fluida, espero me envolver bastante com a narrativa.

    ResponderExcluir
  8. Gabriela!
    Não tinha lido ainda nenhuma resenha desse livro e estava curiosa, porque gosto muito quando o livro é mais para thriller psicológico do que terror puro.
    Ver a mudança que acontece com a protagonista nno decorrer do livro, deve ser impactante.
    Quero ter o prazer de ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  9. Oi Gabriela,
    Deste o lançamento deste livro venho acompanhando resenhas e cada vez que leio uma recomendação fico mais ansiosa pela leitura. Menina Boa Menina Má trás um tema que rende muita discussão e por mais que tenhamos muitos livros publicados do gênero, poucos abordaram essa questão. Até que ponto a maldade/crueldade influencia e marca uma pessoa? Como determinar se alguém virá a ser um criminoso se um dos progenitores o for ou pela simples convivência? O livro é para mexer com o psicológico do leitor, pois a autora focou em um lado da história que sempre é negligenciado. Milly ainda é muito nova, mas já presenciou muita crueldade e isso me intriga, pois fico imaginando o que se passa em sua cabeça, como ela consegue diferenciar o certo e errado por exemplo. Denunciar a mãe foi a atitude correta, mas ainda assim, é sua mãe, então entendo ela sentir falta da presenta materna em alguns momentos. Como o livro é um thriller é claro que vou querer ler, só ainda não sei quando.

    ResponderExcluir
  10. Olá, Gabriela
    Namoro o livro desde seu lançamento, amo thrillers.
    Li muitas resenhas sobre o livro ainda não tive oportunidade para ler, é uma leitura fascinante e intrigante ao mesmo tempo que envolve crianças, crimes bárbaros, mistério do porque a mãe comete os crimes. A filha faz essa denuncia porque não aguenta mais ver o sofrimento de tantas crianças inocentes e depois sente falta da mãe.
    Imagino um pouco do sofrimento que Annie passa e claro que sente falta da mãe, o turbilhão de pensamentos se ela pode ser má quanto sua mãe.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Também adoro thrillers psicológicos. Sei que a leitura normalmente é impactante e com esse livro deve ser mais ainda já que a relação é entre a filha e a mãe. Gostei da sua sinceridade em dizer quanto foi difícil seguir com a leitura.
    Desde o lançamento desse livro que quero ler. Até a capa me atraiu. E todas as resenhas que leio são sempre positivas.

    ResponderExcluir
  12. Olá Gabriela!
    Gosto de livros do tipo, ver como os autores conseguem nos manipular ao explorar a complexidade da mente humana me deixa fascinada com tamanha habilidade. Uma protagonista jovem que sofreu tanto e foi marcada por essa infância deixa tudo ainda amais sombrio, porém traz a tona vários questionamentos. Dá pra perceber a densidade da história quando você comenta a sua reação, deve ter sido horrível se sentir assim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi Gabriela,
    Já tinha visto esse livro e a sinopse atiçou minha curiosidade, faz meu estilo.
    Parece uma leitura tensa, essa parte de desconfiar que as coisas possam não ser como aparentam, é interessante. Quero acompanhar a narrativa perturbadora de Milly.

    ResponderExcluir
  14. Olá Gabriela!
    Adoro quando um livro nos faz desenvolver uma linha de raciocínio para no final mudar completamente o rumo da história, e neste thriller temos um plot chamativo que com certeza prende o leitor, o qual vai desenvolvendo uma curiosidade crescente acerca do mistério envolvendo a protagonista. É fato que em alguns momentos é exigido do leitor estômago para acompanhar algumas cenas mais chocantes, porém a qualidade da narrativa reside exatamente aí.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Gabriela!
    Assim como você também sou apaixonada por thrillers psicológicos, mas confesso que faz um tempão que li algo do gênero, o último que li foi bem decepcionante :(
    Em relação a Menina boa, menina Má, sinceramente a trama não despertou o meu interesse, não fiquei com vontade de conhecer mais da história da Milly, por isso o livro não vai para a minha lista de leitura, mas se a oportunidade de o ler surgir arriscarei a leitura sim pois como eu disse gosto do gênero... Bjos!

    ResponderExcluir
  16. Eu gosto de thrillers psicológicos e essa capa por si só já assusta. O enredo é interessante e a autora parece manter uma tensão sempre presente. É realmente forte quando uma leitura acaba nos envolvendo e mexendo com nossos sentimentos dessa forma. Fiquei curioso e já anotei essa dica.

    ResponderExcluir
  17. Apesar de que desde o lançamento também fiquei na curiosidade sobre o livro, não havia lido nenhuma resenha sobre ele, a sua foi a primeira, e fiquei com mais vontade ainda, vou pegar e ler logo pra tirar minhas conclusões.

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Eu já vi muito desse livro e ainda não tinha lido resenha dela, até agora. Tem um Thriller psicológico que adoro muito, um gênero que gosto bastante. Fiquei um tanto curiosa por essa historia, espero ler em breve.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir