acompanhe o blog
nas redes sociais

24.4.19

O Ódio que Você Semeia [Angie Thomas]

Cortesia do Grupo Editorial Record

Eu participei de uma leitura coletiva de O Ódio que Você Semeia no final de 2017. Fiquei tão impactado com a história de Starr que não consegui escrever sobre ela na época. Agora que a Galera Record está relançando o livro de Angie Thomas com a capa do filme, aproveitei para reler e escrever, finalmente, a resenha dessa obra poderosa.

Título: O Ódio Que Você Semeia
Autor: Angie Thomas
Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Galera Record
Gênero: Jovem Adulto
Páginas: 378
Edição:
Ano: 2019
Favorito
Onde comprar: AmazonSubmarino, Travessa

Starr é uma garota negra de 16 anos que não consegue se encaixar em nenhum grupo. Ela não é branca por causa da cor da sua pele, mas os jovens de Garden Heights acham que ela não é negra o suficiente por causa da sua forma de agir e falar.

Por coincidência, acabei de assistir um episódio de Queer Eye (disponível na Netflix), chamado Uma Mulher Poderosa, que trata do mesmo tema. Em um determinado momento, Karamo se revolta:

“Me incomoda quando as pessoas tentam definir nosso estilo ou nossos gostos somente se baseando no nosso tom de pele. Porque vai muito além disso. Não há apenas uma forma de ser negro (Queer Eye - T3E5)”

Os pais de Starr não deixam ela fazer praticamente nada no bairro pobre onde mora. Quando ela não está na Williamson Prep, uma escola de classe alta que fica a 45 minutos de distância, está trabalhando com o pai no mercado da família. Por isso, vai escondida com a amiga Kenya para a festa de recesso da primavera na casa de Big D.

Quando a guerra entre as gangues King Lord e Garden Disciples chega à festa, Starr foge com Khalil, seu melhor amigo de infância. Antes dele conseguir deixa-la em casa, eles são parados por um policial branco que acaba dando três tiros no amigo de Starr. Khalil estava desarmado e Starr é a única testemunha.

“Uma pessoa negra é morta só por ser negra e o mundo vira um inferno. [...] Eu sempre disse que, se visse acontecer com alguém, minha voz seria a mais alta e garantiria que o mundo soubesse o que aconteceu. Agora, sou essa pessoa, e estou morrendo de medo de falar.”

Fiquei com medo de ler O Ódio que Você Semeia quando ele foi lançado por achar que poderia ser pesado e panfletário demais. Mas, graças à amigos que me convidaram para ler o livro de forma coletiva, pude apreciar essa obra tão necessária para o mundo em que vivemos.

A minha maior surpresa foi a escrita da autora negra americana Angie Thomas. Mesmo tratando de temas fortes, ela apresenta uma narrativa leve e fluida para contar a busca de uma menina negra de 16 anos por sua verdadeira identidade e, por consequência, a sua voz. Ao invés de levantar bandeiras políticas e sociais sobre o racismo, a autora nos faz ter empatia por uma raça que já foi escravizada e que sofre opressão até os dias de hoje. Um verdadeiro tapa na cara.

Apesar de todo esse lado realista, o livro é um YA e também traz um romance fofo e momentos divertidos na medida certa. Os personagens são muito bem construídos, principalmente a família de Starr.

Não é à toa que o livro já está em sua 8ª edição aqui no Brasil. A edição da Galera Record é de primeira, como sempre. Adorei a capa do filme, onde a atriz Amandla Stenberg, que vive a protagonista no filme, substitui o desenho da capa original.


Falando em adaptação cinematográfica. A Fox fez uma pífia distribuição do filme no Brasil. Ele nem chegou a ser exibido no Espírito Santo, estado onde moro, então, ainda não consegui assistir.

“O músico Tupac Shakur disse que Thug Life (Vida Bandida) queria dizer The Hate U Give Little Infants Fucks Everybody, ou O Ódio que Você Semeia para as criancinhas f*d* com todo mundo.”

Um excelente livro que merece ser lido não só pela mensagem que passa, mas por ser uma bela história de crescimento e superação.

comentários pelo facebook:

18 comentários em "O Ódio que Você Semeia [Angie Thomas]"

  1. Ahh o filme!!! Acabei vendo o filme no final de 2018 e simplesmente amei cada detalhe, mas também confesso que achei um absurdo que nenhuma divulgação e distribuição tenha sido feita.
    Sei lá, penso que pelo tema tão forte e tão atual, deveria ser meio que obrigatório que todos pudessem ver.
    Ainda não li o livro,mas morro de vontade de ler, não para fazer comparações entre livro e filme, mas para poder absorver mais detalhes!
    Starr é uma personagem única, mas sua família também!!!
    Super recomendo a adaptação e pretendo ler o livro em breve!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi André,
    Eu sou uma mulher negra e, mesmo nunca tendo passado por uma situação como a de Starr, a possibilidade sempre esteve pairando sobre mim e minha família. Por mais que a gente queira acreditar que o preconceito vai acabar um dia, hoje ele ainda é muito presente na sociedade e as vezes se manifesta nas coisas mais simples e rotineiras. E junto a ele temos a injustiça que faz com que cada luta perca o sentido. O ódio que você semeia foi um livro que me abriu os olhos e me deixou impactada por vários dias, pois mostra uma realidade presente, mas que muitos preferem ignorar. Logo após a leitura eu assisti ao filme que ficou maravilhoso e transmitiu a mensagem que a autora quis passar com o livro. Mas a pouca divulgação da adaptação em nosso país me deixou com raiva e muito triste, pois esse tipo de história precisa ser contada e ouvida por todas as pessoas.

    ResponderExcluir
  3. Olá André,
    Muita gente fala super bem desse livro, nunca li, mas quero muito, pois é difícil de se ver um livro que trata de uma protagonista negra e tem a questão do assassinato e tudo mais!
    Amei que você falou de Queer Eye

    ResponderExcluir
  4. Olá André!
    Angie Thomas entrou pra minha lista de autoras favoritas depois da leitura dessa obra, que na sua complexidade marca o leitor profundamente, ao mesmo tempo que cria o sentimento de revolta pela injustiça impune. A autora consegue abordar o racismo na sua forma mais subjetiva, sendo que só quem já passou pela mesma situação é capaz de entender a magnitude psicológica que a intolerância é capaz de gerar. Enfim, por mais doloroso que seja, a obra corrobora para a construção de um mundo no qual o racismo deixe de ser uma realidade.
    Beijos.

    ResponderExcluir

  5. Realmente um assunto forte intenso e muito importante para ser discutido.
    Não sabia dos detalhes sobre a vida da Starr, como o fato de estudar em uma escola particular e ser “uma Starr diferente” da Starr do lugar onde mora.
    Só tenho visto elogios a O Ódio Que Você Semeia.
    Infelizmente o filme não fez jus a essa obra prima da literatura atual.

    ResponderExcluir
  6. Olá André!
    Realmente "tapa na cara" da sociedade é como defino esse livro. Um dos melhores que li esse ano. O título por si só já nos dá uma lição de moral. O filme é bom mas não supera o livro. Angie mostrou maestria em abordar o tema, após a leitura é impossível não ver o mundo com outros olhos e identificar os preconceitos que nos cercam. É um livro que todos deveriam ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Também tive medo de ler O ódio que você semeia, mas agradeci por ter lido.
    É uma obra espetacular e necessária.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi, André!
    Não curto livros que abordam assuntos fortes e pesados, por isso é bom saber que a autora mesmo tratando de temas fortes em O Ódio que Você Semeia narrou a história de forma leve e fluida... Não li O Ódio que Você Semeia mas desde que foi publicado pela primeira vez tenho interesse em conhecer a história de Starr, agora com esse relançamento com a capa do filme vou ver se eu consigo finalmente ler... Bjos!

    ResponderExcluir
  9. Esse foi um livro que me emocionou muito, ele me tirou um pouco da bolha em que eu vivia. Acompanhar a trajetória da Starr me proporcionou uma avalanche de sentimentos: senti raiva da falta de profissionalismo da polícia, fiquei frustrada com a impunidade, fiquei triste pelo Khalil que era tão jovem e ainda tinha uma vida toda pela frente. O ódio que você semeia foi um livro que com certeza mexeu muito comigo. Todo mundo deveria lê-lo.

    ResponderExcluir
  10. Oi, André
    Ainda não li o livro e nem assisti ao filme.
    Mas quero muito poder assistir o filme, uma pena que aqui no Brasil não foi tão divulgado quanto deveria. Quando assisti ao trailer pude ver que é um filme/livro que nos faz refletir sobre nossa vida, atitudes e pensar na realidade de muitas pessoas negras.
    Ganhei o livro em fevereiro e por conta do trabalho estou lendo menos por esses meses, mas quero muito ler em breve. Estou adiando essa leitura porque penso que será uma leitura que vai proporcionar uma explosão de sentimentos e claro me levar as lágrimas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá! Esse livro está na minha lista há um tempo, por indicação de uma amiga e eu quero muito conferir essa história tão tocante e infelizmente tão verdadeira. Starr parece ser uma personagem bem forte, apesar de tão nova, esse é um dos poucos livros que eu gosto tanto da capa do filme, quanto da original.

    ResponderExcluir
  12. Li esse livro o ano passado, e até agora a história não sai da cabeça, deve ser porque infelizmente isso ainda faz parte da nossa vida, do nosso dia-a-dia. É um livro que todo mundo deveria ler, na minha opinião.
    Agora falta assistir ao filme, ainda não tive oportunidade.

    ResponderExcluir
  13. André, quero muito ler esse livro. Mas sei que antes vou acabar vendo o filme.
    Esse é um tema que sempre que é abordado passa alguma mensagem que pesa no coração da gente. Com certeza racismo é uma coisa simplesmente ridícula.
    Gostei da capa do filme. Vou conferir os dois, espero que em breve.

    ResponderExcluir
  14. Não me lembrava do título, mas tenho uma vaga lembrança que já li sobre esse enredo ou vi alguma coisa do filme em algum lugar. Acho interessante o ângulo abordado, mostrando as situações através da vida dos personagens e situações que os envolve, sem forçar o levantamento de bandeira. Acho um tema muito válido atualmente. Acredito que os resultados com um filme assim seja muito maior.

    ResponderExcluir
  15. Oi André,
    Já tinha ouvido sobre esse livro, mas não sabia que virou filme.
    Provavelmente vou conferir o filme antes da leitura XD mas a escrita da Angie Thomas parece valer a pena, conseguir tratar de temas fortes e ainda trazer momentos fofos e divertidos.

    ResponderExcluir
  16. André!
    Tremendo absurdo tanto preconceito em pleno século XXI, não admito.
    O mais importante é que o livro traz análises de fatos reais e imagino o quanto deve mesmo chocar, principalmente através dos detalhes.
    E ainda fala do luto, bem intrigante.
    Fiquei bem interessada em poder ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Já li resenhas e comentários super positivos desse livro. Eu quero muito ler, ainda mas aborda temas muitos interessantes.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  18. Oi, André!!
    Gostei muito da resenha O Ódio que Você Semeia ainda não li essa história mas foi mesmo por que não tive oportunidade, e também não assisti o filme pois quero muito ler o livro antes. Enfim, esse é um livro que infelizmente nos traz um tema que é muito recorrente aqui no Brasil o preconceito racial espero que esse ano fazer essa leitura.
    Bjos

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir