acompanhe o blog
nas redes sociais

29.5.19

[Bookserie] Engenharia Reversa: Parte XLIV - Forjados em Ferro e Fúria


Engenharia Reversa

Parte XLIV - Forjados em Ferro e Fúria

O Marechal conduz Bel através de um corredor, onde, ao final, eles chegam a um elevador. O transporte começa a descer rapidamente, e em poucos segundos, eles percorrem trinta andares subterrâneos. Durante o percurso, Bel nota que o elevador possui paredes transparentes, pois ela consegue ver detalhes da estrutura por onde o mesmo trafega: mecanismos, fios e canos sulcados na pedra, circuitos incrustados, interligados pelos cabos e fios.

Então, o elevador atinge uma sessão onde seu tubo torna-se translúcido, revelando um gigantesco complexo subterrâneo em forma circular, como um imenso estádio olímpico. São muitos níveis de plataformas sobrepostas, e sobre elas, Bel consegue identificar milhares de corpos robóticos de tamanhos, cores e formatos variados.

Finalmente, o elevador chega ao seu destino: uma bolha de vidro no centro do complexo. Ela está erguida e sustentada por cabos de ferro, flutuando sobre imensas tubulações que nascem de um ponto bem abaixo e seguem para as plataformas. Uma fina camada de vapor envolve os imensos tubos, criando a ilusão de que a bolha está flutuando sobre um místico lago de fumaça. Eles saem do elevador. Estão circundados por computadores, terminais e consoles de comando.

- Yagami, bem vinda ao Útero, o lugar onde a nação brasileira renascerá forjada em aço e em fúria.

Então, com um comando mental do Marechal, os monitores se ascendem e os botões nos consoles começam a piscar. Bel caminha ao redor, observa a tudo com atenção, porém, seu semblante não demonstra a empolgação que o Marechal esperava.

- Realmente, muito impressionante, mas o que o senhor pretende? Entendo que esse é o seu exército robótico, mas por que me trouxe aqui?

O governante sorri com satisfação. Aproxima-se de uma cadeira e contempla Bel.

- Não, esse não é meu exército, Yagami. Esse será o povo brasileiro. Sente-se, por favor.

Ele puxa a cadeira para Bel, então, continua:

- Aqui, diante de seus olhos, estão exatamente dois milhões de syncrons : corpos mecatrônicos de alto desempenho, divididos em diversas classes e modelos. Dois milhões de brasileiros terão suas consciências transferidas para esses corpos, dessa forma, eles ficarão livres das enfermidades da carne e da morte, finalmente atingindo a verdadeira vida eterna. A sociedade será reestruturada, atingirá eficiência máxima, e o sofrimento será eliminado.

- Interessante, Marechal, mas mudar o corpo não garante que eles vão evoluir, ao contrário, você pode estar potencializando o lado negativo de milhões de pessoas.

- Isso seria verdade, Yagami, se eu fosse ingênuo o bastante para confiar cegamente na alma humana. É claro que existem contra-medidas.

- E as pessoas vão aceitar livremente se submeterem a suas contra-medidas?

- Um pequeno preço a se pagar pela vida eterna, concorda? Além disso, o povo confia em mim, eu os salvei de um destino de submissão às corporações. Entenda, eu jamais decepcionaria o meu povo.

- É, olhando por esse ângulo... Mas afinal, o que senhor quer de mim?

Agora, é o Marechal que puxa uma cadeira e se senta.

- Vou direto ao ponto. Quando Daniel foi enviado para buscá-la, nós já tínhamos a tecnologia de transferência de consciência. Realizamos várias transferências bem sucedidas, inclusive a minha, mas o processo é bastante demorado e custoso. Imagine o tempo para converter a população inteira em syncrons, é contraproducente. E a cada segundo, a GFA se torna mais poderosa, mais ameaçadora. Contudo, com a sua ajuda, o algoritmo pode ser otimizado a um nível que jamais conseguiríamos atingir na mesma velocidade.

- Entendo perfeitamente.

O soberano se levanta, aproximando-se de Yagami e cruzando o olhar com ela.

- Tudo que precisa está aqui, nessa sala. Basta se conectar ao computador central.

- Sinto-me lisonjeada, Marechal.

***

O vazio absoluto. Escuridão sem fim. Uma pequena luz branca surge no meio do nada. Gradativamente, ela se torna maior, assumindo uma forma esférica. A escuridão teima em ofusca-lá, mas a esfera continua a expandir-se e, alguns minutos depois, vence a batalha. Agora tudo é luz, tudo é branco como neve. Então, após um curto espaço de tempo, ranhuras surgem na superfície leitosa, cada vez maiores, elas se tornam rachaduras e começam a revelar uma imagem. Energia fluindo, consciência aflorando. O branco desaparece, em seu lugar, a imagem torna-se nítida: um quarto, um homem fardado de pé, sua cabeça raspada.

- Maestro?!

Agora existe um corpo. Thiago pode sentir os membros e articulações. Tem algo pulsando em seu abdômen, porém, ele sabe que alguma coisa está errada: não consegue piscar os olhos, não consegue mais fechá-los. Move a cabeça para olhar ao redor. Está em algum tipo de quarto, ou será uma prisão? Não existem janelas, as paredes são de ferro desgastado e lâmpadas que parecem bastões, penduradas no teto, irradiam uma lúgubre luz amarela. Atrás de Maestro ele vê uma imensa porta cor de cobre, pesada, envelhecida.

Subitamente, surge uma mensagem no ar diante de seus olhos. Ele a lê:

Identificação: Unidade TSX 56432, técnico especializado, quinto batalhão de infantaria mecanizada. Diretivas de comando foram atualizadas. Cidadão, seja bem vindo ao Exército Brasileiro. Agradecemos por você ser um verdadeiro patriota e abrir mão de seu fraco e limitado corpo físico. Sua consciência, e portanto sua alma, foi transplantada para um corpo mecanizado de última geração modelo Javali 700. Suas atribuições e rotinas de trabalho serão informadas conforme demanda. Suas necessidades serão providas pelo Estado Maior. Reporte-se ao seu superior em caso de eventuais dúvidas. Que a Pátria Seja Amada Por 1000 Anos.

Finalmente, Thiago entende. Ele é tomado por uma fúria incontrolável. Tentar gritar, tenta avançar sobre Maestro, porém, alguma coisa o impede, seu corpo permanece imóvel.

- O que fizeram comigo? O que você fez comigo, Maestro? - ele vocifera através dos alto-falantes de sua cabeça robótica.

Daniel empalidece. O avisaram que seria assim, que por passar muito tempo adormecida nos bancos de memória de Bel, a consciência de Thiago sofreria para se adaptar ao novo corpo. Daniel encara a máquina e engole seco.

- Calma, Thiago. Preciso que você tenha paciência. Em breve, suas lembranças vão retornar e você vai entender porque fomos forçados a fazer isso.

O Javali 700 tem mais de dois metros de altura. O corpo é humanoide, marrom e com detalhes em vermelho. Placas de aço estendem-se pelo tronco largo. Quatro braços ultra-articulados lhe conferem habilidade especiais. A cabeça é pequena, esférica e reforçada por camadas de metal blindado; no lugar dos olhos, possui um visor retangular que emite uma luz verde. Dois pequenos alto-falantes, esféricos, estão posicionados sob o visor. Nas laterais da cabeça, onde em um humano estariam as orelhas, possui antenas retráteis de longo alcance .

- É muito importe que suas memórias voltem, que você se lembre de tudo o que aconteceu, caso contrário, ficará confinado aqui por muito tempo - diz Maestro.

- Memórias? Eu me lembro de você! Me lembro do maldito dia em que atacamos aquele transporte da VNR e ...

Thiago vê um flash, um piscar em seu olho mecatrônico que faz seu campo de visão tremer.

Com um ranger de engrenagens a porta atrás de Maestro se abre. Dois soldados com expressões apáticas surgem atrás dela.

- Coronel Daniel, o Marechal o aguarda. É urgente.

- Ele não pode esperar um pouco? Trinta minutos no máximo?

- É urgente, senhor.

Contrariado, Daniel deixa o recinto na companhia dos homens. Thiago continua imóvel, a luz verde pulsando em seu visor, a raiva invadindo sua alma, mas o corpo syncron permanece imóvel, passivo. A pesada porta se fecha com um estrondo.

Enquanto caminha, Daniel nota uma movimentação incomum: fileiras de soldados com equipamentos de campanha passam por ele apressadamente, o pessoal do suporte municia armas, prepara equipamentos, confere dispositivos eletrônicos, funcionários e técnicos correm apressados por todos lados. Nos monitores nas paredes, apresentadores fornecem instruções. Imagens da cidade mostram multidões em filas gigantescas.

- Algum exercício de combate? - diz Daniel.

O militar ao lado dele exibe um sorriso.

- Não, senhor. Não lhe informaram? Estamos nos preparando para partir, para o dia do Arrebatamento.

- Arrebatamento?

O soldado ignora o coronel, apressando-o.

- Tudo lhe será explicado pelo Marechal, senhor.

- Assim espero!

Um pouco depois, após pegarem o turbo-elevador, eles chegam à entrada do gabinete do chefe de estado. Os soldados assumem posição de guarda, um de cada lado da porta, enquanto ela sobe revelando o interior do gabinete. Daniel estanca ao ver, lá dentro, Bel Yagami de pé próxima ao Marechal.

- Por favor, coronel, entre - diz o imenso líder em tom cordial.

Em um lado do recinto, Maestro vê Soraya e outros oficiais ao redor de uma mesa holográfica, onde centenas de pequenos objetos brilhantes, representando as forças brasileiras, movem-se em um plano tridimensional.

Ele sente um calafrio, o estômago embrulhar, mas mantém-se firme. Bel está usando algum tipo de armadura. A couraça é prateada, como o corpo do Marechal, mas possui partes negras nas articulações das pernas e braços, feitas de um material que lembra o plástico. Os olhos de Bel estão fixos em Maestro. Ela tem o semblante é sério, os cabelos estão presos em um rabo de cavalo.

- Está satisfeito?

Daniel não entende, maneia a cabeça, encarando Bel.

- Está satisfeito ? - ela repete. - Afinal, você conseguiu terminar sua missão, não foi? E com louvor!

Os olhos do Marechal fitam Daniel com um interesse crescente.

- O que você fez com ela, Arthur?

- Ora, ora. Faz muito tempo que não escuto esse nome. É bom ouvi-lo novamente vindo de você, meu amigo. Porém, infelizmente, essa poderá ser a última vez que nos veremos, vai depender de você.

- O quê? - vocifera Maestro.

Com um rangido, a porta do gabinete move-se para o teto. Um grupo de soldados fortemente armados invade a sala. Com precisão , eles cercam Maestro apontando suas armas para ele. Um dos militares força o coronel a se ajoelhar.

- Mãos na cabeça! - grita o oficial, que rapidamente saca sua pistola e a aponta para a têmpora de Daniel.

Ao ver a cena, Soraya abandona a mesa de comando e aproxima-se do grupo.

- É uma pena que você seja um traidor, coronel Daniel - diz a tenente.

Desnorteado, Maestro olha para Bel com os olhos arregalados. Ela vira o rosto, prefere olhar para o chão. O Marechal aproxima-se lentamente, seus passos reverberando pelo gabinete .

- Você deve estar se perguntando como descobrimos sua traição, não é mesmo?

Daniel o encara, a raiva estampada em seu olhar.

- Meu caro - o Marechal prossegue -, no momento em que você pisou aqui, em nosso reencontro, eu comecei a sondar sua mente. Senti tensão, medo, dúvidas, até que tudo se transformou em convicção, convicção de que eu me transformei em uma ameaça para o Brasil. Então o testei, afirmando que mataria Bel. Nesse momento, seus pensamentos o traíram, revelando para mim que , infelizmente, o jovem destemido e patriota que conheci no passado tornou-se um traidor

- Nosso soberano possui poderemos psíquicos incríveis, coronel - diz Soraya.

É a vez de Bel se aproximar. Ela afasta o Marechal com um leve empurrão e cruza o olhar com Daniel. Então, após ver por alguns segundos a incredulidade tomar conta do rosto do homem ela diz:

- Obrigada, Maestro, pois se não fosse por você, eu jamais teria descoberto o motivo da minha existência. Eu jamais teria visto o quanto a sua espécie é destrutiva, violenta e perigosa. Em algum momento eu acreditei que poderíamos conviver em paz, mas tudo não passou de uma ilusão.

- Não! Bel, você não percebe? Esse desgraçado está influenciando sua mente!

- Como eu poderia? Minhas habilidades só funcionam com seres ignóbeis feitos de carne e osso, como você. Yagami está em outro patamar evolutivo, como você bem sabe.

- Bel! Por favor! Eu te imploro! Se você se aliar a essa aberração bilhões de inocentes vão morrer!

- Eu também já fui chamada de aberração, muitas vezes - responde Bel.

- Levem-no daqui! - ordena o Marechal.

Dois soldados colocam Maestro de pé. Outro o algema, prendendo seus braços com algemas de plástico.

- Você vai passar um tempo com seu amigo, tempo suficiente para refletir. Lhe concedo esse último indulto, meu amigo. Junte-se a nós, ou morra na prisão.

- Não! Eu jamais me juntarei a você, você é o verdadeiro traidor! Bel, lembre-se de Thiago, de Marcela! Eles precisam de você!

- Cale-se! - um dos soldados acerta um soco nas costelas de Maestro, fazendo o gemer.

Os homens o arrastam para fora da sala enquanto Bel observa a tudo de longe, impassível.

***

Milhões de pequenas luzes se acendem nas imensas tubulações. Máquinas rugem como dragões que acordam de um sonho prolongado. Por todo o Útero, enxames de drones voam para os syncrons em ativação. Na sala de controle, o Marechal observa os dados correrem por seus monitores. Soraya, Yagami e um séquito de generais estão atrás dele, com olhos atentos nos terminais e no exterior.

- É impressionante! Oitenta por cento da população já foi transferida! - diz um general, boquiaberto.

- Preparem-se, o momento de vocês está próximo. Vão agora para a sala de extração - responde o Marechal.

Soraya e os generais batem continência, então, entram no elevador deixando a sala de controle. O Marechal olha para Bel, um sorriso se forma em seus lábios, e ela o retribui.

https://www.facebook.com/engenhariareversalivro

IR PARA O PRIMEIRO CAPÍTULO

Para navegar entre os capítulos clique sobre os botões "Anterior" e "Próximo" disponíveis logos abaixo.

[Anterior] [Próximo]


comentários pelo facebook:

20 comentários em "[Bookserie] Engenharia Reversa: Parte XLIV - Forjados em Ferro e Fúria"

  1. Como eu aguardei por esse capítulo!
    Esse sorriso da Bel...hein...

    ResponderExcluir
  2. Esses capítulos mensais tornam a leitura bem empolgante.
    Nossa, e esse capítulo ficou incrível, preciso de mais...

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Parece que a história ganhará outro rumo a partir destas revelações. Não somente pelo cair das máscaras, mas também por uma certa cumplicidade que estava ali, meio que escondida.
    Sei lá, mas penso que a traição esteja vindo de outra parte, de onde menos se imagina...e o que será de todos no amanhã??
    Um ponto do passado talvez seja o botão de ignição para o que está por vir.
    Aguardemos!!!!rs(mas acho que tudo mudará)
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem dito! Mas uma coisa é certa: fortes emoções virão por aí! Obrigado!

      Excluir
  4. Ansiosa pelos próximos capítulos! Não costumo acompanhar histórias assim, mas essa está muito boa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Theresa! Fico feliz que esteja gostando!

      Excluir
  5. Olá! Eita que esse capítulo foi intenso aconteceram muitas reviravoltas hein, já estou aqui preocupada com essa transferência em massa da população, acredito que isso não vai dar muito certo, agora é aguardar o próximo capítulo para saber o que vai acontecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :)
      Valeu, Elizete! Já tá quase saindo do formo!

      Excluir
  6. Olá André!
    Neste capítulo ficou claro o quão astucioso é o Marechal, que pegou Daniel totalmente desprevenido e ainda por cima foi capaz de manipular Bel para sua causa, deixando a personagem totalmente confusa e perdida. Essa tecnologia de transferência me lembrou bastante a série Altered Carbon, e quero saber qual será a consequência de tudo isso.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alison. Certeza, Altered Carbon pegou essa idéia e a tornou ainda mais conhecida. Agora te falo, a consequência será... em breve! Obrigado!

      Excluir
  7. Com certeza Bel está fingindo, acredito que ela não passou para o lado mal da força, assim espero rsrs... E que situação difícil a de Thiago! Aguardando ansiosa os próximos capítulos!
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será, será? O Marechal seria tão ingênuo assim? Vixe... Muito obrigado, Any. Você já está acompanhando a bastante tempo, bacana!

      Excluir
  8. Oi, Andre!!
    Adorei mais esse capitulo maravilhoso!! E que foi esse sorrizinho da Bel no final do capitulo?!! Amei essa parte! Ansiosa para os próximos acontecimentos!!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Marta. Enigmática a Bel nesse capítulo, né? Mal posso esperar para ver a reação de vocês nos próximos capítulos.

      Excluir
  9. Olá André!
    Gente a Bel virou dark side! Estou chocada! E pobre Daniel, o será dela agora? Será que Thiago em seu corpo de javali humanoide e robótico irá ajudar o amigo? Estou com medo dos planos do Marechal.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora a coisa complicou! Fica ligada que em breve você saberá! Obrigado!

      Excluir
  10. Oi, André
    Estou ansiosa para o próximo capitulo.
    Fiquei com uma pena do Thiago, será que a Bel vai ficar do lado errado mesmo? Coitado do Daniel.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora tudo pode acontecer, Luana. Decisões difíceis terão que ser tomadas. Valeu!

      Excluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir