acompanhe o blog
nas redes sociais

18.12.19

O Mundo da Escrita [Martin Puchner]

Martin Puchner
Cortesia do Grupo Companhia das Letras

Qual foi o último livro que você leu?

Eu sei que este parece um jeito curioso de começar uma resenha literária, mas gostaria que você parasse para pensar um pouquinho sobre essa pergunta. Não faz muito tempo, nós tivemos a Black Friday – o melhor período do ano para comprar qualquer coisa com um bom desconto – e você com certeza deve ter arrematado vários livros que estavam na sua lista de desejados (aliás, conta pra gente nos comentários).

O fato é que, para todo bom leitor, torna-se inevitável pensar qual será sua próxima leitura. Mas você já tentou imaginar como seria o mundo se não existissem os livros?

Eu acredito que, muito provavelmente, nós teríamos outras prioridades durante a Black Friday, como trocar de celular ou de televisão, ou quem sabe comprar roupas legais, tênis novos, enfim... qualquer outra coisa que não fosse um livro. Mas é claro que, se a Literatura não existisse como a conhecemos, os danos para a história da humanidade seriam muito maiores.

Para começar, como será que o conhecimento seria passado adiante ao longo dos séculos? Será que você conseguiria contar para os seus filhos as mesmas histórias que o seu avô ouviu do pai dele, quando era criança, com os mesmos detalhes? E o que dizer então da Física, das Ciências Humanas e Naturais... Como será que nós aprenderíamos na escola, sem qualquer material impresso, textos, ilustrações ou gráficos para nos ajudar na compreensão dos fatos?

Talvez você não tenha ido tão longe nas suas considerações, ao ponto de se perguntar: mas e aí, como surgiram os livros? Como surgiu a escrita? Qual foi o primeiro romance publicado na história da humanidade?

Fique tranquilo! Nosso amigo Martin Puchner, professor de Literatura comparada da Universidade Harvard, escreveu um livrinho muito interessante, onde ele responde essas e outras perguntas sobre o fantástico Mundo da Escrita.

O Mundo da Escrita
Título: O Mundo da Escrita: Como a literatura transformou a civilização
Autor: Martin Puchner
Tradutor: Pedro Maia Soares
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Não-Ficção
Páginas: 472
Edição:
Ano: 2019
Onde comprar: Amazon, Submarino

Martin Puchner é professor, filósofo e um crítico literário. Antes de receber seu Ph.D. na Universidade de Harvard, ele foi aluno da Universidade Konstanz, da Universidade de Bolonha e da Universidade da Califórnia. Como crítico literário, Puchner é especialista no período conhecido como Modernismo, e suas pesquisas no campo da Filosofia dizem respeito às interseções entre o teatro e a filosofia. Ele também é editor geral da Norton Anthology of World Literature, e já promoveu várias palestras sobre literatura ao redor do mundo.

Em 2017, Puchner publicou seu mais recente livro, “O Mundo da Escrita: como a literatura transformou a civilização”, onde ele se dedica a uma tarefa bem ambiciosa: revelar o poder que a escrita possui de moldar as pessoas, as civilizações e, portanto, a História.

Assim como a gente – lá no início da resenha – Puchner também começou a fazer várias perguntas sobre como surgiu a escrita dos primeiros documentos, e como as histórias deixaram de ser transmitidas oralmente e passaram a ser escritas e até impressas. Para encontrar respostas, o professor realizou uma pesquisa intensa e viajou por vários países ao redor do mundo, tudo para estar em contato direto com a história da escrita e da literatura.

Nossa primeira parada começa em 336 a. C., na Macedônia. Nesse destino, descobriremos Alexandre, o grande governante de um pequeno reino grego que conseguiu, em menos de treze anos, conquistar todos os reinos entre a Grécia e o Egito. O professor Puchner nos conta que Alexandre sempre levava consigo uma cópia de “A Ilíada”, um dos principais poemas épicos que narra os acontecimentos da Guerra de Tróia. O jovem príncipe da Macedônia encontrou nos versos de Homero a inspiração necessária para sua campanha, na conquista de grande parte do mundo.


A partir desse ponto, ao longo de dezesseis capítulos, o professor Puchner vai nos levar a diversos outros lugares e momentos da História da Escrita. Na Mesopotâmia, por exemplo, conheceremos a Epopeia de Gilgamesh – uma das primeiras obras conhecidas da literatura mundial – e bem mais adiante, no Japão, durante o período Heian, testemunharemos o nascimento do Genji Monogatari (ou Conto de Genji), o primeiro romance literário do mundo e que foi escrito pela poetisa e fidalga japonesa Murasaki Shibiku (isso mesmo, o primeiro romance literário do mundo foi escrito por uma mulher).

O livro também atravessa diversos momentos-chave da história da literatura, desde as epopeias e poemas épicos gregos até Harry Potter (acredite se quiser), passando por Dom Quixote, o Popol Vuh dos antigos Maias, o Manifesto do Partido Comunista e a Bíblia hebraica. Ao mesmo tempo, Puchner faz um belíssimo esboço da evolução das tecnologias que permitiram o avanço da escrita, tendo como ponto de partida o Oriente Médio e a criação do alfabeto consonantal, passando pela invenção do papel pelos chineses, até a formulação da prensa de tipos móveis por Gutenberg, o que modificou para sempre nossa capacidade de reproduzir informações em larga escala.


O que eu mais gostei no livro foi a forma como o professor Puchner apresenta a relação dos homens com as histórias. Por todos os séculos, nós sempre buscamos encontrar inspiração para nossas vidas nas narrativas e histórias épicas. Mesmo antes da invenção da escrita, nós já transmitíamos lições de vida e ensinávamos virtudes através da oratória. Com a invenção da escrita e, mais da tarde, da prensa móvel, nós tivemos a chance de realizar um verdadeiro intercâmbio de ideias e, assim, conhecer a origem de culturas e tradições milenares, que com certeza teriam se perdido no tempo se não fosse o empenho de grandes mentes em perpetuar tudo isso.

Trata-se de um livro muitíssimo especial, mas que pode e deve ser lido com calma. Na realidade, a escrita de Martin Puchner lembra bastante uma sala de aula. Cada capítulo é como se fosse uma pequena palestra sobre um momento importante na história da escrita, e como esse momento tornou-se significativo para o avanço da humanidade.

A edição promovida no Brasil pela Companhia das Letras só torna essa viagem ainda mais prazerosa. O livro é repleto de ilustrações, tanto coloridas quanto em preto e branco, além de notas e comentários explicativos acerca das obras e nomes apresentados pelo autor. A tradução de Pedro Maia Soares também merece elogios, e a prova disso está na fluidez com que se segue a leitura.

“Este livro não é apenas uma exuberante demonstração da importância da literatura para a cultura humana, mas também uma grande história de aventura – uma história de cartas e de foguetes; de impiedosos conquistadores, elegantes damas da corte e empreendedores de classe média; do desejo de poder e do sonho de liberdade.” – Stephen Greenblatt.

Antes de finalizar, você se lembra da perguntinha que fiz no começo da resenha? Muito provavelmente, você deve estar alcançando essa leitura através de uma tela de celular. Parece curioso que a gente ainda tenha interesse em ler livros impressos quando estamos cada vez mais dominados pelas tecnologias. Mas é importante ressaltar que, como o próprio livro do professor Puchner nos mostra, é graças a tecnologia que hoje podemos ter um acesso tão mais democrático à leitura.

Dessa forma, o meu pedido a você nesse novo ano que se inicia é justamente esse: leia! Faça uso do seu direito enquanto leitor e leia. Permita com que a leitura faça cada vez mais parte do seu dia-a-dia, seja na fila do banco ou do supermercado, no trajeto casa-escola-trabalho, ou mesmo naqueles minutinhos antes de pegar no sono. Seja como for: leia. Porque ler é um hábito maravilhoso que nos engrandece em virtudes e nos molda o caráter, nos torna pessoas melhores e, acima de tudo, nos enche de conhecimento, e esse é um poder que ninguém pode tirar de nós.

Grande abraço a todos e até a próxima!

comentários pelo facebook:

19 comentários em "O Mundo da Escrita [Martin Puchner]"

  1. Ler é meu hobby favorito. Se pudesse passaria o dia lendo.
    Nessa BF infelizmente não comprei nada. Mas em compensação a wishlist não para de crescer.
    Interessante viajar pelo mundo e pelo túnel do tempo para conhecer a história da escrita.

    ResponderExcluir
  2. Que resenha! Que pedido! Que lindo tudo isso!!!
    Acho que não consigo me imaginar não podendo ler novamente. Eu perdi a visão por um tempo,por isso ler ficou quase impossível. Agora venho enfrentando problemas novamente, mas não quero nem pensar nisso.
    Amei ver este post tão completo, um livro que contém vários livros dentro dele. Verdadeiras viagens no mundo das letras!!!!
    Já vai pra lista de desejados. Quero assistir cada capítulo como uma palestra única!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  3. Thiago!
    Vou logo responder suas perguntas: acabei de ler A ilha de vidro da Nora Roberts.
    Comprei apenas um livro na black friday: "Mãe, me ensina a conversar", é um livro que fala sobre autismo, e como boa dona de casa, preferi comprar utensílios para ela, pois precisávamos mais do que os livros...
    Acredito de qualquer forma que esse livro seja essencial para nós que gostamos de ler e temos esse hábito saudável, vou terminar o ano com quase 120 livros esse ano e é sensacional. Nem sei que seria de mim sem livros.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PS: amei essa xícara deliciosa! Fiqeui com água na boca.

      Excluir
  4. Olá! Bem nessa BF eu comprei apenas um livro da minha listinha e meu último livro lido foi Eu avisei da Megan Maxwell, agora falando sobre essa resenha, esse livro parece ser aquele que deve ser lido bem devagar, para poder saborear todos os ensinamentos que ele nos fornecerá, afinal poderemos acompanhar várias fases diferentes que demonstram o surgimento e importância de livros e o poder que a leitura nos transmite.

    ResponderExcluir
  5. O último livro que li foi Confidências de uma ex-popular.
    Sobre a Black Friday, não comprei tanto quanto gostaria. Mas estou satisfeita com os três livros que comprei.
    O mundo seria triste sem os livros, não consigo nem imaginar algo assim.
    Gostei das questões e curiosidades que o livro traz.
    Não é o meu tipo de leitura, mas esse eu fiquei com vontade de ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Thiago!
    Fiquei refletindo por um bom tempo sobre essa resenha, pois afinal de contas a escrita é a forma de comunicação mais importante de todas, não é mesmo?
    É possível perceber que o autor fez uma ampla pesquisa para entregar um material super aprofundado para o leitor, de modo que é possível perceber que tudo é influenciado pela escrita, que é o registro de todo o conhecimento adquirido ao longo da História.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Olá Thiago!
    Minha última leitura foi em livro físico, Um Best Seller pra Chamar de Meu da Marian Kayes (por sinal não gostei muito). Na Black Friday as aquisições foram poucas, apenas Na Hora da Virada e Destinos Divididos saíram da lista de desejados. Adorei a ideia do autor, realmente são indagações que já tivemos em algum momento, e a obra junta duas coisas que eu adoro: literatura e história, dupla perfeita para fisgar minha atenção. Que belas palavras sobre a leitura, já estou colocando em prática essa dica de ler a todo momento que for possível.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Uau, agora ao ler a resenha fiquei me perguntando como a escrita de fato foi feita, os livros, as ideias. Gostei muito de ver um livro que traz essa explicação para nos leitores. Uma leitura que com certeza tem que ser feita.
    Ah, minhas comprinhas da Black foram aproveitosas, compre vários que desejavam. Ansiosa para ler já!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  9. respondendo a sua pergunta comprei mais de 20 livros na Black Friday,adorei as ilustrações ,embora seja um livro que foge do meu interesse.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Thiago
    O último livro que li foi Outros Jeitos de usar a boca.
    E na Black Friday comprei alguns livros e depois dela também comprei outros que estavam em promoção relâmpago. Pude completar a série A Rainha Vermelha, agora posso ler sossegada. Ao todo foram 29 livros.
    Não conheciao livro, mas é interessante o professor pesquisar a respeito da escrita.
    Assim que tiver chance lerei, beijos.

    ResponderExcluir
  11. Para ser bem sincera até que não me esbaldei na BF esse ano não, para não passar em branco comprei apenas um livro (haja controle emocional)! Minha última leitura foi Um milagre na quinta avenida (recomendo hein), e não fico nem um pouco surpresa em saber que o primeiro romance foi escrito por uma mulher (risos). Os livros são de grande importância na vida de todos (seja ele físico ou não), confesso que sou daquelas que ainda prefere o físico, para dar aquela cheirada nas páginas, aquele abraço quentinho #quemnunca. Esse livro em especial deve ser incrível por justamente trazer um pouco mais sobre nosso assunto favorito.

    ResponderExcluir
  12. Nossa acho que vou gostar de ler esse livro, bem diferente do que eu costumo ler. É legal ler um livro que fala de como a leitura nos influencia e como as histórias pode nos moldar e ainda nos ensinando um pouco de como ocorreu a invenção da escrita. Ansiosa para ler esse livro.

    ResponderExcluir
  13. Oi Thiago,
    Ah, que graça de obra, o mundo dos livros e literatura, já adorei!
    Fiquei curiosa como o professor Martin Puchner teceu a relação dos homens com as histórias, uma leitura que é meu estilo, desfrutaria muito.

    ResponderExcluir
  14. Oi, Thiago!
    Infelizmente não comprei nenhum livro nessa última Black Friday, por isso minha lista de desejados não diminuiu nadinha :(
    Mas em relação a sua pergunta, se os livros não existissem sinceramente não sei o que eu compraria na Black Friday rsrs

    Contudo, realmente, é difícil imaginar um mundo sem a literatura...
    Não costumo ler livros de Não-Ficção mas não dá pra resistir a um livro que fala sobre livros e sua importância para a humanidade, né?! Valeu pela dica, amei! E parabéns, ficou muito bacana sua resenha!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Thiago!
    O meu último livro que li foi um livro nacional da Aline Sant'Ana e na Black Friday não comprei livro nenhum pois todos os livros que queria continuavam muito caros e acabei não quero adquirir mais livros que não iria ler tão cedo. E com relação a essa indicação gostei bastante pois adoro saber um pouco sobre a parte da história de como a escrita transformou a humanidade.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Na verdade eu não cheguei a comprar nenhum livro nessa black friday pois Prometi a mim mesma que eu iria os livros não lidos da Minha estante. É legal a ideia desse livro fazer uma linha do tempo sobre a história da escrita mas não sei se é o tipo de livro que realmente chama minha atenção na hora de trazer para casa da livraria

    ResponderExcluir
  17. Oiii ❤ Nossa, adorei sobre o que esse livro fala, ainda mais por eu concordar que a leitura tem o poder de transformar as pessoas, povos, civilizações.
    Deve ser legal ler um livro assim, ainda mais por ele ser escrito por alguém que entende do assunto.
    Gostei que o autor passa por vários momento da história na obra e fala também sobre obras importantes que foram escritas ao longo do tempo.
    Adoraria fazer essa leitura.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  18. Olá! ♡ Adorei a proposta do livro! Sempre tive curiosidade em saber mais sobre o surgimento da escrita, dos livros! É a primeira vez que vejo falar desse livro, mas com toda certeza vou adicioná-lo na minha lista de leituras, achei muitooo interessantes os assuntos que o autor aborda.
    Amo História e nada melhor do que mergulhar dentro da mesma para conhecer mais sobre o mundo da escrita e ver como o mesmo transformou a humanidade.
    Obrigada pela indicação! Beijos! ♡

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir