acompanhe o blog
nas redes sociais

10.1.20

O Instituto [Stephen King]

Stephen King
Cortesia do Grupo Companhia das Letras

A maldição de nascer poderoso

Teorias da Conspiração à parte, grandes impérios sempre investiram pesado em coisas exóticas ou exotéricas, algo que lhes conferisse mais poder, arma para dominar mentes e corpos. Durante a Guerra Fria havia uma corrida maior que a armamentista ou a espacial – a corrida paranormal.

E por que não? Melhor que qualquer armamento, um ser capaz de ler pensamentos, levitar objetos ou influenciar pessoas seria de mais valia que um bom soldado, pois poderia ser utilizado à distância. Pode parecer ficção, mas Estados Unidos e a extinta União Soviética travaram esta luta e pesquisaram arduamente a paranormalidade em indivíduos com o objetivo de utilizá-los em estratégias militares.

O Instituto
Título: O Instituto
Autor: Stephen King
Tradutor: Regiane Winarski
Editora: Suma
Gênero: Mistério, Thriller e Suspense
Páginas: 544
Edição:
Ano: 2019
Onde comprar: Amazon

A palavra aqui é "super-humano". Seria possível? Nascer com níveis de telepatia ou telecinesia seria dádiva ou maldição? Este é o tema do romance O instituto (Suma, 544 páginas) do grande mestre Stephen King. Não é nenhuma novidade, nem mesmo no universo literário do próprio autor, porém a abordagem é moderna: até que ponto, em nome de uma ideologia, devemos sacrificar corações e mentes? Pois é isso que o "Instituto" faz, sequestra crianças paranormais para servir a um "bem maior", utilizando-se de seus poderes até a exaustão.

Então voltemos à mesma pergunta: uma alma vale mais que um conjunto delas? Moralmente é válido sacrificar uma vida em prol do bem comum? Dilemas como este não criam moradia na mente de King, ele desenvolve núcleos bem definidos, o bem e o mal estão em lados opostos e seu maniqueísmo explícito, sua religiosidade vão direcionando nossa torcida. Este é um daqueles romances dele das antigas, um calhamaço sempre esperado pelos fãs do mestre.

Há certa similaridade com a fascinante série "Stranger Things", aliás nela há várias referências ao universo kinguiano. Nela temos a garota Eleven, criada por um laboratório para ser usada como arma pelo exército. King vai além em seu romance e cria um "local" para manter crianças com capacidades especiais e utilizá-las quando necessário.

Há uma frase recorrente no romance: "Grandes eventos se apoiam em pequenos suportes". Então eu diria que esta frase é a síntese de toda a obra do mestre. O homem comum arrastado pela força dos acontecimentos (normais ou paranormais) tem seu mundo desestruturado e precisa tomar decisões que nem sempre estão de acordo com a ética, mas como diria o saudoso Rosa: o que a vida quer da gente é coragem! E coragem é o que não falta aos personagens, mesmo quando caminham à beira do abismo, frágeis e esgotados.

Vamos ao livro. Do outro lado do país, o garoto Luke Ellis de 12 anos está prestes a ser recrutado à revelia pelo Instituto. Dotado de leve telecinesia guarda algo muito mais valioso dentro de si – inteligência acima do normal.

“— Vou ser bem direto. Nós temos orgulho de dar aulas para crianças excepcionais, mas nunca tivemos um aluno que fosse como Luke. ”

Dentro do Instituto a vida de Luke não é um mar de rosas, aliás a vida de nenhum dos que lá estão. Junto a Kalisha, Nicky, George e Iris é frequentemente testado, é o grupo de crianças da Parte da Frente. Com o passar do tempo seus amigos vão sumindo, sendo levados para a Parte de Trás de onde ninguém volta. Com a chegada do pequenino Avery Dixon, que possui uma capacidade telepática impressionante, e mais um acidente horroroso com uma das crianças residentes, Luke começa a pensar em fuga.

“A certeza crescente de que ele e os outros residentes estavam sendo preparados para ser usados como drones paranormais (sim, até o inofensivo Avery Dixon, que não faria mal a uma mosca) começou a incomodar Luke, mas foi preciso o show de horrores com Harry Cross para ele sair completamente de seu estupor de sofrimento.”

Em Dupray, pequena cidade da Carolina do Sul, o ex-policial Tim Jamieson consegue um emprego como vigia noturno e rapidamente se torna amigo dos cidadãos de lá, mas ainda carrega muito do cinismo obtido pelos anos vividos na polícia que lhe foram retirados por causa de uma fatalidade.

“(...) O lado noturno costumava ser repugnante e às vezes perigoso, e, apesar de ele nunca ter aceitado usar aquela gíria odiosa da polícia para viciados mortos e prostitutas abusadas — NHE, nenhum humano envolvido —, dez anos na força policial o transformaram em um cínico.”

A vida do ex-policial Tim Jamieson e do garoto Luke irão se cruzar. Terão que unir forças – a experiência de Tim com a inteligência de Luke – e talvez nem isso seja suficiente para manter a eles e aos seus em segurança, porque o Instituto é onipresente, mas será onisciente?

Mestre King continua sendo um de meus autores preferidos e não sem motivos, ele liga, entrelaça situações, cria ganchos como ninguém mais, minha curiosidade vai numa crescente insuportável até o final do livro.

Leia sem preconceito, todos deveriam ler King, ele nos orienta, mostra todas as faces e nuances do ser humano. King é uma escola: leia quando puder, quando quiser, mas leia, depois me conte o que achou.

comentários pelo facebook:

13 comentários em "O Instituto [Stephen King]"

  1. Quanta dor e sofrimento essas crianças passam, ainda bem que tem umas às outras.

    ResponderExcluir
  2. Fui lenda a resenha e olhando o meu livro ali na estante. Acho que ele me olhou meio torto.rs Estou atrasada para chegar nele.
    Mas em breve, lerei com toda a certeza do mundo. Apesar de mais uma vez, o autor ter brincado com a mente humana, ele não colocou o terror e o medo, mas novamente a alma. Como somos, como ela é.
    Lerei em breve e sei que mais uma vez, tirarei o chapéu para as letras do Mestre King!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  3. RODOLFO!
    É também um dos meus autores favoritos.
    O King tem esse poder de envolver o leitor, mesmo em livros que não sejam de terror puro, acabamos sendo envolvidos pelo thriller emocional que ele cria e nem dá para parar, porque precisamos chegar ao fim.
    O Instituto parece bem sinistro e essa crítica política que ele fez em relação a separação das crianças dos pais, foi genial.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Sigo sem conhecer a escrita do King.
    Sempre tive receio por conta do terror e tom sobrenatural, mas venho lendo ótimas resenhas sobre os livros dele que estou repensando o meu pré-conceito.
    Gosto de leituras que trazem esses questionamentos, e é interessante uma leitura que fala sobre ser humano.
    Quem sabe eu não leia algo dele.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá Rodolfo!
    Estou pasma com as informações no início da resenha, não imaginava que coisas paranormais fossem utilizadas na guerra. Realmente os livros de King são excepcionais e com essa nova edição tenho certeza que O Instituto irá conquistar mais leitores. Acho que uma criança como protagonista dessa história e ainda sendo explorada dessa maneira deixa o leitor indignado e nos faz refletir sobre muitas coisas atuais. Sem dúvida é uma obra que não se perdeu no tempo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Nossa, amei a resenha. Esse fato da corrida paranormal na guerra, nunca tinha ouvido isso antes, muito interessante. Adoro livros que contam com crianças como protagonistas, acho que vou adorar esse livro, ainda mais pela similaridade com "Stranger Things", simplesmente amo essa série. Estou muito ansiosa, espero poder ler logo o instituto.

    ResponderExcluir
  7. Olá! Esta aí uma resenha de King que não me deixou amedrontada e com aquela necessidade de fugir para as colinas (risos). Não tenho muita experiência com o autor, afinal terror definitivamente não é a minha praia, e apesar dos receios e poréns, acho que finalmente vou poder dizer que um livro do King entrou para a minha lista de desejados e espero (em breve) conhecer esse Instituto.

    ResponderExcluir
  8. Sou super fã de Stephen King, mesmo que as vezes sua escrita seja bem detalhista, eu adoro. O Instituto é livro que me chamou a atenção, não achei nada de diferente do estilo que estamos acostumados a ler. Estou amando ler as resenhas desse livro.

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    King sempre sendo King. Já li muitas resenhas das obras deles e estou loucamente para ler. Esse livro com certeza faz parte. E uma historia interessante que mistura mistério com suspense. Espero ler logo!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  10. Oi, Rodolfo
    Não li muitos do King, dos de terror eu tenho medo kkkk
    Mas O instituto parece ser superinteligente, importante e eletrizante!
    O Luke parece ser um personagem dinâmico, e que passará por maus bocados mesmo!
    Estou ansiosa para saber do final.
    Logo lerei.
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi, Rodolfo!!
    Gosto bastante dos livros do mestre King e este ano espero ler mais livros desse autor que conquista a todos, e incrível como a história parece com Stranger Things que por sinal é uma das minhas séries favoritas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Quando eu comecei a ler esse livro do Stephen King eu comecei a ler ele sem medo nenhum você já sabia que a leitora seria satisfatoria. Eu adoro essa ambientações que o autor cria e como ele consegue conectar os laços e pontos da história. Em geral, é um bom livro

    ResponderExcluir
  13. Sempre tive vontade de conhecer a escrita do tão famoso Stephen King mas, infelizmente, ainda não tive a oportunidade de conferir seus livros.
    Mas confesso que esse livro não me chamou muito a atenção como os outros livros do autor que tive a oportunidade de ler suas resenhas, acho que o retrato do paranormal não me interessou muito, já que não gosto muito de enredos que aborda esse assunto.

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir