acompanhe o blog
nas redes sociais

27.5.20

Corajosa sim, perfeita não [Reshma Saujani]

Reshma Saujani
Não é apenas uma mulher falando, é uma mulher embasada na vivência, depoimentos de muitas outras mulheres, vivências e muitos estudos científicos sobre o assunto que permeia as páginas desse livro. O livro se trata de uma transcrição da palestra TED de Reshma Saujani que, depois de muito penar neste universo da perfeição, percebeu que precisava se arriscar mais a errar e ser mais corajosa além de incentivar outras mulheres a fazerem o mesmo.

Corajosa sim, perfeita não
Título: Corajosa sim, perfeita nã
Autor: Reshma Saujani
Tradutor: André Fontenelle
Editora: Sextante
Gênero: Autoestima
Páginas: 181
Edição:
Ano: 2019
Onde comprar: Amazon

Um livro sobre a busca pela perfeição, muitas vezes feita de forma tão inconsciente, por ter sido arraigada ao nosso pensamento que nos torna medrosas, limitadas e quase incapazes de tentar e esperar pelo resultado seja um acerto ou um erro - e que isso está profundamente ligado à nossa autoestima.

“Sendo corajosas, e não perfeitas, conseguimos criar e viver uma vida que não apenas parece boa, mas é autentica, alegre, confusa e completamente nossa”

Que a imperfeição pode ser libertadora, ao mesmo tempo que a paralisia do medo, de não ser perfeita priva de pequenas e grandes coisas, limita ao nem tentar e muitas vezes algo que eu faria lindamente é feito de forma aquém por alguém que não teve medo de não ser tão bom.

Foi a primeira vez que li sobre o conceito de mansplaining, que é o hábito que os homens têm de interromper quando uma mulher está falando, como se somente eles soubessem mais ou melhor um assunto. Que quando algo é feito por uma mulher tem que ser infinitamente melhor que por um homem e ainda se submeter a ganhar metade.

“O problema é que tanto esforço para agradar todo mundo faz, muitas vezes, com que você goste menos de si mesma.”

Que na realidade as mulheres não ganharam direitos, somaram-se apenas novas obrigações as anteriores. Agora além de boas, firmes, educadas, devemos ser ousadas, cooperativas, fortes, bonitas e magras. E mostra o poder da representatividade, de se vê na literatura, nas produções de tv e cinema, a importância da primeira mulher a ser o "Dr. Who" ou em Katherine Johnson em "Estrela além do Tempo".

“Coragem nem sempre é fazer aquilo que é maior, mais ousado, mais assustador. Às vezes ter coragem é permitir-se ser honesta consigo mesma e não fazer aquilo que esperam de você.”

Sei que algumas pessoas logo dizem "não gosto de autoajuda" minha resposta sempre será: se VOCÊ não se ajudar, quem vai? Porque CORAGEM é assumir a você mesma e não se desculpar por isso. E por tudo isso e muito mais, quis trazer um pouco das lições valiosas desse livro hoje.

Esse livro foi uma verdadeira aula, com vários sentimentos e o melhor numa leitura tranquila e prazerosa, que quando mais próximo ao final mais me sentia grata por ter feito essa leitura, em especial por ter sido escrito como se fosse uma conversa entre ela eu, enriquecido por notas e perguntas ao final do livro, do tipo que você quer responder e pensar a respeito. Que os ensinamentos não só devem como podem ser exercitados no dia a dia e que este livro me servirá de apoio e futuras releituras e consultas por seu conteúdo extremamente poderoso.

A edição está impecável com uma capa que eu adoro, uma linda diagramação que divide em 3 etapas a narrativa beneficiando o entendimento, revisão e tradução impecáveis. Páginas amarelas e fonte que tornaram a leitura ainda melhor.

Por fim vou deixar a dica da palestra em vídeo: intitulada “Ensine coragem às meninas, não perfeição” com legendas em português:
Te desejo coragem!

20 comentários em "Corajosa sim, perfeita não [Reshma Saujani]"

  1. Hoje mesmo na casa dos meus pais, falava com minha mãe sobre isso. Meu pai é meio assim, nunca deixa minha mãe terminar um assunto. Ele a interrompe do nada e sempre quer ter a razão de tudo.
    Mas ela tem pouco a pouco, dado seus gritos de liberdade e hoje ela precisou fazer isso..rs
    Lamentável que ainda haja pessoas assim, mas o bom nisso tudo, é que livros assim,não vieram como auto ajuda,mas sim, como essenciais a todos nós!
    Como não conhecia o livro, claro que já quero!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Olá Elisabete!
    Gosto de mensagem que a obra nos passa de que a perfeição é ilusória, pois a pressão por parte da sociedade para alcança-la sempre faz com que falte algo para que se possa dizer "isso é perfeito, não tem como melhorar"". E é exatamente por isso que precisamos aprender a não viver com base nas expectativas dos outros, não é verdade?
    Além disso, o livro não poderia ser mais atual e pertinente ao abordar a questão controversa de que a mulher precisa ser dona de si mesma, mas desde que vá ao encontro do que é pertinente para o mundo dos homens.
    Sem dúvida a leitura deve agregar muito para reflexão.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Elizabeth
    Depois de ler sua resenha vi a palestra, mesmo sem mais detalhes de Resuma Saujani já admiro essa mulher.
    Ela tem razão em dizer que as garotas são criadas para serem perfeitas em tudo e os garotos ser corajosos. Estudei por muito tempo com garotas assim, tinham que tirar nota máxima em tudo.
    Esse livro é uma leitura para todos, deveria ter nas escolas.
    Quero fazer essa leitura, beijos.

    ResponderExcluir
  4. O livro permite uma importante e necessária reflexão a nós mulheres. Por que buscar uma perfeição muitas vezes inalcançavél. Perfeição ditada por um mundo machista.
    Esse livro é perfeito

    ResponderExcluir
  5. Elisabete!
    Gosto dos livros de auto ajuda, ainda mais quando mostrm o quanto uma mulher deve ser valorizada.
    É importante fazermos reflexões e analisarmos o quanto o machismo interfere na vida das mulheres.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir

  6. Olá! Acredito que qualquer livro que nos faça refletir e nos ajude de alguma maneira são sempre muito bem vindos, claro que vou buscar mais informações sobre a obra, até porque acredito que ela possa me ser muito útil, afinal eu tenho grande dificuldade (principalmente no trabalho e estudos) em aceitar que não preciso ser perfeita.

    ResponderExcluir
  7. ingriD Figueiredo28 de maio de 2020 00:24

    Tanta coragem que esse livro fez criar em mim, eu descobri e aprendi tanta coisa nele, sou eternamente grata por ter adquirido esse livro. Mulheres leiam, é um livro de leitura simples, que conta como desenvolver a coragem em nós, mostra como nós somos desde pequena criadas para buscar a perfeição (o que me identifiquei muito)

    ResponderExcluir
  8. Amo livros com esse tema mostrando que nós mulheres temos força, que somos fortes e não precisamos nos rebaixar para ninguém, temos direitos iguais e fico com muita raiva quando vejo que as mulheres possuem a mesma e até melhor do que a capacidade dos homens em um determinado serviço e ainda assim eles ganham mais do que nós, o que isso é um absurdo. Já vi e ouvi muitas abaixando as cabeças para seus maridos, e que quando o homem toma a palavra e a interrompe é como se ele não estivesse nos escutando, como se nao existissemos. Vi muito disso em reportagens, jornais, e até em filmes e séries de TV mostra isso. Esse livro parece ser incrível, trazendo e nos mostrando que somos mais do que imaginamos. Quero muito conhecer essa escrita e a capa é deslumbrante, as poucas páginas torna a leitura mais rápida

    ResponderExcluir
  9. Olá, Elisabete

    Eu era uma dessas pessoas que não gosta de livros de autoajuda, porque os que eu tentava ler, sentia que os autores apelavam muito,
    Mas de uns tempos pra cá, comecei a dar uma chance de novo para esse gênero, e tenho gostado muito do que tenho lido, me ajudou bastante.
    Vou querer ler esse sim!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Eu curti muito esse livro. Apesar de não ser um gênero que leio constantemente, as vezes percebo que preciso de um empurraozinho na vida e esse foi perfeito para isso.

    ResponderExcluir
  11. Olá Elisabete!
    Confesso que não leio muitos livros de auto ajuda, mas esse me parece um livro diferente, sem falar que o tema me interessa bastante. Eu sempre publico coisas nas redes sociais sobre aceitação, principalmente sobre lidar com o nosso corpo e quebrar os padrões impostos pela sociedade. Esse livro trouxe muitas inspirações ao abordar essa assunto e muitos outros. Estamos sempre em busca de construir um mundo melhor para as futuras gerações e que maneira melhor de fazer isso do que nos empoderando através de informações e o fortalecimento da nossa autoestima? Eu não conhecia esse termo mansplaning, mas já tinha ouvido falar desse sentimento de superioridade masculina. Dica anotada e vou ver a palestra com certeza.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Estou lendo esse livro, peguei no começo do mês para fazer a leitura mas ainda não consegui terminar, não sei se é por conta que não sou acostumada com livros do gênero ou o que, mas não estou conseguindo sair das primeiras 50 páginas dele.
    Gosto muito do assunto abardado e quando ganhei o livro fiquei bastante contente e ansiosa com a leitura, mas agora que peguei para ler não estou conseguindo ir para frente. Acho que vou esperar outro momento para continuar a leitura, afim de desfrutar melhor.

    ResponderExcluir
  13. ainda não li esse livro mas toda obra que traga boas coisas,que ensine algo bom construtivo é valido .não é uma leitura que estou acostumada a ler mas creio que seja uma leitura que vai somar coisas positivas para mim
    não gosto dessa cultura de perfeiçao porque ninguem é perfeiro e ninguem conseguira ser

    ResponderExcluir
  14. Oi Elisabete,
    É a primeira vez que leio sobre mansplaining, mas fiquei muito interessada no tema. Esse livro é daquele tipo que sempre digo a mim mesma que eu deveria ler, pois é importante, mas que acabo adiando a leitura em prol de alguma outra que acho mais interessante no momento. Ser mulher nunca foi e, infelizmente, acredito que nunca será fácil, pois nossa sociedade é contra nós. Somos cobradas o tempo todo e em todas as situações e é tudo tão bem enraizado em nossas mentes que não temos noção, muitas vezes, de que isso está acontecendo. Eu sou uma dessas pessoas que dizem que não gostam de autoajuda, mas acho que um pouco disso se dá pelo medo de admitir que fracassei ou que não fui inteligente ou esperta o suficiente. Olha, gostei muito da temática desse livro e, com certeza, se for para eu começar a ler livros do gênero, não tenho dúvidas de este estaria entre os primeiros.

    ResponderExcluir
  15. o titulo do livro já me interessou bastante, fiquei muito intrigada. Amo livros que abordam esse tema e acho que serpa uma ótima leitura para se fazer, uma leitura que me fará refletir sobre certas coisas. Mal posso esperar para ler!!

    ResponderExcluir
  16. Esse é daqueles livros que o título já nos diz muito, gostei muito de conhece-lo ainda mais porque parece ser uma leitura rápida, mas que tem muito a nos ensinar.

    ResponderExcluir
  17. Uau, que resenha mais linda!
    Eu não sou fã de autoajuda porque não finalizei nenhum livro do gênero que a tive a chance de ler.
    Mas essa temática me chama atenção, e acredito que possa me prender do início ao fim. Bom saber que é uma leitura que ensina.

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Eu simpatizo muito com livros provenientes de palestra do TED, e com esse aconteceu o mesmo. O discurso abordado nesse livro é uma questão muito atual, andamos tão limitados com relação a determinadas coisas em busca da perfeição que, muitas das vezes, deixamos de viver ou experimentar algo que queríamos ou gostamos de fato. Adicionei o livro ao quero ler no Skoob!

    ResponderExcluir
  19. Oi! Até que parece um livro bom, mas ao mesmo tempo em alguns aspectos pra mim, feminista, parece mais do mesmo, sabe? Então eu não sei se eu leria. Por exemplo, nenhum dos conceitos que te chamou a atenção chamariam a minha, pois eu já sei eles, entende?
    Enfim, tem alguns livros com pegada semelhante que você talvez fosse gostar. A cor púrpura, Complexo de Cinderela e Sejamos todas feministas são exemplos!

    ResponderExcluir
  20. Oi, Elisabete
    Eu não conhecia esse livro, mas já quero!
    Adorei sua resenha. E achei o livro um verdadeiro achado!
    Essas cobranças todas que, nós, mulheres, sofremos é terrível. E o pior é muitas vezes nos sentimos culpadas em sermos nós mesmas.
    Assim que der lerei!!
    Bjs

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir