acompanhe o blog
nas redes sociais

22.7.20

Você é Fodona! [Jen Sincero]

Jen Sincero

Cortesia da Editora Rocco

Pare de duvidar do seu potencial e comece a viver uma vida

Olá pessoa, tudo bem? Há alguns anos houve uma busca de leitores por livros que então ficavam nas prateleiras como autoajuda. Eram guias com 07, 10 ou algum número mágico de passos que te faria alcançar um objetivo desejado. Talvez não tenha dado muito certo para a maioria das pessoas, e veio o que chamo de livros de autoajuda 2.0 que eram mais como “amigos” aconselhando ao leitor como alcançar os seus objetivos, vieram títulos como A arte de fazer alguma coisa, como conquistar o que quer que seja..., e por aí iam.

Agora entramos numa nova fase de livros que deixam de ser de autoajuda para ser de desenvolvimento pessoal. É quase como ter um coach em sua casa durante a leitura. E esse não vai te dar uma lista ou ser amigo, vai ser um motivador, alguém que se precisar grita com você e usa um ou dois “palavrões” para te manter focado.

Você é Fodona
Título: Você é Fodona
Autor: Jen Sincero
Tradutor: Marcia Frazão
Editora: Rocco
Gênero: Motivacional
Páginas: 272
Edição:
Ano: 2020
Onde comprar: Amazon

Basta observar o título que você já percebe que esse livro está nessa terceira categoria, a autora traz sua experiência pessoal em busca de uma mudança radical de atitude e coloca suas observações, conquistas e fracassos anteriores como exemplos do que não fazer e do que fazer e como para alcançar uma nova atitude devida que te ajude a chegar onde você quer e merece estar. Então, esse é um livro para quem gosta de autoajuda e quer cultivar seu desenvolvimento pessoal.

“Para poder viver a vida que nunca viveu, você tem que fazer coisas que nunca fez.”

A autora começa nos falando que o melhor momento de começar uma mudança é o exato momento que você percebe que precisa dela, nem um minuto a mais. Afinal você já perdeu muito tempo com a vida como está agora. E o primeiro passo para isso é deixar para trás seus medos, para que você possa correr riscos que valem a pena, aqueles que o insucesso não te deixará pior que o ponto anterior a tentativa, porém no mínimo vão ter tirado do lugar onde estava. O segundo será identificar e mudar crenças e auto sabotagens que impedem você de conseguir o que quer. Afinal sua luta interna entre o que você aprendeu sobre algo e o que você sabe pode ser o que te limita em alcançar esses objetivos.

Pode parecer para alguém não habituado ao gênero algo banal, mas alerto que não seja, pois, o próprio pai da psicanalise, Freud dizia que ao se descobrir a origem do problema se conseguiria resolver o mesmo. Então, os gatilhos para o nosso desenvolvimento vêm de descobrir o que impede que alcancemos nosso objetivo, e segundo o alerta do livro pode ser algo que temos interiorizado em nossa mente, que não temos clareza.

“Você precisa deixar de apenas querer mudar sua vida para decidir transformá-la.”

Uma coisa, que me incomodou na leitura foi a forma que a autora “fala” com o leitor, muito próximo de uma de suas palestras motivacionais, porém num livro ficou muito agressiva e várias vezes arrogante. Como se você por estar lendo esse livro assinasse algum atestado de incompetência e os sábios conselhos dele são a porta de entrada para algum paraíso de pessoas bem-sucedidas. Porém, fica o alerta que isso foi algo pessoal meu, durante a leitura e cada pessoa pode e vai se sentir diferente ao ler o mesmo livro.

A medida que o livro avança, quem já leu ou conhece outros livros da área de desenvolvimento pessoal, vai notar claras referências a eles durante a leitura. Por várias vezes me vi concordando com a autora em seus pontos de abordagem como a necessidade de aprender a amar a si e aos outros de uma forma não destrutiva. Ou seja, não nos fazendo achar que somos melhores que todos os outros ou colocando as outras pessoas como infinitamente melhores que nós mesmos.

Que como já dizia o gato de Cheshire “Se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve” então é preciso sim estabelecer grandes objetivos e alcançá-los, como ganhar dinheiro imediatamente, criar uma vida que você ama de corpo e alma e a melhor forma de usar a sua própria força para arrasar de verdade. E aqui preciso confessar, que algumas vezes ri pensando em Star Wars, algo como “que a força esteja com você”. A autora usa várias citações no começo dos capítulos e também destaques do conteúdo que facilitam a memorização.

Agora entramos numa nova fase de livros que deixam de ser de autoajuda para ser de desenvolvimento pessoal. É quase como ter um coach em sua casa durante a leitura. E esse não vai te dar uma lista ou ser amigo, vai ser um motivador, alguém que se precisar grita com você e usa um ou dois “palavrões” para te manter focado.

Como ela aborda vários pontos para quem está lendo como um estudo, é legal ter caneta e papel para anotar e fazer destaques de pontos que queira aplicar. Então, posso afirmar que a narrativa é bem coesa, bem dividia e a leitura é rápida, nada é muito arrastado.

Gostei muito da diagramação, entendo que a capa seja algo que demonstre energia e uma atitude proativa, bom trabalho de tradução e revisão, sem que eu tenha notado erros de digitação ou ortografia.

20 comentários em "Você é Fodona! [Jen Sincero]"

  1. Então...
    Eu já li tanto auto ajuda na minha vida que fiquei saturada deles por um bom tempo. Não digo que mudei isso em mim, pois está difícil me abrir para o gênero novamente.
    Mesmo com o título sugestivo(e outros tantos na mesma linha) eu ainda não me senti atraída por sentar e ler uma obra sim.
    Não digo que não lerei,mas..sei lá rs
    Muda-se o dedo na cara, os palavrões, o "levanta e toca a vida",mas vem gente que se acha??
    Ah não! rs
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Fiquei bem curiosa pra ler esse livro, amei a resenha :D

    https://www.submersaempalavras.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu recebi esse livro mas ainda não sei se lerei. Não sou muito fã de livros do tipo e depois que você comentou sobre ela parecer um tanto agressiva, fiquei com um pouco de receio de achar a mesma coisa.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Eu particularmente não curto muito esse tipo de livro. Mas ao mesmo tempo acredito que possa ajudar aquelas pessoas que precisam de um empurrão para mudar de vida.
    Percebi essa vibe meio de agressividade só de ler o quote destacado na resenha

    ResponderExcluir
  5. Realmente o que eu mais vejo atualmente é que esses livros estão fazendo muito sucesso! Alguns conversam com o leitor de uma forma muito legal, prática e é quase como um amigo aconselhando outro no fim de tarde tomando chá. Uma pena que você teve aquela impressão lendo o livro, achei o título bem legal e é algo que eu levo pra mim. Muitas pessoas confundem isso com soberba, mas eu acho que se eu não acreditar em mim e me autoafirmar, quem vai fazer isso?
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Elisabete!
    Não sei porque as pessoas tem 'ranso' com os livros de auto ajuda.
    Sempre achei que aqueles primeiros, que trazem tantos passos para se alcançar alguma coisa, sempre tinha algum aprendizado e ajudava de alguma forma.
    Bom ver que agora já temos livros como esse, mas focado e profissional, direcionado e menos complicado de ser assimilado.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Ingrid Figueiredo22 de julho de 2020 23:05

    Houve esse boom de livros auto ajuda, e realmente alguns são muito bons, mas tem outros que embarcam no sucesso alheio e fazem quase que uma cópia do livro, por exemplo houve um aumento em livros com palavrões na capa, numa tentativa de chamar atenção do leitor de cara (fora que ficam em exposição nas livrarias a deixar para qualquer um ver, inclusive crianças).
    O que eu acho que torna-se um problema é quando a pessoa depende muito do livro, do coach, na busca de métodos com respostas rápidas, e nós sabemos que isso não existe, e se existe corre que é cilada, Bino.
    Uma vez li em um artigo sobre esses livros, e demonstraram que na maioria há essa universalização dos termos, vazio proposital e vazio óbvio, e que, em grande parte deles, o autor ausenta-se e dá lugar para o leitor, então o poder desses grandes livros está nas mãos daqueles o seguram.
    Honestamente, às vezes uma terapia seria mais eficaz rs.

    ResponderExcluir
  8. Eu nunca li esses livros de autoajuda, sei lá, eles não me chamam tanta a atenção. Já esse parece ser diferente dos outros e me interessei nele. Através dos trechos que foram colocados na resenhas parecem mesmo um pouco agressivos, mas acredito que é a forma como lemos.

    ResponderExcluir
  9. Olá Elisabete!
    Acredito que as pessoas tinham um pouco de preconceito com a primeira onda dos livros de autoajuda, afinal, não é nada fácil admitir para si que precisa de ajuda com algum problema e buscar o auxílio para tal. Por isso acho que criaram a segunda e a terceira versão dos livros do gênero, para fazer o leitor se sentir mais à vontade e mais confortável com a situação. Sou uma grande admiradora de Freud e acho incrível como suas teorias podem ser aplicadas em diversos campos. Acho que o sentimento negativo que você sentiu ao lidar com a linguagem da autora possa ser um ponto em que o livro deve ser melhorado, afinal isso pode prejudicar pessoas mais sensíveis.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. ola
    não costumo ler esse genero mas respeito quem goste de ler
    já vi diversos titulos parecidos mas não tenho vontade de ler

    ResponderExcluir
  11. Ah, eu lembro dessa primeira fase, até tentei ler alguns, mas nenhum foi finalizado. Não me dou bem com o gênero.
    Interessante o tema proposto e essa nova fase do autoajuda.
    Esse tom agressivo da autora me faria abandonar o livro haha.
    Ótima resenha

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá! Normalmente esse não é um tipo de livro que me atrai, mas até que achei interessante essa atualização de autoajuda para desenvolvimento pessoal, acredito que é um tipo de leitura bastante necessária para todos e que podem nos auxiliar a realizar mudanças, nem sempre fáceis, mas que precisam acontecer.

    ResponderExcluir
  13. Olá Elisabete!
    Nada melhor do que obras de desenvolvimento pessoal para ler nesta quarentena, não é verdade? Eu por exemplo, que estou com muito mais tempo livre, aprecio bastante essas dicas que nos permitem fazer uma análise interior e identificar o que precisa de mudança.
    E embora o tipo de prosa deste livro em específico não seja muito acolhedor, o conteúdo com certeza aparenta ser de qualidade, e Jen Sincero, por meio desses exemplos de sucessos e fracassos, nos deixa animados para iniciar a transformação que almejamos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Com certeza a capa chama muita atenção, ainda mais pela frase de efeito, foi realmente a primeira coisa que pensei, que passa energia e proatividade. A autora foi muito esperta nisso, já da vontade de ler logo pra saber como melhorar e viver a tal vida incrível hahaha. Acho incrível quase tudo o que aborda o desenvolvimento pessoal.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15.                         Sinceramente não é o tipo de leitura que faz os meus olhos brilharem, ainda mais sabendo que em algumas partes a autora acaba se excedendo, dificultando uma empatia por parte do leitor. A capa também não me agrada, então acho que dessa vez passarei a dica!

    ResponderExcluir
  16. Não sou muito fã de livros de autoajuda. Principalmente com esses titulos passivos agressivos mas acho legal a vibe do livro. Mas me falta empatia com esse tipo de livro

    ResponderExcluir
  17. Oi, Elizabeth
    Gostei de saber que agora os livros de autoajuda são classificados como motivacional.
    Li muitos livros desse gênero, mas no momento quase não estou lendo mais.
    Gostei desse livro que a autora trás o que foi bom e ruim para o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Mesmo com essa ressalva penso que é um livro que vale a pena.
    Assim que tiver chance lerei, beijos.

    ResponderExcluir
  18. Oii!
    Não sou muito de ler livros nesse estilo, mas esse parece ser bem interessante. Tem alguns que leva títulos parecidos e me chama bastante atenção, pretendo ler em algum momento da minha vida.

    Blog: Tempos Literários

    ResponderExcluir
  19. Oi, Elisabete
    Parece ser um livro legal, e que traz reflexões e aprendizagens.
    Eu já li muito auto-ajuda, até gosto, porém, as metas e dicas de alguns são bem irreais.
    Então sempre tento absorver o que pode me ajudar, sabendo que não dá pra fazer tudo kkkk
    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Eu não sou muito fã de livros de autoajuda não. Acho que a grande maioria é mais do mesmo e pouco resolve alguma coisa. Estão, não sei se darei uma chance, mas quem sabe futuramente...

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir