acompanhe o blog
nas redes sociais

25.9.14

Três Contra Todos [Deco Rodrigues]

2013 - 95 páginas:
      Em seu livro de estreia, Deco Rodrigues conjuga em diferentes tempos os três elementos que baseiam uma relação amorosa: amor, sexo e amizade. Eduarda, Rafaela e Lucas, através de suas narrativas, protagonizam o epicentro dos encontros, desencontros e descobertas de “Três Contra Todos”. 



Onde comprar:



Recebi Três Contra Todos do próprio autor Deco Rodrigues. Não sabia o que esperar do livro, pois não conhecia sua sinopse, mas este detalhe só tornou a surpresa ainda mais agradável, pois achei a leitura polêmica e irreverente e isso sempre me instiga.

Trata-se de uma história de Poliamor. E o que é Poliamor? Pela descrição da Wikipedia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Poliamor), significa "a prática, o desejo, ou a aceitação de ter mais de um relacionamento íntimo simultaneamente com o conhecimento e consentimento de todos os envolvidos, não devendo no entanto ser confundido com pansexualidade". Em resumo, aqui é contata da história de Lucas, Rafaela e Eduarda, que mostram através deste "triangulo amoroso", ser possível um novo modelo de família.

O Livro é narrado por 3 pessoas: Rafaela, Eduarda e Lucas. Cada um deles vai contanto um pedaço de sua história e sua visão dos fatos. É muito interessante como o trio acabou se unindo, pois Lucas estava interessado em Rafaela, que por sua vez era lésbica assumida e estava apaixonada por Eduarda, a mais velha dos três e a mais irreverente deles, mas Eduarda interessou-se por Lucas. Aí o círculo fechou-se e os três acabam se conhecendo melhor, tornando-se amigos e amantes.

“Foi então, que Lucas largou Eduarda e me pegou pelas mãos, me coordenou numa dança teatral e, antes mesmo que eu pudesse reagir, ele estava me beijando da mesma forma que beijara Eduarda. Não senti nojo ou repulsa e, definitivamente, Lucas era especial. Mas claro que o que passava na minha cabeça era Eduarda. Naquele beijo com Lucas eu estava sentindo o sabor dos lábios dela… Retribuí o beijo com a mesma intensidade porque eu sabia que há poucos segundos ali estavam a boca e a língua da Eduarda.” (Rafaela)

O livro não é uma apologia sobre o sexo livre, pelo contrário, os personagens são unidos por ligações de afeição, amizade, respeito e amor. Muitos casais dos quais consideramos "normais", não estão ligados por pelo menos 2 destes atributos. Então, quem somos nós para julgar o que é certo ou errado? Nossa forma de amar é antiga e baseada em conceitos morais ditados por regras sociais muitas vezes criadas para manter a saúde financeira da sociedade, ou até por proteção dos seus membros. Agora estamos no século XXI, não necessitamos mais destes artifícios, então porque não arriscar novas formas de amar?

"Foi no início desta década, diante de uma limitação social quanto à definição da palavra amor, que três pessoas lutaram contra o preconceito, mostrando que a família saudável independia do número de pessoas, mas sim da capacidade que essas pessoas teriam para conviver em harmonia e respeito".

Conheça o que Rafaela, Eduarda e Lucas tem a contar e saiba que esta história é baseada em um caso real.



Capixaba, leonina, analista de sistemas e mãe. Apaixonada por livros, sou uma leitora compulsiva e como o tempo é curto, leio em todo o lugar: esperando o elevador, dentro do ônibus, no salão de beleza... Ler é meu prazer e minha paixão!

comentários pelo facebook:

16 comentários em "Três Contra Todos [Deco Rodrigues]"

  1. Não conhecia o autor, nem o livro. Achei a proposta bem diferente e interessante em vários aspectos. Confesso que o tema não me anima, mas o conteúdo com certeza faz pensar bastante.
    Depois de ler a resenha fiquei refletindo um pouquinho sobre o que você disse. E concordo com muita coisa.
    Obviamente que as pessoas são diferentes e pensam de formas diferentes, e não há nada de errado nisso. Concordar ou discordar faz parte de uma sociedade democrática. Agora condenar alguém por agir de forma diferente é complicado, ainda mais quando a atitude não te afeta de nenhuma maneira, né?
    bjs

    ResponderExcluir
  2. temas polêmicos me atraem como mosca na lâmpada, corro pra eles de peito aberto, pronto pra me embriagar, aprender, aceitar. então é claro que este livro me chamou a atenção de cara. a capa é belíssima, autor desconhecido, sinopse chamativa, todos estes ingredientes misturados é nitroglicerina pura e o quero lá em casa também. mais uma dica sua que guardo a sete chaves querida Gi.

    ResponderExcluir
  3. Eis um tema que vem rondando meu circulo de amizades tem um tempinho... as opiniões divergem bastante... acredito que as emoções e sexualidade humana deve ser vivida da maneira que cada um acha correto ou sente... devemos viver a nossa sabendo aceitar as pessoas que vivem uma diferente... lerei esse livro sim...

    ResponderExcluir
  4. Esse é livro singular, nunca vi nada assim. E confesso que não foi muito atrativo pra mim, no entanto achei bacana o porquê das coisas. A reflexão que o livro acaba trazendo, acho que isso é muito válido. E de fato é, quem somos nós pra dizer o que é certo ou errado. Cada um tem seus preceitos, seus valores. Então... se eu tiver oportunidade de ler, farei com certeza.

    ResponderExcluir
  5. Oi Gisela, não conhecia o livro, e gostei do enredo. Muito bom ainda saber que ele é nacional. Vou anotar a dica.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  6. Já tinha visto o livro, mas não conhecia a sinopse, como você, e embora tenha gostado da sua resenha, eu não me interessei em lê-lo, pois não é o estilo que gosto, porém, talvez eu o leia no futuro!

    ResponderExcluir
  7. Olá, Gisela
    Tudo bem?
    Adorei a resenha, fiquei bastante ansiosa pelo livro, pois ainda não o conhecia. Adoro suas resenhas, me servem como dicas e aumentam cada vez mais minha listinha haha!!
    Beijos*-*
    Território das Garotas

    ResponderExcluir
  8. Oi, Gi! É o primeiro livro que vejo falar sobre o tema. Outro dia vi um documentário no programa Tabu Brasil (canal Nat Geo) e é exatamente como vc citou: há uma forte ligação entre os envolvidos, como numa relação convencional entre duas pessoas, só que a três.
    Acho legal ler que vc sempre se posiciona a favor do amor, de cabeça aberta para entender outros tipos de relações e nunca julgando. Procuro agir da mesma forma, Gi.
    Fiquei curiosa, acho que o livro vai dar o que falar e merece, claro, ser lido e discutido.
    Beijooo!

    ResponderExcluir
  9. Tema interessante e corajoso, tem muita gente de mente fechada que acharia essa história horrível. Eu me interessei de verdade, querendo ou não é uma história de amor como qualquer outra, aliás, creio que isso sim seja um triângulo amoroso no sentido da palavra.

    ResponderExcluir
  10. Gi, eu não conhecia a história do livro. Já tinha visto por aí, na blogosfera, um pouco sobre o autor, mas nunca tinha parado para ler nenhuma resenha sobre ele. Confesso que o enredo me surpreendeu e mais ainda por não se tratar de apologia.

    ResponderExcluir
  11. Eu tenho que dizer que, definitivamente, o livro me atraiu muito. O tema é polêmico, e talvez por isso mesmo é que me chamou tanta atenção. Gosto muito de ler coisas discutíveis, que possam te expandir os horizontes e te colocar frente a frente com uma realidade diferente da tua, e nem por isso menos "correta". Acho muito interessante o modo como o autor abordou esse tema tabu, com simplicidade que deu para perceber já nos quotes do livro que tu pôs na resenha. Realmente não vejo a hora de ler.

    ResponderExcluir
  12. Achei estranha esta relação, podem me chamar de careta!
    De qualquer forma preciso ler para verificar se, de fato o livro não é uma apologia ao sexo livre.
    O maios problema não é o sexo livre, mas sim, envolver sexo e amizade. Para mim as duas coisas não podem estar ligadas.
    Fiquei intrigada e com vontade de conferir esta estória!

    ResponderExcluir
  13. Pode ser qualquer século, mas não concordo com essa tal 'forma' de amar.
    Cada um é livre e faz o que quer...

    ResponderExcluir
  14. Sou completamente contra a traição, mas, nesse caso, não há traição, pois nada está sendo feito às escondidas. E até acho que é possível ser feliz dessa maneira. Digo que esse livro é, no mínimo, bem polêmico.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  15. Um livro bem polêmico... Eu não daria conta de viver em uma relação de poliamor, mas respeito totalmente e acho bem inusitado um livro com esse tema... Fiquei curiosa pra saber mais dessa história, e como é a relação dos três... Me pareceu ser um livro muito corrido, pois tem apenas 95 páginas, mas vou ler até pra conhecer mais sobre esse tipo de relação...
    Kisses =*

    ResponderExcluir
  16. Acho bem legal quando um livro que explora esse tema de relacionamento a três de uma forma pouco comum e ainda mais baseado num caso real. Mas mesmo assim não senti vontade de ler o livro.

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir