acompanhe o blog
nas redes sociais

4.9.15

[Bookserie] Engenharia Reversa: Parte XIII - Tensão no Subterrâneo



Engenharia Reversa


Parte XIII - Tensão no Subterrâneo


As galerias de esgoto embaixo da superfície de Vix foram construídas para ajudar a eliminar os resíduos industriais das novas fábricas, porém, muitas delas terminaram sendo pouco utilizadas ou desativadas. Agora, o subterrâneo é um imenso labirinto de túneis, um verdadeiro reino habitado por criminosos, miseráveis e seguidores de estranhos cultos.

Já nos limites de Alta Santa Maria, em um túnel abandonado, Thiago, Marcela e Davi tentam avançar o mais rápido que podem em meio à água viscosa e poluída que os impede de ver o chão. Atrás deles, os três homens que se auto intitulam os "Filhos de Alfa Um" não dão trégua, apressando os dois rapazes e a garota sem se importar com a exaustão que eles aparentam.

Marcela olha para as paredes, que são feitas de pedras retangulares e musgosas, ela não consegue visualizar o teto do túnel, pois a escuridão é densa, quebrada apenas pelas fracas luzes fosforescentes que emanam dos leds instalados entre as pedras. "Meu Deus, como eu vim parar nesse lugar?", indaga. Tenta ligar os fatos, pensa no que vivenciou nas últimas horas e uma enxurrada de dúvidas invade sua mente. Será que realmente tudo aquilo era uma punição pelas crueldades que havia cometido? E para onde eles estavam sendo levados? E Jorge? Onde estaria ele? Havia sim um encadeamento de eventos, e a mente calculista da engenheira voltou a funcionar. "Se eu não tivesse me apaixonado por um mau-caráter eu não estaria aqui hoje", ponderou. Ela tenta esvaziar a cabeça, tenta diminuir o estresse; enquanto anda, começa a olhar para os lados e percebe que, em determinados pontos, existem bifurcações no túnel, às vezes duas, as vezes mais, algumas também são iluminadas por leds, mas a maioria é dominada pelo breu. Contudo, mesmo contra sua vontade, uma última verdade emerge em seus pensamentos: agora ela era uma criminosa, e sua vida como cidadã de Vix estava encerrada; sem CND, sem contatos, sem recursos. Seus antigos amigos, sua casa, sua família, tudo perdido. Independente dos próximos acontecimentos, ela sabe que precisa decidir o que irá fazer pelo resto de seus dias.

Davi está enojado. A água viscosa, imunda, talvez até radioativa, atravessando o tecido de sua calça jeans só não é pior do que aqueles malucos que os haviam capturado. Ele se sente totalmente impotente sem seu poderoso CND, e teria que praticar seu ofício de bio-hacker à moda antiga, ou seja, seria esmagado pelos concorrentes. "O que vai ser de mim?", pensa preocupado. A raiva, que estava em seu espírito desde a conversa que teve com Maestro horas atrás não para de crescer e de se acumular, dominando seus pensamentos. "Maestro me enganou! O contratante me enganou! Estão apenas me usando como uma marionete." Então Bel ocupa seus pensamentos, a namorada não humana, a bio-computador! Poderia ele amar um ser artificial? A medida que avança naquelas águas pútridas, a chocante realidade sobre ela se torna mais sólida, e dúvidas começam a brotar em sua mente.

Muito ansioso, porém não tão enojado quanto Davi, mas com um medo crescente do que pode acontecer, Thiago acessa seu CND e tenta mais uma vez se comunicar com Maestro, sem sucesso. Então entra na Hypernet, mas fica surpreso ao descobrir que seu equipamento está off line, alguma coisa está bloqueando todos os sinais. Impedido de se comunicar com o mundo exterior e com o mundo virtual, ele sente a incômoda sensação de estar isolado, preso em uma solitária.

De repente, uma luminosidade fantasmagórica surge por atrás dos três, projetando as sombras dos captores nas águas inquietas, formando imagens distorcidas e grotescas, que tornam o lugar ainda mais assustador. Eles olham de relance para trás e, surpresos, veem que as arcaicas placas de circuitos fixadas nas roupas dos homens estão agora acesas, brilhando como néons bruxuleantes. Os três são logo repreendidos pelo líder do grupo, que os obriga a voltar a olhar para frente e seguirem rápido pelo túnel.

Cansado de lutar contra a água e revoltado ao extremo, Davi não aguenta mais, ele para de andar e se volta para os captores. Com as sobrancelhas franzidas e as pálpebras levantadas, cerra os olhos e vocifera contra os homens:

- Porra, seus miseráveis! O que vocês querem com a gente?

Surpresos, os filhos de Alfa Um estacam. Thiago e Marcela se juntam a Davi, veladamente desafiando seus raptores. Entretanto, o homem de circuitos vermelhos não se intimida, e, com o rosto tomado por uma expressão de ira esbraveja contra os prisioneiros:

- Voltem a andar, gado!

"Mas que coisa é essa de gado?", pensa Marcela, curiosa. Davi continua imóvel, encarando o homem, desafiando a autoridade imposta. Enfurecido, o ameaçador filho de Alfa Um se aproxima do bio-hacker e, com um gesto rápido, gira sua arma e com ela atinge o rosto de Davi com uma forte coronhada, que faz o rapaz cair por inteiro dentro da água poluída. Thiago e Marcela se apavoram, mas é ela quem reage em prantos:

- Seu animal! Não precisava ter feito isso! Ele não fez nada contra vocês! Nenhum de nós fez! - Thiago, ainda paralisado, se lembra que carrega uma pistola escondida nas costas por baixo de sua jaqueta. Pensa em usá-la, mas muda de ideia quando percebe que as armas dos outros dois raptores estão apontadas para eles.

O enfurecido homem olha para Marcela de forma ameaçadora, gira a arma de volta e a aponta para a engenheira. Thiago, perdendo a cabeça ao ver a moça em risco, se coloca entre ela e a espingarda, então levanta os dois braços para cima com as palmas das mãos viradas para o agressor, gritando com ele:

- Calma, calma! Nós vamos continuar a andar, só precisamos de uns minutos para descansar!

Os olhos dos dois se cruzam, e Klein percebe alguma coisa estranha que começa a acontecer com o enfurecido; de súbito, ele parece congelar, e então entra em uma espécie de transe. Seus olhos giram nas órbitas, escondendo suas córneas e os deixando completamente brancos, ele baixa a guarda, apontando a arma para a água.

Os outros dois seguram Davi pelos braços, mas olham atentos para o chefe, que agora balbucia palavras incompreensíveis em um baixo tom.

Por um breve momento os olhares de Marcela e Thiago se encontram, confirmando que ambos têm o mesmo pensamento: é uma oportunidade para tentar escapar! Entretanto, atento, um dos raptores larga Davi e mira com sua arma nos dois prisioneiros, percebendo que eles podem tentar alguma artimanha. Davi enfia o braço na água tentando não molhar novamente a cabeça, mas não consegue, dessa vez ele fecha os olhos e a boca quando novamente cai no líquido viscoso.

Então o transe do líder termina abruptamente, e ele novamente aponta sua rústica espingarda para Thiago, forçando o jovem a recuar.

- Isaías, o que houve? O que Zardor lhe disse? - Pergunta ansioso o guerreiro que largou Davi.

Ainda se recuperando da estranha experiência, o homem responde com uma voz ofegante:

- Mortos. Muitos de nossos irmãos estão mortos. Os Carrascos da Babilônia entraram em nossa terra e agora estão vindo em nossa captura! Eles querem recuperar o gado, e querem machucar a Mãe! Temos que chegar ao Templo o mais rápido possível!

Então os raptores ficam ainda mais violentos. De forma brutal, colocam Davi de pé e empurram Thiago e Marcela com os canos de suas armas, forçando-os novamente a tentar correr.

Em todo caso, os três haviam conseguido alguns minutos de descanso, mas ficaram ainda mais assustados com aqueles homens. Após alguns segundos de difícil movimentação pelo túnel, Thiago se aproxima de Davi e com uma expressão preocupada o indaga:

- Cara, quanto você engoliu dessa água?

***

Na entrada do túnel, os últimos remanescentes dos Filhos de Alfa Um são massacrados pelas forças da UNI-Tron. Em meio à rua repleta de policiais em suas armaduras prateadas, um grande veículo de transporte marcado com a sigla VNR manobra nos céus, aproximando-se do destruído flymob de Maestro. Ao lado dele, duas naves sentinelas, menores e muito semelhantes a caças de combate, apontam suas turbinas para baixo e também iniciam o procedimento de aterragem, atraindo a atenção dos policiais.

Pequenas escotilhas se abrem em baixo do transporte, por onde saem quatro cilindros de metal articulados, semelhantes a pernas e com pequenas garras nas pontas que tocam o chão de asfalto. O som das turbinas começa a diminuir até que cessa completamente. O tenente comandante da unidade da UNI-Tron se aproxima da nave, observando com atenção a grande rampa se abrindo na parte de baixo do transporte.

Amanda Makarim desce pela rampa, ladeada por dois agentes usando armaduras vermelhas que protegem seus corpos dos pés a cabeça. Porém, diferentemente dos homens, ela veste uma armadura negra com finas linhas amarelas ao longo dos braços e pernas; está sem o capacete, exibindo seus cabelos vermelhos que tremulam devagar e em harmonia com seus passos. As longas pernas, fortemente protegidas pelas placas da armadura mas ainda sim torneadas, chamam a atenção do tenente por um momento, mas, quando ela enfim pisa no chão de asfalto, seu olhar cortante e sua expressão facial fria, compenetrada e séria, provocam calafrios no oficial da polícia. Ela o encara, o que o deixa tenso, e ele não sabe o por que.

- Onde estão eles, tenente? - Pergunta ela, a voz calma e o tom pausado.

Os outros dois agentes da VNR se dirigem para o flymob destruído, procurando por detalhes ou pistas dentro e fora da carcaça. O tenente, ainda tenso com a presença de Amanda, enfim responde:

- Fugiram pelo túnel, se-senhora. Mas meus homens já estão entrando lá e vamos fazer o impossível para capturar aqueles terroristas.

O "senhora" a faz olhar para o tenente franzindo um pouco a testa, mas então ela desvia o olhar, observando os corpos dos Filhos de Alfa Um e também os policiais derrubados. Então, envia um sinal para os outros dois agentes e começa a andar em direção a escotilha de entrada para o túnel, que fora totalmente explodida pelos policiais.

- Excelente. Vamos nos juntar a vocês. E avise seus homens: ninguém toca no Maestro.

Olhando para as costas da mulher e se sentindo um pouco mais aliviado, o tenente responde:

- Perfeitamente, agente Amanda.

https://www.facebook.com/engenhariareversalivro

[Anterior] [Próximo]
André Luis Almeida Barreto
Aspirante a escritor, inquieto por natureza, ainda tenho vontade de mudar o mundo ou pelo menos colocar um monte de gente para pensar. Viciado em livros, games, idéias loucas e sempre procurando coisas que desafiem minha imaginação.

comentários pelo facebook:

19 comentários em "[Bookserie] Engenharia Reversa: Parte XIII - Tensão no Subterrâneo"

  1. Aproveitei este fim de semana para finalmente ler os capítulos que perdi e com este só posso dizer que foi uma maneira maravilhosa de começar o dia. Estou tão curiosa, simplesmente afoita para saber os próximos acontecimentos.
    O percurso pelo túnel foi coberto de tensão e esta parece que só vai aumentar a cada passo, no lugar de Marcela, Thiago e Davi ficaria traumatizada só por ter que aguentar uma água imunda dessas, mas certamente a água suja é o menor de seus problemas - talvez não para Davi que engoliu essa coisa! Espero que o estômago dele seja forte, mas o que se podia esperar? Desafiar alguém que lhe ameaça com armas e já deixou claro que não está com paciência para democracia não foi algo muito inteligente.
    As dúvidas e a confusão presente na mente dos personagens foi algo que gostei muito de ver, sempre gosto disto, ver como cada um pensa e reage a sua maneira as situações impostas aproxima o leitor deles.
    Aliás, esses Filhos do Alfa Um estão se tornando cada vez mais esquisitos. Ainda mais após a mensagem que um deles recebeu. Essa coisa de gado, mãe, templo e tudo mais é realmente curioso.
    Ao que parece a pequena "festa" nestes túneis vai receber novos convidados e a agente Amanda não parece uma mulher que brinca em serviço.
    O desenvolvimento da história está incrível, consigo imaginar tudo como se fosse uma espécie de filme com as suas descrições e adoro isso.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Karina! Muito bacana ver que a história está legal e prendendo o leitor! ; )
      Bem, só posso dizer que estamos chegando, enfim, no clímax! Abraços!

      https://www.facebook.com/engenhariareversalivro

      Excluir
  2. André!
    Gosto demais como descreve os ambientes e eventos com perfeição.
    Me senti dentro daquele lugar nojento e cheio de viscosidade...
    Mais uma parte deliciosa de ser lida e apreciada.
    O bom é que nunca cai na rotina e tem sempre novidade.
    Que venha o próximo capítulo.
    “Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O lugar é realmente nojento! Sabe, me inspirei num valão que tem na minha cidade, uma coisa horrível, deplorável! Mas valeu para alguma coisa,rs. Muito obrigado, Rudy. Suas citações, como sempre, são ótimas! Abraços!

      https://www.facebook.com/engenhariareversalivro

      Excluir
  3. Não conhecia o livro e fiquei super interessada. Gosto muito de livros mais juvenis, que tenha muita aventura e ação(e se for nacional, melhor ainda!!). Por esse trecho do livro deu para perceber que tem tudo isso, agora estou muito curiosa para saber tudo o que vai acontecer nesse livro!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maisa. Bem, pelo que o pessoal tem falado o livro tá agradando...rs. Dá uma chance sim e se puder leia os capítulos anteriores.
      Abraços!

      https://www.facebook.com/engenhariareversalivro

      Excluir
  4. Estou adorando acompanhar sua história, está escrevendo cada vez melhor, estou aguardando a próxima parte ansiosamente para ler a continuidade da história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Mariele! Próxima parte muito em breve!Abraços
      https://www.facebook.com/engenhariareversalivro

      Excluir
  5. eu estou por fora dos últimos episódios/capítulos, terei que voltar nos anteriores para entender a trama :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Edna! Bem vinda a book serie! Leia os outros sim, depois volte aqui e diga o que achou, beleza? Abraços!

      https://www.facebook.com/engenhariareversalivro

      Excluir
  6. Vi seu livro no Wattpad e me interessei bastante, mas não sabia que você também postava no blog. Vou tentar acompanhar os capítulos, pois a sinopse e a capa me interessaram muito.
    Abraços :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,Dan. Bem vindo a book serie! Pois é cara, comecei a publicar ele lá, mas logo depois, a convite da dona do blog, que foi e é uma grande incentivadora, coloquei ele aqui também.
      Feliz que tenha gostado e fique à vontade para comentar e dar sua opinião!
      Abraços!

      https://www.facebook.com/engenhariareversalivro

      Excluir
  7. Adorando a forma como cada cena é descrita e o melhor de tudo me ver na estória. Parabéns, André.
    Gostando da sua evolução e desejo muita inspiração.

    ResponderExcluir
  8. Estou muito curiosa pra saber o que irá acontecer com Marcela, Davi e Thiago, esses Filhos de Alfa Um são bastante misteriosos! Ficarei aguardando ansiosa o próximo capítulo!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Any! Muita cosia ainda vai acontecer, e eles vão sofrer um tiquinho mais ainda...rs
      Obrigado pelo comentário, abraços!

      Excluir
  9. Oi!
    Estou acompanhando a historia e gostando muito, a cada capitulo a historia vai me deixando mais curiosa e interessada, espero que os meninos consigam escapar, esperando o próximo capitulo !!

    ResponderExcluir
  10. O título do capítulo já disse tudo: Tensão. A cada capítulo é tensão e mais tensão. Ainda bem que os capítulos saem aos poucos, viu?!?! kkkkk

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir