acompanhe o blog
nas redes sociais

28.10.15

Homem-Máquina [Max Barry]

Homem-Máquina - Max Barry
Ed. Intrínseca, 2012 - 284 páginas:
      Charles Neumann é engenheiro e trabalha em um sofisticado laboratório de pesquisas. Ele não tem amigos ou qualquer tipo de habilidade social, e ama máquinas e tecnologia. Por isso, quando perde uma das pernas em um acidente de trabalho, Charlie não encara a situação como uma tragédia, e sim como uma oportunidade. Ele sempre achou que o frágil corpo humano poderia ser aperfeiçoado, e então decide colocar em prática algumas ideias. E começa a construir partes. Partes mecânicas. Partes melhores. A especialista em próteses Lola Shanks é apaixonada por membros e órgãos artificiais. Quando conhece Charlie, ela fica fascinada com a possibilidade de ter encontrado um homem capaz de produzir um corpo totalmente mecânico. Mas as outras pessoas acham que ele é um louco. Ou um produto. Ou uma arma. 

Onde comprar:

QUAL O LIMITE DA SUA SANIDADE

Este é um daqueles livros que apresenta uma sinopse interessante e uma capa engraçada, mas que você precisa de uma motivação especial pra escolher e essa motivação vem através de uma resenha.

O tema desse livro é CYBERPUNK, este é um gênero da ficção científica que faz uma mistura na nossa realidade associada com altas tecnologias, implicando sempre em caos fazendo-nos questionar sobre o futuro. Filmes como Exterminador do Futuro, Matrix e Passageiro do Futuro, se enquadram neste tema.

Max Barry escreveu esse livro de uma forma inusitada: Todos os dias, através do seu blog, ele escrevia e postava uma página desta história, e assim, com a ajuda de fãs e leitores ele foi construindo, este, que na minha opinião é um grande clássico do cyberpunk contemporâneo. A história contida no livro, pode muito bem ser algo que está acontecendo neste exato momento, enquanto você lê essa resenha.

O Dr. Neumann trabalha em um avançado laboratório de pesquisa e após um acidente, ele perde uma das pernas. Querendo voltar a andar, ele usou uma perna mecânica, mas diante das limitações da mesma, ele criou uma perna nova e ela era boa... mas ele não descansou (risos)

Essa é uma história que riríamos se não fosse tão assustadoramente trágica, mas entendam, é uma comédia. Todos queremos avanços tecnológicos, quem não gostaria de lentes de contato que nos fizesse no escuro, ou ver com zoom, ou até mudar de cor de acordo com o desejo? Mas quanto você estaria disposto a dar para ter isso?

Como se não bastasse todas as questões éticas, filosóficas, religiosas, etc, fica a pergunta no ar, sem ser respondida: Quanto você estaria disposto realmente a dar pra ser um humano melhor? Em tempos onde já ouvimos que será tentado um transplante de cabeça, qual será realmente a distância entre os fatos do livro e a vida real?

Agradeço a todos por seguirem minhas resenhas e aproveitem para retornarem depois que lerem a série ou livro, pois gostaria muito de debater com todos vocês sobre suas opiniões. Abraços!


Marcos Graminha
Marcos Graminha é leitor viciado em terror e vampiros. Conta com um acervo de mais de 1500 livros sobre esses assunto. Proprietário de um sebo na cidade de Vila Velha, dedica sua vida a desvendar os mistérios desses "filhos da noite". contato: marcos.graminha@gmail.com
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

20 comentários em "Homem-Máquina [Max Barry]"

  1. O livro tem uma premissa interessante, mas como disse é por meio de uma resenha que ganhamos um motivo para embarcar nessa história. O gênero não é exatamente um dos meus favoritos, mas algumas histórias me interessam e essa em especial, me chamou a atenção por meio dos questionamentos que leva o leitor a fazer, ainda mais em um mundo cada vez mais tecnológico e que não consegue deixar de evoluir; sem possuir de fato um limite.
    Acho que o livro será uma boa leitura, não tenho previsão de quando o lerei, mas colocarei na lista. Sua resenha me deixou intrigada.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Karina... obrigado por permitir que eu pudesse deixa-la intrigada. Adoro causar esse efeito. Saiba que a história é repleta de humor negro, o que torna ela absolutamente interessante e principalmente por se passar em um tempo tão atual. Acredito que, o que está no livro, pode estar acontecendo exatamente agora enquanto respondo essa postagem... Abraços e obrigado por seguir minhas resenhas!

      Excluir
  2. Gosto de Steampunk,já o Cyberpunk estou tentando puxar na memória,mas não lembro de ter lido nenhuma obra do gênero.
    Ponto interessante na resenha ver como o Max Barry fez O Homem Máquina,escrevendo no blog!
    Livrinho curioso esse,história 'maluca' que traz questões para refletir,sou do tipo que devaneia nelas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helen... pode acreditar que é um livro delicioso de ler. Sei que vc vai adorar com toda a certeza. E quando ler, venha debater comigo, vou adorar. Abraços e obrigado por seguir minhas resenhas!

      Excluir
  3. Marcos!
    É um tema bem questionável de verdade.
    Caso tivesse alguma deficiência ou amputação, talvez fizesse.
    Livro não me lembro de ter lido nenhum do gênero, mas filmes...
    Começo logo pelo Homem de seis milhões de dólares e acredito que por regularmos idades semelhantes, talvez conheça...
    Enfim, como gosto de ficção, gostaria de lê-lo.
    “Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tema Cyberpunk é pouco pronunciado, mas vc conhece muita coisa, como Mad Max, Ciborg o homem de 6 milhões de dolares, matrix, Blade Runner o caçador de andróides,.. são tantos títulos... mas imagine que esse é extremamente contemporâneo... não precisa de um fim da humanidade necessariamente, como inspira o tema cyberpunk. Mas algo assim é como se fosse o principio do colapso... o caminho exato para chegarmos ao fim da humanidade. Aquele momento quando questionaremos, podemos ser melhores que DEUS? ahahaha claro que não e por isso vamos acabar com todos!!! Cheirinhos Rudy... e obrigado por seguir as minhas resenhas

      Excluir
  4. Mesmo não conhecendo esse livro, a primeira vista olhando a capa me pareceu bem interessante, porém a história abordada não me chamou a atenção, pelo fato de não gostar muito do tema abordado, mas para quem gosta e uma boa indicação de leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lana ... obrigado por seguir minhas resenhas espero que indique o livro para seus amigos. Abraços

      Excluir
  5. Achei a premissa interessante e me veio várias obras na cabeça de homens tentando serem deuses...
    A questão ética é algo legal de levantar.
    o humor por trás de tudo deixa a coisa mais leve e faz a leitura fluir melhor, né?
    Fiquei a fim de ler este livro.
    Gostei da capa e de conhecer um pouco deste clássico contemporâneo cyberpunk, nunca tinha ouvi falar em cyberpunk como gênero.
    Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edna não sei se você segue as respostas que colocamos aqui, mas saiba que o livro ta super barato nesse sites de livros (amazon, submarino, etc) vale muito a pena a leitura e o estilo Cyberpunk é muito confundido pelas pessoas, com o gênero ficção, mas não deixa de ser ficção tbm.Bom... leia o livro... quando puder e venha debater... Abraços e obrigado por seguir minhas resenhas

      Excluir
  6. Marcos, do livro só consegui gostar do título. O gênero cyberpunk não está sendo nada admirado por mim, até porque não gosto nem de ficção científica, e agora entendo o porque do meu não gostar de Exterminador do Futuro. Todas as tecnologias apresentadas na resenha parecem interessantes, mas não uniu-se com a história. Não gostei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ycaro... ficção realmente não é para qualquer pessoa. Algumas realmente tem bastante dificuldade pra gostar, por se tratar de fatos impossíveis ou improváveis. Há pessoas que exigem uma certa dose de veracidade, ou mesmo precisam apenas de fatos comprovados, mas veja, Julio Verne, um dos maiores romancistas de ficção, escreveu sobre submarinos, viagens a lua, viagens ao redor do mundo, quando todo mundo não tinha se quer tecnologia para andar de carroça. A ficção é um tema que reside no sonho dos homens, no sonho de um mundo melhor e todos os colapsos advindos destas "melhoras".... É como pensar nas consequências de atos que nunca executamos!!! De qualquer forma, agradeço por ler minhas resenhas. Abraços

      Excluir
  7. O único livro de ficção que li foi Eu, Robô e adorei, por isso quero muito ler mais sobre esse universo literário. Gostei bastante da sinopse e a resenha só reforçou minha curiosidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gislaine... espero mesmo que vc leia o livro e venha correndo para debater comigo... Adoro debates sobre ficção... pq realmente eles possibilitam vermos o futuro, antes dele chegar... Bjs e obrigado por seguir minhas resenhas.

      Excluir
  8. Bom, sua resenha está muito boa, mas lendo um pouca mais sobre esse livro, não curti muito a história e por esse motivo não pretendo ler, pois não faz muito meu estilo de leituras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariele... não há problemas... agradeço por vc seguir minhas resenhas e comenta-las... Abraços

      Excluir
  9. Hum, só eu imaginei que criaram um romance pra um robocop? Achei a temática interessante, mas não me interessei por lê-lo. Não lembro de ter lido algo cyberpunk, vou dar uma chace ao gênero no futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erica... poderia ser mesmo um romance para Robocop, se as premissas do livro fossem as mesmas, tipo, um cara transformado em maquina. Mas não é o caso. Aqui um cientista descobre que pode ser melhor e passa a substituir suas partes... em uma espécie de autocanibalismo (sem comer a carne claro.. ahahah) mas a pergunta é: Até que ponto ser melhor justifica uma auto mutilação? Espero que leia sim... ahahaha Abraços e obrigado por seguir minhas resenhas!

      Excluir
  10. A premissa é, realmente, bastante interessante. E, como você disse, tem unas reflexões bastante interessantes. Nos leva a pensar sobre o futuro mesmo, afinal, essas situações abordadas pelo autor não estão tão fora da realidade não. Fiquei bem curioso pra ler.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. @_Dom_Dom que bom... leia sim... e venha debater depois, vai ser um prazer debater as idéias desse livro. Um abraço e obrigado por seguir minhas resenhas.

      Excluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir