acompanhe o blog
nas redes sociais

8.10.15

Me Ajude a Chorar [Carpinejar]

Ed. Bertrand Brasil, 2014 - 156 páginas:
      Me ajude a chorar vai emocionar o leitor de maneira única. Dessa vez, Fabrício não fala a respeito de separação e relacionamentos, mas de temas mais gerais, mais coletivos, que buscam focar também em tragédias mínimas e pessoais, como o caso de uma senhora que estava para perder o marido e só desejava mais uma noite de conchinha com ele. Ela trocaria tudo na vida dela por esta noite. Constam na obra dois textos que ficaram famosos quando publicados: o escrito em homenagem às vítimas de Santa Maria (RS), que inclusive foi capa em diversos jornais, como O Estado de S. Paulo, e aquele sobre o acidente aéreo de 2007 em Congonhas (SP). 

Onde comprar:


Das dores de amores

Mais uma vez me deparo com Carpinejar e algo me diz que há certa atração pela dor que nos une, algo que me coloca não só como leitor, mas como cúmplice de seus escritos. Dessa vez o livro de crônicas é Me ajude a chorar (Bertrand Brasil, 156 páginas).

“Tenho fúria de viver.
Não há perda que seja total. Alguém pode me machucar terrivelmente, mas não me leva. Posso permanecer sequelado, mas sei cavar a terra por dentro da terra... A chuva lava minha ferida e o vento seca.
A carne da memória se recompõe de algum jeito. Talvez seja um excesso de sofrimento na infância que me preparou para o pior no futuro.”

Carpinejar é sagaz e sua sagacidade é melancólica, inteligência a serviço da descoberta dos descaminhos do amor, da mordida canibal e dolorida do amor.

“A vingança fracassa pela ânsia de fama do seu autor. Quem busca se vingar pretende que o outro saiba que foi ele, que não tenha nenhuma dúvida. Deseja dar o troco beijando a boca, olhando nos olhos... E peca pela ambição, erra ao se expor...
Não conheço vingança perfeita. Não se vingar talvez seja a melhor vingança. Fazer esperar uma resposta que nunca virá.”

Ele é o poeta das dores do amor perdido, sofrido, foragido. É cronista do indizível, da entalada espinha de peixe na garganta, da busca de ar do mergulhador sem equipamentos.

“Há casais que nunca se traem, mas tampouco se apresentam: vivem pulando a cerca nos gestos.
Podem, aparentemente, conviver em harmonia, só que não expressam o que sentem, não descrevem suas frustrações, conservam uma fachada até a relação estourar. Cuidam do jardim da residência, descuidam do quintal.”

Salto sem rede, trapézio emocional, ele dirige meu olhar para o ponto em que as mãos tocam a alma, fecho meus olhos e voo junto a ele.

“Você acha que somos impossíveis, mas é do impossível que o amor gosta.
O impossível é inesquecível.
O impossível é o possível repartido. O impossível é o possível a dois.”

Vidente do imponderável, do intangível, poderia classificá-lo de inúmeras maneiras, porém gosto apenas de dizer que ele tem “a visão”. Enxerga por trás das coisas. Esta clarividência é algo que ninguém pode lhe tirar e é para poucos escolhidos.

“Ela tem 1m53cm, mas é intensa. Quando a observo, meus olhos vão para o alto. Sua estatura é do tamanho da voz.
Ela canta quando cozinha. Já comi várias de suas canções.”

Na primeira leitura, sua eloquência quase didática e sua linguagem moderna nos fascina. Da segunda leitura em diante, ele nos cativa, tornamo-nos fãs!

“O que nos resta é perceber que a vida é muito curta para ter razão, mas vale é ter amor e perder a razão. Aquele que ama improvisa.”

Então amemos todos, pois se não há como fugir das dores do amor, aproveitemos cada instante sem lucidez, sorrindo, tocando, beijando. Desejo a todos uma vida com mais Carpinejar!

Rodolfo Luiz Euflauzino
Ciumento por natureza, descobri-me por amor aos livros, então os tenho em alta conta. Revelam aquilo que está soterrado em meu subconsciente e por isso o escorpiano em mim vive em constante penitência, sem jamais se dar por vencido. Culpa dos livros!
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

19 comentários em "Me Ajude a Chorar [Carpinejar]"

  1. Não conhecia o livro e não tive possibilidade de ler nada do autor ainda, mas sua resenha foi tão recheada de emoção que fica impossível se recusar a conferir essa obra de perto.
    O escritor parece ter conseguido passar com magnificência a essência do amor, captura-lo e transforma-lo em poesia, isto se desde o início dos tempos amor não seja poesia.
    Gostei dos quotes destacados, são dotados de uma delicadeza belíssima e se todo o livro for desta forma, sei que vou adorar.
    Parabéns pela resenha e dica anotada.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Sempre quis ler algo do Carpinejar ): espero ter a oportunidade logo! Ficou muito boa a sua resenha, coloquei esse livro na minha wishlist! HAHA

    /Beijocas da Saroca
    Visite o Interesses Sutis!

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li nada do Fabricio Carpinejar, mas confesso que fiquei curiosa em relação a esse livro, depois de ler sua resenha fiquei bem curiosa e pretendo ler esse livro futuramente.

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia o autor. Os livro dele me parece ser de reflexão, por isso não sei se leria agora. Dei um tempo nesse tipo de livro, mas assim que tiver vontade lerei.

    ResponderExcluir
  5. BÁR-BA-RO! Suas palavras me fizeram ver um livro jorrando sentimentos profundos que com certeza são vividos pelo ser humano embora alguns, ou muitos, quem sabe, não se apercebam disso. Senti-me despida diante delas. Com certeza vou conhecer esse e outros trabalhos do autor.

    bj da angel ;)

    ResponderExcluir
  6. Ah, Rodolfo, que lindo!!! Não sei se beijo primeiro o Carpinejar (por cada frase sensível que me fala à alma) ou se beijo logo você, por trazer poesia resenhada, resenha poética, por traduzir tão bem o encantamento que é uma leitura do autor.
    Ler Carpinejar é viajar para dentro do sentimento, explorar as sensações todas, múltiplas e intensas, visitar a dor e o arrebatamento, chorar junto, sentir o mesmo, perceber que Fabricio nomeia, define, ensina essa coisa louca que é amar. Com todos os riscos que corremos.
    Ah, como você soube bem despertar o interesse e o olhar do leitor! Aposto que mesmo aqueles que não são fãs de poesia e de crônicas ficaram curiosos...
    Sou fã declarada e apaixonada por qualquer coisa que Carpinejar produza, quero dele até a lista de supermercado...
    Beijos para vocês dois, obrigada pelo encantamento, pelos olhos brilhando, pela vontade incontrolável de querer o livro já!

    ResponderExcluir
  7. Olá Rodolfo!!Você sempre aparece com uns livros legais e interessantes,uma parte até de escritores brasileiros.Confesso pra você que eu já tenho uma lista imensa dos livros que você recomenda e aos poucos eu chego lá.Apesar de eu não curtir muito contos eu amo crônicas!!Tenho v´rios livros de cônicas aqui.Mario Prata,Stanislaw Ponte Preta e outros.O Brasil tem escritores fantásticos de crônicas.Só pelo pouquinho das frases que você citou já fiquei encantado.Amo essas frases,essas coisa do cotidiano,tão nosso!!Você simplesmente aguçou os leitores com a resenha.Show!!Onde encontro esse livro?Grande abraço amigão!!

    ResponderExcluir
  8. Rodolfo!
    Sou fã do Carpinejar (e sua também...), embora, como falou, ele tenha a clarividência, e escreva algo que nos toca, mesmo que alguns pontos de vista dele, não concorde, é visceral a forma como ela aborda determinados assuntos e mexe fundo conosco.
    As desventuras do amor deve ser fascinante como ensinamento.
    “O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher.”(Cora Coralina)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  9. Nunca li nenhum livro dele, pois não sou fã de livros que tratem somente do amor. Pela resenha percebo que ele realmente te fisgou. Sem dúvidas preciso um dia ler um dos trabalhos dele.
    Parabéns pela resenha, bjs.

    ResponderExcluir
  10. Olá, Rodolfo. Confesso que, a principio, o livro não me interessou. Mas, pude perceber que seria uma boa chance à leitura de crônicas sobre as dores e os amores. Fico feliz que a leitura flui para você e que o autor possua uma escrita moderna. Quero lê-lo, agora.

    ResponderExcluir
  11. Já li Carpinejar,tenho vontade de ler Me Ajude a Chorar também.Algumas crônicas não me identifico com o que está sendo abordado,discordo,mas tem outras que pegam no ponto certo,encantam...mesmo nas histórias em que meu ponto de vista é diferente,a escrita poética dele continua a me agradar.
    Adorei os quotes.

    “Você acha que somos impossíveis, mas é do impossível que o amor gosta.
    O impossível é inesquecível.
    O impossível é o possível repartido. O impossível é o possível a dois.”

    ResponderExcluir
  12. Ola Rodolfo! Ja li este livro e adorei! Carpinejar sempre nos emocionando com suas cronicas nao e mesmo? Me ajude a chorar é um livro emocionante, me deliciei com cada palavra, cada frase, cada cronica. Já chorei muito nessa vida pelas várias perdas que já tive, por vários livros lidos e logo na primeira cronica já chorei....rs... são paginas e paginas de sentimentos nos trazendo lagrimas nos olhos, sorrisos nos lábios, tudo tocando bem fundo no coração. Adorei sua resenha Rodolfo, soube citar trechos lindos nela, vale a pena ler!

    ResponderExcluir
  13. Não li nenhum livro desse autor e confesso que não costumo ler livros nesse estilo com frequência pois sou muito emotiva, leio para fugir da realidade as vezes tão dura, e um autor que provoca a entalada espinha de peixe na garganta de um leitor não é uma opção de leitura para mim, pelo menos não num futuro próximo. Mas amei a resenha.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Nunca li nada desse autor, mas recentemente conheci ele no programa da globo, e achei ele super incrível, ele consegue aborda e falar de certos temas com tanta facilidade, e tem uma inteligencia fora do comum, tenho certeza que o livro dele deve ser um arraso, fiquei curiosa para saber mais sobre o livro dele.

    ResponderExcluir
  15. Oie
    Depois de acompanhar algumas resenhas dos livros desse escritor tenho muita vontade de ler uma de suas obras.Pelos quotes que tu citou o livro deve ser mesmo incrível,as frases dele são ótimas para se refletir.Espero me encantar com a escrita dele É virar fã.

    ResponderExcluir
  16. Já conheço o autor pelas suas resenhas, sempre ótimas, aliás, você é um poeta nato, deveria se atrever a escrever suas próprias crônicas. Se recebo um livro de crônicas, leio e gosto, mas não sou de compra-los, o que é um erro. Gostei muito da frase “O que nos resta é perceber que a vida é muito curta para ter razão, mas vale é ter amor e perder a razão.” Tento aplicar um pouco dela no meu dia a dia. Vejo normalmente assim as crônicas, descrições do cotidiano ao qual muitas vezes nos identificamos.
    abraços
    Gisela

    ResponderExcluir
  17. Eu acompanho o Carpinejar pela sua página no face e suas colunas no jornal.
    Como conterrânea deste artista o admiro muito.
    Os quotes que vc escolheu para a resenha são incríveis e só confirma a opinião.
    Acredito que se eu lesse a sua resenha e ficar bem feliz.
    Vc comenta com muito entusiasmo e deixa claro que a vida com Carpinejar é melhor vivida.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Nunca li nada do Carpinejaras, depois de todos esses elogios, tornou-se leitura obrigatória para mim. Kkkkk
    Mais uma vez você consegue me convencer a conhecer esses autores. Tenho um livro dele aqui em casa e, em breve, vou me aventurar.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  19. Achei a capa super legal. Mas o livro não faz meu estilo de leitura. Vou indicar pro meu amigo, ele deve gostar de um livro como esse.

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir