acompanhe o blog
nas redes sociais

15.3.17

Macabra Mente [Vitor Abdala]

Vitor Abdala
Ed. Do Autor, 2016 - 102 páginas:
      MACABRA MENTE é a segunda coletânea de Vitor Abdala e reúne oito contos de terror, sendo cinco inéditos. O livro, lançado de forma independente, através do selo próprio do autor (VCA), traz os contos O Barulho na Casa de Máquinas, Zé do Peixe Quer o Seu Voto, Auto de Resistência, Disco de Vinil, Beta, Túmulo de Aço, Ilha das Focas e Despachos.


Onde comprar:




O horror que nasce do cotidiano

Tenho um pouco de medo de falar sobre obras de autores nacionais, receio afugentar o leitor ou um autor talentoso. E podem ter certeza, Vitor Abdala é um novo talento, um alento ao terror nacional.

Na mesma proporção tenho medo de resenhar contos porque nem sempre é possível encontrar algo que os unifique e falar de todos fica cansativo para quem lê.

Mas e quando os dois se unem em um só livro – contos e autor nacional? Bom, aí o medo cresce exponencialmente rumo ao pânico. De qualquer forma não poderia me furtar de dizer o que senti ao ler o livro Macabra mente (Ed. Do Autor, 102 páginas) do amigo Vitor Abdala. Minha dificuldade com contos vem de longa data, desde livros do velho mestre Stephen King, a probabilidade de eu me apegar a todos é quase nula. Para minha grata surpresa, todos, eu disse todos os contos deste livro prenderam minha atenção, me fizeram virar as páginas rapidamente até seu final.

Evocando o terror de coisas improváveis – um disco de vinil, um peixe beta, uma foca – Vitor Abdala se coloca como um Clive Barker tupiniquim, cheio de criatividade, sem abrir mão da surpresa pelo que reside debaixo de nossa cama: medo, meDO, MEDO...

No primeiro conto, uma velhinha presciente e inofensiva leva o síndico, após muita insistência, a verificar um barulho (de cavar) na casa de máquinas acima da laje de seu apartamento. E lá vai ele pra lá (é como olhar se o bicho papão está escondido dentro do armário).

“Não havia porteiro depois das 22h naquele prédio, o que significava que, quando havia problema depois desse horário, era o próprio síndico que tinha que resolvê-lo”.

No segundo conto a coisa ameaça ficar um pouco mais apavorante. Um candidato que só aparece em tempos de eleição encontra um provável eleitor e não se acanha em pedir seu voto. Mas hoje é dia do ajuste de contas e em tempos de Lava Jato, isso pode custar muito caro, rs. Este é o conto de que mais gostei – visceral e arrepiante.

“O dono da casa sorriu com seus dentes metade amarelos, metade pretos. — Prazer, João. Um anjo me disse que o senhor vinha hoje.”

No terceiro conto, dois soldados da polícia, após uma abordagem mal sucedida, resolvem forjar um cenário em que um jovem passa de vítima a réu. Só se esqueceram de combinar os detalhes com ele.

“— O que a gente faz agora, caralho?
O soldado Eurico suava sob sua farda azul...
— O que a polícia sempre faz, porra. Pega a merda daquele revólver! – gritou de volta o sargento Nélio com quinze anos de polícia e dezenas de tiroteios no currículo.”

No quarto conto, um garimpeiro de discos resolve comprar um vinil sem identificação, certo de que iria se deparar com uma raridade. Aqueles que ficam chafurdando em sebos à procura de alguma preciosidade sabem bem do que estou falando. O que ele não esperava é que isso poderia lhe causar certo desconforto e sangue espalhado, muito sangue.

“Lágrimas escorriam em seu rosto, enquanto ele olhava as lâminas da tesoura. A mão direita segurava a descontrolada mão esquerda.”

No quinto e mais inventivo conto um peixe beta passa a definir as escolhas de seu dono. Sua vida passa a girar em torno das vontades de um peixe fofinho de aquário. O problema é que quando não consegue traduzir as vontades do peixe a coisa fica um pouco dolorosa.

“A essa altura, eu já havia parado de tentar uma explicação científica para tudo aquilo. Era algo sobrenatural. E, quanto mais tempo eu passava imerso naquela irrealidade, mais eu parava de tentar compreendê-la.
Eu apenas entendi que aquele beta teria que fazer parte da minha vida e parei de tentar me livrar dele.”

No sexto conto, dois amigos que trabalham em uma plataforma de petróleo entram em desacordo quando um deles parece estar perdendo o juízo. Ele afirma que todos os outros estão mortos e que em breve estarão também. Assustador.

“— Nós nunca deveríamos ter explorado a camada pré-sal. Nunca deveríamos ter perfurado tão fundo – disse, de repente, Genésio, depois de interromper sua ladainha sobre a criatura.”

O sétimo conto é algo que pode sem dúvida mexer com a crença de muito leitor. E se por acaso reencarnássemos em um animal? Muitas vezes já me peguei pensando a esse respeito. Como minha formação tende ao espiritismo, tenho opinião formada, mas é sempre interessante tomar conhecimento de outras maneiras de pensar, religiosas ou não. Conto curiosíssimo.

“Meu corpo todo doía e eu sentia aquele medo humano novamente. Será que todos os homens que reencarnam como animais mantêm sua consciência humana? Ou eu tinha sido um caso extraordinário, alvo de um erro no processo de transmigração da alma do corpo de um homem para o de um bicho?”

No oitavo e último conto, temos alguém que inadvertidamente acabou por esvaziar a bexiga em cima de um despacho. Muitas pessoas se livram de algum acidente por segundos, por se abaixarem para pegar uma coisa qualquer no chão quando se inicia um tiroteio, por esquecerem a carteira em casa e voltarem segundos antes de um carro desgovernado rasgar a esquina, subir no passeio e acertar o poste, bem onde se estava encostado, entre outras coincidências incompreensíveis. Mas há aqueles, que ao contrário, por conta de um vacilo qualquer, acabam sendo arremessados no olho do furacão. Estão no lugar errado, na hora errada.

“— Na verdade, não importa muito quem eu sou. Pode me chamar de espírito, encosto, entidade. Pode me chamar do que quiser. O que me importa agora é que eu vou ficar com fome, porque você mijou na minha farofa.”

Todos são contos rápidos, tipo bateu-levou, cheios de inventividade, sem deixar dúvidas ao final. Não é preciso explicar o “porquê” do horror presente, ele existe e ponto. É preciso ser plausível e neste caso Vitor Abdala nos faz acreditar nele, por bem ou por mal.

Recomendado aos corajosos de plantão e aos nem tanto também.

Rodolfo Luiz Euflauzino
Ciumento por natureza, descobri-me por amor aos livros, então os tenho em alta conta. Revelam aquilo que está soterrado em meu subconsciente e por isso o escorpiano em mim vive em constante penitência, sem jamais se dar por vencido. Culpa dos livros!

28 comentários:

  1. Apesar de não ser muito chegada a contos eu aprecio bastante terror então isso já ajuda, se o autor é bom não vejo porque não ler, gostei da sua resenha e de ter conhecido um pouco a respeito do livro.
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  2. Oii! Adoro contos, este me chamou bastante atenção pelo enredo, gostei mto, sempre leio comentários bons á respeito do autor.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá!!! Apesar de não curtir muito histórias de terror, adoro contos, acho ótimo para ler entre um livro e outro, gostei dos enredos e espero me surpreender com cada um deles.

    ResponderExcluir
  4. Olá Rô!
    Gente você deu uma ótima resumida. de forma que me deixou muito curiosa por esse livro. Não teve um conto narrado por ti que eu não tenha tido vontade de ler. Parecia mais os arrepiantes episódios de "Além da Imaginação".
    Vou adicionar na minha lista de desejados. Amei!
    Abs
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  5. "Aos nem tanto também", oba! Rodolfo, querido, adoro contos. Acho que requer uma habilidade incrível contar uma história e amarrar o leitor em um curto espaço. Inventar tramas diferentes, haja criatividade! Apesar do tema do terror, ainda assim me senti tentada. Um autor nacional sempre merece atenção, sendo contemporâneo, então, precisamos conhecer e, quem sabe, divulgar. Como vc está fazendo aqui, com esta excelente resenha, que já me deixou intrigada. É um livro que eu leria enquanto houvesse sol, hahaha, algumas assombrações me rondam à noite, melhor não facilitar. Achei que esse conto do despacho divertido, o do político tb me parece interessante. Ontem li um conto da Lygia Fagundes Telles que me fez tremer, outro do Sabino que me levou à reflexão. Eis o valor do conto: despertar uma emoção imediata e que perdura ainda.
    Sucesso ao Vítor Abdala!
    Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Manu. Tudo bem? Se tiver interesse em adquirir o livro, pode acessar o Mercado Livre: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-807779087-macabra-mente-frete-gratis-_JM

      No Mercado Livre também tem pacote para adquirir Macabra Mente com meu outro livro, Tânatos. Macabra Mente também está disponível em ebook na Amazon!

      Abração!

      Excluir
  6. Esse livro de contos deve ser muito bom, pois geralmente não se gosta de todos os contos sempre tem aqueles que não agradam e como gosto de um terror fiquei interessada e bem curiosa com alguns. Ficou bem explicadinho cada um. Anotei na minha listinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria. Tudo bem? Se tiver interesse em adquirir o livro, pode acessar o Mercado Livre: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-807779087-macabra-mente-frete-gratis-_JM

      No Mercado Livre também tem pacote para adquirir Macabra Mente com meu outro livro, Tânatos. Macabra Mente também está disponível em ebook na Amazon!

      Abração!

      Excluir
  7. OLá Rodolfo!!
    Assim como você tenho certa cautela com contos. Mas sempre me arrisco e acabo gostando de alguns.Fiquei muito interessado em ler esse livro.Sua resenha me deixou curioso. Mais um pra listinha. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, João. Tudo bem? Se tiver interesse em adquirir o livro, pode acessar o Mercado Livre: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-807779087-macabra-mente-frete-gratis-_JM

      No Mercado Livre também tem pacote para adquirir Macabra Mente com meu outro livro, Tânatos. Macabra Mente também está disponível em ebook na Amazon!

      Abração!

      Excluir
  8. Rodolfo!
    Embora goste demais de livros de contos, tenho de concordar que por vezes, em uma determinada coletânea, não são todos que agradam, seja de que tema for ou qual autor o escreve.
    E outra dificuldade é mesmo resenhar um livro do tipo. Euzinha não detalho cada conto, falo apenas do aspecto geral e do assunto, porque nesse exemplar são apenas 8, mas em outros, como acabei de ler um agora, tem mais de 25, inumano falar de todos, né?
    Fato é que amo terror (e não tenho medo não, viu?) e se, sob sua análise, todos são bons e indicados, não tem como não desejar lê-los, concorda?
    Obrigada!
    “Não confunda jamais conhecimento com sabedoria. Um o ajuda a ganhar a vida; o outro a construir uma vida.” (Sandra Carey)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudynalva! Tudo bem? Se tiver interesse em adquirir o livro, pode acessar o Mercado Livre: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-807779087-macabra-mente-frete-gratis-_JM

      No Mercado Livre também tem pacote para adquirir Macabra Mente com meu outro livro, Tânatos. Macabra Mente também está disponível em ebook na Amazon!

      Abração!

      Excluir
  9. Oi Rodolfo! Não sei bem o motivo, confesso, mas gosto mais de contos de terro do que romances de terro, ago que o estilo conto me deixa mais confortável pra ler o gênero. Gostei da indicação, parece ser ótimo!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  10. Oi Rodolfo!
    Também tenho dificuldade em gostar de contos, mas esse livro me chamou a atenção. Por ser nacional, por ser de terror e por ter contos bem inusitados. Fiquei até com medo do peixe beta kkkk
    A vantagem do conto é a leitura despretensiosa, ideal para ler numa ressaca literária.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aichha! Tudo bem? Se tiver interesse em adquirir o livro, pode acessar o Mercado Livre: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-807779087-macabra-mente-frete-gratis-_JM

      Tem pacote com meu outro livro: Tânatos. E também está disponível em ebook na Amazon!

      Abração!

      Excluir
  11. OI Rodolfo!
    Eu não sou muito fã de livros de contos não, justante por faltar um certo aprofundamento na vida dos personagens, porém fiquei muito curiosa para conferir esse livro, me parece ser uma leitura interessante, e essa capa é linda.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Oi mano, o que dizer de mim que se enquadra na parte de os corajosos nem tanto porque mano não sei se eu conheço alguém mais medrosa que eu kkkk Mano apesar de você falar muito bom contos de terror não são realmente meu tipo preferido de leitura então vou dispensar essa leitora.

    ResponderExcluir
  13. Amo contos mas não curto o gênero terror, por isso dificilmente eu leria Macabra mente, mas que bom que todos os contos desse livro prenderam a sua atenção, dá até um certo orgulho por se tratar de um livro nacional, né?!

    ResponderExcluir
  14. Não costumo ler livros de contos, mas adoro livros de terror, não sei se leria por conta do formato, pois acho que muitas vezes por serem contos, fica faltando um aprofundamento maior na história, mas se tiver a oportunidade, lerei sim.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. olá,
    Não ouvir e nem li nenhum livro desse autor porém nunca me interessou livros de contos mas esse me deixou curiosa para saber a historia de cada uma, achei super interessante o livro!!

    ResponderExcluir
  16. Rodolfo,
    adoro livros de contos, (ainda mais de terror!!) adorei sua resenha e fiquei muito curiosa para ler mais sobre cada um.

    BJS

    ResponderExcluir
  17. Gosto de contos e é claro que gostei da indicação. O quinto e o sétimo conto foram os que mais me chamaram a atenção. Ótima resenha e dica. Sucesso a autor.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  18. Cresci com os contos do Poe,então um toque de suspense e terror faz meu estilo.
    O que mais chamou minha atenção foi o quinto conto,um peixe-beta definindo as escolhas do dono??Curioso

    ResponderExcluir
  19. Oi Rodolfo, tudo bem?
    Eu posso confessar uma coisa? Eu não sou corajosa kkkk Sou a pessoa mais covarde que existe quando se trata de histórias de terror e por isso, vou passar beeeem longe desses contos :O
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  20. Nossa, concordo totalmente sobre resenhas de livros nacionais e contos. Quando os dois se unem em um só realmente dá quase uma crise de pânico hahaha já vi casos de autores brigando com blogueiros por causa de resenhas mas NÉ
    Ainda bem que essa foi uma boa leitura pra você. Não gosto muito de contos mas adoro terror e também quando não há enrolação para chegar ao desfecho e parece que é isso que encontramos na obra. Boa dica!

    ResponderExcluir
  21. O livro parece incrível e os contos tem temas bem atuais. Apesar de não curtir muito livros de contos é sempre um prazer poder ler um bom autor nacional. Achei os contos cheios de criatividade.
    Com certeza quero ler.

    ResponderExcluir
  22. Oi!
    Ainda não conhecia os livros do Vitor Abdala, mas lendo a resenha fiquei bem curiosa para ler seus contos, não gosto muito de terror, mas por ser contos e ainda mais sendo leituras envolventes e rápidas fiquei curiosa para poder conhecer as historia do autor !!

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

 
Ler para Divertir © 2015 - Blog no ar desde 31.10.2010
topo giovana joris • design e código gabi melo