acompanhe o blog
nas redes sociais

4.4.17

O Menino Feito de Blocos [Keith Stuart]

O Menino Feito de Blocos
Ed. Record, 2016 - 378 páginas:
      Uma história sobre um pai e seu filho autista, e sobre um jogo que mudou suas vidas. Alex ama sua família, mas tem dificuldade em se conectar com Sam, o filho autista de oito anos. A tensão crescente da rotina leva seu casamento ao ponto de ruptura. Jody não aguenta mais o marido ausente e que pouco participa da vida do filho. Então Alex vai morar com o melhor amigo, e passa a dormir no colchão inflável mais desconfortável do mundo. Enquanto Alex enfrenta a vida de homem separado, cumpre a função de pai em meio-expediente e é confrontado com segredos de família há muito enterrados, seu filho começa a jogar Minecraft. E o que acontece depois disso é algo que nem Alex, nem Jody, nem Sam poderiam imaginar. Inspirado no relacionamento do autor com seu filho autista, “O menino feito de blocos” é um livro emocionante, engraçado e verdadeiro sobre o poder da diferença e sobre um menino para lá de especial.

Onde comprar:

Alex acaba de ser “expulso” de casa. Viciado ao trabalho, que odeia mas paga as contas, ele vê sua vida tomar um rumo que não queria. Sua relação com a mulher a muito vinha se desgastando, ora por falta de sua presença dentro de casa, e ora principalmente pelo o Sam e o seu relacionamento conturbado com o filho. Sam é autista e há oito anos tudo é para o Sam e somente para o Sam. Contudo Alex nunca soube lidar muito bem com o autismo do filho deixando todo o peso para sua mulher. Mesmo quando parecia estar se aproximando do filho acontecia algo e nada saía do lugar. Tentava de todas as formas, mas tudo era em vão. Sam só se dava bem com a mãe. E quando tudo explodiu Alex vai morar com seu amigo Dan, e é ai que vemos os principais motivos e medos do Alex.

Toda a história gira em torno das limitações e grandiosidades de uma pessoa com autismo, pois ao mesmo tempo em que acompanhamos a dura vida do Sam que muda de personalidade com qualquer ruído, animal, clima, tato, olfato, acompanhamos a mente brilhante e sensacional que o mesmo possui para construir coisas e raciocínios lógicos em diversas situações, mas em contrapartida a isso temos o drama de infância de Alex que está inteiramente ligado ao fato de não conseguir se relacionar com seu filho.

Quando criança Alex presenciou a morte do seu irmão e isso não é spoiler porque somos apresentados ao fato bem no inicio. Com isso nosso drama irá se desenrolar de forma fluida, tensa mas divertida, e altamente bem desenvolvida, por que a história começa a ficar mais interessante quando o jogo do Minecraft acaba unindo pai e filho num relacionamento amigável e gostoso de se ler. O jogo em si vai mudando a forma de pensar dos dois, amadurecendo ambas as partes e concretizando um laço paternal que nunca tivera oportunidade de existir. E melhor, o livro foi baseado no relacionamento do próprio autor com seu filho, o que torna a leitura e o livro mais especial do que já é.


Essa é uma daquelas estórias que passam pelo o leitor e deixa diversos ensinamentos, como também pensamentos sobre a vida no qual refletimos por horas e horas. O menino feito de blocos possui elementos realísticos, tão profundos e próximos ao leitor que acaba chegando ao ápice de tão perfeito. A narrativa utilizada é dinâmica e atrai o leitor. Nos apegamos aos personagens, torcemos pelo Sam, pelos seus sonhos, pelo o relacionamento do Alex e sua mulher, e principalmente por um final bom para todas as partes.

O livro possui uma cena que deixa o leitor angustiado, levando em consideração todo o enredo e o que nele há, que no caso é quando o Alex perde o Sam de vistas numa viagem.

“Pensamentos desesperados perfuram meu crânio. Será que ele está indo para rua? Para o rio? Devo chamar a polícia? Alguém o sequestrou? O tempo se arrasta, o barulho se funde em um poço de temor – o sentimento que todos os pais conhecem: o medo nauseante e aterrorizante de perder um filho.” Página 165

O autor consegue transpor os sentimentos além das paginas, é impossível não amar cada detalhe e cada cena. Tudo foi escrito de forma intensa e verdadeira.

A premissa não atrai tanto confesso, mas o livro me chamou atenção pela carga dramática que a sinopse possui. Gosto de livros mais próximos do nosso cotidiano, com elementos palpáveis, com enredos que possamos aprender um pouco mais e este livro foi um prato cheio. Indico fortemente para quem busca um entretenimento mais calmo, mais maleável. Uma boa leitura.

 Cortesia do Grupo Editorial Record
Douglas Brandão
Geminiano, formado em Magistério e futuro professor de História. Mora na Bahia e louco por livros. Um pouco ciumento e orgulho. Fanático por Harry Potter e chegou a receber o apelido de "Vírgula" por sempre dar uma opinião ou comentário, porque sempre usa "Entretanto", "Contudo" e "Todavia" por ser sempre "Do Contra". Sincero ao extremo e venho para compartilhar meu gosto de leitura com vocês.
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

23 comentários:

  1. Oi Douglas!
    Eu qro ler este livro pelo enredo, parece ser uma ótima escrita e pelo tom dramático como vc disse o que me chamou atenção tbm ...
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da premissa, gostei da história... humm, vai pra lista de desejados com certeza. Adoro esses dramas.

    Bjks

    ResponderExcluir
  3. OI Douglas.
    Eu estou louca par ler esse livro, minha família tem casos de autismo, então eu adoraria saber um pouco mais, e como você mesmo falou refletir sobre tudo, achei a premissa mais que interessante, esse livros está na minha lista desde o lançamento e não vejo a hora de ler.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Com o inicio desse mês, por conta do dia mundial de conscientização do autismo, minha vontade de ler um livro que retrata o assunto aumentou muito, e acabando de ler sua resenha e a sinopse desse livro ele com td certeza foi para minha lista. Principalmente pelo o que você falou que ele esta mais proximo do nosso cotidiano, e amo livros assim. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Interessante esse livro é muito bom saber mais sobre o autismo, deve ser difícil lidar com a situação saber como deve agir, mas achei bem legal que pai e filho descobriram no jogo como se comunicarem se darem bem.

    ResponderExcluir
  6. Olá Douglas, sabia que quando li o titulo pensei em um menino realmente feito de bloco...pois é, tenho uma imaginação bem fertil....bom bem interessante a historia, a trama, e principalmente o drama...alias e difícil ver uma relação de pai para feliz porque sempre quem cuida e a mãe, e o livro relata bem isso sobre os dois, amei a historia!

    ResponderExcluir
  7. Douglas!
    Temos de ter mais livros com assuntos sobre autismo e outras doenças e como os pais se relacionam com os filhos, porque através deles, muitas pessoas podem se identificar e descobrir uma forma de aproximação e contato maior.
    Achei o máximo o protagonista ter conseguido após tanto tempo, conseguir se conectar com o filho através de um jogo.
    “ Eu creio que um dos princípios essenciais da sabedoria é o de se abster das ameaças verbais ou insultos.” (Maquiavel)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  8. Oi Douglas! A principio eu tb não achei que fosse gostar muito, mas me vi encantada com a história e a narrativa fluida do autor. É tudo muito real e gostei bastante!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Imagino o quanto deve ser difícil para alguns pais lidar com um filho especial. Afinal todos esperam que tudo seja perfeito. Não culpo o Alex por não conseguir se aproximar do filho.
    Achei bem interessante a temática do livro e por mostrar que mesmo diante das limitações do autismo, essas crianças podem ser incríveis a sua maneira.
    A mensagem por trás dele dever ser muito bonita.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Douglas. Raramente gosto de histórias que abordam relacionamento entre pais e filhos, acho tudo meio maçante, porém, esta história é uma daquelas que simplesmente preciso conferir, parece ser maravilhoso, ainda mais porque aborda o autismo com simplicidade.
    Beijos, Miriã Caetano
    Blog Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  11. Olá, Douglas!!
    Muito interessante o livro, fala a realidade, pois temos muito isso na nossa vida, no nosso redor, mas não vemos. Deve ser difícil para os pais, por isso Alex não consegue se aproximar do filho.
    Também gosto de livros assim, que falam o que é a realidade, não a ficção, assim vemos e aprendemos o quão difícil é a vida, com as coisas que mais gostamos, livros.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Oi Douglas, tudo bem?
    Desde a primeira vez que eu li uma resenha desse livro e entendi o significado do nome do livro e a relação que tem com o garoto, fiquei com a impressão de que quando fosse ler, me sentiria como me senti em Extraordinário. Apesar de não ser tão atrativo assim, vai mexer comigo.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  13. Gostei do livro, ainda não conhecia, também gosto de livros que tratam mais do nosso cotidiano, e ainda mais quando nele é passado ensinamentos, a sinopse não é tão atrativa confesso, mas depois da resenha vemos que ele tem mais a passar do que pensamos, separação, relacionamento de pais com filhos com deficiência, amadurecimento da relação entre pai e filho, aprender a lidar e compreender com o filho. Acho que sim vai ser uma ótima leitura.

    ResponderExcluir
  14. já li um pouco a respeito do livro e posso afirmar que já gostei, aborda um tema bastante comum nos dias de hoje que é a separação no casamento e o problema depois com os filhos como vão lidar com toda essa historia e a presença dos dois na vida da criança é sempre muito importante.
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  15. Olá Douglas...
    Adorei sua resenha e estou bastante curiosa para ler esse livro... Aposto que é uma leitura que traz muitas lições e nos emociona a cada página... Gosto de leituras que trazem personagens especiais e temas que ainda são tratados com certa dificuldade pela sociedade... Confesso que este mês, por conta da conscientização sobre o autismo, estava querendo uma leitura dese tipo... Foi uma ótima dica de leitura...
    Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Oi Douglas,
    Que temática bacana, nunca li nada parecido. Achei muito legal eles terem encontrado no jogo um elo para unir pai e filho. Parece ser muito bonito e cheio de lições.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi Douglas,
    Conheço pouco sobre o autismo e o que conheço foi de filmes que assisti e um ou outro livro que li. Conseguir se relacionar com alguém nesta condição não deve ser fácil, não consigo nem imaginar como é para um pai ou mãe tentar ter um relacionamento com o filho e não conseguir se comunicar com ele. E quem poderia imaginar que seria através de um jogo que pai e filho iriam se conectar e se conhecerem. A realidade desta história poderá servir como incentivo e exemplo para muitas famílias que podem estar passando por uma situação como esta. E, apesar de não entender nada de minecraft, estou com muita vontade de ler este livro e me emocionar com esta história.

    ResponderExcluir
  18. Geralmente eu tento evitar livros assim mas por esses tempos esses tipos de livros sem se mostrado leituras bem interessantes e acho que não vai me fazer mal eu dar uma atenção especial pra esse livro, seria bem interessante ver esse relacionamento de pai e filho. Obrigada pela resenha Douglas.

    ResponderExcluir
  19. Olá!!! O enredo do livro parece ser incrível, e deve passar vários aprendizados, é muito bom que a autora aborde essas questões pessoais, acabam nos ensinando algumas lições de vida.

    ResponderExcluir
  20. Não conhecia esse livro,Minecraft não é um jogo que tenho muito afinidade,mas acho interessante histórias com o foco em personagens autistas.
    Foi baseado no relacionamento do próprio autor com seu filho,que bonito!

    ResponderExcluir
  21. Quando vi a capa pensei que serie estilo "Extraordinário" ou "O pequeno príncipe" e quando fui lendo a resenha pensei que seria tipo "o guardião de memórias", tenho esse problema de associar um livro a outro kkk, mas achei bem legal a resenha, lembrei do filho de uma amiga minha, ele é aspenger e gosta de jogar minecraft e montar blocos, com certeza leria esse livro!

    ResponderExcluir
  22. Eu achei a premissa muito interessante, me atraiu totalmente. O assunto abordado no livro é muito importante e é ótimo poder conhecer a relação deste pai com seu filho. Fiquei ainda mais interessada quando soube que a historia é baseada no relacionamento do próprio autor com seu filho. Quero conferir a historia.

    ResponderExcluir
  23. Oi!
    Estou vendo muitos comentários positivos sobre esse livro, o que me deixou bem curiosa para poder ler, achei bem interessante que esse livro também mostre esse lado dos pais que eles se relacionam com seu filho, essa parece ser uma historia de muito crescimento dos personagens e também do leitor, me deixando bem interessada !!

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

 
Ler para Divertir © 2015 - Blog no ar desde 31.10.2010
topo giovana joris • design e código gabi melo