acompanhe o blog
nas redes sociais

24.5.17

O Muro [William Sutcliffe]

Ed. Record, 2017 - 336 páginas
      Joshua tem 13 anos e mora com a mãe e o padrasto em Amarias, um lugar isolado no topo da montanha, onde todas as casas são novíssimas. Na fronteira da cidade, há uma barreira bem alta, guardada por soldados fortemente armados e que só pode ser cruzada através de um posto de controle. Ninguém deve entrar naquele lugar, e quem está lá não tem permissão para sair. Desde pequeno, Joshua sabe que, do outro lado daquela muralha, há um território violento e implacável e que O Muro é a única coisa capaz de manter seu povo em segurança. Desde pequeno, ele sempre ouviu que, do outro lado, havia um território proibido, um lugar violento e perigoso, do qual um garoto como ele deveria manter distância. Um dia, a bola de Joshua cai do outro lado do Muro e, ignorando tudo o que sempre ouviu, ele vai atrás dela e acaba descobrindo um túnel que o leva a uma realidade que jamais imaginou encontrar. Lá ele acaba caindo nas mãos de uma gangue sanguinária, mas a bondade de uma menina salva sua vida. Porém isso acaba desencadeando um ato de extrema crueldade e coloca Joshua em dívida com ela... Uma dívida que ele fará de tudo para pagar.

Onde comprar:

Vou fazer de tudo nessa resenha pra não dar nenhum spoiler e revelar o mínimo possível do enredo do livro, porque acredite: você vai querer passar por cada detalhe por si só desse livro maravilhoso!

Quando você começa a ler “O Muro” pode até parecer mais uma distopia YA, com uma parte do mundo isolada e bem sucedida e a outra não, com pessoas estando do lado “certo” ou “errado” do muro. Mas se você for do tipo de leitor um pouco mais atento, ou se simplesmente tem alguma referência dos noticiários internacionais, logo verá que apesar de ser uma obra de ficção, O Muro é o reflexo do que ocorre nos dias atuais na Cisjordânia, e então você se dará conta de que Joshua é israelita, e as pessoas do lado errado do muro são os palestinos.

O Muro

O autor teve uma maestria inegável ao fazer uma representação da cruel e triste realidade deste lugar, para o qual nós estamos acostumados a apenas fechar os olhos e ignorar que é tocante! Sutcliffe coloca uma carga emocional na sua narrativa que é difícil de passar batido, e arrisco-me a dizer quase impossível de não ser afetado por ela.

A construção de cenário, acontecimentos e personagens é rica e verossímil, o que é um grande ponto a mais para o livro. Joshua é um garoto com uma moral forte, uma índole quase impecável! É o tipo de personagem com o qual você se conecta, porque ele busca, mesmo em sua inocência, fazer o certo mesmo que isso lhe custe muito. Quero aqui dar um pequeno destaque para Leia: uma personagem que nem aparece tanto assim, mas toda vez que aparece, vale muito a pena e que faz toda a diferença para a história. Se apaixone por ela!

O Muro

Por fim, não tem como terminar essa resenha sem dizer “leia assim que puder!”, é um livro fora do comum e fora da zona de conforto, mas vale muito a pena!
Top Comentarista de Maio

Laiara Dias
Baiana, criada no Mato Grosso, casada com um mineiro e cai de paraquedas nas terras capixabas. Viciada em Youtube e Netflix, chocólatra assumida, devoradora de chick-lits. Amo um bom romance açucarado e não resisto a um toque de pimenta na literatura, nem a uma colher de farinha no prato. Choro a toa, rio alto, e não consigo decidir entre ser ogra ou princesa! Muito prazer, essa sou eu!
Cortesia do Grupo Editorial Record
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

23 comentários em "O Muro [William Sutcliffe]"

  1. OLá Laiara!
    Fiquei bastante empolgada para conferir essa estória, mais ainda assim com um pé atrás. Não sou muito fã de livros que retartaem, mesmo que um pouquinho, a realidade em que vivemos, um mundo de guerras. Sou meio fraca com livros desse tipo, ainda assim gostaria de conferir. Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. Olá! Eu amei O Muro com sua bela escrita, personagens simpáticos e enredo realista, é um olhar intrigante para o conflito mais intratável do nosso tempo, o final é emocionante e inspirador, pois não há respostas fáceis e o autor nos apresenta uma lição com o enredo deste livro.

    ResponderExcluir
  3. Oi Laiara.
    Eu estou completamente encantada por essa premissa eu adoro livros que não enfeitam história e que mostra Fatos e realidades do que realmente acontece e apesar de histórias assim costumar ser muito triste esse livro não poderia ficar fora da minha lista.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Oi Laiara, imagino que esse livro seja extremamente tocante e sempre acho mais difícil ou mais triste histórias que retratam a violência do ser humano e envolvem crianças. Gostei da dica e acho que livros assim devem sim ser escritos e lidos, pois simplesmente fecharmos os olhos não parece justo ou certo :/

    ResponderExcluir
  5. Oi Laiara!

    Eu não conhecia o livro, mas gostei do enredo. Joshua parece ser um protagonista herói! A resenha ficou ótima, adorei a indicação.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oi Laiara,
    Uma ficção com um fundo de verdade, com personagens para nos marcar e abrir os nossos olhos para questões importantes no mundo. Não dá para ler a sinopse de O Muro e não associá-la a eventos da nossa realidade. Sutcliffe foi corajoso ao nos apresentar esta história e confesso que já tinha visto a capa e o título do livro circulando pelas redes sociais, mas não havia me preocupado em saber sobre do que se tratava a trama. Fiquei muito interessada em fazer esta leitura.

    ResponderExcluir
  7. Menina!!!! Adorei a sua indicação!
    Nunca tinha ouvido falar desse livro e acho massa quando venho comentar e vejo algo tão legal assim, ainda mais por ser tão diferente. Nunca vi nenhum livro que falasse nem de maneira direta ou indireta da Cisjordânia e confesso que não sei nada sobre o local, somente esses conflitos que tem.
    Obrigada pela indicação :D

    ResponderExcluir
  8. Olá Laiara ;)
    Adorei a resenha, geralmente gosto desses livros que nos tiram da nossa zona de conforto.
    Deve ser um livro muito forte, já que como você disse, pode ser visto como um reflexo dos dias atuais.
    Obrigada pela indicação!
    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Amo esse tipo de leitura, que nos incomoda, que nos faz refletir, e sair da zona de conforto, da tal caverninha de Platão. E a primeira vez que leio a resenha desse livro, e me surpreendi em todos os sentidos, primeiros porque e notório a forma como a trama e bem desenvolvida, e que nos toca de certa maneira, no qual nos envolvemos com essa estória e com os personagens. Super quero adquirir meu exemplar.

    ResponderExcluir
  10. Olá Laiara!
    Fiquei fascinada pelo livro, já li a menina que roubava livros e O menino do pijama listrado, com toda ctz vou qrer conhecer esta história tbm que parece emocionante...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Oi Laiara,
    Super diferente abordar os conflitos da Cisjordânia, ainda mais usando uma temática distópica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Parece ser uma historia muito comovente e triste, deve dar uma aflição no leitor saber das crueldades e absurdos que ocorrem atrás daquele muro. Os personagens parecem que foram bem trabalhadas isso é muito bom pois assim nos apegamos fácil a eles.

    ResponderExcluir
  13. querida Laiara, este livro me encantou tanto pelo título, quanto pela capa belíssima. nem me adentrei no enredo ou na sinopse, eu o compraria só pela capa (sou desses sim, rs). agora vamos para sua resenha: que legal, interessante demais. em tempos de muros de trump, fico imaginando quanto tempo, vidas e energia foram gastos para que acontecesse a queda do muro de berlim e ainda assim há pessoas extremistas que acreditam que a solução para todos os problemas é se isolar. um livro assim é pra ser lido e saboreado em mesa de 10 talheres. dica oportuna e resenha redondinha, parabéns!

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Primeiramente quero parabenizá-la pela belíssima resenha. Você soube explorar os pontos importantes do livro, sem passar informações que entreguem a história. Achei a premissa muito interessante e tenho certeza de que o livro oferece uma leitura reflexiva e com uma boa mensagem.
    Já esta na lista e espero poder ler em breve.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  15. Esse livro parece ter uma temática muito forte, e parece ser um daqueles livros que você fecha os olhos para aceitar a situação toda. Super gostei da resenha e espero ler este livro em breve.

    ResponderExcluir
  16. Laiara!
    Sou fascinada pelos livros dessa época tão degradante da história e ver aqui a visão de uma criança de apenas 13 anos, sobre todo sofrimento da época, além de não ter preconceito e tentar fazer o que é certo, independente das consequências que poderia sofrer, deve ser um livro intenso.
    “A solidão é a mãe da sabedoria.” (Laurence Sterne)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá,
    Interessante esse livro, já tinha lido uma resenha sobre ele, me lembrou muito o filme Mazzer runner. Deve ser uma história vem envolvente e tocando ainda mais pra sair da zona de conforto.

    ResponderExcluir
  18. Fiquei bastante curioso, é o tipo de livro que gosto muito. Gostei da resenha, parabéns.

    ResponderExcluir
  19. adorei a resenha,
    não imaginava que na verdade o livro tratava de um realidade da palestina quando eu vi o resumo achei que era mais uma distopia, mas pelo jeito estava completamente enganada
    colocar na minha lista

    ResponderExcluir
  20. Oi! concordo que muitas vezes fechamos os olhos para a triste realidade a nossa volta, e por isso me interessei bastante pelo livro! Acho que não custa sair um pouco da minha zona de conforto. Beijos

    ResponderExcluir
  21. Acho que a historia te muito a mostrar e pretendo ler pois mostra uma guerra vista aos olhos de uma criança e eu acho que isso conta muito, se eu tiver oportunidade eu quero ler.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  22. Oi, esse livro promete nos emocionar muito, como esses que foram citados na capa, acho que quando são contados pelo ponto de vista de uma criança, a história fica mais emocionante, nos toca a alma, pela inocência delas.

    ResponderExcluir
  23. Olá
    Acho maravilhoso poder ler um livro e traçar um paralelo com a realidade, principalmente uma tão atual. Historias com crianças por mais pesada que seja é quase sempre cheia de doçura. Com certeza quero ler.

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir