acompanhe o blog
nas redes sociais

24.1.18

A Luneta Âmbar, Vol. 03 - Fronteiras do Universo [Philip Pullman]

A Luneta Âmbar
Ed. Suma De Letras, 2017 - 504 páginas
- "Em todos os universos, forças se reúnem para tomar um lado na audaciosa rebelião de lorde Asriel contra a Autoridade. Cada soldado tem um papel a desempenhar – e um sacrifício a fazer. Feiticeiras, anjos, espiões, assassinos e mentirosos: ninguém sairá ileso. Lyra e Will têm a tarefa mais perigosa de todas. Com a ajuda de Iorek Byrnison, o urso de armadura, e de dois minúsculos espiões galivespianos, eles devem alcançar um mundo de sombras, onde nenhuma alma viva jamais pisou e de onde não há saída. Enquanto a guerra é travada e o Pó desaparece nos céus, o destino dos vivos – e dos mortos – recai sobre os ombros dos dois. Will e Lyra precisam fazer uma escolha simples, e a mais difícil de todas, com consequências brutais."

Onde comprar:

E acabou: a trilogia Fronteiras do Universo chegou ao fim. Esse é o último livro, então é hora de me despedir (de coração partido) desses personagens que eu aprendi a gostar durante a trilogia. Alías, se você ainda não leu as resenhas de A Bússola de Ouro e A Faca Sutil que eu fiz aqui pro Ler pra Divertir, vai lá dar uma olhadinha :)

Não sei você, mas eu costumo me apegar a personagens e ficar arrasada quando eles morrem ou quando a saga termina. Chorei litros com o final de Harry Potter e me debulhei em lágrimas no final de Senhor dos Anéis. Não que fossem finais tristes, mas é que me acostumei aos personagens e aos universos e aí ficou difícil dizer adeus. Ver Lyra e Will se despedindo e me despedir deles foi bastante emocionante também, embora eu não tenha chorado dessa vez.

Mas vamos ao que interessa, porque você veio aqui pra ler uma resenha e não pra me ver lamentar o fim da história.

Um aviso aos navegantes: se você não leu os livros anteriores dessa trilogia, leia-os antes de ler essa resenha. Eu vou fazer todo o possível pra não te dar spoillers sobre A Luneta Âmbar, mas é praticamente impossível não entregar uma coisa ou outra das tramas dos livros anteriores. Então leia por sua conta e risco e não diga que eu não avisei.


Antes de qualquer coisa, preciso dizer que, em minha opinião, A Luneta Âmbar é o mais fraco dos três livros. Calma. Não estou dizendo que o livro seja ruim, mas que, em comparação com os outros dois, esse é menos bem desenvolvido. O que já é estranho por si só, uma vez que esse é o maior dos três livros. A impressão que tive é que Pullman ficou um tantinho perdido ao fazer o encerramento.

Em vários momentos a narrativa parece inchada e vários detalhes completamente desnecessários são inseridos do nada pra serem descartados, modificados ou esquecidos algumas paginas depois. Outra coisa que não gostei foi o fato de Lyra passar boa parte do livro adormecida. Uma das coisas que mais gostei no primeiro livro foi a dinâmica dela com seu daemon, Pantalaimon, e nesse livro tem muito pouco da relação dos dois, primeiro porque ambos ficam cerca de um terço do livro no sono induzido pela Sra. Coulter, depois porque Lyra precisa deixar seu amado daemon pra trás pra cumprir uma promessa e realizar uma profecia.

Não me entenda mal, embora essas coisas tenham me incomodado um pouco, não estragou de forma alguma a experiência de leitura. Mesmo porque o livro tem partes excelentes que compensam os deslizes.


Eu disse na resenha passada que o primeiro livro tinha sido da Lyra e o segundo tinha sido do Will. Pois bem, esse terceiro livro é da Dra. Mary Malone (caso não se lembre dela, é a cientista que Lyra conhece no mundo de Will). Nesse livro acompanhamos a jornada de Mary por um estranho mundo onde os seres inteligentes são de uma espécie bastante diferente de qualquer uma que temos no nosso mundo (e que a Dra. tem no mundo dela, que é basicamente o nosso mundo). Os mulefas são uma espécie de híbrido entre antílope e cavalo, sem coluna dorsal (o esqueleto deles é uma espécie de losango) e com trombas, inteligentes e com capacidade de se comunicar e Mary vai aprender a viver entre eles e fazer todo o possível pra ajudá-los a superar a crise que estão enfrentando.

Além dos mulefas, somos apresentados também a outras raças bastante interessantes. Entre elas, vale destacar os galivespianos que são seres diminutos de aparência humanoide que se uniram a Lorde Asriel na grande guerra conta a Autoridade.

“Ele está vindo me buscar — disse ela —, e Will e eu, ah, não sei como como, Roger, mas juro que vamos ajudar.”

E eu já estava esquecendo de dizer que, Lorde Asriel resolveu travar uma guerra conta a autoridade (que é uma espécie de anjo super poderoso que se passa pelo Criador e quer dominar a humanidade). A guerra de Lorde Asriel, serve como fio condutor para as ações de vários personagens. Lyra, Will e Mary, embora sejam peças fundamentais para resolução desse conflito, pouco ou nada se importam com a guerra e os três parecem mais preocupados em seguirem suas próprias jornadas pessoais.

Por falar em jornada pessoal, minha parte predileta desse livro é sem dúvida a viagem ao reino dos mortos. Foi a passagem em que eu mais senti medo pelos protagonistas e a parte que mais se pareceu com uma aventura. Inicialmente essa parte parece não ter nenhuma relação com a guerra travada pelo pai de Lyra, mas aos poucos, o autor vai juntando as pontas soltas e costurando a teia da narrativa até fazer tudo se encaixar.


Eu fiquei ligeiramente incomodada com o romance no fim, embora tenha visto sinais dele ainda no segundo livro. Em favor do autor, podemos argumentar que os protagonistas têm de doze pra treze anos e é justamente nessa idade que as pessoas começam a demonstrar interesse em relacionamentos desse tipo. Acontece que, na minha cabeça, tanto Lyra quanto Will são jovens de mais pra esse tipo de coisa. E isso tem mais a ver com a imagem que eu criei dos personagens do que com a imagem que o autor quis passar. Mas esse incomodo passou rapidinho e, depois de racionalizar a coisa toda, parei de me incomodar.

No geral, achei um fim digno e bastante justo pra trilogia. Poderia ser melhor? Acredito que sim. Mas o autor soube amarrar a trama e embora eu não concorde com algumas de suas escolhas, eu as entendo perfeitamente.


Tudo que posso dizer é que sentirei saudades dessa trilogia e de todos os momentos que passei viajando entre mundos distintos em companhia dos personagens.

Sorte a minha que Pullman está escrevendo uma nova trilogia no mesmo universo que é um espécie de prequel que vai contar a história de Lyra antes dos acontecimentos narrados na trilogia Fronteiras do Universo. O primeiro livro, La Belle Sauvage, já foi publicado pela Suma de Letras, eu já li e ainda essa semana tem resenha dele aqui no site \o/

O segundo e o terceiro livros ainda não tem data de publicação, mas espero de todo coração que não demorem muito.

Então é isso, vou ficando por aqui.
A gente se encontra na próxima resenha.
Bêjo!

Clique nas capas para ler as resenhas dos livros anteriores:



Andressa Freitas
Mineira, aspirante à escritora e estudante de cinema. Se pudesse moraria em uma biblioteca, como não posso, estou empenhada em transformar minha casa no mais próximo disso possível. Viciada em séries e filmes, adoro ler, comer e viajar. Nerd assumida, fotógrafa de profissão, amo aprender coisas novas e imaginar histórias alternativas pra absolutamente tudo.
Cortesia do Grupo Companhia das Letras
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

16 comentários em "A Luneta Âmbar, Vol. 03 - Fronteiras do Universo [Philip Pullman]"

  1. Não vejo a hora da minha trilogia chegar e eu poder me jogar na vida destes personagens. Tenho acompanhado todas as resenhas e informações desde o primeiro livro. Confesso que tinha dado uma desanimada depois que vi a primeira adaptação no cinema, mas ao ler que os livros não tinham nada a ver com isso, me empolguei.
    Também amo essa mistura de realidade e ficção e no mais, a nova roupagem dos livros ficou fabulosa!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Entendo completamente essa dificuldade de desapegar de um personagem, acho que todo leitor sente isso quando o autor consegue envolvê-lo na história, é como se fizéssemos parte dela e não ter mais nada pra ler entristece e o fato de você ter se sentido assim ao final dessa trilogia mesmo com as ressalvas que você citou, diz muito sobre como ela é boa e isso só aumenta minha vontade de ler também ;)

    ResponderExcluir
  3. Não li os primeiros livros, mas gostei da historia deste terceiro.
    Amo o filme A bússula de Ouro e quero muito ler a triologia toda. Quero todos na minha estante.

    https://garotaeraumavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Andressa!
    Como eu já disse por aqui, nunca li nada do autor, mas sei que o primeiro livro faz bastante sucesso e no último ano a trilogia se destacou bastante.
    O que me incomodou é que parece que o autor esqueceu um pouco que seus personagens são crianças, não é a primeira resenha que leio que fala que Lyra e Will não tem idade para algumas atitudes, fora isso, o universo criado por ele pelo visto continua incrível.
    "A Bússola de ouro" está na minha lista de desejados, assim como pretendo ver a adaptação, espero me encantar como você.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá Andressa!
    Acho que é a segunda resenha que leio desse livro, não consegui ainda me conectar á trilogia, mas meu interesse me ler ainda é grande, ainda mais pq nunca li nenhuma obra do autor ainda, espero conseguir ler um dia...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Já li várias resenhas dessa trilogia e apesar de ter gostado do primeiro livro O segundo livro não conseguiu descer eu fiquei perdida em certos pontos até entediada a história Demorou a se desenvolver então não foi uma boa experiência

    ResponderExcluir
  7. Olá, depois da resenha fiquei morrendo de saudade dessa trilogia. Considero o terceiro livro o melhor, e as partes da Dra. Mary Malone são simplesmente brilhantes, uma vez que Pullman constrói uma teoria científica cativante e bem explorada. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Olá Andressa,
    Gostei de ver suas resenhas da trilogia Fronteiras do Universo, mesmo esse último sendo o mais fraquinho perante os outros, parece valer a pena. Ah, também, quando gosto do universo dá uma dorzinha se despedir dos personagens.
    Hum,viagem ao reino dos mortos, parte interessante da jornada.

    ResponderExcluir
  9. Não conheço os outros livros, mas conheço o sentimento de se despedir de uma série. Que bom que o final não foi ruim, porque não tem nada pior que isso. Também é muito bom quando você ler um livro e nem ver o tempo passar, acho que é uma das melhores sensações, eu mesmo quando acontece isso termino o livro toda feliz.

    ResponderExcluir
  10. Oi,Andressa!Tudo bem? Olha já Assisti a adaptação de A Bússola de Ouro e gostei bastante. Mas,não fiquei muito interessada nessa trilogia,sei lá não me chamou a atenção. Eu acho que prefiro os filmes se caso terminarem de adaptar essa trilogia. Abraços!!!

    ResponderExcluir
  11. Andressa!
    A fantasia criada pelo Philip Pullman é tão bem feita que mesmo a responsabilidade da vida das pessoas do reino estarem na mão de dois jovens apenas, acabamos viajando na aventura e entrando de corpo, alma e coração na história.
    Maravilhoso!
    Desejo um ótimo final de semana!
    “Que o novo ano que se inicia seja repleto de felicidades e conquistas. Feliz ano novo!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  12. Li só o primeiro livro. É uma pena que deixa algumas coisas a desejar, gosto tanto da Lyra e digamos que quase ela não aparece que chato isso. Como último livro achei que fecharia com chave de ouro, mas parece ter muitos acontecimentos e coisas boas também, odeio quando tem detalhes desnecessários deixa a leitura cansativa, só páginas a mais.

    ResponderExcluir
  13. Oi Andressa, eu também me apego aos personagens dos livro e quando acaba fico bem triste, não conhecia essa trilogia, mas gostei bastante da sinopse desse 3º livro. Pela sua resenha fiquei curiosa em relação a historia sobre esse mundo aonde os seres são diferentes e o porque deles serem diferentes e tal, e que legal esses Mulefas que são híbridos me lembrou de The Originals. Achei super interessante sobre cada livro contar sobre um personagem, com certeza vou ler essa trilogia obrigada pela dica e sua resenha está maravilhosa bjs.

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu já vi muitas resenhas desse livro e da serie, eu me lembro que tinha assistido o primeiro filme e me deixou bem aberto o final, só fui descobri de uns tempo pra cá que tinha o livro, então eu já quero ler e saber o que aconteceu. A trama é bem envolvente e estou muito curiosa em ler.

    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  15. Oi, Andressa.

    Em meio à guerra, à novas criaturas, o Will com certeza viveu uma aventura e tanto em busca da Lyra!

    ResponderExcluir
  16. Oi, Andressa!
    Nunca li essa trilogia Fronteiras do Universo, só assisti o filme que era baseado no primeiro livro. Não curti muito o filme mas quero muito ler esses livros.
    Bjoss

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir