acompanhe o blog
nas redes sociais

11.1.18

Belas Adormecidas [Stephen King e Owen King]

Belas Adormecidas
Ed. Suma De Letras, 2017 - 728 páginas
- "Pelo mundo todo, algo de estranho começa a acontecer quando as mulheres adormecem: elas são imediatamente envoltas em casulos. Se despertadas, se o casulo é rasgado e os corpos expostos, as mulheres se tornam bestiais, reagindo com fúria cega antes de voltar a dormir. Em poucos dias, quase cem por cento da população mundial feminina pegou no sono. Sozinhos e desesperados, os homens se dividem entre os que fariam de tudo para proteger as mulheres adormecidas e aqueles que querem aproveitar a crise para instaurar o caos. Grupos de homens formam as “Brigadas do Maçarico”, incendeiam em massa casulos, e em diversas partes do mundo guerras parecem prestes a eclodir. Mas na pequena cidade de Dooling as autoridades locais precisam lidar com o único caso de imunidade à doença do sono: Evie Black, uma mulher misteriosa com poderes inexplicáveis."

Onde comprar:

Um mundo sem mulheres

Um dos lançamentos mais aguardados de 2017, tanto que por aqui teve rápida e competente tradução de Regiane Winarski e lançamento no mesmo ano do original, Belas adormecidas (Suma, 728 páginas) é mais um calhamaço do mestre Stephen King, agora em parceria com seu filho Owen King.

Ao iniciar o livro, inocentemente me peguei tentando descobrir qual trecho era do pai e qual era do filho. Em um livro a quatro mãos, quando estamos familiarizados com o estilo do autor, acabamos por conseguir separar bem quem é quem. Mesmo não conhecendo a escrita de Owen, tenho vasta experiência na de Stephen e por isso mesmo deveria deduzir a impossibilidade de tal empreitada. Stephen King além de prolixo possui uma pluralidade grande de estilos dentro de si, além do fato da conexão e simbiose entre pai e filho dificultarem ainda mais a tarefa. Então deixei isso pra lá e passei a me divertir com a leitura e isso sim foi prazeroso.

Então vamos ao livro. Algo no mundo está fora de controle – as mulheres adormecem e não acordam, além do mais um casulo vai se formando ao redor delas.

“A substância que cresceu na cara de Kitty era branca e fina, grudada na pele. Fazia Clint pensar em uma mortalha. Ele conseguia ver que os olhos dela estavam fechados e que estavam se movendo no sono REM. A ideia de que ela estivesse sonhando embaixo daquela coisa o incomodava, apesar de ele não saber bem por quê.”

Mas vá por mim, não mexam com elas e em hipótese alguma tente acordá-las ou retirá-las do casulo porque será o mesmo que acordar um cão danado. Elas tornam-se feras, atacam de forma brutal e voltam a dormir como se nada tivesse acontecido.

Ela acordou mesmo. E como. Os olhos se arregalaram de repente. Ela deu um pulo para frente e foi para cima do nariz do marido. Compadre Brightleaf gritou alguma coisa que foi encoberta por um apito, mas Frank achou que pudesse ser filha da puta. O sangue jorrou. Comadre Brightleaf caiu para trás na mesa com um pedaço razoável do nariz do marido nos dentes. Havia sangue respingado na parte superior da camisola.”

Rapidamente a população feminina vai dormindo. Seria um surto? Uma doença? Haveria uma explicação plausível para tal fenômeno chamado de Aurora? A internet, terra de ninguém, pulula cheia de informações sem comprovação que inconsequentemente tornam-se verdade absoluta.

“A internet é uma casa iluminada acima de um porão escuro com piso de terra. A falsidade cresce como cogumelos nesse porão. Alguns são gostosos; muitos são venenosos. A falsidade que começou em Cupertino, que foi declarada como fato absoluto, foi um desses venenosos.

AVISO SOBRE A AUTORA: URGENTE!
Por dr. Philip P. Verdrusca”

O único jeito de impedir a disseminação da Aurora é queimando os casulos e as mulheres adormecidas dentro! Façam isso imediatamente! Vocês vão dar às suas amadas o descanso que elas desejam...
SALVEM ELAS!

Imaginem a loucura quando alguns homens tentam defender suas mulheres e outros, ao contrário, tentam eliminá-las formando um grupo autodenominado “Brigada do Maçarico”. Um pastor se aproveita da situação para formar uma nova sociedade livre de impostos, acusando o governo de envenenar suas mulheres. Fanatismo religioso. É o mundo cão. Muitas mulheres passam a ficar acordadas a poder de drogas e estimulantes, mas sem sucesso acabam dormindo.

Na pequena cidade de Dooling parece haver uma mulher imune à doença do sono, a misteriosa Eva Black. Ela poderá ser a única esperança de cura. O problema é que há algo mágico e sobre-humano em relação a ela.

“A mulher na porta esticou a mão e segurou o pescoço de Truman. Ele fez um barulho chiado... Pontos vermelhos apareceram nas bochechas de Truman. O sangue escorreu dos cortes que suas unhas estavam fazendo no pulso da mulher, mas ela não soltou. O barulho chiado ficou baixo...”

Todos querem a mulher e o embate se dará entre dois grupos. Um liderado por Clint Norcross, o psiquiatra do Instituto Penal Feminino, tentando preservar Eva, a bíblica primeira mulher, seguindo suas ordens. E outro grupo capitaneado por Frank, o agente de controle de animais que nunca foi aceito como policial por ter o pavio muito curto, com desejo de capturá-la a fim de encontrar a cura para o sono feminino, mesmo que para isso tenha que matá-la (olha que contradição).

O que mais gosto dos escritos de King pai, e agora o filho também, é a maneira como conduzem a descrição das relações humanas, as situações limite. O início do fim de uma relação de muitos anos pode ter sido a construção de uma piscina residencial, é o que pensa Lila, mulher de Clint, antes de pegar no sono. Mas para o copo entornar é preciso muitas gotas, caindo incessante e vagarosamente. Então o sono não seria tão mau assim. Ela vai aceitando a situação. Mas como nos ensina a brilhante Marina Colasanti: “Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.”

“Lila se lembrou de como Clint tinha abandonado o atendimento particular sem nenhuma discussão. Todo o trabalho deles planejando o consultório... Porém, o segundo paciente de Clint o irritou, então ele decidiu na hora que precisava fazer uma mudança. E Lila deixou rolar... E foi aceitando. Lila não queria piscina. Só foi aceitando. Um dia, Clint decidiu que eles iam passar a beber água mineral e encheu metade da geladeira de garrafas. Ela foi aceitando. Tinha a receita de Provigil que ele decidiu que ela precisava tomar. Ela provavelmente aceitaria. Talvez estar dormindo fosse seu estado natural.”

Mais crítica é a relação entre Frank e sua ex-esposa. Seus acessos de violência acabaram por separá-lo tanto da esposa quanto da filha.

“O temperamento de Frank foi só o pior e mais profundo desses cortes. Ah, às vezes havia um presente, um beijo suave no pescoço, um jantar fora (à luz de velas!), mas essas coisas eram só a cobertura de um bolo duro e difícil de mastigar. O Bolo do Casamento! Ela não estava preparada para dizer que todos os homens eram iguais, mas a maioria era, porque os instintos vinham de fábrica. Com o pênis. A casa de um homem era seu castelo, era o que diziam, e inserido nos cromossomos XY havia uma crença profunda de que todos os homens eram reis e todas as mulheres eram suas empregadas.”

Muitos quiseram se aproveitar do sono das mulheres, isso era o paraíso para os estupradores, mas eles teriam uma grande surpresa.

“— As mulheres poderiam recomeçar a raça humana, não poderiam? Claro que sim. Existem milhões de doações de esperma, bebês congelados em espera, armazenados em instituições por todo esse nosso grande país. Dezenas e dezenas de milhões por todo o mundo! O resultado seriam bebês de dois sexos!”

Diante da exposição de tal fato, quem se importaria com os homens além deles mesmos?

“— As mães vão se importar. As esposas. As filhas. Quem você acha que limpa os campos de batalha depois que os tiroteios acabam?”

Lindo demais não é mesmo? Novamente um livro longo, quilométrico, mas eu nunca diria que este poderia ter duzentas ou trezentas páginas a menos, porque ler King é um grande prazer e quanto mais páginas tanto melhor.

Recomendo com o fervor de quem acredita que o mundo estaria bem melhor se fosse governado pela sensibilidade das mulheres.


Rodolfo Luiz Euflauzino
Ciumento por natureza, descobri-me por amor aos livros, então os tenho em alta conta. Revelam aquilo que está soterrado em meu subconsciente e por isso o escorpiano em mim vive em constante penitência, sem jamais se dar por vencido. Culpa dos livros!
Cortesia do Grupo Companhia das Letras
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

46 comentários em "Belas Adormecidas [Stephen King e Owen King]"

  1. Li uma resenha anteriormente que também falava dessa similaridade da escrita de pai e filho e de que é bem difícil distinguir, o que achei bem legal, esse talento ter passado de pai pra filho. Apesar de King não ser um autor de quem sou fã, é claro o talento que ele tem e a quantidade de fãs que ficam super animados mesmo quando pegam um calhamaço como esse, o livro é longo, mas pelo que vi na resenha, a história se sustenta e prende o leitor até o fim, levando o mesmo a questionar algumas coisas a partir da experiência na história.
    Ótima resenha Rodolfo ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Lili, confesso incapacidade em distingui-los, rs. tenho aqui uma pergunta pra ti: você já leu algum livro de Stephen King? se não leu vou sugerir alguns que vão fazer de ti uma fã xiita, rs. o enredo é bem costurado e as questões feministas vão se imiscuindo aos problemas de relacionamento entre casais, um bom exemplo para quem tem a intenção de se tornar um escritor. além é claro do deleite de ler a família King bem afiada. obrigado querida, bjos.

      Excluir
    2. Então Rodolfo, não li porque eu sempre vi King como um mestre do terror e eu corro desse gênero haha, mas tenho visto resenhas de livros dele que não são desse gênero , terror, e achado interessantes, assim agradeço e vou anotar as dicas que você me der e ver se me arrisco na leitura *__*

      Excluir
    3. então lá vai Lili: "quatro estações", "o talismã", "it - a coisa", "misery", "a dança da morte", "love", "à espera de um milagre". você terá nesta coleção a grande variedade de situações que fazem de King um escritor inqualificável. muitos já se tornaram filmes de sucesso. bjos e boa leitura!

      Excluir
    4. Certinho, tirando It- A coisa, não conhecia os outros, obrigada pelas dicas ;)

      Excluir
  2. Olá,Rodolfo. Gostei muito da sua resenha foi muito bem resumida,parabéns. Mas querido,não gosto do Stephen King-não consigo gostar sério-odeio livros de terror sinto muito medo e para assistir então.. Deus me livre. Assim como a Lili Aragão disse 'ele é um mestre do terror' sem dúvida,pois todas as resenhas o exaltam muito,como um dos melhores escritores.Mas não faz meu tipo de gênero de jeito nenhum.Confesso que a estória em si é muito boa,parece prender o leitor do começo ao fim e faz com ele se entregue á estória.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Brisa (posso te chamar assim?), obrigado pelas palavras. então vamos lá, o velho e bom King não deveria ficar rotulado como um escritor de livros exclusivamente de terror, é um tremendo engano. King escreve sobre relações humanas, podendo utilizar-se de um romance policial, romântico, de fantasia e até de terror sim, como o fez no início de sua carreira. deixei alguns livros para Lili desfrutar de inúmeras vozes do "mestre". comece por "quatro estações", você perceberá o quão rica é a escrita de King. bjos

      Excluir
  3. Oi, Rodolfo.

    O mistério que ronda o sono dessas mulheres que tanto atormenta, aguça a nossa curiosidade em querer desvendá-los, e nos faz questionar o que está por trás dele e o porque disso acontecer somente com as mulheres! Será a Eva responsável por isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Daiane, todo sono é envolto em mistério, há tanto a desvendar sobre o instante em que nos desligamos do mundo, não é mesmo? o sono relatado neste livro é especial porque ele mexe com o que há de mais sagrado: a vida. então bora ler também pra aniquilar sua dúvidas. bjos

      Excluir
  4. Bem intrigante esse livro, me deixou muito curiosa por respostas, fiquei me perguntando porque as mulheres, se tem algum motivo especifico para isso. Deve ser uma leitura que envolve e deixa o leitor cada vez mais ansioso por respostas. Fiquei imaginando a reação dos homens, como ficariam sem as mulheres rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Maria, bota intrigante nisso. e posso responder por mim e não por todos os homens: não há vida sem as mulheres (pronto falei). bjos

      Excluir
  5. Rodolfo, que pancada! Situações assim, que provocam o leitor e exigem uma resposta, uma saída, me deixam muito incomodada! às vezes isso é bom, outras é bem sofrido! Como resolver isso, que medo de adormecer, de virar algo estranho, além da vulnerabilidade a que estão expostas. Como esses caras vão explicar? O final fecha bem todo o horror gerado na trama? Não basta um King criando situações-limite, tem um Kingzinho que herdou o talento do pai para somar?
    Recentemente li O conto da aia, não pude deixar de contextualizar com esta sua leitura, pq lá as aias são mulheres com a única finalidade de reprodução. Fiquei envolvida e profundamente desconfortável durante toda a leitura e tentando resolver o impossível. Como aqui, neste Belas Adormecidas. Lá Atwood cria um desfecho que achei genial, abre uma janela e pula, eu diria, enquanto procuramos uma porta de saída. Espero que King tenha saído à altura do que vem construindo, e a julgar pela sua recomendação, não se saiu nada nada mal.
    Resenha ótima de uma trama cruel. Ponto pra vc, R. King.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Manuh, vivo pensando aqui como arrastá-la para o universo de King, um dia ainda consigo, rs. este livro me "incomodou" (parafraseando você mesma) pela natureza da situação. não se trata de um libelo feminista, longe disso, mas de reflexões acerca da importância feminina, das questões mais corriqueiras às mais complexas.
      interessante o cruzamento de sua leitura com a minha: na sua a mulher-objeto, a mulher utilizada com um único propósito, na minha as discussões sobre a impossibilidade de um mundo sem as mesmas (ou seria um universo paralelo em que só elas existissem, ops). Atwood é autora que persigo há tempos, já já me encontro com ela, sem dúvida.
      confesso e já disse isso na resenha que o que mais me encanta em King (e agora também no filho) são as relações entre os casais, as minúcias de anos de convivência, os desentendimentos, arrependimentos, os "deixa pra lá". tive dose cavalar disso no livro "Love - a história de Lisey" do mesmo King e agora volto novamente ao campo da união/desunião voluntária entre homem e mulher, é prato cheio pra quem curte as agruras doce-amargas do casamento. e pra quem não é chegado terá uma história recheada de emoções. obrigado pelas palavras carinhosas. bjos

      Excluir
  6. Rodolfo!
    Na verdade nem todos os livros do King (e de sua prole) são de terror, alguns são mesmo de ficção com um jeito de thriller psicológico e acredito que é o caso aqui do livro, onde há uma série de novas doenças, o conflito entre os sexos, os mistérios em relação aos assassinatos e por aí vai.
    Gostei de ver que há uma introdução falando sobre as diversas personagens, o que deve facilitar o entendimento.
    E como você, amo as descrições psicológicas das personagens, deve ser um super livro e pretendo ler futuramente.
    Novo Ano repleto de realizações!!
    “Que a paz, a saúde e o amor estejam presentes em todos os dias deste novo ano que se inicia. Feliz Ano Novo!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Rudynha, obrigado por me ajudar aqui. este rótulo pra King limita muito do universo espetacular que ele criou. este livro retoma as situações entre casais que tanto me fascinou em "Love - a história de Lisey", mas em outro contexto. acho que você gostaria muito desta leitura. obrigado querida, bjos.

      Excluir
  7. Uma pergunta... O mal abate Mulheres de todas as idades? Crianças, jovens, idosas...
    Qualquer semelhança com Mestre das Chamas é pura coincidência..rsrsrs

    Veja bem, um mal que acama mulheres em massa, levando a população ao caos, teorias e conspirações acontecem e existe uma única pessoa imune a esse mal... Tcharaaaam! A Bombeira! Hahahahaha!

    Voltando a realidade, adorei essa temática, na verdade é a minha predileta. Já quero ler esse Calhamaço!
    Bjão
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Ni, não há diferenciação de credo, raça, cor ou idade. todas as mulheres sofrerão deste "mal", menos uma! adorei sua contextualização, mas de antemão já lhe afirmo: são livros completamente diferentes, não há como controlar o sono, quando ele chega você apaga, mesmo se estiver conseguindo ficar acordada com remédios, drogas ou outra coisa qualquer. é angustiante. este é mais um livro que tem a sua cara. bjos

      Excluir
  8. Oi Rodolfo!
    Incrível como King consegue escrever uma história de fantasia com maestria e além disso fazer uma crítica enorme a uma sociedade real né? Eu ainda não li, mas já conhecia o enredo porque procurei saber sobre ele, não sei você, mas senti que ele fala (sem falar, rs) muito do machismo!
    Que bom que as escritas se misturam e não percebemos quando é o pai e quando é o filho, mas não dá pra negar que a escrita de King mudou um pouco, apesar do mistério rondando essas mulheres, o livro em si não me parece um terror, acho que mais um suspense.. Pretendo ler em breve, e como nunca me decepcionei com o mestre, tenho certeza de que essa também será uma leitura incrível.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Vitória (este nome é lindo), King está sempre ferroando a sociedade capitalista patriarcal americana. percebo que King pai em início de carreira era mais visceral, hoje ele percorre as relações humanas de maneira mais madura e reflexiva. espero que leia este livro também e saboreie sua união com o filho Owen. bjos

      Excluir
  9. Eu amo as letras do Mestre King e vou falar uma coisa: foi a resenha mais completa deste livro que li até agora!
    Parabéns!
    Ainda não conheço as letras deste filho do autor, só as do Hill(que adorei) e claro, dos muitos livros que já li do Mestre.
    Amo a capacidade que King tem de entrar na mente do leitor, dessa capacidade incrível e única que ele literalmente joga o leitor na história e nos faz questionar e por muitas vezes, tentar entender se é real ou não.
    Aliás, tenho comigo que o Mestre não escreve terror, mas sim, sobre a mente humana.
    Lerei este livro com toda a certeza do mundo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. querida, então você é do meu time. King fica em minha prateleira de cima, sempre!
      King escreve sim sobre a mente humana, mas o que mais me encanta em sua escrita são as "relações humanas", em como as pessoas transitam por sua vida, o que elas deixam e o que levam. fascinante. leia sim e volte pra gente prosear. bjos

      Excluir
  10. Oi Rodolfo!!
    Cada vez que leio resenhas as obras de King fico fascinada pelo seu trabalho, os enredos prendem os leitores, as edições são maravilhosas, espero um dia conseguir ler as coleções dle.
    Bjs e parabéns pela resenha!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Aline, as resenhas é a entrada de um grande refeição, é para abrir o apetite, rs. não se furte do prazer de ler o bom e velho King, você irá viciar, vá por mim. bjos e obrigado pelas palavras carinhosas.

      Excluir
    2. Não vejo a hora de conhecer, os filmes eu conheço, mas sempre digo, livros são bem melhores..
      Bjs!

      Excluir
  11. Oi, nunca li um livro de Stephen King mas sou doida pra ler alguns livro dele, nossa que sinopse legal e que legal também o livro ser escrito por pai e filho. Esse mundo eu queria ver como os homens se viram serem as mulheres devem ser uma loucura total rsrsrs. Fiquei super curiosa em relação a historia do porque as mulheres adormecem e se forma casulos ao redor delas e porque Eva não é afetada, e realmente pela sua resenha o livro parece prender o leitor do começo ao fim, com certeza vou ler e obrigada pela dica. Sua resenha está maravilhosa bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Fernanda, não me diga isso nem de brincadeira menina. corra pra ler algo do mestre, você não irá se arrepender. não há como viver sem as mulheres, por mais machista que seja a sociedade, isso é fato, rs. mas ainda que eu tenha vontade de te contar sobre o livro, vou me segurar aqui pra aumentar sua curiosidade, rs. bjos e obrigado pelas palavras carinhosas!

      Excluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Olá Rodolfo, acredito ser uma das poucas pessoas desse vasto mundo literário que não leu nada do King, mas como mesmo disse é um mundo vasto, e como King é sinonimo de terror, eu sempre associei à aqueles filmes macabros do qual tenho medo, porém ultimamente tenho lido várias resenhas dele, como essa sua, que falam muito mais dos diversos contextos trazidos pelo autor que simplesmente o terror que ele passa pro leitor, claro que acredito que esse livro não foi feito com o mesmo "intuito" digamos assim de um O Iluminado da vida né, não dá pra comparar né, mas também li outras resenhas de Belas Adormecidas e foram assim como a sua, positivas e com elogios a obra. Só queria que as obras de King fossem com um precinho mais em conta, sempre fico naquela, coloco e tiro do carrinho diversas vezes porque o preço chega a assustar. Enfim, quero muito ter a chance de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Sabrina, não se acanhe, você não está sozinha neste barco, muita gente ainda não leu nada do mestre, mas sempre há tempo para corrigir este vacilo, rs. houve época em que as Americanas colocavam todos os livros de King (ou a grande maioria) ao preço módico de 9,90, bons tempos aqueles. mas hoje em dia são livros caros, provavelmente porque King é mais que um nome na capa, é uma grife que vende e vende muuuuito. além do mais são calhamaços enormes, nunca com menos de 500 páginas. mas vale cada centavo, pode ter certeza. aguarde as Black Friday ou as promoções e compre um livro de King, depois me diga o que achou. bjos

      Excluir
    2. Com certeza irei fazer isso, afinal credito que seja um investimento com um retorno incrível.

      Excluir
  14. Queria amar o King como a maioria das pessoas,mas simplesmente não consigo,depois de ler it a coisa e ficar saturada com a escrita,não consigo dar chance a mais nenhum livro dele...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Paola, que triste, não sei nem o que lhe sugerir de King, ja que It é um clássico. "quatro estações" e "love - a história de lisey" têm uma pegada diferente, talvez lhe agrade. obrigado pelo comentário. bjos

      Excluir
  15. Ainda não li nem um livro do Stephen King, mas tenho diversos livros dele em minha lista de leituras, pois sempre leio muitos comentários positivos referentes aos livros dele. Tenho curiosidade em ler este livro, ainda mais por ser uma parceria do Stephen King com o filho dele, é muito bom ler livros que a história é tão boa que o leitor nem se importa com o números de páginas e como você citou dos livros do Stephen King, quando mais páginas melhor, sem dúvidas pretendo ler Belas Adormecidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Mariele, quais serão estes livros que estão em sua lista? depois me conta. acompanho a vida de King há tempos e tenho lá meus preferidos. espero que você leia logo e se encante como a grande maioria de seus fãs. bjos

      Excluir
  16. Oi Rodolfo!
    Eu adoro King e acho que também ficaria encasquetada tentando descobrir quem escreveu o que hehe. Mas é um ponto super positivo vc não conseguir, afinal, a trama e a narrativa têm mesmo que ser coesas.
    Acho a premisa desse livro super interessante, mas ainda não tive chance de ler. Pretendo fazer isso em breve.
    Beijos,
    Alem da Contracapa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Mariana, adorei o "encasquetada", fui criado no interior de são paulo e lá esta expressão é muito usada, me bateu uma saudade danada. "crie" uma chace de ler o mestre e me diga o que achou. bjos

      Excluir
  17. Olá, eu sempre digo que leria até um rabisco escrito por King, pois sua escrita é simplesmente fenomenal. Quero ler Belas Adormecidas desde a pré-venda e a ansiedade só aumenta. Aqui vemos que os autores exploram a importância do sexo feminino, mostrando que as mulheres foram e sempre serão o equilíbrio dos homens. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahhhh Alisson, você é do meu time rsrsrs. lista de compras de supermercado dele e a gente tá lá lendo, rs. na verdade isso virou um vício, houve tempo que abandonei a leitura do mestre por achar que ele estava perdendo a mão, mas esta fase mais madura dele está incrível. então bora ler um pouco mais. bjos

      Excluir
  18. Nunca li nenhum livro do autor, mas acabei o conhecendo pelo FILME/LIVRO It a coisa, do qual nem li nem vi no cinema, e de fato não quero, não curto terror. Não sei se eu leria este livro, tenho medo dele me assustar bastante, mas gostei da forma como ele escreve, parece ser gostoso de ler e de compreender.

    TC 0118

    http://garotaeraumavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Jady, Stephen King sofre com esta classificação que limita seu grande trabalho. afirmo: ele não é um escritor "apenas" de terror, mas respeito seu ponto de vista. há outros livros dele que estão bem longe de ser de terror: "à espera de um milagre" que também já virou filme é um deles. bjos

      Excluir
  19. Olá!
    Eu já li muitas resenhas sobre os trabalhos dele e sei que são muito bons, não li ainda mas estou desejando muito. Esse tem uma premissa muito boa com uma trama bem envolvente com suspense e gosto muito desse gênero. Já está na lista de leitura!

    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Lily, Stephen King é um escritor da prateleira de cima, excelente na criação e desenvolvimento de personagens. seu filho Owen está em início de carreira. não é o melhor da produção de Stephen, mas é um livro saboroso. leia também!

      Excluir
  20. Sinceramente fiquei bem surpresa em ver que o Stephen ia lançar um livro com o próprio filho Achei bem interessante em relação a isso Mas eu ainda tô terminando de ler it Então acho que vai ser minha próxima leitura eu na verdade não sabia quando esse livro é ser lançado no Brasil mas pelo visto Já lançou faz um tempo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Carolina, este livro foi lançado em 2017. posso te garantir que não tem a qualidade de "It", mas será uma ótima diversão.

      Excluir
  21. Oi, Rodolfo!!
    Nossa fiquei bem empolgada para ler um livro escrito pelo pai e o filho, deve ser bem bacana trabalhar com King e sendo o próprio filho deve ser melhor ainda. E simplesmente amei a ideia de todas as mulheres caírem em um sono profundo e que se despertadas tornam-se feras indomáveis!! Mas um livro fantástico do King para adquirir!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara Marta, também tive esta mesma curiosidade. qual seria a conexão entre os dois? isso daria certo? criar com alguém da família é realmente o melhor caminho? confesso que não me decepcionei. leia também e vamos prosear mais. bjos

      Excluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir