acompanhe o blog
nas redes sociais

11.10.18

No Ritmo do Amor [Brittainy C. Cherry]

Ed. Record, 2018 - 336 páginas
- "Duas almas atormentadas unidas por uma grande paixão. A linda e encantadora Jasmine Greene nasceu para brilhar. Cantora nata, ela cresceu sabendo que tinha vindo ao mundo para ser famosa, pois sua mãe não a deixava se esquecer disso um minuto sequer. A vida da jovem de 16 anos se resume a estúdios, aulas de dança e canto e a inúmeros testes para ser o grande nome da música pop. Ela não tem tempo nem de ir à escola, é educada em casa e sofre com a rotina atribulada. Para Jasmine, o pior de tudo é não poder cantar soul, sua paixão.Mas ela não reclama, porque, na verdade, seu maior sonho é fazer com que a mãe tenha orgulho dela. Elliott Adams é uma alma atormentada. Para ele, cada dia é uma batalha a ser vencida. O rapaz tímido, humilde e franzino sofre bullying na escola por causa de sua aparência e por ser gago. Mas ele é mais forte do que imagina e encontrou em seu saxofone uma válvula de escape."

Onde comprar:

Eu nunca tinha lido nada da autora e fiquei completamente apaixonada pela história e pela escrita dela. Me emocionei muito e confesso que chorei em certas situações. Super recomento a leitura.

Jasmine é uma jovem de 16 anos que nunca conheceu o pai, mas tem o Rian, um padrasto maravilhoso que nunca lhe deixou faltar o carinho que sua mãe se recusa a dar.

Jas foi criada para ser uma pop star. Não teve uma infância normal, teve aulas em casa e nunca frequentou uma escola, pois seu tempo era sempre dedicado ao canto, teste, balé, dietas abusivas, estúdios, etc.

"-Você é a música em um mundo mudo, e o meu coração bate só porque você está aqui."

O problema é que ela não quer ser uma pop star, ela quer cantar Soul, frequentar escolas normais e acima de tudo, que sua mãe sinta orgulho dela. Porem, por mais que ela se esforce ao máximo, sua mãe nunca está satisfeita.

Quando ela faz um trato com a mãe e consegue frequentar a escola, Jasmine sente que está realizando um grande sonho. Ela se tornou uma garota popular, porem continua simpática e amável com todos.

Em um sábado, parado numa esquina, ela reconhece um garoto baixinho e franzino que frequenta a mesma escola que ela. Jasmine o observa tirando um saxofone da bolsa e escuta admirada aquele garoto tocar não só uma musica, mas a sua alma.

"A vida, às vezes, era difícil. Mas talvez Deus tenha nos presenteado."

Eliot é o típico bom aluno, bom garoto. Que sofre bulling na escola por ser gago, franzino e apesar de ter defendido sua irmã mais velha no passado, nunca foi capaz de se defender.


Na segunda feira Jasmine aborda Eliot, eles conversam e acabam se tornando melhores amigos e por consequência se apaixonando. E isso traz grandes problemas para os dois. Jasmine acaba fazendo coisas que não quer para proteger Eliot e em contra partida o bulling que era só com Eliot passa a ser com ela também.

"Éramos completamente opostos de muitas formas. Eu era a nova garota popular da escola, e ele, o garoto tímido que sofria bullying. Eu era extrovertida; ele, controlado. Eu estava perdida; ele era o caminho de volta para casa."

Acontecem algumas coisas na vida deles. Jasmine é obrigada a sair da escola e ir para Londres com a mãe (vaca) dela.

E uma grande tragédia acontece, fazendo com que a comunicação entre eles termine de forma brusca.

Seis anos se passam. Jasmine tenta resgatar a amizade com Eliot, mas o que ela encontra é um homem alto, forte, marombado. Que trabalha como personal traine em academia. Que largou a musica e que é marcado pela dor, sofrimento e culpa.

"Sempre que eu pensava em lar, não era um lugar que me vinha a cabeça; eram pessoas. Aquelas que nos lapidavam para que nos tornássemos quem deveríamos ser, aquelas que nos amavam, apesar de nossas cicatrizes e que falava que essas cicatrizes eram lindas. Aquelas que permitiam que cometêssemos nossos próprios erros e que, ainda assim, nos amavam por inteiro."

Varias coisas nesse livro me tocaram e me encantaram. A inteiração entre Jasmine/branca de neve com o padrasto Rain é linda e emocionante. A reaproximação do casal, a evolução dos acontecimentos é fantástica. Um romance dramático que merece ser lido.


Adriana Macedo
Sou Adriana do blog Meu Passatempo blá blá blá moro em Vila Velha - ES. Troco qualquer balada pela tranquilidade do meu lar. Adoro ler, musica alta, series e filmes. Exatamente nessa ordem. Simples assim.
Cortesia do Grupo Editorial Record
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

19 comentários em "No Ritmo do Amor [Brittainy C. Cherry]"

  1. Oi, Adriana,

    Um fator que chama atenção é a intensidade do livro. Uma proposta aparentemente simples, mas que tem muito a entregar ao leitor.

    A música - como pano de fundo -, aprimora o livro e encanta.

    Acredito que, em um todo, eu iria gostar da história.

    ResponderExcluir
  2. Esse livro está entre as melhores leituras do ano!
    Amo a escrita da Brittainy, e ela nos trouxe uma história linda e que me deixou de coração partido.
    A relação da Jas e do Elliot é linda, bem desenvolvida.
    Amo tanto que nem tenho palavras para expressar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Tenho muito pouco contato com as letras da autora, mas acompanho o trabalho dela já faz um tempo! Sei que ela é linda, simpática e escreve como ninguém!rs
    Este livro dela quando foi lançado, fiquei sabendo que saiu bem do tipo de enredo que ela apresenta, mas que por isso, muitos haviam gostado.
    Eu além da parte do romance, gostei muito de ler que há este embate entre mãe e filha. Essa imposição do "eu não fiz, você fará". Acho que é um tema que precisa ser debatido mais vezes!
    E sem contar o lance de conter música que é outro ponto importante e claro, a valorização dos personagens secundários!
    Está na lista de desejados.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Olá, confesso que achei a trama da autora bastante inconsistente ainda mais pelo fato que ela promove o entendimento de que é necessário mudar quem somos para se adaptar na sociedade. Presumo que essas transformações de Eliot tinham como fito mostrar algo que funcionasse como passagem temporal, porém fica uma impressão de superficialidade quando a autora se foca na estética, como se isso fosse capaz de mudar tudo. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Adriana
    Eu amo demais os livros da autora, já li vários dela e todos eles me fazem chorar por causa da carga dramática. Ainda não pude ler esse mas tenho certeza que vou amar também!
    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  6. OK! A história estava indo, aí eles se reencontram depois de 6 anos e o que acontece? Ai, agora vou ter que ler o livro para descobrir? Essa curiosidade me mata kkkkkkkk
    Gostei bastante. Apesar de serem jovens no começo dá pra ver que eles vão amadurecer juntos.

    ResponderExcluir
  7. Assumo que tenho um certo preconceito com livros que mostra o rosto dos personagens na capa, mas com toda a sua resenha e você ter se emocionado em algumas partes, eu estou um tanto curioso. O fato da protagonista ser do ramo da música (que é algo muito legal) e o boy ser gago, algo que eu não costumo ver nos livros, torna a história única. Eu amei!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Adriana
    Ainda não li nada da autora, mas li várias resenhas sobre esse livro.
    Me parece que esse relacionamento entre mãe e filha é um tanto abusivo, não deixar a filha ser o que ela quer e ainda separar do amigo. Que bom que tem o padrasto para dar o carinho que a mãe não oferece.
    Quero muito ler para saber do relacionamento do casa Jas e Elliot.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá! Essa autora com certeza gosta de acabar com meus estoques de lencinhos, parece ser mais uma história cheia de emoções, eu estou com ele aqui na minha estante e louca para me emocionar mais uma vez, com esses personagens lindos.

    ResponderExcluir
  10. Adriana!
    Nossa! Deve mesmo ser um livro bom já que leu com a maior rapidez, hein?
    Sou fã da autora também.
    Triste ser obrigada a fazer uma coisa que não se quer, né?
    Que mãe mais vaca, hein? Affffffeeee!! Que horrorosa, vixe!
    Eu mesma sou madrasta e as meninas me chamam de MÃEDRASTA…
    Que relação bacana dela com o padrasto, né?
    Já gostei e quero ler.
    “Felizes são aqueles que não se deixam levar pelos conselhos dos maus.” (Salmos)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA OUTUBRO - 5 GANHADORES – BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  11. Oi Adriana,
    Tive experiências muito boas lendo os outro livros publicados da autora, então é claro que estou com as expectativas bem altas para No Ritmo do Amor. Brittainy C. Cherry sabe escrever uma história com sentimentos e cheia de amor. Gosto quando ela trás os personagens em diferentes etapas da vida. Jasmine me parece ser uma menina doce e deve ser interessante ver sua relação familiar. Se por um lado ela tem uma mãe que não age como tal e nega o amor que deveria ser incondicional, por outro, através do padrasto, ela descobre que laços familiares sólidos e ternos não precisam vir pelo mesmo sangue. Achei muito interessante a mudança de Eliot e curiosa sobre como isso veio a acontecer. Os anos separados podem tê-los afetados (física e emocionalmente), mas tenho certeza que aquele amor que surgiu na adolescência em meio ao bulling e rejeição ainda existe. Espero conseguir adquirir um exemplar logo, pois cada nova recomendação sobre o livro só me deixa mais ansiosa.

    ResponderExcluir
  12. Prece ser um enredo bem legal. Essa relação entre Jasmine e a mãe é mesmo dramática. Que bom que nesse caso tem o padrasto para ajudar um pouco. Infelizmente essa mudança de rumos que houve com Eliot acontece com muitas pessoas. Somos tantas vezes forçados a mudar nossos caminhos para se adaptar às coisas. Excelente resenha.

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Já tinha visto esse livro mais não li nenhuma resenha sobre ele. Tem uma ótima premissa e me deixou bastante curiosa em ler. E os temas abordado nele e muito interessante!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  14. Oi Adriana!
    Nossa ainda bem que sua resenha, pra mim, foi bem positiva sobre o livro, estou curiosa pra conhecer os personagens, o enredo parece ser lindo.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Adriana!
    Nunca li nada da Brittainy C. Cherry mas tenho interesse em conhecer a escrita dela... quem sabe algum dia?!
    Quanto a No ritmo do amor, confesso que a parte em que os protagonistas são adolescentes que frequentam a escola não me atraiu, mas a minha curiosidade foi despertada após a passagem de 6 anos, achei essa parte muito mais interessante e só por causa disso arriscarei a leitura desse livro... Valeu pela dica. Bjos!

    ResponderExcluir
  16. Oi, Adriana!!
    Sou apaixonada pelas as histórias da Brittainy C. Cherry mesmo ela me fazendo chorar quando leio seus livros. Fiquei com coração doido por saber o que vai acontecer com a Jasmine e Eliot e como vai acontecer o reencontro desses dois.
    Bjos

    ResponderExcluir
  17. Li algumas resenhas e acredito que seja um livro que diverge opiniões. A autora é bastante comentada, mas ainda não li nenhum de seus livros. Embora goste que a música seja algo presente no livro e que conecta ambos protagonistas, não acredito que seja uma leitura me que agradaria no momento. Fico triste só de pensar, hah.

    ResponderExcluir
  18. Devo admitir nunca li nada da BRITTAINY C. CHERRY por medo da escrita ser parecida com a da Audrey Carlan já que a capa do livro é bem parecida e são da mesma editora,me decepcionei muito com a série a garota do calendário por isso estou evitando os hot ou romances da Record.

    ResponderExcluir
  19. Fiquei impressionada com essa avaliação e com a sua resenha respeito do livro porque sinceramente eu não consegui me sentir envolvida na história e senti que alguma coisa na Trama não conseguiu me puxar para dentro da história eu fiquei decepcionada com isso já que eu tenho ótimas experiências com os livros da autora

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir