acompanhe o blog
nas redes sociais

11.2.19

Tolos & Mortais [Bernard Cornwell]

Bernard Cornwell
Cortesia do Grupo Editorial Record

O nome Bernard Cornwell já me chamava a atenção há anos, mas, até então, nunca tinha surgido uma oportunidade de ler algo dele. Quando "Tolos e Mortais" apareceu como opção de leitura, não pensei duas vezes. Juntar Cornwell e Teatro (minha área de formação), foi uma ideia pra lá de interessante.

Tolos & Mortais
Título: Tolos & Mortais
Autor: Bernard Cornwell
Tradutor: Jose Roberto O'Shea
Editora: Record
Gênero: Romance Histórico
Páginas: 364
Edição:
Ano: 2018

Onde comprar: Amazon

A trama é narrada pela visão de Richard Shakespeare, irmão mais novo do grande dramaturgo inglês, William Shakespeare. A cada página virada, vamos sendo apresentados a rotina de uma companhia teatral de uma das épocas mais interessantes da História do Teatro. Egos inflados, talentos desperdiçados, cobiça, jogos de interesses, incertezas da profissão, concorrências entre companhias, etc., são alguns dos temas abordados brilhantemente pelo autor. A parte legal é que o Bernard conseguiu balancear a parte teatral: narrando processos dos ensaios das peças, as tomadas de decisões sobre qual peça apresentar, escolhas de elenco, criação de figurinos, maquiagem e cenários, as apresentações; e a parte pessoal: mostrando um pouco sobre a vida de Richard fora do trabalho, suas amizades, romances e hobbies.

“Somos atores e adoramos uma plateia. Às vezes, quando uma encenação não vai bem, é fácil pensar na plateia como o inimigo, mas, na realidade, a plateia faz parte da peça, porque o público interfere na maneira como atuamos.” Página 245

A parte triste é que, apesar de estar lendo uma trama ambientada no Século XVI, podemos observar que os profissionais de Teatro hoje em dia ainda sofrem os mesmos problemas do que as personagens do livro.

“"- Nós não trabalhamos; nós encenamos, ou seja, brincamos de faz de conta. Somos atores, e o teatro é onde brincamos - falou ele como se eu fosse uma criança cuja pergunta o tivesse incomodado. (...) As outras pessoas... (...)... as outras pessoas trabalham. Cavam valas, serram madeira, empilham pedras, aram campos. Constroem cercas, costuram, ordenham, fazem manteiga, fiam, tiram água do poço, trabalham. Até o Lorde Hundson trabalha. Foi soldado. (...) Quase todo mundo trabalha, irmão, menos nós. Nós brincamos.” Página 73

Nas últimas páginas somos agraciados com o título "Nota Histórica". Nada mais é do que um apanhado de todo o trabalho de pesquisa realizada pelo autor. E achei muito interessante, pois lá, acabei tirando dúvidas sobre o que realmente aconteceu, e o que era ficção. O Bernard Cornwell fez um trabalho interessante, pois mesclou realidade e ficção de uma maneira que o leitor fica em dúvida se aqueles fatos aconteceram realmente daquela forma, ou se foram apenas criação dessa mente brilhante do autor.

Outro ponto forte do autor é sua narrativa. É leve, fluida e divertida. Tem um humor bem característico que rende boas risadas. Consegue prender o leitor sem precisar fazer firulas em sua escrita. Como dizemos no Teatro: "O menos é mais".

O ponto negativo, creio eu, fica a cargo do ritmo da trama. Não é frenético, nem tem reviravoltas ou coisas do tipo, mas consegue prender o leitor por todos os outros pontos positivos aos quais já falei acima.

Em relação a parte gráfica a Record está de parabéns. A capa é muito bonita, pois contém detalhes da arquitetura da época, alguns trechos de textos escritos à mão, e parte da imagem de William Shakespeare. Faz um apanhado geral de todo o livro. A parte interna é simples e agradável aos olhos. Não encontrei erros de digitação e/ou revisão.

Encerro essa resenha indicando-o para quem aprecia o Período Elizabetano, aos amantes de Teatro e aqueles que gostam de uma trama leve e tranquila.

Link do Livro no Skoob: https://www.skoob.com.br/tolos-e-mortais-808894ed813218.html


comentários pelo facebook:

13 comentários em "Tolos & Mortais [Bernard Cornwell]"

  1. Olá, achei super interessante a obra. Vou colocar na lista de livros que preciso ler. kkk!

    www.sramaia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Não sou uma grande entendedora desta arte, mas já vi e li o nome do autor em lugares mais especializados sobre o tema.
    Como sou do lema: leia de tudo, com certeza, se tiver oportunidade, quero sim poder conferir.
    Acho que tudo que seja liga à arte, principalmente teatro e seus afins, seja muito válido, ainda mais se vier escrito de forma bem humorada e inteligente!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Não conheço ainda a escrita do autor, mas pelas capas dos demais, noto que a maioria de suas narrativas tem uma pegada na época medieval, onde seria minha primeira experiencia. Outra questão que seria novo para mim, é ler algo relacionado ao teatro, mas confesso que fiquei com receio por achar que possa ter termos muito técnicos ou específicos, pois ao contrário de ti, não me sentiria em casa com isso ou perderia o interesse . Fora isso, se a leitura flui, como tu comentou, para qualquer mortal ahahahahah, será uma experiencia bem bacana.
    Um ponto super fortíssimo que me anima é saber que tem uma pitada de realidade, tanto na narrativa, quanto ao que se relaciona a vida de um artista de teatro, saber dos conflitos e problemas que essa classe passa, seja lá atrás como na atualidade, dão um apelo emocional que me agradam muito.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Ainda não tive a oportunidade de ler nada de Bernard Cornwell, mas acredito que esse livro seria uma boa opção para começar, pois mesmo não tendo um ritmo mais acelerado, gosto que o enredo seja fluído, leve e divertido, também me agrada que o autor soube dosar bem essa mistura de acontecimentos reais com a ficção, e ficamos nessa dúvida do que é ou não real.

    ResponderExcluir
  5. Olá Nardônio!
    É muito bacana a maneira como o autor nos insere no universo teatral, algo que é pouco explorado nos livros. Apesar do ritmo lento da história fiquei curiosa para entender mais sobre o assunto pois não sei muita coisa sobre o Período Elizabetano e aprecio fatos históricos. Concordo com você que os artistas de teatro não tem o devido crédito por suas atuações, acredito que livros como esse podem nos fazer valorizar mais esses profissionais que tanto nos divertem.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Nardonio,
    Ah, ainda não li nada do Bernard Cornwell, mas ele está em minha lista.
    Gostei da capa, esse enredo envolvendo Shakespeare é interessante, fiquei com vontade de ler e me aventurar por esse mundo teatral desse período.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Nardônio
    Ainda não li nada do autor.
    Essa capa é linda, fico feliz que o livro tem uma boa diagramação.
    Mesmo o enredo não tendo reviravoltas o autor soube conduzir muito bem misturando ficção com realidade e prendendo o leitor.
    Quero ter oportunidade para ler, beijos!

    ResponderExcluir
  8. Sou apaixonada pelo teatro!
    Acho que essa deve ser uma leitura incrível, ainda mais tendo alguém da família Shakespeare como personagem.
    Gostei de saber que é uma leitura fluida.
    Vou anotar essa dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá Nadonio!
    Essa novidade do autor de As Crônicas Saxônicas foi bastante elogiada no cenário literário, pois percebe-se que há uma harmonia entre o aspecto histórico e ficcional da trama, característica essa que eleva a qualidade da obra, dispensando até algumas estratégias vastamente utilizadas pelos autores para prender os leitores. Outro ponto positivo é a caracterização do cenário teatral, sendo que os íntimos da arte assimilam tudo muito rapidamente.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Eu gostei bastante da ideia da obra e ter o teatro presente de forma intensa é realmente maravilhoso, um universo fantástico e encantador. Gosto muito desses enredos que misturam ficção com fatos reais e a gente fica se perguntando o que realmente aconteceu e o que é invenção. Aconteceu comigo uma vez e não tinha essas notas para esclarecer, então tive que recorrer ao santo google.

    ResponderExcluir
  11. Oi Nardonio,
    Para ser honesta, não sei nada sobre William Shakespeare, exceto os títulos de algumas de suas obras (as quais nunca li). Mas isso não significa que não tenho curiosidade sobre sua vida, pois o nome é tão conhecido que sinto-me quase na obrigação de ter algum conhecimento sobre ele. Bernard Cornwell propõe um enredo bem diferente e nos dá uma visão sobre Shakespeare que eu não esperaria. Conhecer o autor através dos olhos de seu irmão é bem interessante. Mas o mais interessante está nos outros elementos que envolvem o enredo como o teatro e a Londres Elisabetana, pois aí temos fatos reais misturados com os fictícios. Nunca li nada do Cornwell, que também é um nome que já ouvi bastante por causa de outras obras e mesmo que não tenha tido muita curiosidade em lê-las, Tolos e Mortais, realmente, chamou minha atenção.

    ResponderExcluir
  12. Sabe que eu também nunca li nada do Bernard Cornwell? Talvez esse seja um bom livro para começar. Sempre ouvi dizer que ele faz um trabalho de pesquisa sensacional e que esse jeito de não deixar o leitor saber o que é histórico ou só imaginação sempre acontece, assim como nos livros do Ken Follet.
    Acho que vou gostar da trama pelo contexto histórico, apesar de não ter muitas reviravoltas.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Nardonio!
    Sinceramente o universo do teatro não é algo que desperte o meu interesse, os ensaios, disputas, egos inflamados... não é algo que eu deseje ter conhecimento, então definitivamente Tolos e Mortais não é pra mim. Abraços!

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir