acompanhe o blog
nas redes sociais

13.1.20

O Conto da Aia: Graphic Novel [Margaret Atwood]

Margaret Atwood
Cortesia da Editora Rocco

Olá, Brasil! Olha eu aqui de novo :)
Sentiram minha falta? Não, né?
Tá tudo bem.

Eu podia tá matando, eu podia tá roubando, eu podia tá botando minhas séries em dia, mas tô aqui (mais uma vez) pra pregar a palavra de The Handmaid’s Tale. Exatamente. Isso mesmo que você leu. Lá vem a chata encher o saco pra vocês lerem esse livro maravilhoso e assistirem a série. É sério. Apenas conheçam essa historia.

E se você estava com preguiça de ler o livro (espero que você não seja esse tipo de pessoa), a linda da Rocco lançou a versão graphic novel da história. E é sobre ela que vamos falar hoje.

Margaret Atwood
Título: O Conto da Aia: Graphic Novel
Autor: Margaret Atwood
Ilustrador: Renée Nault
Tradutor: Ana Deiró
Editora: Rocco
Gênero: Distopia, Drama, HQ
Páginas: 240
Edição:
Ano: 2019
Favorito
Onde comprar: Amazon

Pra começo de conversa, a encadernação está insuportável de tão linda. Os desenhos estão incríveis e conseguiram transmitir o clima da história perfeitamente. O vermelho é o tom predominante nas ilustrações o que combina perfeitamente com todo o tema da historia, porque, não sei se você se lembra, mas as aias usam vermelho.

No mundo de o conto da aia, a maioria das pessoas se tornaram inférteis e as taxas de natalidade diminuíram de forma alarmante graças à poluição, a doenças sexualmente transmissíveis e a métodos contraceptivos. Pouquíssimas crianças chegam a nascer, boa parte das que nascem tem algum tipo de deformação. Então, um grupo fundamentalista politico-religioso, assume o poder através de um golpe de Estado com a desculpa de fazer com que a sociedade retorne a “tempos mais prósperos”.


Nesse futuro (não tão distópico assim, diga-se de passagem), os Estados Unidos se tonaram um Estado teocrático totalitário, no qual as mulheres perdem todos os direitos e são divididas em castas de acordo com a função que desempenham na sociedade: as Esposas casadas com os Comandantes ou outros funcionários de alta patente, as Marthas que desempenham funções de domésticas, as Aias que nas palavras da personagem principal não passam de “úteros com pernas", as Econoesposas que desempenham funções das três castas anteriores (são casadas com homens menos importantes que não podem se dar ao luxo de ter Aias e Marthas) e as Tias responsáveis pelo treinamento das aias.

Como as mulheres férteis agora são raríssimas, as poucas restantes são tomadas pelo estado e transformadas em Aias, mulheres cuja única finalidade é a reprodução. Essas mulheres passam por uma espécie de treinamento/lavagem cerebral para aprender como se comportar nessa nova sociedade. Depois de treinadas elas são designadas para servir nas casas dos comandantes e dar-lhes os filhos que as Esposas não podem. O nome de uma Aia é determinado pela preposição “of” (no português “de”) + o nome do Comandante a serviço do qual ela está.

A graphic novel, assim como o livro, é perturbadora, visceral e assustadoramente próxima da realidade. Claro que se trata de uma distopia e alguns aspectos são exagerados, mas a base do pensamento fundamentalista já está entre nós. Ou talvez sempre tenha estado.


Enfim, leitura recomendadíssima, mesmo pra quem já leu o livro. Não sei vocês mas sempre acho interessante quando as obras que eu gosto são adaptadas pra outros formatos e mídias.

Eu vou ficando por aqui. Te desejo ótimas leituras e que você continue voltando aqui no blog pra dar uma olhada nas nossas recomendações.
Um abraço e até a próxima.

Se você quiser conhecer um pouco sobre o livro original, clique na capa para ler a resenha:


comentários pelo facebook:

7 comentários em "O Conto da Aia: Graphic Novel [Margaret Atwood]"

  1. O livro já está na aqui nas metas que coloquei para este ano e prometi a mim mesma que não demorarei para ler!
    A Graphic está uma coisa de doido e claro que quero demais me sentir incomodada também com ela e as ilustrações!
    Agora a série...o que falar dela?? Estou já aqui na expectativa da próxima temporada e é realmente uma das mais elogiadas de todos os tempos.
    Quem não viu, não faz ideia do que está perdendo!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Andressa!
    Não tive oportunidade de ler o livro, mas pude assistir alguns capítulos da série, mas não dei continuidade, achei muito violento e tão chocante que não consegui continuar.
    Bom ver que na HQ tem todas as ilustrações e mesmo que sejam chocantes também, deve ser uma leitura tensa.
    Vejo que muitas pessoas gostam do plot, quem sabe um dia consiga ler...
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir

  3. Uma GN bem que nos mostra o perigo de uma sociedade extremamente machista e onde a Religião tem imenso poder em cima do estado.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Que resenha mais empolgante.
    Eu ainda não li O conto da aia, mas pretendo fazer isso ainda esse ano.
    Rocco arrasou na Hq, e acho que vale a pena ler depois do livro.
    As ilustrações estão impactantes.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá Andressa!
    Que bacana esse versão em HQ, tão colorida e cheia de vida. Uma ótima opção para conquistar os não tão adeptos ao mundo literário. Confesso que ainda não li nada da autora (pretendo fazê-lo esse ano, coloquei como meta de leitura) e esse livro em especial tem uma trama bem impactante, embora ache que irei me revoltar pouco com esse tratamento destinado às mulheres. Vou conferir a série também.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Confesso que apesar de ja ter ouvido falar sobre a série não sabia do que se tratava, sua resenha me deixou curiosíssima, muito interessante esse enredo, e acho que é uma leitura ótima para reflexão. Essa graphic novel dispensa comentários as ilustrações são simplesmente lindíssimas.

    ResponderExcluir
  7. Olá! Ainda não tive oportunidade de ler essa história, e essa nova versão me deixou mais tentada, acho que as imagens vão fazer a história ser ainda mais intensa do que ela já é, e mais interessante, realmente preciso fazer essas leituras o mais breve possível.

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir