acompanhe o blog
nas redes sociais

14.9.20

O Pecado de Lady Isabel [Mrs. Henry Wood]

Mrs. Henry Wood

Clube de Leitores Pedrazul

A leitura de clássicos me proporciona um prazer diferenciado, me sinto privilegiada quando estou lendo algo que foi publicado originalmente em 1853. Na leitura de O Pecado de Lady Isabel, um forte sentimento de "tudo continua como sempre foi" me atingiu, pois foi muito fácil transcrever os sentimentos que permeavam os personagens na época para os tempos atuais. Lendo a resenha você vai me entender melhor.

Tornando-me assinante do Clube de Leitores Pedrazul, que a cada dois meses me envia uma caixinha surpresa com um livro, preferencialmente clássicos ingleses inéditos, juntamente com um brinde surpresa e marcadores, estou tendo uma oportunidade única de conhecer novos clássicos. E o segundo livro que li foi O Pecado de Lady Isabel de Mrs. Henry Wood, que segundo a carta que sempre acompanha as caixinhas, nasceu Ellen Price e usava o nome do marido, prática comum na época.

O Pecado de Lady Isabel
Título: O Pecado de Lady Isabel
Título Original: East Lynne
Autor: Mrs. Henry Wood
Tradutor: Catharina Schnell
Editora: Pedrazul
Gênero: Romance
Páginas: 448
Primeira Edição: Londres, 1853
Favorito
Onde comprar: Clube de Leitores Pedrazul

Primeiro quero dizer que Lady Isabel, ao meu ver, não é a personagem principal do livro, isso é um engano que o título nos leva a cometer. O personagem principal do livro é Mr. Carlyle, morador de East Lynne, onde toda a trama se desenrola. Mr. Carlyle é o homem mais admirável pelo qual já me deparei em romances, sua índole é impecável e seu caráter irrepreensível, além de possuir um coração de ouro. Enfim, difícil algum outro se equiparar a ele. Infelizmente Lady Isabel demorou um pouquinho para dar o devido valor ao seu marido.

Os caminhos de Mr. Carlyle e Lady Isabel não poderiam ser mais distintos, ele um advogado, ela, uma Lady, bem acima dele na escala social. Entretanto seus caminhos se cruzam pela primeira vez quando Mr. Carlyle visita o conde de Mount Severn, pai de Lady Isabel, com o intuito de comprar sua bela propriedade em East Lynne. O conde, já falido, devido as extravagâncias passadas, confessa a Mr. Carlyle que sua filha ficará na miséria depois de sua morte.

“- (...) Eu já estava no fundo da minha carreira de extravagância e nenhum de nós pensou em fazer provisões para nossos futuros filhos; ou, se pensamos nisso, não o fizemos. Há um velho ditado, Mr. Carlyle, de que o que pode ser feito a qualquer momento nunca é feito.”

Neste trecho já senti uma forte conexão com a escrita da autora, principalmente porque eu sempre deixo para depois o que "pode ser feito a qualquer momento".

Mr. Carlyle, diga-se de passagem, um homem de ótima aparência, fica impactado com a extraordinária beleza de Lady Isabel, que quase tirou seus sentidos quando a viu pela primeira vez, mas sabe que mesmo sendo um advogado bem sucedido, nunca lhe seria permitido casar-se com uma lady. Como ninguém manda no destino, quis esse tornar o impossível possível, e Mr. Carlyle tem a chance de pedi-la em casamento, sendo agraciado com o "sim" da formosa lady.

É a partir daí que a trama se desenrola. Parece simples, né? Mas não é. Em East Lynne, cidade onde é muito bem-conceituado, Mr. Carlyle tem uma admiradora, a também bela Bárbara Hare, que nutre uma paixão pelo nosso jovem mocinho. Sem mais possibilidade de conquista-lo, Bárbara mantém sua amizade com Mr. Carlyle, e este é seu confidente para a tragédia que abateu sobre sua casa, pois seu irmão amado, agora é foragida da lei, depois de ser acusado de assassinato. O irmão de Bárbara jura que é inocente, mas só ela acredita e luta para provar sua inocência, com a ajuda de Mr. Carlyle, claro.

A autora mantem sua narrativa em terceira pessoa, ela conversa literalmente com o leitor, muitas vezes nos adiantando fatos ou mesmo defendendo uma determinada atitude de algum dos seus personagens. Sua história contém muito mais que um simples romance, o mistério é igualmente atraente, além de grandes reviravoltas, sem mencionar o fato que nestes clássicos a riqueza com que cada um dos personagens é criado é sempre impressionante.

“(...) ela abriu uma brecha e, quando brechas são abertas, uma semente latente brota novamente. Caro leitor, nesses casos, os ramos crescem e tomam, de assalto, corpo, alma e espírito. Esses ramos são tão extraordinários que trazem com eles outras ervas daninhas e a pior delas é a culpa.”

Particularmente não atirei pedra em quase nenhum dos personagens (só não consegui perdoar o vilão), todos têm seus defeitos, alguns dos quais me identifiquei, outros não, mas conhecendo um pouco mais da vida, sei que são bem passíveis de acontecer. O pior foi o profundo arrependimento que acometeu alguns dos personagens depois de atitudes tomadas de "cabeça quente". E isso foi um grande aprendizado, pense muito antes de tomar qualquer atitude importante, pois algumas delas podem ser irreversíveis.

Tenho muito, mas muito mais a dizer sobre esta leitura, contudo para evitar qualquer tipo de spoiler, vou parar por aqui. Há, caso venha a ler este exemplar, não leia a contracapa, possui muitos spoilers que podem estragar algumas surpresas do livro.

O Pecado de Lady Isabel, ou East Lynne, fez Mrs. Henry Wood famosa no mundo todo e muitos de seus livros tornaram-se best-sellers internacionais. Leitura recomendadíssima.

Se você quiser conhecer um pouco sobre o livro anterior do Clube de Leitores Pedrazul, clique na capa para ler a resenha:


19 comentários em "O Pecado de Lady Isabel [Mrs. Henry Wood]"

  1. Eu fico de queixo quando você mostra essas caixinhas de sonhos no Insta. Cada uma mais linda que a outra.
    O trabalho da Editora é perfeito demais e isso de sempre presentear o leitor com um clássico do porte que ela traz, é sempre maravilhoso!
    Há quem torça o nariz para os grandes clássicos, eu? Amo..apesar de sim, estar em falta! rs
    E por tudo que li acima, o "casal" faz muito jus a época e já estou na torcida!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/ O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. Oi, oi!

    Tô me sentindo um peixe fora d'água, porque nunca ouvi falar desse livro. Hahaha Acredito que já comentei em outro post que esse gênero não está muito presente entre as minhas leituras, mas é algo que quero experimentar, principalmente porque tenho uma impressão de futilidade em romances históricos, então meio que pretendo ler para tirar minhas conclusões. Achei sua caixinha muito caprichada, hein?
    Fiquei feliz que o mocinho é decente, porque isso é algo raro de se encontrar nos romances, quase sempre tem algum relacionamento problemático ou tóxico. E ah, muito importante seu aviso! Onde já se viu dar spoilers na sinopse do livro, né?

    ResponderExcluir
  3. Oi, Gisela! Conheço alguns clubes de leitura, mas esse eu ainda não tinha ouvido falar. O livro tbm é desconhecido para mim. Apesar de não curtir tanto o gênero, me agradou saber que a autora não se prendeu somente ao romance, dando espaço tbm ao mistério e reviravoltas.

    ResponderExcluir
  4. A Pedrazul sempre arrasando, não me canso de dizer.
    Sou fã de carteirinha da editora.
    Conheci a obra através das redes sociais da editora.
    É uma história bem interessante e diferente dos Clássicos que vimos por aí

    ResponderExcluir
  5. Gi!
    Já conhecia o Clube da Pedra Azul e pelo visto, traz sempre clássicos deliciosos de seres lidos.
    Não conhecia a autora e o livro, entretanto, a curiosidade que fiquei com sua resenha, foi grande , confesso.
    Gostaria de saber mais sobre os segredos, as reviravoltas e os arrependimentos.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Ah, deve ser uma delícia receber essas caixinhas hein. Os clássicos são mesmo memoráveis e que bom que você está tendo a chance de fazer essas leituras. Adorei ler a resenha desse livro, ainda mais de algo que eu gosto tanto, esse ar de romance histórico.

    ResponderExcluir
  7. Que legal, não havia pensado por esse lado de ler algo que foi publicado há muitos anos atrás, é realmente um privilégio. Também gosto muito de romances de época, inclusive, já quis ler esse do professor. Não conhecia a autora, gostei do aprendizado que você tirou do livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá, Gisela

    Eu não conhecia nem esse Clube do livro, nem esse livro KKKKK
    Achei bem bacana o clube, só queria ter dinheiro pra assinar :/
    Não gostei muito da capa, mas entendo que é um clássico.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá! As capas dos livros dessa caixinha são sempre tão lindas, achei o enredo muito bacana, acredito que realizar a leitura desse gênero é muito gratificante, afinal são livros que foram escritos há bastante tempo, mas que de uma maneira ou de outra continuam bastante atuais, e podem nos ensinar muito.

    ResponderExcluir
  10. Olá Gisela!
    Que bom conhecer novos nomes (para mim, no caso rsrsrsrs) do romance de época, pois geralmente a gente sempre tem contato com aquele miolo conhecido de autoras do gênero (sim, estou falando de Julia Quinn e derivados rsrsrsrs).
    E aqui o romance parece ser bem tradicional, mas não deixa de ser construído de forma satisfatória para o leitor (afinal de contas Wood viveu a época para nos contar exatamente como era).
    Além disso, essa mensagem deixada de que precisamos pensar mais antes de agir não poderia ser mais válida. Porque arrependimentos por algo dito ou feito às pressas é o que a gente mais tem.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Deve ser muito legal fazer parte de um clube tão exclusivo, tendo acesso aos livros com o gênero que a gente mais gosta de ler, né?
    Gostei muito da sua resenha. Nunca tinha visto nada da autora. Mas fiquei curiosa com os livros dela. Adoro romances de época.

    ResponderExcluir
  12. Olá Gisela!
    Realmente é um clássico muito atual, pois ainda há preconceito entre relacionamentos entre pessoas de diferentes esferas sociais. Eu não conhecia a autora, mas já gostei desse estilo de conversar com o leitor. E quanta reflexão a história nos faz ter, eu também costumo deixar as coisas menos importantes de lado, postergando até o último minuto rsrs. Estou adorando as resenhas dos livros do clube Pedra Azul.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Clube pedra azul novamente, gosto muito.
    Vai ficar muito repetitivo, se em todos comentários de todas as publicações eu falar que não gosto de romance de época.
    Esses livros trazem muitos ensinamentos, por ser de épocas diferentes. E se trata-se de diferenças sociais.

    ResponderExcluir
  14. Esse livro é um clássico que eu nunca ouvi falar, mas ele tem uma história muito interessante. E o que pelo percebi pela resenha o livro é bem desenvolvido, trazendo ao leitor algum aprendizado.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Gi
    A editora está caprichando nessas edições com capas lindas e cores vivas.
    O legal dessa caixa que são clássicos que não temos acesso.
    A trama tem uma quantidade boa de personagens com seus dilemas e alguns procurando amor. Também deixo muitas coisas para a última hora.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Sabe que eu tenho o mesmo sentimento sobre clássicos? Surreal ter em mãos uma obra que foi escrita em outro século.
    Amei sua resenha, suas palavras são empolgantes, dá para sentir o quanto curtiu fazer essa leitura. Eu gostei muito da premissa, tanto que até me pergunto porquê esse livro não é tão conhecido.

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Esse clube de leitores parece ser bem legal e traz muitas coisas boas. A capa desse livro é muito linda e a história bem interessante. Não conhecia esse livro, mesmo sendo um clássico, acho que talvez não tenha tanta divulgação. Gostaria de ler esse livro e conhecer o clube do livro.

    ResponderExcluir
  18. ola Gisela
    gostei muito de sua resenha especialmente quando voce diz que não jogou pedra em todos os personagens e que por conhecer mais da vida soube compreende-lo ,estou nesse processo de ler um livro e procurar entender os personagens ,não fico esperando perfeiçao .logico que tem coisas que não podemos dispensar em persoangens como por exemplo o respeito .Não conhenia esse livro mas fiquei com muita vontade de ler .

    ResponderExcluir
  19. Oi, Gisela!
    Acho tão frustrante e injusto quando o/a protagonista não recebe o seu devido valor do seu par, já antipatizei de cara com Isabel rsrs.
    Não conhecia o clássico O Pecado de Lady Isabel, se a oportunidade surgir arriscarei a leitura sim! Abraços!

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir