acompanhe o blog
nas redes sociais

5.10.16

Achados e Perdidos, Vol. 02 - Trilogia Bill Hodges [Stephen King]

Stephen King
Ed. Suma de Letras, 2016 - 352  páginas:
     “— Acorda, gênio.” Assim King começa a história de Morris Bellamy. O gênio é John Rothstein, um autor consagrado que há muito abandonou o mundo literário. Bellamy é seu maior fã — e seu maior crítico. Inconformado com o fim que o autor deu a seu personagem favorito, ele invade a casa de Rothstein e rouba os cadernos com produções inéditas do escritor, antes de matá-lo. Morris esconde os cadernos pouco antes de ser preso por outro crime. Décadas depois, é Peter Saubers, um garoto de treze anos, quem encontra o tesouro enterrado. Quando Morris é solto da prisão, depois de trinta e cinco anos, toda a família Saubers fica em perigo. Cabe ao ex-detetive Bill Hodges e a seus ajudantes, Holly e Jerome, protegê-los de um assassino agora ainda mais perigoso e vingativo.

Onde comprar:

A identificação fúnebre do leitor

Cá estou novamente para falar de ninguém menos que Stephen King. Não há como negar que ele está entre meus escritores preferidos, já disse isso inúmeras vezes (e não sou só eu, mais da metade da população leitora do universo pensa da mesma forma). Então sempre espero muito, mas muito mesmo do mestre!

No livro Achados e perdidos (Suma de Letras, 352 páginas), o segundo livro da “Trilogia Bill Hodges”, a editora continua com o mesmo trabalho editorial, no mínimo caprichado, no máximo belíssimo, embora eu tenha algumas ressalvas quanto a escolha do título, que no original “Finders Keepers”, a grosso modo corresponderia ao nosso “achado não é roubado”.

Mas nada disso estraga a magia de ter um livro do mestre nas mãos. Então parti para a leitura com o entusiasmo lá em cima. E vou logo dizendo para não criar expectativas – quem está atrás do sobrenatural ou de um bom romance policial, esqueça! Pronto falei.

O livro apenas flerta com o policial, o policial clássico. É um livro estilo King (inclassificável) sobre pessoas comuns (algumas um tanto alucinadas) arremessadas no olho do furacão e a consequência disso. Simples assim.

Quem já leu Angústia (Misery) do próprio King, que virou um filme inquietante e deu à Kathy Bates o prêmio de melhor atriz no Oscar de 1991, sabe como um fã pode tornar-se perigoso quando é contrariado pelo escritor.

King retorna aos seus fantasmas e novamente coloca fã e escritor em lados opostos do ring. Morris é o fã que por causa de algumas circunstâncias (a principal delas o desvio que seu personagem favorito, Jimmy, sofre no último livro, personagem o qual ele se identifica) e uns parafusos a menos, junto a dois comparsas, decide fazer uma visitinha a John Rothstein, o autor idolatrado. E assim inicia-se o livro:

“— Acorde, gênio.”

Morris, mascarado, dirige-se a Rothstein, dando início ao martírio do escritor que redundará em sua morte. Não se preocupem, não é spoiler, é o início do livro e está na orelha também, é apenas o gatilho para o que vem depois.

O fã rouba os inúmeros envelopes recheados de dinheiro de dentro de um cofre do escritor e, para sua alegria, cadernos com produções ainda inéditas. Sua curiosidade é tanta que ele abre um dos cadernos e se depara com histórias não contadas de Jimmy:

“... não sabia por que aquilo importava tanto para ele e por que não conseguia dormir enquanto o vagão vazio do trem noturno o levava pelo esquecimento rural, na direção de Kansas City e do campo adormecido além dela, a barriga cheia dos Estados Unidos descansando sob o edredom prosaico da noite, mas os pensamentos de Jimmy insistiam em se voltar para...”

O fã fica mais alucinado do que já é ao saber que o autor não havia terminado a história de Jimmy e eu como leitor também, visto que a frase é belíssima, reparem – “a barriga cheia dos Estados Unidos descansando sob o edredom prosaico da noite”. Adoro frases bem construídas, ainda mais em metalinguagem.

Ele então esconde dinheiro e cadernos e para sua infelicidade é preso por outro crime:

“Mais tarde, novamente encarcerado (não na detenção juvenil dessa vez), Morris pensaria: Foi nessa hora que decidi matá-los.”

Outra coisa que me encanta na escrita de King é como ele pode nos deixar ligados adiantando o final de algumas personagens, como fez acima. Ficamos loucos tentando saber o que vai acontecer, se nossas teorias estão corretas.

Décadas mais tarde, com Morris ainda preso, quem encontra o tesouro enterrado é o jovem garoto Peter Saubers e ele dá utilidade ao dinheiro, mas fica em dúvida sobre o que fazer com os cadernos, até que tem uma ideia:

“Peter ficou deitado sem conseguir dormir por bastante tempo naquela noite. Pouco tempo depois, cometeu o maior erro de sua vida.”

Pronto, mais uma vez somos picados pelo desejo de saber o que acontecerá com o jovem Peter, qual será a cagada da vez. E pra piorar sua situação, após trinta e cinco anos de cadeia, humilhação e muito sofrimento, como um São Capistrano às avessas, Morris sai da prisão e parte em busca de seu tesouro. Agora danou-se!

Antes recebe um conselho de Ellis McFarland, o oficial que cuida de sua condicional:

“— Vou dizer uma coisa que dezoito anos nesse emprego me ensinaram. Há apenas dois tipos de ex-presidiários: os lobos e os cordeiros. Você é velho demais para ser um lobo, mas não tenho certeza absoluta se sabe disso. Você pode não ter internalizado, como dizem os psicólogos. Não sei que merda está planejando, talvez não seja nada além de roubar clipes de papel do almoxarifado, mas, seja lá o que for, é melhor esquecer. Você está velho demais para uivar e ainda mais para correr.”

O que o oficial não sabe é que os lobos têm hábitos noturnos e é um predador nato. Cabe ao ex-detetive de polícia Bill Hodges e seus companheiros Holly e Jerome, protegerem Peter e sua família, sem cometerem o mesmo erro do passado que ceifou prematuramente a vida da amada de Bill, irmã de Holly.

É dado início à caçada ao predador e haverá muito sangue derramado.

Podemos observar que o núcleo da história é pequeno, quase uma novela. As histórias do primeiro livro e deste apenas se tocam. Só ganham contornos de uma continuação bem no finalzinho. Pra ser sincero, talvez este livro nem precisasse existir, pois o confronto real se dará no terceiro e derradeiro livro entre Bill Hodges e o redivivo Brady (assassino do Mercedes), o vilão do primeiro livro.

Mas King sempre tem algo na manga e espero que ligue esta história de alguma forma ao final. Além do mais é muito bom ver como se desenvolvem as personagens Morris e Peter Saubers desde a infância. É uma aula do mestre e vale a pena ser lido!

Clique sobra a capa para ler a resenha do livro anterior:


 Cortesia da Editora Companhia das Letras
Rodolfo Luiz Euflauzino
Ciumento por natureza, descobri-me por amor aos livros, então os tenho em alta conta. Revelam aquilo que está soterrado em meu subconsciente e por isso o escorpiano em mim vive em constante penitência, sem jamais se dar por vencido. Culpa dos livros!
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

41 comentários em "Achados e Perdidos, Vol. 02 - Trilogia Bill Hodges [Stephen King]"

  1. Nossa, essa história parece ser bem impactante, não é? Ouço muito falar sobre essa trilogia, e não vejo a hora de conhecer. Ganhei o primeiro livro em um sorteio, então em breve eu devo estar começando a leitura, assim que chegar. Gostei muito da sua resenha, muito completinha, e os quotes que voc~e separou foram muito bem selecionados.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Só de você dizer que é um livro inclassificável, já me deixou louca pra ler. Sério. Adoro isso. E King é maravilhoso! Não tem como não desejar muito essa leitura.

    Amei a resenha!!

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  3. Caro Rodolfo, adorei sua resenha sobre o M. Mercedes e esta continuação parece ser bem interessante também! Trilogia do mestre King deve ser o maximo, se um livro dele a gente ja quer que vire 2, pensa com 3 livros nossa, so leria se ja tivesse os 3 livros pertinhos de mim rs...É muita judiação nao saber o final de toda essa trama! É muito bom saber que Stephen King continua na ativa e nos trazendo obras brilhantes e maravilhosas, se aventurando por um estilo diferente do tradicional e mostrando que é um gênio em vários estilos. Tenho certeza que o King nao nos decepciona. Parabéns pela resenha!!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi.
    Eu quero muito conhecer a escrita do Stephen, mas ainda não tive oportunidade, eu amei a resenha do primeiro livro, Stephen parece ser genial na sua escrita, as capas são divina e não vejo a hora de desfrutar dessa trilogia.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  5. Até hoje não li nada do Stephen King, não por não querer, mas por falta de oportunidades. E mesmo que Achados e Perdidos não tenha sido o melhor da carreira dele, eu gostaria de ler, pois é parte da trilogia, e acho que seria uma boa leitura. Mas provavelmente esses não serão os primeiros que lerei do autor, pois tenho outros em mente.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  6. Olá Rodolfo!!
    Como você já sabe,eu li esse livro faz apenas uma semana.
    Você com sua resenha conseguiu encontrar as palavras que eu não consegui
    pra expressar sobre esse livro:vi muitas críticas sobre o livro dizendo que a trama policial é fraca(eu mesmo disse isso na resenha que fiz de Mr.Mercedes) e você soube explicar certinho o que eu não consegui:não é um romance policial.Como você disse é estilo King;inclassificável.Até por que o King escreve sobre sobrenatural etc,mas o que ele é mestre mesmo é escrever sobre pessoas.E isso ele faz com maestria não só nesse livro mas em qualquer outro.Eu estou até agora tentando entender Morris Belamy.Ainda não cheguei à uma conclusão sobre ele.Achei que Bill Hodges e Cia apareceram bem pouco nesse livro.Mas pode ter certeza que tudo vai se entrelaçar em Último Turno.Parabéns pela resenha.Vamos torcer para que o último livro seja tão bom quanto esses dois primeiros.Grande abraço!

    ResponderExcluir
  7. Gente!! ahhhhhhhhhhhhhhh
    Eu amo o King e tipo essa trilogia é maravilhosa!
    Eu ainda não tinha lido livros desse gênero, mas o King me pegou de jeito.
    Comecei a ler Mr. Mercedes e não larguei mais.
    Já li esse também e estou super doida para comprar o último.
    Tenho certeza que será incrível!

    ResponderExcluir
  8. Rodolfo querido!
    Não tem como não gostar do King, né?
    E tenho notado a diversidade em sua forma de escrita durante os últimos livros, me parece que ele anda querendo 'abocanhar' outra fatia do mercado, não apenas os fãs do terror.
    Sua resenha como sempre me dá a impressão exata do que encontrarei no livro, sem contar com suas impressões e analise precisas sobre o enredo.
    Claro que quero ler.
    “Conhecimento sem transformação não é sabedoria.” (Paulo Coelho)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de OUTUBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  9. Meu caro amigo, aqui estamos mais uma vez diante do seu escritor preferido (ainda que existam outros, sempre lembrarei de vc ao ler uma capa de King). Entendo quando vc diz que este livro intermediário tem seu valor, embora pareça desnecessário quando o primeiro foi tão bom e o próximo só tem a prometer. Acho que por isso não aprecio séries. Foi assim comigo no Cemitério dos Livros Esquecidos, sem dúvida alguma Zafón fez brilhar tanto A Sombra que os outros perderam força.
    Algo me prendeu nesta resenha: a menção a Misery - o livro que ainda teimo em me iniciar no universo king, vi o filme e já sofri o suficiente lá, tenho medo do livro, mas a coisa me chama. Essa coisa do fanatismo parece mesmo coisa de livro, de filme, mas vira e mexe esses malucos surgem e causam tragédias. Acho que é um bom mote para um bom contador de histórias e foi essa a sensação que tive lendo sua resenha...
    Espero mesmo que o próximo traga tudo que um leitor e fã mereça, todo o requinte do arsenal de Stephen King para coroar uma saga que perdeu a força, mas não deixou de destruir e arrasar corações.
    Beijo, excelente resenha sempre!

    ResponderExcluir
  10. Olá!! King é King, não tem como não se interessar pelas obras dle. Prende a gte de uma maneira, q só quem já leu pra saber a sensação d qrer sempre mais e mais de suas histórias...
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. OLá1
    Eu me encaixo na "metade da população leitora do universo" que aprecia os livros do Sr King. Também não nego!! rsrs
    Preciso ler essa série, preciso mesmo. Livros que envolve fãs e celebridades, sejam elas atores, escritores, cantores, todos correm perigo quando se trata de fãs obcecados e um tanto extravagantes. Esses tipos de livros sempre me agarram pelo pé e me fascinam. E o fato de ser escrito por Tio King, a coisa fica ainda melhor.
    Louca pra leeeeeeeer!!!
    Bjocas
    Ni

    ResponderExcluir
  12. Oi, Rodolfo!
    Estou louca por essa trilogia. Tenho lido resenhas que falam tão bem das obras, assim como a sua, que cada vez fico mais ansiosa para ler. Adoro a escrita de King, apesar de ter lido, atá hoje, muito pouco dele. Mas pretendo ler muitos outros livros desse mestre e essa trilogia já está na lista. Sua resenha está ótima. Obrigada. Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Rodolfo, pode ter certeza que essa série irei comprar por sua causa. São tantos elogios bons que não tenho como escapar mais. Comprei do King recentemente It e to louco pra ler. Quero ler ainda este ano, mas não sei se dará tempo de aguentar mais de 1000 páginas de uma vez só. King está se tornando pra mim algo a ser seguido adiante e apenas na direção deste. Todos falam maravilhas, e apenas por ter lido apenas um livro dele Sob a Redoma, e ter achado sensacional, não conseguir ainda encontrar o terror que todos falam. Estou lendo tanta coisa a respeito deste autor, que Cemiterio, O Iluminado, e outros mais irão fazer parte de minha estante em breve. Essa trilogia do Bill Hodgers já me interessa por ser policial e ser do king, e já que o cara é fera... Belissima resenha amigão, e mais uma vez me fazendo gastar dinheiro. kkkk

    ResponderExcluir
  14. Já li o primeiro,se tiver oportunidade pretendo continuar a Trilogia Bill Hodges,embora nesse segundo não vi pontos surpreendentes na narrativa,vou esperar sua resenha do último,Rodolfo!
    É,o título traduzido literalmente perdeu um pouco o sentido central da história.

    ResponderExcluir
  15. Rodolfo, sua resenha está simplesmente perfeita.
    Li o primeiro livro e gostei bastante. Estava com a expectativa bem alta para esse segundo; foi bom ser avisado que ele não é exatamente o que estava imaginando, assim não me decepcionarei.
    Uma pena, porém, que esse livro não "precisaria existir", devido ao seu desenvolvimento. Ainda assim, quero conferir. King é King, sem mais.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de outro. Serão dois vencedores, dividindo 5 livros.

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bom?
    Gostei muito da resenha, gente até hoje não li nenhum livro do King, mas sempre vejo muitos elogios, e confesso que fiquei muito interessada, pois gostaria muito de ver essa coisa de autor e leitor no mesmo ring, creio que irei gostar.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  17. King realmente é um autor e tanto. Consegue transitar em vários gêneros e histórias e sempre se da bem em todas elas. Gosto muitos desses enredos que aparentemente são comuns e que depois de surpreendem. Quero muito ler essa trilogia e espero conseguir em breve.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura || Participe do top comentarista e concorra por um livro a sua escolha.

    ResponderExcluir
  18. Curto romance policial mas ainda não li nenhum livro do mestre Stephen King, mas espero remediar isso futuramente...

    Quanto a Achados e Perdidos, fiquei curiosa para saber o que irá acontecer com todos esses personagens e como o King irá ligar essa história com o último volume dessa trilogia...

    ResponderExcluir
  19. Primeiramente, é King, então é desejado! Segundo, amei muito que os livros tenham pouco em comum e permitam a leitura fora de ordem (isso eu deduzi), já que estava com medo de pegar muitos spoilers aqui. Achei o início muito parecido com Misery, mas foi justamente a parte da prisão e a caça aos Saubers que achei interessante. Quero muito saber o que o Peter fez no fim das contas e como o Morris vai agir em relação a tudo isso.

    ResponderExcluir
  20. Oi!
    Estou doida para ler algo do Stephen King, mas achei bem legal essa confiança que se tem no King da qual nos faz sempre esperar mais desse autor e ele parece sempre surpreender o leitor, já tinha visto outro livro dessa Trilogia mas para mim era um livro único, mas achei interessante esse formada, me deixando curiosa para saber mais sobre os outros livros !!

    ResponderExcluir
  21. Rodolfo
    Euflauzino imagino que no último livro você verá que este foi importante para a trama como um todo. Por enquanto só estou acompanhando a trilogia pelos seus olhos, mas a editora lançou rapidamente os livros e assim o leitor não necessita ficar eternamente esperando a continuação e isso é muito bom.
    Aguardo então ansiosa a última resenha.
    abraços
    Gisela
    www.lerparadivertir.com

    ResponderExcluir
  22. Gosto muito dos livros do King, principalmente pela maneira como ele constrói a história. Tenho percebido nos livros que li dele que as histórias são muito mais um suspense com pessoas comuns e seus conflitos, do que o sobrenatural ou terror em si, e isso me agrada muito. Essa trilogia sempre me deixou bem curiosa desde o primeiro livro e desejo muito lê-la.

    ResponderExcluir
  23. Gosto muito dos livros do King, principalmente pela maneira como ele constrói a história. Tenho percebido nos livros que li dele que as histórias são muito mais um suspense com pessoas comuns e seus conflitos, do que o sobrenatural ou terror em si, e isso me agrada muito. Essa trilogia sempre me deixou bem curiosa desde o primeiro livro e desejo muito lê-la.

    ResponderExcluir
  24. Ainda não li nenhum livro do King, mas quero muito. Quando vi o lançamento desta série fiquei bem curiosa. É uma pena saber que este livro não precisaria existir. Mas como você disse, sempre há um porquê nas obras de King, então quem sabe lá na frente ele terá uma maior importância de sua existência.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  25. Como fã do King estou muito curioso para ler essa série! Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  26. Rodolfo, tenho grandes expectativas para começar a ler esta trilogia e a cada resenha, aumenta a minha ansiedade. A edição está muito bonita e saber que o grande diferencial de King como escritor de romances policiais é que a história não conta com um mistério profundo que deve ser desvendado não apenas pelos personagens envolvidos, mas também pelo leitor, e sim, o contrário, o leitor é o onisciente ao lado do narrador, fazendo com que torçamos para que os caminhos dos personagens sejam os corretos, me intriga completamente. Tenho a certeza que ele me proporcioná uma ótima leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  27. Ainda não li o primeiro, mas já fiquei chateada, porque o escritor morre, que triste, mas agora quem vai sofrer na mão do psicopata é o garoto que achou o tesouro do escritor por assim dizer. Pena que o livro parece não ser um dos melhores, já que não seria necessário, mas vou querer mesmo assim rs.

    ResponderExcluir
  28. King como sempre faz as coisas já pensando uns dez passos à frente. Posso disser que o outro livro vai ter um grande desfecho. Já estou muito curiosa para saber.

    ResponderExcluir
  29. Gostei da mudança/mistura de policial/terror, acho que ele está abrindo novos horizontes nas suas escritas e com certeza será outro gênero que dará certo. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  30. Tenho certeza que o autor ira surpreender no terceiro livro, principalmente porque o primeiro livro, e segundo livro parecem ter histórias diferentes, mas que no entanto se tocam e acabam sendo interligados. Fiquei bastante curiosa para saber qual será o desenrolar da trama.

    ResponderExcluir
  31. Oi, Rodolfo!!
    Sabe quando li a sinopse desse livro, Achados e Perdidos também achei um pouco parecido com a história de Misery outro livro fantástico de King!! Sem dúvida quero muito ler essa Trilogia Bill Hodges!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  32. Oi Rodolfo!
    Apesar da nota que você deu a este segundo livro da trilogia ser bastante baixa, confesso que não desanimei em fazer a leitura. Li em sua resenha muitos pontos que me atraíram, como o suspense e acredito que terei grandes surpresas ao transcorrer na leitura. Adoro essa 'pegada' que o autor tem em seus livros e eu não posso deixar de conferir.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  33. Oláa! Li apenas um livro do autor, O Cemitério, e realmente me chamou a atenção isso, de os personagens serem tão bem construídos, tão bem feitos em suas atormentações. Este parece ser outra leitura incrível, o enredo ótimo e me deixou imediatamente curiosa. Gostei, também, da forma como o autor está criando essa trilogia, é bem diferente de tudo que estou acostumada.

    ResponderExcluir
  34. Doida pra começar a ler essa trilogia, curto muito o mestre Stephen King, parece ser bem envolvente e cada resenha que leio dos livros me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  35. Uma história impactante e cheia de mistério, amo esse tipo de leitura.
    Amei sua resenha.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  36. Esse livro eu tenho, ganhei em um sorteio, mas ainda não li pois estou esperando ter em mãos, os outros dois livros da trilogia. Pelo que venho lendo em resenhas e diversos comentários, ele é tão bom ou melhor ainda que o primeiro livro. Espero poder ler este ano ainda.

    ResponderExcluir
  37. Ótima resenha, estou empolgada em me prender nessa trilogia!

    ResponderExcluir
  38. Se a primera série, me deixou sem palavras provavelmente a segunda deve ser incrivel, então espero poder entender essa historia de ex policial tentando resolver misterio não resolvido, amo historia assim!

    ResponderExcluir
  39. Tão bom quanto o primeiro. Já se tornou uma das minhas trilogias favoritas.

    ResponderExcluir
  40. esperando ter a trilogia completa para começar a ler, mas adorei saber a linha da estoria. sou fã.

    ResponderExcluir
  41. Uma pena que mudem tanto a tradução do título, mas realmente não tira a mágica da obra. Uma pena que não tenha gostado tanto assim do segundo volume da trilogia.
    Mesmo não tendo lido Misery, já li resenhas e lembrei dele na hora quando vi a sinopse hahaha acho que o SK já passou por esse tipo de coisa...

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

siga no instagram @lerparadivertir