acompanhe o blog
nas redes sociais

8.11.19

Americanah [Chimamanda Ngozi Adichie]

Cortesia do Grupo Companhia das Letras

Em 2009, Chimamanda Ngozi Adichie gravou um TED Talk onde falar sobre O Perigo de Uma História Única.
Alguns anos depois, em 2012, quando eu resolvi finalmente compartilhar com algumas pessoas meu sonho de ser escritora, um amigo me enviou o vídeo. Na época, assim como a jovem Chimamanda, quase todas as minhas influências eram estrangeiras (inglesas ou americanas). A única exceção a essa regra eram os dois livros do Érico Veríssimo que eu tinha lido.

Eu pensava em escrever sobre pessoas que morassem em Londres ou Nova York. Sobre natais frios e mulheres que usassem cachecóis. Sobre gente Branca que consegue traçar toda a arvore genealógica até alguma casa europeia ligeiramente nobre. Nunca, até então, tinha me passado pela cabeça escrever uma história sobre alguém de etnia indefinida que frequentasse escola pública e não tivesse uma família de comercial de margarina.

Ouvir Chimamanda contar do próprio processo de se entender como escritora negra mudou uma chavinha na minha cabeça e eu sempre vou ser grata por isso. Mas o tempo passou e Chimamanda caiu naquela lista de “Livros que eu preciso muito ler, mas nunca leio” (não me julgue, aposto uma mariola que você tem uma dessas também) e só agora, em 2019, é que eu finalmente criei vergonha e comecei a ler essa que é uma das autoras mais importantes da nossa geração.

E que maneira linda de começar.

De lá pra cá eu já li outros dois livros da escritora. Um deles foi o livro baseado no TED Talk supracitado, o outro um livro chamado Para Educar Crianças Feministas. Ambos curtinhos e super necessários para os dias em que vivemos.

Título: Americanah
Autor: Chimamanda Ngozi Adichie
Tradutor: Julia Romeu
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Ficção, Literatura Estrangeira, Romance
Páginas: 520
Edição:
Ano: 2014
Onde comprar: Amazon, Submarino

Americanah é tudo que eu podia esperar e mais um pouco. É político, sem ser panfletário e discute assuntos importantíssimos como racismo, valores culturais, pertencimento. Mas também fala das pequenas hipocrisias diárias e sobre ser mulher no século 21. Do ponto de vista de um recorte específico, mas ao mesmo tempo extremamente universal.

Ifemelu é uma blogueira bem sucedida e uma mulher de seu tempo. Mas também é uma nigeriana retornando pra casa depois de mais de uma década vivendo nos EUA. Voltando pra se deparar com o cenário político e social do começo dos anos 2000, mas também para encontrar a si mesmas e rever um grande amor do passado.

“A Nigéria passou a ser o lugar onde Ifemelu deveria estar, o único lugar onde poderia fincar suas raízes sem sentir a vontade constante de arrancá-las de novo e sacudir a terra. E, é claro, também havia Obinze. O primeiro homem que ela amou, o primeiro com quem fez amor, a única pessoa para quem nunca tinha sentido necessidade de se explicar.”

O que eu mais gosto sobre Ifemelu é que ela não é uma mulher perfeita. A personagem é repleta de pequenas hipocrisias e tons de cinza que a humanizam e lhe adicionam camadas de realidade. Ela é tão humana que várias vezes durante a leitura, eu a detestei.

Americanah é uma história de amor moderna e atual que tem como pano de fundo uma Nigéria em processo de transição e que trata de forma delicada temas importantíssimos. Eu recomendo veementemente a leitura não só desse livro como das outras obras da autora. Conhecer realidades diferentes da nossa é sempre enriquecedor e que maneira melhor de se fazer isso do que acompanhando as idas e vindas de uma linda historia de amor?

comentários pelo facebook:

8 comentários em "Americanah [Chimamanda Ngozi Adichie]"

  1. Chimamanda vem alcançando um lugarzinho privilegiado nos corações dos leitores. Por apresentar essas obras como se fossem gritos silenciosos, sem parece a chata da palavra ou apenas a "feministazinha".
    Tudo que a mulher escreve é com propriedade e isso é maravilhoso. Cutuca certinho, dói onde tem que doer e pelo que li acima, mais uma vez, ela foi onde queria ter ido.
    Ainda não conhecia essa obra da autora, mas com certeza, já quero demais conhecer!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Chimamanda escreve sobre assuntos necessários e ainda tabus em nossa sociedade. Mas com sua escrita fluida e tocante tem conquistado o merecido destaque e carinho dos leitores.
    Americanah é uma história que se passa em um lugar problemático, cheio de conflitos mas ainda assim é sobre recomeçar, esperança e não desistir.

    ResponderExcluir
  3. Olá Andressa!
    Americanah está na minha lista de desejados há bastante tempo, mas pelo preço elevado da obra eu ainda não tive a oportunidade de conhecer essa história, que sem duvidas possui muitos elementos para posterior reflexão.
    Gosto dessa humanização que a protagonista apresenta, pois ao deixar de seguir uma linha tênue de “pessoa boa” ou “pessoa ruim” Adichie evidência que o ser humano é complexo e cheio de camadas.
    Além disso, a autora parece abordar varias questões envolvendo os problemas que as mulheres enfrentam na sociedade, que são super atuais.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Ah, preciso confessar que Chimamanda está nessa listinha de autoras que preciso ler, mas ainda não li.
    Sei pouco sobre as obras dela, mas o pouco que sei é suficiente pra saber que a mulher é espetacular.
    Sua resenha confirma isso e me instiga ainda mais.
    Os temas são necessários e me chamam muita atenção; e eu amo personagens imperfeitos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Andressa!
    Já o que achei mais interessante é poder apreciar um romance que além de envolver várias temáticas polêmicas é escrito por uma nigeriana. Bom poder ler uma autora fora dos ciclos convencionais: EUA, Inglaterra, Brasil, etc..
    Fantástico! E se a escrita em 3ª pessoa é tão envolvente (talvez porque seja um pouco da autora impresso no livro) melhor ainda.
    Tenho ele aqui e espero ler em breve.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. mt boa indicação, eu já li esse livro que realmente envolve diversas questoes polemicas e tenho mt vontade de ler mais livros da Chimamanda

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  7. Olá! Vai ser muito bacana poder conferir um romance da Chimamanda, principalmente sabendo que teremos nele questões tão importantes como o racismo, e que deixa claro que estamos muito longe de uma sociedade equilibrada e livre de preconceitos, e que essa busca diária para entender melhor e respeitar essas questões é fundamental para dar início a esse processo.

    ResponderExcluir
  8. Com certeza tenho uma lista extensa de escritores que eu preciso ler urgentemente, incluindo a Chimamanda, gostei bastante da proposta desse romance, e como ele nos mostra que estamos bem longe de ser perfeitos, e que não há problema nisso, afinal nos torna mais humanos, mas que devemos que buscar sempre mais conhecimento sobre temas tão importantes.

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir