acompanhe o blog
nas redes sociais

7.7.17

[Bookserie] Engenharia Reversa: Parte XXXIII - A Queda do Gavião

André Luis Almeida Barreto


Engenharia Reversa


Parte XXXIII - A Queda do Gavião


Um silêncio sepulcral toma conta da sala de controle no Ninho do Gavião. Impotentes, os técnicos e soldados apenas observam nos monitores as imensas naves planarem no ar sobre o que restou do outrora poderoso exército de Nova Esperança. Igualmente abalados, os Regentes parecem estar congelados, de olhos fechados, recebendo e processando centenas de milhares de dados que chegam de todos os pontos da cidade.

As câmeras urbanas mostram multidões correndo pelas vias públicas. Milhares de pessoas carregando seus pertences e fugindo em direção aos limites da cidade. Entre as massas, grupos de expurgados atacam cidadãos enquanto outros grupos investem contra os comércios, invadindo estabelecimentos e pilhando. O sistema de comunicação caiu e os guardas abandonaram seus postos, deixando o caos dominar.

Vendo tudo aquilo, os soldados que ficaram na sala de controle revoltam-se. Tentando acalmar sua tropa, o sargento Nunes, deixado no comando pelo coronel Fabrício, dirigi-se aos Regentes:

- Sharem, o que devemos fazer? Quais são suas ordens? - clama o sargento.

Mas os regentes permanecem em silêncio, causando ainda mais inquietação na tropa.

- A culpa é toda deles! - intervém um jovem, apontando para Maestro, Bel e Davi. - Devemos matá-los aqui e agora - exige o rapaz.

Cruzando olhares com o jovem, Bel levanta-se, aproveitando que os soldados baixaram a guarda.

- Eu sinceramente lamento pela cidade de vocês e por seus amigos, mas se os regentes tivessem nos libertado, se o coronel Fabrício tivesse me ouvido, nada disso teria acontecido.

Enfurecido, o rapaz aponta seu rifle para Yagami. Os outros homens, bastante assustados, ficam sem reação. Maestro coloca-se de pé entre Bel e o revoltado, encarando-o:

- Não faça nenhuma besteira, garoto. Já houve muito derramamento de sangue.

- Cabo Edson, abaixe essa arma! - ordena o sargento, aproximando-se do subordinado.

Maestro percebe o suor no rosto do rapaz, que, confuso, olha para os lados esperando pelo apoio de seus camaradas, que hesitam.

O sargento avança contra o soldado. Em um movimento rápido, puxa o rifle das mãos do jovem e rotaciona a arma, então atinge a testa do subordinado com o cabo do rifle. O pancada desequilibra o rapaz, que cai levando as mãos ao rosto.

- Eu mandei você abaixar a arma. Insubordinação não será tolerada! Não é porque nossa cidade foi invadida que vamos abandonar nossos princípios! Somos soldados da Divisão Gavião, e assim seremos até o fim! - diz o sargento encarando o cabo Edson e em seguida voltando-se para a tropa. Alguns soldados, com expressões impetuosas nos rostos, respondem enfaticamente:

- Senhor, com o todo o respeito, a cidade foi perdida.

- Sargento Nunes, temos que sair daqui e proteger nossas famílias!

- Não temos mais nada para defender!

O sargento, um homem bem corpulento, parece crescer ainda mais diante da tropa, encarando um a um com um olhar severo, transmitindo força e decepção.

- Nossa primeira obrigação é para com os regentes! - vocifera Nunes. - Devemos defendê-los até o fim! Vocês são a guarda do Ninho do Gavião, vocês nasceram para isso.

Alguns soldados não gostam da resposta, iniciando uma discussão, mas outros concordam com o sargento, confrontando os revoltosos. Logo, dois grupos conflitantes emergem, sendo o maior formado pelos homens leais. Nunes rapidamente impõe-se, assumindo a liderança:

- Eu entendo vocês, acham que também não tenho família? Acham que também não estou preocupado com eles? Mas vejam, olhem essas imagens - ele aponta para os monitores - nossa sociedade caiu, e a única coisa que pode salvá-la somos nós, nosso ideais, nossa disciplina. Se perdemos isso, a derrota será completa.

Vários opositores gritam contra Nunes, fazendo com que os homens do lado do sargento apontem suas armas contra eles. O sargento coloca-se entre os dois grupos, pedindo calma.

Vendo o tumulto, Davi vagarosamente aproxima-se de Bel e Maestro.

- Pessoal, acho que é nossa chance, nossa última chance de fugir. Se eles brigarem, podemos aproveitar a confusão e dar o fora daqui! É certo que em breve Amanda vai entrar por aquela porta. Mas uma vez lá fora, não faço ideia do que vamos fazer.

- Davi, concordo plenamente. Escute: Bel contactou o Brasil, eles vão enviar uma nave para nos resgatar, uma vez lá fora, só vamos precisar ganhar tempo.

- Finalmente uma boa notícia! - responde Davi, sem querer subindo o tom.

- Ei, cuidado! - diz Bel, olhando séria para o biohacker.

- E por que você não invade logo esses sistemas e causa uma pane? Assim cria uma distração e aí a gente escapa - diz Davi.

- Pensamos em fazer isso, mas eles estão armados, nós não - responde Maestro.

- Mas, Bel, você não consegue destrancar a porta?

- Não dá, Davi, ela é isolada do resto dos sistemas, sem nenhum tipo de conexão. Eu sondei tudo aqui.

Um dos soldados olha de relance para os prisioneiros, notando a conversa, ela aponta a arma para os três cativos movendo-se na direção deles.

-Ei, vocês aí, o que estão tramando? Fiquem quietos! - grita o soldado, atraindo a atenção dos demais, já contidos pelo sargento.

Então, subitamente, um rangido de metal invade a sala. O corpo cilíndrico de Sharem ergue-se no ar. Com seus olhos leitosos e inexpressivos, ela encara os militares, serpenteando de um lado para o outro, sua mera visão faz o tumulto cessar. A voz metálica e gutural vibra pelo ar :

- Bravos filhos de Nova Esperança, seus irmãos honrosamente lutaram para salvar nossa cidade, contudo, perante um inimigo maligno, como heróis pereceram. Agora, a esperança do futuro em vocês reside. Sargento Nunes, eu o promovo a comandante do último comando da Divisão Gavião, e, como única e valorosa missão, para o Marco você deve levar o saber acumulado, o saber reunido desde a primeira geração, e lá uma nova linhagem você deve fundar.

O sargento ajoelha-se, emocionado; técnicos e soldados encaram-se, perplexos. O chão começa a tremer e a base de ferro onde os corpos dos regentes são fixados eleva-se, liberando uma forte luz azul; jatos de fumaça saem por debaixo da estrutura. Os corpos de Baltazar e Gotlieb perdem sustentação e despencam contra o chão. O rosto de Sharem começa a murchar, e seu corpo cilíndrico balança, ameaçando cair.

A base eleva-se ainda mais, ficando a quase um metro do chão, uma plataforma retangular projeta-se para fora dela e, sobre a mesma, um cubo de cristal do tamanho de um tijolo erradia uma luz verde.

- Eis o Datacrys, onde todo o nosso saber reside. Proteja-o com sua vida, comandante Nunes.

Boquiabertos, os técnicos e soldados observam o artefato. Nunes aproxima-se dele, contemplando as luzes.

- Um cristal de dados! - sussurra Bel. - Ainda são utilizados na indústria, podem guardar informações para sempre.

- Fascinante, Bel, mas em que isso pode nos ajudar a fugir? - Diz Davi.

Os soldados fazem um círculo ao redor do sargento e do Datacrys.

- Venerável, eu não entendo, como vamos chegar nesse Marco? Como vamos extrair o conhecimento desse Datacrys? - questiona Nunes.

- Latitude: -19.36168051, Longitude:-48.18122864, Elevação:779 m - responde Sharem, a voz cada vez mais fraca.

Repentinamente, um alarme dispara dentro da sala. Os técnicos correm para os consoles, pressionando botões e checando listagens que deslizam nas telas de alguns monitores.

- O perímetro da fortaleza foi invadido! - grita um dos técnicos.

Os soldados entram em posição de alerta, empunhando seus rifles e mirando nas janelas. O comandante Nunes joga-se sobre o Datacyrs, agarrando-o com força.

- Cabo Edson, rápido, me dê sua mochila! - ordena o comandante.

Num piscar de olhos, invasores vestidos em armaduras negras com detalhes cromados arrebentam as janelas e entram no centro de comando. Um grupo de técnicos corre para atacá-los, mas são rapidamente dominados. Em segundos, os invasores assumem uma formação de ataque e disparam suas armas. Munição sônica produz rastros brancos no ar, formando uma teia volátil. Vários disparos acertam o corpo metálico de Sharem, atravessando-o facilmente e derrubando um punhado de soldados do outro lado. Bel joga-se ao chão, seguida por Maestro e Davi.

-Fogo de cobertura! - vocifera Nunes.

Três soldados se lançam na frente do comandante, protegendo-o e disparando contra os invasores. Por sua vez, Nunes agarra o Datacrys e o coloca na mochila, então, levanta-se e corre para a grande porta de metal, passando por cima dos prisioneiros.

Os invasores avançam, cada disparo eliminando um soldado inimigo. A pequena tropa resiste como pode, descarregando pentes e atirando contra as cabeças dos invasores, porém, as armas da Divisão Gavião são inúteis contra as armaduras cromadas, que recocheteiam os tiros. Escoltado por seus últimos quatro homens, o comandante Nunes insere seu cartão de acesso no leitor da grande porta. Os soldados, desesperados, avançam contra os atacantes numa tentativa de ganhar tempo para o comandante, mas são trucidados por rajadas sônicas. Nunes vira-se para os atacantes, saca sua pistola, mas é alvejado por vários disparos que perfuram seu peito; ele cai de bruços ao lado de Davi. Em apenas alguns segundos os invasores dominaram o centro de controle.

Com armas em punho, os agentes da VNR aproximam-se dos prisioneiros, fazendo um círculo ao redor deles. O líder do grupo agacha-se ao lado de Bel, escaneando-a.

"Bel, você não consegue derrubar esses caras?" - pergunta mentalmente Maestro.

"Não dá! Essas armaduras... de alguma maneira estão completamente isoladas!"

- Alvo localizado e subjugado. Comando, quais as ordens? - diz o líder dos agentes.

- Tragam-nos para cá, imediatamente.

- Perfeitamente, venerável Seiji Nakashima.

https://www.facebook.com/engenhariareversalivro

IR PARA O PRIMEIRO CAPÍTULO

Para navegar entre os capítulos clique sobre os botões "Anterior" e "Próximo" disponíveis logos abaixo.

[Anterior] [Próximo]


André Luis Almeida Barreto
Aspirante a escritor, inquieto por natureza, ainda tenho vontade de mudar o mundo ou pelo menos colocar um monte de gente para pensar. Viciado em livros, games, idéias loucas e sempre procurando coisas que desafiem minha imaginação.

comentários pelo facebook:

17 comentários em "[Bookserie] Engenharia Reversa: Parte XXXIII - A Queda do Gavião"

  1. Que bacana essa Bookserie, ainda não havia visto!

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  2. Capitulo recheado de ação e com um final que deixa os leitores querendo mais :)

    ResponderExcluir
  3. André!
    Vixe! Adrenalina pura.
    Invasão e ameaças, maravilha!
    Um maravilhoso final de semana!
    “Não saber é o que torna nossa vida possível.” (Lya Luft)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Não tinha visto bookseries pelos blogs ainda e adorei.
    Esse capítulo tem muita ação eim. Eu não leio muito livros e temas nesse estilo, mas gostei.

    ResponderExcluir
  5. Muito boa esta parte da bookserie, cheia de ação, gosto muito de acompanhar esta história!
    Aguardando a próxima parte.

    ResponderExcluir
  6. Quantos acontecimentos fiquei querendo saber como Bel e os outros vão conseguir sair dessa.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Estou adorando a historia! Você escreve super bem <3
    Amei esse capítulo cheio de ação, mal posso esperar para o próximo capítulo (:
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oii André!!
    A Booksserie tá cada vez melhor!!
    Parabéns!
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá André ;)
    Comecei a acompanhar a booksérie desde o capítulo anterior, e estou adorando... você escreve bem, parabéns.
    Adoro livros de ação e aventura, e adorei esse capítulo.
    Fiquei muito curiosa pelo próximo, com esse final!
    Abç

    ResponderExcluir
  10. Eu acompanhei o começo dela e me perdi nos capítulos, mas nossa, preciso já colocar tudo em dia!! Você escreve mt bem!

    Rodolfo

    ResponderExcluir
  11. Olá! Capítulo repleto de ação, e terminou com aquele gostinho de quero mais hein, aguardando os próximos para descobrir como eles farão para resolver essa invasão.

    ResponderExcluir
  12. Ainda não tinha visto essa Bookserie, mas só por esse capítulo já vi que é boa, já vou procurar aqui os anteriores para poder ler tudo certinho.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi, demorei um pouquinho pra me situar e ainda não cheguei nesse capítulo. Mas o que eu li gostei muito.
    No próximo tomara que eu leia já na sequência. : ' )

    ResponderExcluir
  14. Oi André, tudo bom?
    Vixii tenho que me situar novamente na bookserie, porque tem tanto tempo que não leio ela que fiquei perdida rsrsrs. Mas irei me situar novamente.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Faz tempo que não vejo os capitulos dessa bookserie, gostei do novo capitulo com muita ação e otimas novidades, aguardando o proximo!

    ResponderExcluir
  16. Oi, André!
    Amei o capítulo achei bem interessante a invasão a ninho do Gavião!! Bem emocionante mesmo!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  17. Eita, e agora, como Bel, Maestro e Davi vão sair dessa?! Amei esse capítulo cheio de ação e ficarei aguardado o próximo com muita ansiedade!
    Parabéns!

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir