acompanhe o blog
nas redes sociais

22.5.18

Irmandade da Adaga Negra: A Escolha, Vol. 15 [J. R. Ward]

Ed. Universo Dos Livros, 2017 - 528 páginas
- "Xcor, líder do Bando de Bastardos e acusado de traição contra o Rei Cego, enfrentará um interrogatório brutal e um destino tortuoso nas mãos da Irmandade da Adaga Negra. Todavia, depois de uma vida marcada pela crueldade e por decisões infelizes, ele aceita seu destino de soldado, sendo que seu único lamento é a perda da fêmea sagrada que nunca foi sua: a Escolhida Layla. Somente Layla conhece a verdade capaz de salvar a vida de Xcor. Mas revelar seu sacrifício e sua herança secreta exporá a ambos e destruirá tudo o que Layla mais ama – até mesmo o papel de genitora de seus filhos preciosos. Dividida entre o amor e a lealdade, ela precisará criar coragem para enfrentar sua única família, a fim de defender o macho que amará para sempre. Além disso, mesmo se Xcor recebesse o perdão de alguma maneira, ele e Layla teriam de enfrentar um desafio ainda maior: criar uma ponte sobre a fenda que afasta seus mundos sem sedimentar o caminho para uma guerra de proporções ainda mais devastadoras, incorrendo em desolação e morte."

Onde comprar:

Este é um livro que estava aguardando ansiosamente, pois Xcor é meu terceiro personagem preferido (perde para Zsadist e Rehvenge), pois quanto mais sofrido, mas me apego, e convenhamos, esse guerreiro sofreu desde novo o pão que o diabo amassou.

Muita gente não gosta do personagem, afinal ele apareceu na série como vilão, lutava contra nossos queridos guerreiros da irmandade, que amamos, mas por isso mesmo sua redenção teve um doce sabor. E também tem a Layla, que sempre foi respeitada na mansão da irmandade, mas relegada a uma doara de sangue.

O livro inicia com o nascimento de Xcor, filho do Irmão da Adaga Negra Hharm, e como ele foi mesquinho na hora do parto, tratando mal a mulher que estava grávida, pouco se importando com sua dor, somente interessado num filho homem, para só assim, desposar a mulher. Quando Hharm pegou seu filho nos braços e viu que o mesmo tinha um defeito nos lábios, na mesma hora ele abandonou a mulher e a criança. Xcor, recém-nascido sofre sua primeira rejeição devido a sua deformidade labial.

Sua mãe não era diferente do seu pai, depois de abandonada teve que viver numa casa simples, e passou a maltrata-lo e despreza-lo, até que um dia, deixa-o abandonado para morrer. Ainda criança sofreu a segunda rejeição.

Abandonado pelo pai e mãe, forçado a lutar pela sua sobrevivência, Xcor vive como um ladrão, quando o destino lhe coloca no caminho do mais temível dos vampiros, Bloodletter, que percebendo sua intensa força e coragem, leva-o para seu bando, tornando-o sua mão direita. Xcor molda-se a imagem do homem que supõe ser seu pai, igualmente temível, capaz de realizar as piores atrocidades, como esfaquear o próprio tenente nas entranhas só para manda-lo para as mãos da irmandade e assassinar vampiros, humanos e redutores, qualquer um que atravesse seu caminho, muitas vezes movido pela guerra, outras só por diversão.

Depois da morte de Bloodletter, Xcor tornou-se líder do Bando de Bastardos, mudou-se para Caldwell e se transformou no inimigo número um da irmandade. Acusado de traição contra o Rei, é odiado pelos irmãos, principalmente por Tohr e Qhuinn, que disputam pelo direito de matá-lo.


Mas um amor mudou os planos de Xcor, apaixonou-se pela Escolhida Layla, que transformou tudo para ele, convertendo a Irmandade de um alvo a algo tolerável, de inimigo a um habitante coexistente naquele mundo. No entanto, ele sabia ser impossível uma aliança entre a irmandade e os bastardos, pois eles sempre estiveram em lados opostos durante o reinado de Wrath, esse limite tendo sido estabelecido pela bala que Xcor alojou na garganta do líder por direito da raça vampírica.

"Ele relanceou para a Escolhida e depois desviou o olhar rapidamente.
- Eu sou... - Xcor inspirou fundo. - Não sou mais o que costumava ser."

Por séculos, ao lado de suas irmãs, Layla executou os deveres sagrados das escolhidas no santuário da Virgem Escriba, adorando a mãe da raça e registrando os eventos da terra para prosperidade dos vampiros. Mas tudo isso é passado, agora as escolhidas já não são as representantes vivas de uma tradição rígida, tornaram-se indivíduos com seus próprios descontentamentos e preferências, passando a viver na realidade, procurando por seus destinos.

Vivendo no complexo da irmandade e grávida de Qhuinn, Layla enfrenta o ódio do guerreio quando ele descobre que ela se encontra as escondidas com Xcor e que o ama.

"- Não seja romântica, ok? Não no que se refere à guerra. Aquele maldito é um assassino frio e implacável, e usou você. Você é como todo o resto para ele. Um instrumento para ele chegar onde quer. Tira essa venda, fêmea, e caia na real."

Desde o incio do livro fiquei com ódio do Qhuinn, da maneira que ele tratou a Layla quando descobriu seu amor pelo maior inimigo da irmandade. Ele não só disse coisas horríveis para Layla como também para Blay, que tentou ser racional quando a bomba estourou.

"E não tente distorcer as coisas, não estou com ciúmes, estou enojado. Amo um homem de valor e tive que ir para a cama com você porque precisava de uma incubadora para o meu filho e para minha filha, por isso e pelo fato de você ter se jogado em cima de mim quando esteve no cio. Estes foram os únicos motivos pelos quais estive com você."

Thor tem um papel muito importante na história e seu maior desejo é quebrar o pescoço de Xcor e arrancar seu coração ainda quente do peito, mas seu destino está muito mais amarrado ao de Xcor do que ele imagina.

Como sempre a autora trabalha muito mais que os personagens principais do livro, ela cria uma teia de estórias que se entrelaçam e formam essa maravilhosa série que nos fascina. Novos personagens entram e velhos voltam ao foco, como V. e a dr. Jane, que, pelo que parece, vão enfrentar tempos turbulentos.

"Quando se está pensando em trair a companheira, isso não cai muito bem na sua consciência. E tampouco é algo que você gostaria de fazer na casa que partilha com ela."

E como diria minha amiga Adriana, se você leu a série e não gostou, é porque não leu direito!

A Série já consta com os seguintes volumes:

01. Amante Sombrio (2009) - Wrath e Beth - Resenha
02. Amante Eterno (2010) - Rhage e Mary - Resenha
03. Amante Desperto (2010) - Zsadist e Bella - Resenha
04. Amante Revelado (2010) - Butch e Marissa - Resenha
05. Amante Liberto (2011) - Vishous e Jane - Resenha
06. Amante Consagrado (2011) - Phury e Cormia - Resenha
Guia Oficial da Série (2011) - Resenha
07. Amante Vingado (2011) - Rehvenge e Ehlena - Resenha
08. Amante Meu (2011) - John Matthew e Xhex - Resenha
09. Amante Libertada (2011) - Payne e Manuel Manello - Resenha
10. Amante Renascido (2012) - Tohrment e No’One - Resenha
11. Amante Finalmente (2013) – Qhuinn e Blay - Resenha
12. O Rei (2014) – Wrath e Beth - Resenha
13. Os Sombras (2015) – Trez e iAm - Resenha
Legado da Irmandade da Adaga Negra #01 (2016)– Beijo de Sangue- Paradise e Craeg- Resenha
14. A Besta (2016) – Rhage e Mary - Resenha
15. A Escolha (2017) – Xcor e Layla - Resenha Atual


Gisela Menicucci Bortoloso
Capixaba, leonina, analista de sistemas e mãe. Apaixonada por livros, sou uma leitora compulsiva e como o tempo é curto, leio em todo o lugar: esperando o elevador, dentro do ônibus, no salão de beleza... Ler é meu prazer e minha paixão!
*Sua compra através dos links deste post geram comissão ao blog!

comentários pelo facebook:

20 comentários em "Irmandade da Adaga Negra: A Escolha, Vol. 15 [J. R. Ward]"

  1. Acabei de receber o primeiro volume desta extensa série e não vejo a hora de poder conferir o livro.
    Por isso, me senti um tanto perdida com os nomes e vou confessar que até pulei algumas partes da resenha, por trazer muito assunto que vou demorar demais para chegar..rs
    Quando penso que serão tantos volumes, dou uma desanimada(é pior do que ver Greys Anatomy),mas devagar eu alcanço.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gisela.

    Podemos ver que, o que a Layla tem em mãos, não é uma escolha simples e fácil, visto que a mesma poderá ser decisiva.

    Acaba sendo um livro com um peso emocional, por a autora permitir ao leitor ver um outro elemento presente na vida do Xcor.

    E, acaba provocando no leitor nuances de sentimentos. O inesperado é capaz de transformar e alguém, principalmente o mais puro dos sentimentos.

    Não estou muito situada em toda a série (só li 2 livros), mas agora, sabendo da história de vida por traz de um personagem tão odioso como esse, me faz querer lê-lo mais ainda.

    ResponderExcluir
  3. Oi Gisela, então Layla finalmente encontra o amor, mas ele é super complicado né?! tô muito longe de chegar nesse livro, li até o sexto e confesso que dei uma parada, nem todos os personagens principais dos próximos livros me animaram e eu tô adiando dar continuidade, mas vou retomar e quando chegar nesse acho que vou gostar ;)

    ResponderExcluir
  4. Oi Gisela,
    Eu sou louca para ler a Irmandade da adaga negra, mas sempre perco a coragem quando vejo a quantidade de livros! KKKK é muita coisa.

    ResponderExcluir
  5. GI!
    Quer dizer que o amor mudou os planos de Xcor? Interessante!
    A série é fabulosa e a cada novo livro fico mais extasiada e com vontade de refazer a leitura, porque li há muitos anos atrás.
    Maravilha sua análise.
    Maravilhosa semana!
    “Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente. A maioria das pessoas nunca ouve. “(Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nenhum livro da saga, sempre imaginei que fosse algo mais pesado como Game of Thrones e não algo que envolvesse tanto romance. Logo no início já deu vontade de ler, também sou do tipo que se apaixona pelo personagem sofrido hehehe

    ResponderExcluir
  7. Olá Gi!
    Amei conhecer a série, mais uma vez um livro me prende atenção, tanto pela capa tanto pelo enredo que parece ser bom demais, eu curti acompanhar resenhas de cada livro, assim minhas expectativas ficaram ainda maiores, espero curtir a leitura qdo surgir uma oportunidade de ler. Vai para os desejados assim como os outros.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Olá! Essa série é realmente maravilhosa, não tem como, não se apaixonar por todos esses personagens, o difícil é escolher qual é o meu favorito! Também estava bem ansiosa por esse livro, pois não via a hora de ler a história do Xcor, ele enfrentou tantos obstáculos durante sua jornada que foi impossível não me apegar a ele.

    ResponderExcluir
  9. Oi Gisela,
    Como ainda não conheço essa série (mas é uma de minhas desejadas) esse é meu primeiro contato com Xcor e, se ele é um personagem com um passado marcante já sei que irei adorar esse livro, pois personagem sofrido é comigo mesma. Sofrer abandono de quem deveria ama-lo incondicionalmente, certamente marcou a alma do nosso protagonista e deu início a difícil saga que seria sua vida. Como sempre espero nesse tipo de trama que um amor venha em resgate a quem tanto sofreu, Layla parece ser tudo o que Xcor precisa e deseja, por isso ver que ela também terá sua cota de sofrimento já me deixa agoniada. Quero muito ler os livro dessa série, mas como ela é muito grande, as vezes desanimo, por isso é muito bom ler um resenha tão positiva sobre A escolha, pois renova minha vontade de adquirir os livros.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Gisela!
    Meu personagem preferido da série Irmandade da Adaga Negra é o Wrath, por isso detestei o Xcor no momento que ele atentou contra a vida do Rei Cego, mas como não conheço esse Xcor da Layla - li a série até Amante Renascido - não saberia dizer se os meus sentimentos por ele mudariam... Quanto a Layla, não gosto nem desgosto dela, mas acho muito errado a forma como o Qhuinn passa a tratá-la ao descobrir seus encontros e sentimentos pelo Xcor. E apesar de ficar curiosa para saber a ligação de Thor com o Xcor - essa autora só apronta! - no momento não tenho interesse em ler A escolhida... Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Oi Gi.
    Eu também gosto de personagens sofridos kkk, não é atoa que Zsadist é meu amorzinho nessa série, eu tenho uma relação de amor e ódio com esse livro, adorei a história do Xcor (apesar de ser bem trite), mas não sou lá a fã número 1 da Layla e concordo com você, Quinn nesse livro, foi uma personagem terrível e muito desprezível, enfim, não vejo a hora de ter o décimo sexto livro na minha mão.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Uau não conhecia essa série ainda, fiquei bem apaixonada. Amo as fantasias e essa me lembrou um pouco da minha preferida (corte de espinhos e rosas) o mocinho que começa odiado e termina amado por todos <3 Já vi que é uma série pra quem gosta de sofrer então estou disposta a lê-la kkkk. Imagino como a Layla sofreu se vendo apaixonada pelo maior inimigo da irmandade e tendo que lutar por esse amor :( aposto que vou até chorar com esse livro haha

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu acho que se eu for ler essa serie demorarei um seculo para terminar.kkkkk
    A historia é interessante, tem uma premissa muito boa e ainda mas que envolve vampiros, já estou apaixonada por vários em...Gostei muito e já irá fazer parte da listinha de compras.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  14. me interessei por essa série,estou espantado pelo fato da editora Universo dos livros de dado continuidade a um série,geralmente eles lançam um ou dois livros e paralisam,por isso opto por outras editoras ou por comprar depois de todos os volumes lançados.

    ResponderExcluir
  15. Olá Gisela
    Essa série é enorme, e para mim fica um pouco cansativo. O único livro da série que eu li foi o "O Rei", então eu pulei todos os livros anteriores para ler esse. Valeu a pena ler o livro, gostei do enredo, da forma que a obra dela flui, mas o que pega para mim é essa grande quantidade de livros que a série tem.

    ResponderExcluir
  16. Eu não gosto de séries muito longas,me deixa exausta porque quero terminar logo e porque não muda o contexto,li uma série no inicio do ano de 9 livros,quando cheguei no oitavo já não conseguia mais continuar e olha que era de uma das minhas autoras favoritas (julia Quinn)

    ResponderExcluir
  17. Eu sou louca para ler essa série, pois acho a trama incrível e acompanho a maioria das resenhas.
    Mas são tantos livros e enormes que me desanimam para começar.
    Mas quem sabe um dia eu crio coragem.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  18. Caramba, a série já tem muitos livros. Eu também me apego a alguns vilões justamente pelas situações que muitos enfrentam. Claro que nada justifica um turbilhão de maldades que praticam, mas se for bem construído a gente acaba entendendo. Eu ainda não li nada da série, mas já fiquei curioso em conhecer.

    ResponderExcluir
  19. Olá, Gisela!
    Não conhecia essa série, lendo essa resenha parece interessante.
    Quero muito ler principalmente porque o Xcor foi rejeitado pelos pais.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Oi, Gi!!
    Parei de ler essa série no terceiro livro, e agora acho que tenho que voltar a ler essa série!! Minha amiga fica sempre perguntando quando vou começar a ler essa série e agora estou pensando seriamente em voltar a companhar a esses livros!!
    Bjos

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir