acompanhe o blog
nas redes sociais

23.9.19

Macbeth [Jo Nesbø]

Jo Nesbø
Cortesia do Grupo Editorial Record

Macbeth, de Jo Nesbo é uma releitura de uma peça de Shakesperare de mesmo nome, e faz parte de um projeto chamado Hogarth Shakesperare, da Hogarth Press, editora inglesa criada pelo casal Leonard e Virginia Wolf em 1917. A Hogarth Shakesperare tem como objetivo reinterpretar as obras de Shakesperare para que novas gerações de leitoras conheçam e se interessem por suas peças, recontando-as por autores aclamados e campeões de vendas, como Gillian Flynn (Hamlet), Margaret Atwood (releitura de A Tempestade com o livro Semente de Bruxa) e Jo Nesbo (Macbeth.)

Esta é uma informação importante: se você já conhece a peça, no mínimo, já sabe, mais ou menos, o que vai encontrar. Se não conhece a peça, mas conhece o autor (e estamos falando de Jo Nesbo aqui), então pode partir do princípio de que as características da escrita do autor estarão mescladas com alguma outra coisa, o que não necessariamente é ruim.

Agora, se você, como eu, leria a lista de compras de supermercado de Jo Nesbo e não fazia ideia de que esta era uma releitura, como foi o meu caso, esta é uma triste história de promessas não cumpridas, por que acabei caindo no segundo caso citado acima.

Macbeth
Título: Macbeth
Autor: Jo Nesbø
Tradutor: Márcia Alves
Editora: Record
Gênero: Thriller e Suspense
Páginas: 518
Edição:
Ano: 2019
Onde comprar: Amazon

Voltando ao livro, a história se passa em uma cidade industrial sem nome da Noruega no ano de 1970. A cidade entrou em decadências décadas antes, quando as fábricas foram fechadas por causarem danos à saúde de seus moradores, e a falta de empregos tornou o lugar perfeito para a disseminação de drogas pelas ruas e corrupção em todas as hierarquias do poder.

O comissário-chefe recém-empossado Duncan é um homem idealista e visionário, a favor de uma gestão transparente e engajado na luta contra qualquer forma de corrupção. Seu aliado (ou sua arma) mais forte é Macbeth, o chefe do Grupo de Operações Especiais, um homem do povo, e também uma pessoa ambiciosa, influenciável, com tendências paranoicas e violentas e ex-dependente de anfetaminas. E cuja “esposa” é a dona do segundo maior cassino da cidade, e também uma pessoa igualmente gananciosa e manipuladora.

(Eu sinto muito pessoal, mas daqui pra frente o texto terá alguns spoiler das duas histórias, da peça de Shakesperare e do romance de Jo Nesbo)

A história começa quando, após o assassinato do comissário-chefe, Macbeth recebe a visita das “três irmãs”, emissárias de Hécate, o maior traficante de drogas da cidade”, parabenizando-o pela nomeação de Comissário-Chefe antes de tal decisão acontecer oficialmente.

A semente da ganância pelo poder encontra terreno fértil, e assim Macbeth começa a agir para torná-la realidade, chegando, inclusive, a matar o homem que ele sempre considerou como pai, e indo daí para pior.

“-Mas você não sabia? Nenhum homem nascido de mulher pode me matar. Foi o que Hécate garantiu, e ele provou inúmeras vezes que cumpre suas promessas. Então, sabe de uma coisa? Posso me levantar daqui e ir embora.”

Jo Nesbo, a meu ver, é um autor único quando o assunto é trama policial. Ele sabe trabalhar as nuances do cotidiano policial e a narrativa de uma trama de ação como poucos autores trabalham, e talvez tenha sido por isso mesmo que ele tenha sido escolhido para a Hogarth Shakesperare.

É triste por que eu esperava uma coisa e recebi outra, mas, ao mesmo tempo, é interessante perceber a força do texto de Shakesperare, que se manteve a tona mesmo dentro da narrativa de outro autor.

Se você quiser conhecer um pouco sobre outros livros deste autor, clique nas capas para ler as resenhas:


comentários pelo facebook:

17 comentários em "Macbeth [Jo Nesbø]"

  1. Fazer uma releitura de Shakespeare não é uma tarefa fácil. Só um autor brilhante e talentoso como Nesbo consegui manter a essência de Macbeth original e ao mesmo tempo dar sua verdade a história.
    Nesbo deu a trama agilidade, reviravoltas e muito drama .

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca cheguei a ler mesmo a peça de Shakespeare, mas conheço bem a trama toda de tanto ouvir falar ou ver filmes. Jo Nesbo é maravilhoso em suspense, não sei se funcionou tão bem nessa obra mas creio que, mesmo assim vale a pena ser lido. Tenho vontade de ler somente para ver o resultado dessa mistura.

    ResponderExcluir
  3. Olá! ♡ Nossa, eu não fazia ideia da existência da Hogarth Press, mas achei super interessante eles reinterpretarem as obras de Shakesperare.
    Gosto de releituras, por vezes elas me agradam mais do que as obras originais.
    Nunca li nada do Nesbo, mas tenho bastante curiosidade já que sempre vejo falarem bem do autor.
    Achei legal que mesmo dentro da narrativa de outro autor, conseguimos enxergar muito da obra de Shakespeare.
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  4. Toda releitura é como um salto no escuro. Agora Nesbo nunca é um salto no escuro. Por isso quando vi este livro, fiquei meio apreensiva. Sabe quando parecem dois opostos?? Senti bem isso ao ler a sinopse. Shakespeare é único em sua forma. Em sua época de escrever. Mas Nesbo é mestre demais em enredos com investigações e isso de instigar o leitor.
    Mesmo com alguns pontos negativos, confesso que deu curiosidade em ler esse agua/óleo tentando se misturar no mesmo copo.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Olá Luiza!
    Esse projeto de releitura envolvendo as icônicas produções shakesparianas, ainda mais com autores tão talentosos e renomados, chama a atenção de qualquer leitor. E esta obra, mesmo para quem não conhece a história original, consegue entreter exatamente pela destreza de Nesbo para com o gênero, o que torna a leitura extremamente prazerosa de acompanhar. É interessante ver como os traços de Macbeth se combinam harmoniosamente com a parte original da história, tornando esse híbrido ao mesmo tempo uma homenagem e uma desconstrução.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oi Luíza,
    Já tive contato com a escrita de Jo Nesbo e as experiências foram de mediana a muito boa, então eu fico curiosa sobre as outras obras do autor. Não sabia que Macbeth era uma releitura e agora que o sei verei essa história com outros olhos (mesmo que eu não tenha lido a obra original). Em se tratando da cotidiano policial, concordo com você que ao autor sabe a descrever muito bem, na medida certa, na verdade eu gosto de tudo na narrativa dele, só que as vezes a história pode não levar para o caminho desejado. Achei bem interessante este projeto da Hogarth Shakesperare e se a ideia era apresentar grandes clássicos a nova geração a escolha do autor foi muito boa, pois o gênero que ele escreve tem se tornado um dos mais populares da atualidade.

    ResponderExcluir
  7. Ola, Luíza
    Nunca li nada do Jo Nesbo, na verdade nem conhecia o autor, confesso que não fiquei muito empolgada para conhecer depois dessa resenha kkkkkk
    Gosto muito de tramas policiais, mas faz uns tempos que só pego livros ruins com essa temática, chega desanimo :/

    ResponderExcluir
  8. Sinto em dizer que não conhecia Jo Nesbo, e muito menos a peça MacBeth. Não sou muito de tramas policiais, acho que de todos os gêneros literários, esse é o menos lido por mim. Acredito que seja mais por falta de recomendação rs. Esse livro não me atraiu muito, talvez seja por ser uma reconstrução de uma história que eu ja não conhecia. Enfim, lerei outras resenhas do Jo Nesbo para ver se minha opinião muda.

    ResponderExcluir
  9. Olá! Essa é uma história de Shakespeare que eu também não estou familiarizada, e essa versão de Nesbo parece ser bem sombria, o que não é lá muito a minha cara, ainda assim achei a proposta do projeto, em fazer releituras das obras de um autor tão consagrado quanto Shakespeare, e ainda mais, usando autores tão bons muito bacana.

    ResponderExcluir
  10. Nunca li nada do autor, mas achei interessante saber que esse livro se trata de uma releitura - ainda mais de Shakespeare. O que me deixa receosa é o gênero, não sou fã de romance policial.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Por ser tratar de uma releitura acho que para aqueles que conhecem a história original a obra não ser tão bacana assim cria certa decepção, confesso que eu não curti muito o enredo em si, achei a história um pouco dark, não sei se a encararia neste momento.

    ResponderExcluir
  12. Oiii ❤ Achei legal a iniciativa da Hogarth Shakespeare de convidar autores para escrever releituras de Shakespeare para que a próxima geração possa ter interesse nas obras.
    Já não gostei desse Macbeth, nunca vi alguém tão ganancioso que até mata alguém que considerava como pai por causa de poder.
    Bom saber que o autor sabe muito bem criar uma história com ação.
    É uma pena que não tenha superado as suas expectativas, mas é mesmo interessante o autor se manter fiel ao mundo criado por Shakespeare.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  13. Luiza!
    É bem isso que passa pela cabeça do leitor que conhece o autor em tramas policiais bem escritas e se decepciona com uma releitura não tão boa, uma pena.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  14. Olá Luíza!
    Eu não conheço a escrita do autor e também não estou familiarizada com a peça, mas sempre pensei que Macbeth fosse uma mulher rs. Achei bem bacana a ideia da editora de fazer as releituras para que o público mais jovem conheça as tão famosas obras de Shakespeare. A trama me pareceu bem violenta e sombria mas achei interessante a figura de Hécate na história pois sou fascinada pela mitologia grega. Não seria uma das minhas escolhas de leitura, a não ser que eu decida sair muito da zona de conforto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Sinto muito mas no momento em que você falou spoiler eu parei na hora, sempre pulo essa parte. kk
    Já tinha visto muitos falando do autor e de sua escrita, também das historias que ele criam. Eu tenho um certo interesse sobre ele e o livro também. Espero muito ler em breve!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  16. Oi, Luíza
    Não li nada de Shakespeare, apenas alguns trechos mais conhecidos.
    Também não conheço a escrita de Nesbo vejo falar muito de seus livros. Tenho um aqui que ganhei mas pelo jeito deve fazer parte de alguma série Boneco de Neve.
    Releitura são complicadas porque cada um interpreta Shakespeare de um jeito e só lendo esse livro para eu tirar uma conclusão.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi, Luíza!
    Eu não conhecia essa releitura do Jo, mas quero muito ler os livros dele, pois adoro as resenhas de seus livros, sempre muito positivas.
    Ai, olha, li alguns livros do Shakespeare e não gostei de nenhum, então acho que não leria essa releitura, apesar de que pela visão do Jo Nesbo pode ter melhorado kkkk
    bjs

    ResponderExcluir

Qual sua opinião sobre o livro? Compartilhe!

Tecnologia do Blogger.
siga no instagram @lerparadivertir